História Reputation - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Drama, Escola, Reputação
Visualizações 5
Palavras 876
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Reputation, capítulo três


reputation, capítulo 3

Logo após o primeiro sinal tocar, todos os alunos estavam de volta à sala de aula e estavam no aguarde da professora de história.

De volta à sala de aula os alunos formaram trios para dar início ao teste de história em grupos, Maria Geovanna, Lívia e Luísa não perderam tempo e se juntaram para fazer o teste, e Maria não iria perder à oportunidade de zombar da cara de Ester. 

- Esterzinha, vai fazer o teste sozinha? Quer se juntar a nós? - Perguntava Maria Geovanna em um tom debochado.

- Que isso garota? Isso é um joguinho comigo? E eu prefiro fazer sozinha, melhor que mal acompanhada. - Retrucou Ester.

- Eu fazendo joguinhos? Minha flor, o mal por si só se destrói, eu só preciso assistir, estou só fazendo você provar do próprio veneno, se eu estou fazendo joguinhos, aprendi com você. - Disse Maria, retornando à sua carteira.

- Vamos alunas, de volta às carteiras, vamos começar o teste de história. - Dizia o professor.

O tempo passou, o horário da aula de história acabara e os alunos esperavam ansiosamente pelo resultado que sairia alguns horários depois.

- Então Luísa, minha mãe disse que não tem como irmos lá para casa hoje, mas já falei com a coordenadora e nós vamos ficar amanhã até mais tarde para fazer o trabalho na biblioteca, avisa à sua mãe, aí você pode até ir para minha casa depois. - Dizia Maria Geovanna.

- Pera aí, vocês vão ficar na biblioteca amanhã à tarde? - Interrompia Lívia.

- Sim, para fazer o trabalho de espanhol. - Respondeu Luísa.

- Podem anotar o que eu estou falando, a terceira guerra mundial vai acontecer, amanhã, neste colégio. - Disse Lívia.

- Para com esse suspense merda, fala logo! O que foi? - Questionava Maria Geovanna curiosa e aflita.

- O meu grupo também vai ficar na biblioteca para fazer o trabalho. - Respondia Lívia a pergunta de Geovanna. - E pelo o que eu sei o seu temperamento com a Ester não está muito bom. 

- Não, o temperamento da Ester não está bom com ninguém. - Disse Luísa.

- Isso mesmo, tudo por causa de um menino que nós sabemos muito bem que está afim de você. - Completava Maria Geovanna antes de ser interrompida por Luísa.

- E que cá entre nós vocês combinam muito mais, e a sala toda já sabe. - Dizia Luísa enquanto fazia um toque especial junto à Maria.

- Vocês ensaiam essas coisas? - Perguntava Lívia.

- O toque ... ou as frases? - Respondia Luísa antes de cair às gargalhadas junto às outras garotas.

Conversa vai, conversa vem, enquanto as meninas jogavam o papo fora durante a aula, o sinal tocou e todos saiam da sala rumados aos pátios e os portões da escola. 

Já no pátio principal, a escola ia se esvaziando aos poucos, todos indo embora, os alunos do segundo turno iam chegando aos poucos, e as únicas alunas que sobraram foram Maria Geovanna e Ester, que estavam à espera de seus pais.

- Ester, deixa eu te fazer uma pergunta com toda clareza e sinceridade do mundo? - Perguntou Maria se aproximando da menina aos poucos.

- Já começou, agora termina. - Respondeu Ester.

- Por que você é assim? - Questionou Maria Geovanna.

- Vá direto ao ponto, não tenho tempo para perguntas hipotéticas e que não vão levar à lugar nenhum. - Respondia Ester.

- É pra ser direta? Por que você precisa rebaixar os outros para se sentir melhor? - Perguntou Maria.

- Francamente, eu aprendi que se tem alguma coisa impedindo a gente de seguir em frente, nós temos que tirar, por bem ou por mal. - Disse Ester que depois completou sua frase. - Ou às vezes precisamos até usar essas coisas.

- Então é por isso que você está toda amiguinha da Lívia, usando ela para se aproximar do Gabriel? Olha eu sabia que você era podre mas não que chegava em um nível tão baixo. - Dizia Maria Geovanna demonstrando insatisfação com os atos de Ester.

- E se eu estivesse fazendo isso? Você tem que aprender que nem sempre a princesinha tem que se meter na história. - Retrucou Ester.

- Isso tudo só para conquistar um garoto que prefere a sua amiga? Francamente menina, você não presta, isso tudo deve ser porque todos que te rodeavam te abandonaram e não se importam mais com você, triste. - Disse Maria Geovanna.

- É o que? Você sempre fala de mais mas tem hora que você fala mais do que devia. Eu não sei o que você quer comigo mas independente do que seja, eu vou deixar você sozinha, igual você me deixou quando foi embora. Agora com licença que minha mãe chegou. - Dizia Ester enquanto saia do pátio rumada ao portão.

As palavras de Ester tiraram o sossego de Maria Geovanna, nunca se sabe o que se esperar de uma pessoa decepcionada, ainda mais quando essa pessoa tem sede de vingança, mas nós sabemos que nossos alunos do Colégio Pacífico de ingênuos não têm nada, agora é só todos pegarem suas armaduras, suas lanças e irem para o campo de batalha, a guerra vai começar!

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...