História Resgate ao Meu Homem - Kaisoo - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Jongin!cabeçudo, Jongin!najinha, Jongineseusex, Kaisoo, Sookai
Visualizações 182
Palavras 1.579
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Bishounen, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Prontos para a melhor declaração do mundo? Rs.

Aqui teremos um Jongin convencido, dramático e manhoso. Espero que gostem!

Desculpem os erros.
Boa Leitura ❤

Capítulo 4 - Capítulo 04


– Tá, está tudo bem, Jongin. Está tudo muito romântico, muito formidável. E o fato de você estar pelado não irá mudar isso. – eu me olhava no espelho, chocado com o meu corpo maravilhoso, enquanto brincava com o pequeno Kim, que já estava um pouco acordado. – Seu safado… – é, às vezes, quando me sinto solitário, eu converso com o meu amiguinho. A conversa é sempre sobre o Kyungsoo, então flui bem, se é que me entende.


Bom, no momento, eu estava preparando a minha esplêndida declaração de amor e, cara, eu sou muito top. Eu pensei em várias maneiras de fazer isso, desde apenas palavras, até eu pelado no meio da rua. A parte do pelado eu aderi, mas não tinha coragem de ir até a rua, pois sabia que causaria acidentes devido a minha beleza extraordinária. Tinha medo de ofuscar a visão das pessoas com o meu brilho estonteante.


Parei de aumentar o meu ego e pus o meu plano em ação. Bolei algo bem legal e inovador, mas o que é do meu agrado pode não ser do agrado dos outros, coisa que eu não ligo, só para deixar claro. Eu fiz um caminho com pétalas de rosa desde o quarto até a porta de entrada, onde eu estaria o esperando com um enorme coração de pelúcia escrito “Eu te amo”.


A ideia era soltar o Soo e fazer ele seguir a trilha que deixei, até dar de cara comigo e a minha nudez. Seria impossível ele me rejeitar dessa forma, mas talvez eu pudesse me machucar fisicamente, por isso escolhi a porta de entrada, assim seria mais fácil fugir.


– É... Acho que já posso acordar a fera. – fui rapidamente para o quarto, tomando cuidado para não estragar a decoração, e corri até à cama, soltando o meu bebê e pegando um pequeno copo de água para jogar nele.


É ruím que eu iria me aproximar dele para acordá-lo, o Kyungsoo fica putasso quando interrompem o seu sono e não serei eu quem irei enfrentá-lo, pelo menos, não de perto. Mirei bem em seu rosto e joguei a água, quase levando o copo junto. Vi que ele acordou e saí correndo. Parei em frente à porta e peguei a pelúcia, colocando-a sobre a minha intimidade e escondendo o Kim Júnior. 


Meu coração parou assim que vi Kyungsoo saindo do quarto, parecendo um pouco desnorteado e preguiçoso. Meu Deus, esse homem é lindo até quando está parecendo um trapo! Nem parece que pisa no meu coração todos os dias.


– J-Jongin, o que é isso? – ele finalmente me notou, mas eu não sabia se gostava ou não de sua expressão apreensiva.


– Soo, por favor, me deixe falar. – não recebi sua confirmação, mas continuei mesmo assim. – Eu não preciso nem dizer o quanto eu te amo, pois você já sabe disso. O fato de eu ter te sequestrado e te trago para cá, é uma prova dos meus sentimentos. Eu não poderia ver o homem da minha vida se casar com outra pessoa, sem nem ao menos tentar mais uma vez. Na verdade, eu irei tentar quantas vezes for necessário, até que você aceite os meus sentimentos e... Passe a me amar também. – Kyungsoo começou a se aproximar lentamente, fazendo-me sentir como se fosse a morte batendo em minha porta e o meu coração acelerado era o aviso de sua chegada. – Nós não precisamos brigar ou ter você me olhando como se quisesse me matar, eu só quero que os meus sentimentos cheguem até você e, sinto muito, mas eu nunca mais irei te deixar sair da minha vida.


Eita, rapaz! Mandei bem. Até eu me apaixonaria pela minha pessoa.


Kyungsoo continuou a se aproximar e se mantinha em silêncio, me deixando agoniado e nervoso por não ouvir sua doce voz


.Mas, para a minha surpresa e futuro ataque cardíaco, Kyungsoo parou em minha frente e colocou ambos os braços ao lado do meu corpo, me mantendo encurralado. Nem preciso dizer que o Júnior foi lá em cima, né!?


– O que você quer, Jongin? – o meu pequeno estava fazendo um jogo comigo e, se possível, queria me causar um ataque, assim que se aproximou mais e começou a passar a ponta do nariz em meu pescoço. Eu, todo mole já, fechei os olhos e me deixei levar.


– Eu só quero ficar com você… – pus as minhas mãos em seus ombros, sentido as dele em minha cintura e me tocando de que a pelúcia estava no chão, ou seja, a minha situação estava visível, o que, querendo ou não, me deixava constrangido, afinal, era o meu Kyungsoo quem estava me tocando.


O mesmo mudou nossas posições, se apoiando na porta e me puxando para mais perto, apenas para me empurrar depois e me deixar confuso. Devido ao mau jeito, acabei tropeçando e caindo de bunda no chão. Olhei para ele e me vi sem chão, assim que o vi abrir a porta e sair correndo.


– KYUNGSOO! – chamei por seu nome e me levantei rapidamente, saindo no corredor e o vendo pegar o elevador, sem me dar tempo de detê-lo.


Ao contrário do que pensei que faria, apenas me ajoelhei dramaticamente no chão e comecei a chorar compulsivamente. Não conseguia acreditar que fui rejeitado de forma tão cruel. Meu coração estava quebrado, mas o que mais me doeu foi pensar que o Kyungsoo iria ser ao menos cavalheiro ao me dar um pé na bunda.


Juntei os cacos do meu coração e me levantei, voltando para o quarto e me jogando no sofá, tendo intenção de inundar aquele cafofo, que agora parecia ainda mais feio.


– Droga, Kyungsoo, por que você tinha que ser tão... Você!? Seu feioso, malvado, maléfico e ladrão de coração. Eu te amo tanto… – comecei a xingá-lo, usando os piores palavrões existentes na face da terra, enquanto me insultava por ser tão trouxa.


Em meio a minha novela mexicana, o som da porta batendo me assustou e, apesar de estar triste, isso não me impediu de morrer de medo pensando que era um ladrão quem estava invadido o meu mausoléu.


Quer saber, pois que fosse, eu não tinha mais motivos para sorrir, então que ele roubasse tudo o que eu tinha, já que o Kyungsoo fez questão de roubar a minha vida. Aquele maldito gostoso.  

– Jongin…


Puta merda! Um ladrão com a voz do Kyungsoo? Aí é para foder com tudo. ‘Tô cansado de ser enganado.


Me encolhi um pouco, só então me tocando de que tinha escutado o meu nome. Isso quer dizer então... Que o ladrão é um stalker! Jesus amado, é um serial killer!


– Olha aqui, se você veio aqui com a intenção de abusar do meu corpinho, já vou dizendo que ele tem dono. Um dono muito vacilão, por sinal. Ele pode te matar só com um olhar. Eu estou avisando, é melhor se afastar! – com a minha coragem transbordando, gritei de onde estava e não consegui me mexer. A gargalhada que recebi em troca, com certeza pertencia ao amor da minha vida.


– Jongin, para de fazer graça, seu idiota! 


Me levantei em um pulo, avistando o Kyungsoo encostado no batente da porta, me olhando de uma forma que eu não conseguia descrever. Sem saber o que fazer ou como reagir, apenas continuei a chorar, aumentando a intensidade de meus soluços.


– V-Você voltou… – murmurei e não me contive ao correr para abraçá-lo, quase gritando de felicidade ao senti-lo retribuir o meu carinho.


– Sim, eu estou aqui. Se acalme. – Kyungsoo começou a afagar o meu cabelo e eu me deleitava com aquela raridade.


Aos poucos fui me acalmando, ainda fungando um pouco, mas cessando o meu choro. O menor me pediu para sentar e assim eu fiz, tendo-o ao meu lado, me olhando intensamente. Comecei a brincar com os meus dedos, não conseguindo conter a minha ansiedade e o meu nervosismo enquanto esperava que ele dissesse algo.


– Sabe, Jongin, eu vi você namorar dez garotos diferentes. Eu vi você beijar todos eles e escutei você falar sobre as suas noitadas... – esse meu passado obscuro só me trouxe orgasmos mesmo. – Se você tivesse reparado mais, se você nunca dormisse primeiro, você teria visto as minhas crises de ciúmes e as lágrimas que suas histórias me proporcionaram. – tá, por essa eu não esperava. Kyungsoo olhou para mim e riu soprado, me deixando confuso. – Não acredito que você teve que me sequestrar, me trazer para a Califórnia, ficar pelado na minha frente e ainda por cima chorar rios, para mostrar o quanto me ama.


– Não tire sarro de mim, seu idiota! Na minha mente parecia o plano perfeito. Só para você saber, nas minhas imaginações você já ficou grávido de mim e nós temos dois filhos. Só falta mais um para completar o squad. – escutei uma gargalhada extremamente exagerada e fiz a minha manha de cada dia, cruzando os braços na altura do peito e fazendo um bico muito bonitinho. – O que essa risada escandalosa significa, em?


– Significa que eu também te amo, Kim Jongin. – eu o olhei rapidamente, desfazendo a birra e me vendo segurando as mãos de Deus, assim que escutei suas palavras.


– O-O que você disse?


– Hum… Acho que prefiro te mostrar. – antes mesmo que eu pudesse reagir, Kyungsoo se aproximou e selou meus lábios, me deixando imóvel em seus braços, sentindo apenas as batidas do meu coração.


E, então, eu morri.


3° passo: fazer a melhor declaração do mundo √


Não foi a melhor declaração do mundo, mas eu ganhei um “eu também te amo” e um beijo com gosto de lágrimas.


Cara, eu vou ficar um nojo! O povão vão ter que me engolir.


Notas Finais


O Jongin podia ser meu amigo...

Espero que tenham gostado!
Até mais ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...