História (REPOST) Bad Boys vs Bad Girls, inimigos? Talvez não - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Kakashi Hatake, Maito Gai, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Brigas, Drama, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Inogaa, Naruhina, Naruto, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Nejiten, Romance, Sabaku No Gaara, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Sasusaku, Shikamaru Nara, Shikatema, Temari, Tenten Mitsashi, Tsunade Senju
Visualizações 233
Palavras 4.641
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Cap6: Adolf Hitler eu aguento, o que eu não suporto é você


Quando o sinal bateu e o professor saiu da sala, as conversas se instalaram, reclamações sobre o trabalho que o professor tinha acabado de passar podiam ser ouvidas. Eram poucos aqueles que não estavam conversando, mas muito eram aqueles que estavam odiando o trabalho.

Quando finalmente as aulas naquele período tinham acabado, cinco jovens se viram obrigadas a voltar para os pinceis e tintas. Tinham que acabar com aquilo o mais rápido possível para poder ter tempo de fazer o trabalho de história. Por sorte não faltava muito, mas só terminariam assim que a noite caísse e por isso já estariam cansadas.

Neji: O Pucca, a gente precisa fazer o trabalho. – disse friamente enquanto se aproximava do prédio com os amigos.

Tenten: Se você e o seus amiguinhos idiotas não tivessem armado para nós, podíamos agora estar fazendo o trabalho. – se virou para ele e o encarou seria.

Sasuke: Agora a culpa é nossa? – perguntou indignado, se aproximando mais do prédio e das garotas.

Sakura: Todas as desgraças que acontecem na nossa vida, os culpados são vocês.

Naruto: Olha, dessa vez eu não vim aqui pra discutir, eu vim aqui saber quando vamos fazer o trabalho, gaguinha?

Hinata: Quando um boi botar um ovo.

Naruto: Eu não vou esperar esse tempo todo não, eu preciso dessa nota.

Temari: Amanhã fazemos esse trabalho, nós estamos cansadas.

Shikamaru: Ô criatura, caso você não saiba o trabalho é manuscrito e tem que ter pelo menos vinte paginas.

Temari: Vocês deviam ter pensado nisso antes de fazer a gente ter que pintar um piche gigante.

Ino: É. Agora vaza e deixa a gente acabar de pintar essa merda.

As garotas voltaram a pintar, enquanto os garotos se sentaram em baixo das arvores e ficaram vendo elas trabalhando. Eles permaneceram ali por que queriam ver os efeitos do plano que tinham feito. Mas não aguentaram ficar ali por muito mais tempo, quando a noite caiu e já passavam das sete, desistiram e entraram no prédio. As garotas tiveram que ficar ali por mais uma hora. Quando acabaram foram o mais rápido que puderam para o dormitório, tudo que queriam naquele momento era um banho e deitar em suas camas.

*

Não havia coisa mais chata do que a aula de literatura, ela podiam ser ainda mais chata quando o professor contribuía para isso, e mais insuportável ainda por serem duas aulas, as duas ultimas daquele dia.

Quando a aula finalmente acabou, tudo que aqueles jovens queriam era ir para seus dormitórios e descansar e não ter que ficar juntos por mais de uma hora. Mas tinham que deixar um pouco suas diferenças de lado e juntar forças para não matar um ao outro.

Combinaram de se encontrar com suas duplas as cinco, a simples lembrança de que teriam que ficar juntos já os irritavam.

Quando a hora combinada chegou, cada dupla ficou em um ponto diferente da biblioteca que não estava muito vazia, por que outros alunos também estavam ali terminando seus trabalho ou apenas lendo um livro.

Na seção de livros de auto-ajuda se encontrava Tenten e Neji. Normalmente aquela seção era lotada de estudantes depressivos que vinham ali buscar ajuda para suas angustias, mas aquele dia estava vazia.

Neji: Então, como vai ser?

Tenten: Como vai ser o que?

Neji: Uma trégua?

Tenten: Trégua? Olha, só por que vamos fazer um trabalho não significa que nós tornaremos amiguinhos, entendeu?

Neji: Quem disse que eu quero ser seu amigo? Eu só não quero ficar com a cabeça abaixada e correr o risco de ter um lápis atravessando o meu olho.

Tenten: Pode ficar tranquilo, eu não estragaria o meu lápis com isso. Agora, vamos fazer esse trabalho. Que tal se falasse sobre o exercito? Eu poderia escrever a minha parte falando sobre o exercito alemão e você sobre o exercito americano ou outro que estava participando da guerra.

O moreno apenas confirmou com a cabeça, não iria ficar discutindo tema de trabalho com aquela garota. Tenten lhe entregou um livro sobre o assunto, ele começou a ler enquanto ela fazia o mesmo.

Na seção de livros clássicos, Sakura folheava um livro enquanto esperava seu parceiro. Tinha se passado dez minutos quanto o moreno finalmente chegou.

Sasuke: E ai algodão doce colorido, o que vai ser? – perguntou divertido enquanto puxava uma cadeira pra se sentar.

Sakura: Algodão...? Esquece.Você ta atrasado.

Sasuke: Ta, vamos fazer logo esse trabalho.

A rosada ainda tinha vontade de socar a cara de Sasuke, mas se conteve. Lhe entregou um grande livro de capa dura vermelho.

Sakura: Eu falo sobre como começou a guerra e qual foram suas causas, você sobre como ela terminou. Tudo bem pra você, emo?

Sasuke: Ta legal, rosinha, quanto mais rápido eu terminar isso mais rápido posso me livrar de você.

A Haruno teve novamente vontade de pegar a cabeça do Uchiha e a jogar com toda a força contra a parede, mas se fizesse isso ela teria que copiar as vinte paginas. Decidiu que o melhor era conservar sua raiva e descontar nele em um momento mais conveniente.

A loira tinha acabado de chegar, era a seção de referencias, fácil de achar. Estava tranquila ate aquele momento, mas teve vontade de esmagar a cabeça daquele Nara, quando chegou na seção e o encontrou dormindo tranquilamente sobre um livro.

Temari: Fala serio?! – pegou o livro que carregava e o jogou com toda força na mesa, fazendo um grande estrondo – Acorda vagabundo!

Shikamaru: Que?Quando? Pra que esse escândalo todo muié? – disse assustado.

Temari: Deixa de ser preguiçoso, seu idiota. Vamos fazer essa porcaria de trabalho logo.

Shikamaru: Ta, não tem outro jeito mesmo. Tinha que ser aquele besta do Yamato pra me colocar fazendo trabalho com uma problemática dessas.

Temari: Do que foi que você me chamou? – perguntou irritada lançando no Nara um olhar assassino.

Shikamaru: Nada, nada.

Temari: Acho bom... Peguei uma pesquisa legal na internet falando sobre Hitler e vamos fazer o trabalho sobre ele.

Shikamaru: “Ela nem pergunta se eu concordo, já faz uma afirmação. Hunf, muito problemática!”

A loira deu todas as instruções para Shikamaru, que não ouvia nada do que ela falava.

Gaara: Então loirinha, o que vai ser?

A seção de livros infantis estava vazia, a não ser pela presença de um ruivo e de uma loira que não se suportavam. Estavam sentados ali a mais quinze minutos e não tinham conseguido combinar nada, suas idéias não batiam.

Ino: Só pra constar: eu te odeio e estou detestando muito mais ficar fazendo um trabalho com você.

Gaara: Olha só, compartilhamos o mesmo sentimento um pelo outro. Agora vamos fazer logo essa droga de trabalho.

Ino: Tá, mas vamos falar sobre o que?

Gaara: Podíamos fazer um resumão.

A loira concordou, se continuasse discutindo com ele, teria que suportar sua presença por mais tempo. Começaram a copiar.

Os livros de literatura li distribuídos pelas prateleiras pareciam atraentes aos olhos da Hyuuga, pena que não podia usar o seu tempo para lê-los, tinha que ficar ali, com a presença insuportável daquele loiro hiperativo.

Naruto: Olha, eu não entendo nada disso, por isso peço que esqueça as nossas diferenças e lhe imploro que me ajude a fazer um trabalho bom, por que se não eu vou acabar rodando logo no primeiro semestre.

Hinata: Mas o ano mal começou.

Naruto: Eu sei gaguinha, mas é que se eu não tirar uma boa nota no primeiro bimestre eu vou me ferrar nos próximos. Então, por favor, eu imploro: me ajuda a fazer um trabalho bom, ele tem um peso grande sobre a media e eu não posso me ferrar nesse bimestre.

O loiro tinha pego no ponto fraco de Hinata. A morena era gentil e seu coração se apertava ao ver alguém desesperado ou sofrendo, mesmo que esse alguém já tivesse declarado que era seu inimigo e de suas amigas.

Hinata: Esse trabalho também será a minha nota, eu não quero tirar uma nota baixa só pra te ferrar... Vou fazer o melhor que eu posso, desde que você me ajude e pare de me chamar de gaguinha.

Naruto: Ta, eu paro... Por hoje. E num fala nada prós outros não, tá?

A morena não se conteve e deu uma risada, um sorriso tímido, mas que não deixava de ser contagiante. Entregou um livro para Naruto e disse o que teria que copiar.

Aquele trabalho talvez não fosse tão ruim como ela esperava. Pelo menos para Hinata, por que as outras estavam sofrendo com seus parceiros. Discutiam atoa e por coisas ridículas, não adiantava o motivo não conseguiam se dar bem.

Tenten: Copia logo isso, tem um negocio ai que serve pra mim, agora copia rápido.

Neji: Se você parar de gritar e de me irritar, eu talvez consiga copiar.

Tenten: Agora a culpa é minha?

A discussão daqueles dois durou por mais um logo período, qualquer um na biblioteca poderia ser capaz de ouvir. Quando já passavam nas nove, nenhum deles conseguia escrever mais uma única palavra.

Naruto: Eu acho que a minha mão vai cair.

Hinata: Deixa de ser reclamão, eu já acabei.

Naruto: Já? Então copia pra mim.

Hinata: Alem de reclamão é folgado, vai te catar garoto.

Não era só a Hyuuga que tinha problemas com seu parceiro folgado, Temari estava sofrendo tanto ou mais.

Temari: Ei, Shikamaru, me ajuda aqui... Olha, presta atenção,um livro diz que Hitler foi assassinado outro diz que ele se suicidou, e agora o que eu coloco? Shikamaru? Shikamaru?

A loira tirou sua visão do papel e a direcionou para o moreno a sua frente, mas era melhor não ter olhado para ele, pois sentiu um vontade imensa de trucida-lo.

Temari: Seu preguiçoso inútil, acorda!

Shikamaru: Eu já acabei a minha parte... – sem levantar a cabeça ou abrir os olhos, o moreno esticou as folhas de papel.

Temari: E eu perguntei se você terminou ou não? Ahh esquece, você dormindo é mais útil do que acordado.

Por mais que as discussões fossem mais que constantes, o trabalho pelo menos rendia, demorou mais, porem conseguiram terminar. Um pouco depois das dez todos já tinham acabado,e quando iam sair de sua seção, algo um tanto quanto estranho aconteceu: as luzes de toda a biblioteca foram apagadas e o barulho de uma porta se batendo pode ser ouvida. Sem saber o que estava acontecendo, todos correram para o hall de entrada da biblioteca onde se encontraram.

Sakura: AHHHHHHHH! É... é você Temari? – disse assustada, segurando o rosto de alguém.

Temari: Por enquanto, por que se você não soltar o meu nariz e me deixar respirar eu não sei por quanto tempo mais serei.

A rosada soltou Temari, mas o problema era que não conseguia ver um palmo a frente de seu rosto. O silencio e a falta de luz indicava uma coisa: a bibliotecária não estava ali.

Tenten: Alguém sabe o que aconteceu?

Shikamaru: Eu diria que na melhor das hipóteses a luz acabou, e na piro delas a bibliotecária foi embora e deixou todos nós aqui.

Ino: O que?

Naruto: Aquele velha deve sofrer de amnésia, nem deve ter lembrado que entramos aqui.

Sakura: Supondo realmente que ela foi embora... Nós estamos presos aqui.. Juntos?

Sasuke: Nesse escuro não vamos conseguir nada, o melhor é procurar o quadro de luz.

Sakura: E quem disse que você é o chefe?

Sasuke: Olha aqui garota – esticou o braço e segurou o primeiro rosto que apalpou – Ninguém aqui consegue ver nada e a melhor idéia é ligar a luz, não acha?

Gaara: Sasuke, dá pra soltar a minha cara?

Sasuke: É você, Gaara? – passou a mão pela extensão do rosto, quanto deslizou os dedos em volta dos olhos sentiu-os passando por algo meio pastoso, realmente era Gaara.

Temari: Quanta baitolice... Eu não queria concordar, mas o emo tem razão, o melhor é encontrarmos o quadro de luz.

Não tinham muita escolha, era a melhor opção. Seguiram as cegas procurando pelas paredes um quadro de luz. A cada minuto era possível ouvir “ais” e “uis” de alguém batendo a canela ou o pé em algum móvel ou estante da biblioteca. Com muita sorte Naruto encontrou o quatro e ligou a luz, possibilitando assim todos enxergarem, enxergarem não só toda a biblioteca, mas também o estrago que Sasuke tinha feito com a maquiagem de Gaara, agora a maquiagem preta era um grande borrão. Ninguém conseguiu resistir, todos caíram na gargalhada.

Gaara: Continuem rindo, vão lá podem continuar rindo, mas quero ver se vão continuar assim quando descobrirem que realmente a bibliotecária foi embora e nos deixou aqui. – apontou para a mesa vazia, com o computador desligado e sem os óculos que a velha bibliotecária usava.

Todos se calaram, a biblioteca realmente tinha ido embora e tinha deixado eles ali?

Sakura: Eu não acredito que aquela velha esqueceu dez estudantes aqui dentro.

Sasuke: Esquecido ela podia ate ter, mas o incrível é que ela não ouvi as discussões do Neji e da Tenten, por que ela não mandou que se calassem.

Ino: E a porta está trancada! – gritou enquanto tentava forçar a fechadura da porta.

Hinata: Tem um telefone em cima da mesa, podíamos ligar para alguém.

Naruto: Boa! – exclamou o loiro, andou ate a mesa e tirou o telefone do guincho – Alem de surda e esquecida, essa velha também não tem dinheiro, por que o telefone tá mudo.

Sakura: Então... Nós estamos presos aqui? Juntos?

Ino: NÃO! O que eu fiz pra merecer isso? Eu atirei pedra na cruz? Eu mijei na estatua do Buda? NÃO! Então o que eu fiz pra merecer isso, hein?

Tenten: Clama Ino! – pegou a garota pelos ombros e lhe deu um belo tapa na cara – A gente vai arrumar um jeito da sair daqui! “Eu espero”

Naruto: Quanto carinho, não? – sussurrou para o moreno ao seu lado.

Sasuke: Se elas fazem isso com elas mesma, imagina o que iram fazer com a gente, aqui sem testemunhas...

Os dois engoliram em seco, só o fato de imaginar aquilo os deixou assustados.

Todos se olharam. Definitivamente estavam presos ali, e pior juntos! O telefone não funcionava, as portas estavam trancadas, definitivamente teriam que esperar o dia seguinte para sair dali.

Sakura: Então estamos presos aqui, certo?

Naruto: Certo!

Temari: O jeito é esperar que a bibliotecária venha amanhã e abra a biblioteca, mas quando?

Gaara: Eu acho que é as dez que a biblioteca abre.

Ino: Só as dez? Vamos ter que passar quase doze horas junto? Que infortúnio!

Naruto: E o pior é que eu estou ficando com fome – disse tristemente enquanto alisava a barriga.

Sasuke: Ahh NARUTO, pra que você foi lembrar.

Um silencio pairou em cima dos dez jovens, a reclamação de Naruto os fez lembrar que já fazia muito tempo desde que tinham comido alguma coisa. O estomago de todos parecia implorar por comida, pior que passar a noite juntos seria passar a noite juntos e com fome.

Tenten: Ultima vez que eu comi eram as quatro da tarde... Eu to com fome...

Neji: E quem não esta, Pucca?

Shikamaru: Aquela bibliotecária não pode passar o dia inteiro aqui sem comer nada... Deve haver uma sala onde ela faz o seu lanche ou almoça.

A incrível idéia de haver um lugar onde existia comida encheu a boca e os olhos dos presentes naquela biblioteca. Não demorou nem dois minutos para que saíssem em disparada a procura de algo para matar a fome. Procuravam em cada porta, em cada espaço, ate que finalmente nos fundos da imensa biblioteca encontraram um sala. Era muito pequena, havia ali somente um sofá velho, uma mesa de centro de uma madeira escura, uma televisão pequena e uma pequena geladeira, para onde todos se direcionaram, mas que só Gaara teve chances de chegar primeiro.

Gaara: Vamos ver o que temos aqui – abriu a porta da pequena geladeira e pegou o que encontrou e as colocou sobre a mesinha de centro, onde todos os outros estavam sentados em volta.

A fome é o instinto mais antigo do homem. Quando estamos com fome caçamos algo na geladeira ou no armário da cozinha, buscando assim algo que reponha nossas energias. E o que tinham para repor suas energias depois de um trabalho tão extenso? A única coisa que tinham para se livrar daquele extinto tão antigo eram: duas garrafas de suco de goiaba, um pedaço de bolo ,um saco de batatas, um pote de gelatina verde e uma maça. Poderia parecer muito se fosse para apenas uma pessoas, mas como dividiriam aquilo para dez?

Temari: É isso que tinha na geladeira? – perguntou indignada olhando para a mesinha de centro.

Gaara: Não tem mais nada.

Sakura: Temos que dar um jeito de dividir isso pra todo mundo.

Aquela era a única coisa que poderiam fazer se de algum jeito quisessem acabar com a fome. Dividiram tudo em quantias iguais, resultando para cada um ali presente em quase nada. Comeram, mas a fome não passou e o que acabou por tomar conta deles agora era o sono.

Sasuke: A gente tem que arrumar algum lugar pra dormir.

Naruto: A gente podia dormir aqui. - apontou para o pequeno sofá, se referindo a ele.

Sakura: Nesse sofá cabe nem eu, o jeito é dormir no chão ou em cima das mesas.

Neji: Mas pra isso não precisamos dividir o mesmo local, certo?

Todos estavam de acordo. Depois que fizeram seu incrível banquete, foram em busca de um lugar para dormir. As garotas ficaram na seção debaixo e os garotos subiram as escadas, ficando assim em andarem diferentes. Puxaram as mesas e as juntaram para que pudessem se deitar, era melhor dormir na madeira dura do que no chão frio.

No andar de cima os garotos se arrumavam como podiam, mas Neji estava mais preocupado com outra coisa do que com onde repousaria a cabeça.

Neji: Temos que ficar atentos, não podemos baixar a guarda com essas garotas por aqui.

Sasuke: Relaxa, Neji. Elas estão cansadas e na melhor das opções acabamos ficando presos em uma biblioteca, o pior que elas podem fazer é nos jogar um livro.

Naruto: É cara, relaxa.

Tenten: Da pra calar a boca? Tem gente querendo dormir aqui em baixo – gritou nervosa do andar de baixo.

Neji: Cala a boca você garota, ninguém aqui ta te incomodando.

Tenten: Se eu mandei calar a boca é por que ta me incomodando, seu idiota! – gritou ainda mais nervosa, já estava ao ponto de subir as escadas e ir bater no Hyuuga.

Neji: Idiota é você.

Ino: Cala a boca!

Gaara: Para de pia.

Ino: O que você esta insinuando com o “para de pia”.

Gaara: Eu sabia que esse seu pequeno cérebro não seria capaz de entender.

Temari: Com tanta gente pra eu ficar presa em uma biblioteca, tinha que ser justamente com esse bando de idiotas. Ate Hitler me parece um opção melhor.

Shikamaru: Então por que você não vai procurar ele, e aproveita pra se interar junto.

Temari: Vai te fude, garoto.

Shikamaru: Vai você no meu lugar.

Temari: Eu vou assim que você me ensinar o caminho, já que já ta acostumado.

Sakura: Tome cheiroso!

Sasuke: Cala a boca, rosinha.

Naruto: Calem a boca todos, eu to tentando dormir.

Hinata: E alguém perguntou?

Agora sim a discussão tinha se espalhado, todo estavam envolvidos. Discutiam individualmente e acabavam falando ao mesmo tempo, o que os obrigava a gritar para que pudessem ouvir um ao outro. Os mais explosivos – Neji e Tenten – já procuravam um enfrentamento cara a cara, estavam na escada se empurrando e gritando. Ate que não suportando mais Tenten pegou um livro, grosso e bem pesado, e o lançou em Neji, que se esquivou por pouco. O grande estrondo causado pelo encontro do livro com a parede fez com que todos deixassem suas discussões individuais de lado e se voltassem para o ocorrido, ate as garotas saíram de onde estavam para ver.

Neji: Eu não disse que tínhamos que tomar cuidado. – direcionou a frase para os amigos, enquanto analisava o livro que tinha sido lançado, e calculava mentalmente o estrago que ele teria causado se tivesse acertado nele.

Tenten: Eu tenho que confessar, eu morro de vontade de amassar essa sua cabeça de filhote de cruz credo, aqui seria o lugar perfeito... Mas se eu fizesse isso teria que acabar com os seus amiguinho também, por que eles acabariam me dedurando, como não quero ter uma fixa criminal tão extensa... E... Estamos todos cansados e queremos dormir, mesmo que seja em cima da mesa, mas vamos tentar esquecer isso por algumas horas e tentarmos dormir... O que acham?

Naruto: Sem a possibilidade se sermos atingidos por livros voadores?

Hinata: Sim.

Ino: Sem a possibilidade de acordarmos amarradas em cima de uma bacia cheia de sanguessugas?

Gaara: É estranho,mas... Sim.

Neji: Então faremos uma trégua por essa noite.

Se aquilo fosse um acordo entre amigos seria selado com um aperto de mãos, mas aquilo para eles seria muito radical, principalmente por que não eram amigos. Mas ate mesmo nas piores guerras alguma hora haverá uma trégua, e aquela era a trégua necessária para que ambos os lados recuperassem as energias. Selaram aquele acordo com um “boa noite” e partiram para suas “camas”. Aquelas mesas não eram das mais confortáveis, mas o cansaço não permitiu a nenhum deles notar aquilo. No dia seguinte provavelmente acordariam com dores nas costas, mas dormiriam com a estranha sensação de por algumas horas ter se dado bem com seus rivais, mas teriam que acordar e dar de cara com eles.

*

Era quinta, dia de vir mais cedo e arrumar a biblioteca. A velha bibliotecária já estava acostumada com aquilo, fazia a anos e mesmo que fosse cansativo, ela adorava. Abriu a porta e adentrou na biblioteca e se deparou com uma cena que não esperava, as luzes da biblioteca estavam acesas, será que tinha esquecido de fazer um ritual de mais de vinte anos?

Andou ate o computador e o ligou. Já estava velha, assim como aquele computador, deveria ter esquecido. Largou a bolsa ali, pegou espanador de pó e uma flanela e saiu na direção da primeira seção. Quando chegou lá tomou um grande susto e deixo as coisas que tinha em mãos caírem. O grito daquela velha bibliotecária eclodiu e ecoou por toda a biblioteca. O grito fora tão alto e acordou os jovens que dormiam ali. Acordaram assustados sem saber o que estava acontecendo, alguns ate chegaram a cair se suas “camas”.

Bibliotecária: Q...Quem são...são vocês e o que fazem aqui? – apontou para as garotas nas mesas e os garotos que já desciam as escadas.

Naruto: “Essa véia é muito esquisita...”

Sakura: Somos alunos do colégio, e você nós deixou presos aqui ontem a noite – disse pausadamente e de forma carinhosa para acalmar a velha senhora.

Bibliotecária: Eu... Eu deixe vocês aqui? – perguntou assustada apontando para si mesma.

Naruto: Não, minha avó.

Hinata: Cala a boca, Naruto.

Naruto: Difícil seria calar as orelhas.

Bibliotecária: Mil desculpas, crianças, eu não queria ter feito isso. Eu realmente não sabia que vocês estavam aqui... Me desculpem, por favor.

Em resposta a velha bibliotecária teve cabeças balançando.

Bibliotecária: Obrigada crianças, eu realmente não sabia que estavam aqui. Me perdoem pelo que fiz vocês passarem, por favor peço que não contem nada para a senhora Tsunade.

Hinata: Não contaremos.

Bibliotecária: Falando nela, é melhor vocês irem para o dormitório de vocês, daqui a pouco o sinal vai bater.

Os estudantes concordaram e foram pegar suas bolsas. Enquanto as arrumavam e pegavam seus trabalhos, tiveram que ouvir mais mil vezes a velha senhora se desculpar. Saíram correndo para seus dormitórios, estavam doloridos, cansados e com fome, mas não podiam fazer nada apenas jogar uma água no rosto e ir para sala, por que o sinal estava preste a bater.

Chegaram na aula de historia em cima da hora. Entregaram os trabalhos e o professor Yamato começou a mandar seus “quilos” de dever, com a desculpa de que enquanto os alunos faziam ele adiantava a nota dos trabalhos, lendo eles ali mesmo.

Quando a aula estava quase acabando ele anunciou a nota do trabalho que estava lendo.

Yamato: O trabalho de... de Tenten e Neji... Ficou bom, mas acho que faltou alguma coisa. A nota de vocês é 9,5

Tenten: 9,5... 9,5... 9,5??? – levantou da cadeira irritada, como sentava na primeira carteira ficou frente a frente com o professor – 9,5 foi isso que eu ouvi? Eu passo a tarde inteira com esse projeto de filhote de cruz credo, acabo ficando presa com ele e os amiguinhos dele, não dormi direito, fiquei com fome e tudo isso pra você me dar um 9,5!!!???

O professor de historia engoliu em seco, cada osso e célula de seu corpo estremeceu, o olhar assassino da aluna a sua frente o deixou extremamente assustado.

Yamato: F.. Foi...foi um equivoco de minha parte... Esse... Esse trabalho com certeza merece um dez, me desculpe. – foi a única coisa que achou certo fazer, por que do jeito que a garota o olhava era capaz de fazer algo que ele preferiria ficar sem imaginar.

Tenten: Hunf! Acho bom – disse mais calma se sentando.

Neji: Quem diria que o seu pavio curto serviria para alguma coisa, hein Pucca!

Tenten: Calado, Hyuuga!

O professor de historia ainda tremia, quando a diretora adentrou na sala.

Yamato: Se... Senhora Tsunade, algum problema?

Tsunade: Me parece que esta sofrendo de amnésia,Yamato. Eu vim aqui fazer um comunicado, não se lembra?

Yamato: Ah sim, claro. Silencio, vocês não viram que a diretora esta aqui?

Sakura: Mas ninguém estava falando, professor.

Tsunade: Nisso ela tem razão – a diretora soltou um risinho que foi acompanhado pelos alunos ,e que acabou por deixar Yamato envergonhado – Silencio. Bem eu vim ate aqui para fazer um comunicado sobre as aulas extra-curriculares. Todos os alunos devem participar de pelo menos uma, e quem joga no time de futebol esse ano terá que participar de outra atividade, assim como as lideres de torcida. Para quem quer entrar para as lideres as audições serão segunda, assim também vale pra o time de futebol. Eu sugiro que quando der a hora do almoço vocês irem logo fazer usas fichas, antes que acabem fazendo aula de algo que não queiram. As aulas começam na segunda.

Após fazer o comunicado a diretora se retirou e logo após isso o sinal bateu. Yamato saiu, dando espaço para o outro professor entrar.

*

Quando deu a hora do almoço um multidão de alunos se amontoava na frente de um mural, onde havia as opções de aulas extra-curriculares. Todos queriam o mais rápido possível preencher a ficha de algo que queriam, antes que a quantidade de vagas acabasse. Todos se “matricularam” em alguma aula e seguiram para o refeitório. Principalmente dez jovens que não viam a hora de comer.

Quando as aulas daquele dia finalmente acabaram, tudo que dez adolescentes queriam era deitar em suas camas e repousar suas costas doloridas no colchão macio. Mas quando as garotas chegaram no dormitório, algo incomodou um rosada.

Sakura: Gente, eu acho que aquele emo de merda vai fazer a mesma aula que eu.

Temari: Isso pode ser bom.

Sakura: Pode?

Ino: Pode mesmo...

Temari: Pensa bem, nenhum desses idiotes deve ter se candidatado a fazer as mesmas aulas extra-curriculares,e cada uma de nós também esta em aulas diferentes...

Sakura: Então...

Tenten: Não importa qual deles seja, iremos inferniza-los. Eles podem ate ser bons juntos, mas vamos ver como eles reagem a um ataque individual.

Hinata: Mas se nenhum deles estiver na mesma sala que nós?

Temari: Não há muitas opções de aulas, Hinata.

Sakura: Adorei a idéia, mas as aulas só vão começar na segunda, ate lá teremos tempo de pensar em fazer alguma coisa, mas... Vamos dormir agora, por que passar a noite em cima de uma mesa é horrível.

Ino: Todas nós sabemos, testuda.

Todas se despediram, queriam dormir, descansar e só depois pensar o que poderiam fazer com aqueles garotos.


Notas Finais


Mais um capítulo para vocês, espero que gostem e ate o próximo :) s2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...