História Reputation - Capítulo 41


Escrita por:

Postado
Categorias Aaron Carpenter, Alexandra Daddario, Bella Thorne, Blake Gray, Cameron Dallas, Camila Mendes, Chloë Grace Moretz, Cole Sprouse, Emma Roberts, Jack & Jack, Katherine McNamara, Kaya Scodelario, KJ Apa, Madison Beer, Matthew Espinosa, Nash Grier, Nick Jonas, Sam "Wilk" Wilkinson, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Personagens Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Camila Mendes, Chloë Grace Moretz, Emma Roberts, Hayes Grier, Jack and Jack, Jack Gilinsky, Jack Johnson, Katherine McNamara, Kaya Scodelario, KJ Apa, Matthew Espinosa, Nash Grier, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Tags Aaron Carpenter, Adolescência, Amizade, Amor, Cameron Dallas, Jack And Jack, Matthew Espinosa, Nash Grier, Old Magcon, Romance, Romance Gay, Shameron, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Visualizações 34
Palavras 2.276
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 41 - 3T.Mensagem


               |Shawn Mendes|

   O inverno começou,gosto dessa época mais do que qualquer coisa.Observo os flocos de neve caírem essa manhã.Pequenas estruturas brancas dançando no ar,a vista das enormes janelas do apartamento é incrível,nem mesmo acredito que estou morando em um lugar assim.Acordei cedo demais,nem mesmo Cameron deu sinal de vida roncando alto que perdi o sono,tudo bem,a noite ontem foi maravilhosa e ele estava cansado não o julgo.Oliver me ligou dizendo que eu poderia ter um tempo para organizar meu casamento e que iria me cobrir no tempo livre,incrível!

  Vou para a cozinha.Tem uma cafeteira esquisita,cheia de botões e letras enfileiradas.Ligo na tomada,pego uma caneca do star wars no armário e coloco em baixo do pequeno filtro,aperto um botão e um jato quente de café escorrega para o recipiente.Uau!não me impressiona que é tão fácil usar,já que Cameron não tem coragem para preparar café.

—Bom dia docinho de coco!— Franzo a testa a ouvir a voz de Cameron soando tão animada.Ele acabou de me chamar de "docinho de coco"?

—Por acaso você está me zoando?—Pergunto fingindo mau humor,tomo um gole do café,torço o nariz quando sinto que a bebida não tem um pingo de açúcar.

—Eu adoro tirar uma com a sua cara—Ele mostra a língua,dando meia volta no balcão,pega a caneca da minha mão e repousa no balcão.—Mereço um beijinho de bom dia...—Diz manhoso,esfregando o nariz no meu.

—Merece não...—Sussurro encostando meus lábios aos seus,ele abre um sorriso contra a minha boca.

—Mereço sim babe—Beijo seus lábios deixando alguns selinhos,amo tanto cada segundo e como nosso relacionamento deu um grande passo.Ele está tão calmo que chega a ser assustador,mas eu prefiro que continue assim.

—Temos que decidir que lugar vamos fazer o casamento—Desvio do seu corpo,agarrando minha caneca de café peço para ele colocar açúcar.Cameron da um giro e alcança um potinho de vidro,puxa a gaveta e pega uma colher,e assim que adoça minha bebida,me entrega de volta.

—Pensei em Miami...mas está nevando para se casar na praia..então fudeu—Minhas sobrancelhas se unem quando ele enche a caneca com cappuccino da máquina,se eu soubesse tinha pegado!

—Você pensa em trabalhar?por que...hm...sua mãe não pode bancar você para sempre—Ele gira a colher dentro da bebida clara fazendo uma leve espuma.

—Sim...bom...talvez eu consiga uma vaga na empresa que minha mãe trabalhava.

—Hm...lugar grande para trabalhar...fico feliz por você...—Termino meu café,coloco a caneca na lava louça.Cameron puxa um banco para sentar e bate a mão esquerda livre na sua coxa para que eu me sente em seu colo.Dou uma risada envergonhada,vou até ele,me sentindo espaçoso perto do seu corpo.Pego a caneca da sua mão e coloco sobre o balcão.

  Por alguns segundos ficamos nos beijando,parece impossível se separar dos lábios deliciosos dele.Um pouco mais tarde,fiquei preso no trânsito enorme que estava na avenida principal de Toronto.Estamos indo para o buffet já que a escolha de se casar na cidade mesmo foi minha,a neve ainda torna a cidade sombria,a quantidade imensa de flocos brancos espalhados por toda parte é o motivo da enorme fileira de carros.

—Não é tão ruim quanto parece—Cameron diz quebrando o silêncio,não totalmente,a música na rádio é uma melodia no piano com notas misturadas,mas não exatamente o tipo de som que estou acostumado a curtir.Ele tira as mãos do volante por alguns segundos,apenas para se curvar e me beijar com paixão.

—Vai passar dois meses e a gente vai estar preso no trânsito,porque não foi pela rua da lanchonete?—Cruzo os braços,completamente exausto,a cabeça até mesmo despenca no encosto do banco.

—Vai passar dois meses e eu vou estar preso no trânsito com o meu noivo.

—Vai passar dois meses e você não vai casar porque está preso no trânsito—Rebato com um argumento melhor.Ele acena em resposta,sorrindo com deboche.

Demorou cerca de quarenta minutos,porque contei no relógio,quando chegamos no buffet,a fachada principal incrivelmente decorada com luzes brancas com um ar sofisticado,um pequeno palanque com degraus revestidos em madeira clara e uma grande porta com detalhes dourados e riscas azuis.A parte de dentro,incrível,exagerado com tanto luxo mais incrível.A forma como Cameron gasta dinheiro com coisas boas porém desnecessárias é assustador,acho que ele ao menos se importa de verdade.Há várias mesas redondas com toalhas azuis claras e escuras,flores brancas combinado com toda a decoração.Pisca-piscas brancos cruzando o teto,vários deles.

—Você é maravilhoso—O elogio,seu ego com toda certeza está inflando por dentro.Mordo o lábio,meus olhos não deixam escapar um detalhe se quer do salão.Tem pista para dançar,um palco pequeno com cortinas também azul.Acho que ele exagerou um pouco na cor sabendo que é a minha favorita.

—Você não vai se importar de usar um vestido de noiva...ou vai?—Ele me pergunta,me analisando de cima a baixo.Cerro os olhos e tenho quase certeza que está me imaginando usando um vestido branco e um véu.

—Você está louco?—Bato as mãos contra as suas costas,o empurrando de leve.Ele resmunga,puxando meu quadril e levando meu corpo para perto do seu.

—Louco por você—Sussurra,escorregando as mãos por minha bunda,dando uma apertadinha pervetida.

—Essa foi horrível—Murmuro contra os seus lábios doces,depositando selinhos e mais selinhos.

  A nossa manhã foi incrível,passamos no Starbucks para comprar muffins de chocolate.A neve continua infestado os asfaltos e tenho certeza que vão fechar as ruas daqui alguns dias.Quando estamos relaxando nas cadeiras confortáveis da varanda,me ofereço para preparar chocolate quente e volto com duas canecas brancas,estendendo uma a ele e me sentando bem juntinho ao seu corpo,ele está anotando a lista de convidados,o que é engraçado,por tem uma infinade de colunas e alguns nomes estão riscados.

—Quem é...Tina?—Aponto para o nome riscado.Ele morde a tampinha da caneta,suspirando.

—Minha vó... insiste em querer vir,mas não quero ela aqui—Mordo o lábio em dúvida,se eu perguntar...—Por parte do meu pai,ela defende tanto aquele filho da puta...fazer o que né—Ele parece desconfortável por falar sobre isso comigo.Eu nunca sei nada sobre a família dele,é sempre o básico sabe?também não pergunto porque bem...estamos casados,mas talvez ele não goste do seu passado.Só quero saber o que fez ele crescer tão revoltado.

—Eu também não quero meu pai no casamento...sei que é demais só que...ele não quer ver eu feliz com alguém que eu amo,quer que eu tenha uma reputação perfeita como a dele...—engulo em seco,é tão estranho me abrir dessa forma para Cameron.Passei por tanta coisa ao longo do nosso relacionamento perturbado.

  Ele puxa minha cabeça para deita-la em seu peito.Ficamos abraçados vendo os flocos de neve flutuando e se movendo lentamente.Não sei por quanto tempo,mas peguei no sono me sentindo nas nuvens.

  De noite.Cameron decidiu chamar alguns amigos para assistir filme.Resumindo Netflix e muita pipoca,espero.São amigos que vinheram de Nova York para o casamento daqui uma semana,o mais engraçado é que nenhum de nós se preocupa por ter alguém confiável preparado tudo.Preparei um grande balde de pipoca,sei que Cole vai vir também junto a sua namorada.Não sei se vou me sentir desconfortável com tanta gente passeando pelo apartamento.Pensei em até mesmo chamar Camila para não me sentir solitário,tudo bem,estou sendo paranóico.A neve cessou do lado de fora,mas o frio está impossível.

  A campainha toca,ouço o barulho da porta do quarto se abrindo e dos passos rápidos de Cameron,então vozes e muitas vozes.Sacudo o balde de pipoca,por algum motivo que não sei,deixo no balcão e vou até a sala para aparentar ser educado com os convidados.Duas garotas,Cole e sua namorada, como imaginei,e um garoto de cabelos claros e pele muito pálida,o boné vermelho parece que dá um detalhe mais chamativo nele e...ele é a cara do Cole.Droga!por que ninguém me avisa que ele tem um irmão gêmeo?

—Oi—Cumprimento um pouco tímido.Aperto a mão de cada um deles,só na garota loira que me puxa um abraço de urso e se afasta sorrindo.Apresentações rápidas e todos se reuniram na cozinha para dividir garrafas de cerveja.

—Vocês são tão lindos juntos!—Lily exclama abraçada a Cole,até que é fácil diferencia o irmão dele.Dou de ombros,vendo Cameron sorridente e bebericando a cerveja pelo gargalo quase de uma vez só.Seguro seu braço para impedi-lo de ir tão rápido.

—Vai com calma amor...—Sussurro,dando uma risada para descontrair.Sei o quanto ele se empolga com a bebida.

—Não se preocupe—Ele diz rindo,se curvando para beijar a minha bochecha.

   Seguimos para a sala e nos organizamos para sentar nos sofás.Lily,a amiga dela,Tayla,Cole e Dylan se acomodaram no assento maior,Cameron e eu ficamos no menor,esmagados um contra o outro,minha perna jogada por cima do seu colo e sua cabeça repousada em meu ombro.Selecionamos quatro filmes do catálogo,na qual eu já assisti tantas vezes,mas não reclamei,o clima não poderia ficar chato.

   O primeiro filme,Homem de ferro,esse é o clássico,não posso reclamar muito,mas me distraio desenho círculos por cima da camiseta de Cameron,que não para de beber inúmeras garrafas de cerveja,quando tento puxa-la da sua mão,ele estapeia meu peito e me empurra para o lado,não com tanta força.Pelo menos seus amigos não viram o que ele acabou de fazer,confesso que isso me magoou um pouco.

—Para de reclamar e busca mais uma—Ele sussurra me puxando para o seu colo,sinto o olhar de alguém sobre nós.Quando espio,Lily desvia o olhar.

  Me levanto devagar,ele assobia baixinho,que desconfortável!passo pelo corredor,entro no quarto,bato a porta e tento me manter em silêncio por alguns segundos.Sento na ponta da cama,girando meu corpo para o lado,balanço meus pés no ar.O som das vozes do lado de fora cessam,consigo voltar a respirsr,sabia que isso iria acontecer,ele realmente não vai parar de beber,isso é preocupante e se...quando chegar no apartamento estiver sempre nessa situação?droga!não posso pensar tanto nisso.

  Não quero estragar o casamento,mas também fico pensando daqui em diante.Ele pararia de beber por mim?provavelmente não.Cameron é impulsivo,faz o que bem entende sem ninguém mandar nas suas ações,o que me deixa preocupado,eu o amo tanto,mas não sei se consigo lidar novamente...porra!por que eu ainda tenho medo dele?ele não está tão ameaçador,só bêbado.

   Passo algumas horas dentro do quarto,até mesmo pego no sono e acordo assustado com duas batidas na porta.Esfrego os olhos,levanto e dou passagem para Cameron entrar.Ele nitidamente não parece normal,seus olhos estão vermelhos,a expressão de sono o dominando.

  Sinto os olhos um pouco molhados,não posso chorar na frente dele!por que não consigo?.Observa-lo tirar os sapatos,e se deitar como se nada tivesse acontecido me parte o coração,respiro fundo um pouco,pego meu travesseiro sobre a cama e vou para a sala,deito no sofá,ligando a TV.Escolho um filme qualquer na Netflix,um que fala sobre assassinato algo assim,isso me deixa ainda mais perturbado.Desligo todas as luzes e fico envolvido pela escuridão,o som da minha respiração ofegante sem motivo.Demorei tanto para dormir,mas finalmente consegui descansar um pouco.

   Batidas vindas da cozinha me acordaram pela manhã.O sol atravessou as enormes janelas da sala,queimando minha pele é aquecendo a coberta sobre meu corpo.Jogo-a de lado,levanto e sigo para a cozinha,percebo que Cameron está fazendo panquecas,e é um momento quase único,já que odeia cozinhar,me aproximo do balcão,uma grande bandeja com uma caneca de cappuccino,uma rosa vermelha com um bilhete preso na pequena folha esverdeada.Olho para ele rapidamente antes de desdobrar o papel.

   "Sinto muito por ontem,eu te amo tanto,vou lutar por você,lutar de verdade,sei que exagerei,mas pode me perdoar?"

Mordo o lábio um pouco em dúvida,tenho que perdoa-lo,foi um deslize,acontece na maior parte do tempo.

—Tá bom—Digo,largando o bilhete no canto da bandeja.Cameron franze a testa e os olhos meio que entristecem.

—Você não me perdoou com o coração não é?—Ele diz dramaticamente.Tenho que dizer que não sei exatamente se meu coração está preparado para lidar com Cameron bêbado,geralmente ele fica agressivo e estranho.

—Foi uma péssima ideia beber cerveja ontem...você sabe que...

—Shawn...vamos casar em menos de algumas semanas,eu só quero curtir antes de virar realmente um adulto,quando fomos para a faculdade a coisa vai ficar mais séria!responsabilidade,atividades,manter o apartamento,vamos ser oficialmente adultos—Ele gesticula com a colher na mão esquerda balançando na mão.

—Tá perdoado!—Ergo as mãos me submetendo.Seguro a caneca e tomo um gole do cappuccino,doce e do jeito que eu gosto.Droga!ele é tão...sensacional.

  Tomamos café da manhã juntos e conversamos sobre nossas férias em Miami,estamos ansiosos para ter um tempo para nós.Quando terminamos de comer,arrumamos a louça e fomos nos arrumar para ir a minha casa.Iriamos precisar urgente de uma ajuda feminina em relação as vestimentas.Gina e Kaya iriam chegar depois do almoço como combinado.

—Temos tudo que precisamos?—Pergunta Cameron conferindo o celular.Ele ergue os olhos para a rua,mais uma vez trânsito,a neve é terrível,mesmo que seja tão linda olha-la pela janela.

—Não sei exatamente...precisamos por exemplo escolher o sabor do bolo—Bato a mão no ombro dele,seus olhos se erguem perplexos—Presta atenção na estrada.Deixa que vejo isso aqui—Ele desvia o celular,o colocando no bolso.Encolho os ombros,encostando a cabeça na janela.

—Você vai querer uma despedida de solteiro?—Franzo a testa,que merda de ideia é essa?sei que muitos homens quando estão prestes a se casar se adaptam por ter uma despedida de solteiro e nessa situação me sinto a esposa perdida.

—Você não está pensando que vai ter uma despedida de solteiro com muitas mulheres e bebida,não é?porque se estiver pensando...nunca mais olho na sua cara—Ameaço,sinceramente não estou com cabeça para lidar com problemas.

—Tá bom!não está mais aqui quem falou—Ele ergue as mãos do volante.Os carros voltaram a se movimentar,o vidro da janela embaçado,não consegue me deixar ver o lado de fora,porém me divirto desenhando pequenos corações.

      —Amor...pega um copo de água pra mim?—Estamos sentados à mesa com a minha mãe,Aaliyah está na sala vendo desenho e parece bem atenta com isso.Quando Cameron e minha mãe vão a cozinha,aproveito o momento de sorte.

  Pego o celular de Cameron,está desbloqueado!sorte mesmo.Entro nas mensagens dele,tem uma conversa em aberto.

  "Me encontra no sábado,as oito horas,vou dar um jeito nisso"Madison Beer 9h56
  
                   "Certo,Shawn não pode saber disso"

  Engulo em seco,quando ouço passos largo o celular no mesmo lugar,ajeito a postura e finjo estar um pouco perdido,mesmo estando atordoado com essa mensagem.O que eu não posso saber?

—Está tudo bem?—Cameron pergunta ao sentar ao meu lado e segurar a minha mão.Respiro fundo e acabo balançando a cabeça concordando.O pior de tudo que não está nada bem!















Notas Finais


Cameron fazendo Merda?novidade não é mesmo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...