História Resgate em Malibu - Do Ódio ao Prazer - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Brody, Malibu Rescue, Netflix, Resgate Em Malibu, Tyler
Visualizações 23
Palavras 1.727
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, LGBT, Romance e Novela, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Capitulo Unico


Brody estava confuso com tudo o'que havia acontecido. Se afogar sendo um veterano do salvamento já era ruim, mas ser salvo pelo seu arqui inimigo, Tyler era péssimo.

 

Mas havia algo há mais, algo que pairava não apenas na sua cabeça superior. Seu pau latejava só de lembrar como acordou com os lábios do seu algoz junto aos seus.

 

Brody agora percebia o erro de vestir sungas apertadas pra se exibir pras garotas. Sua ereção estava ficando dolorida. Foi nesse momento que a razão dos seus pensamentos impuros passou pela porta.

 

- Como vai a bela adormecida? ou deveria te chamar de pequena sereia? - Tyler entra vestindo sua tradicional bermuda vermelha e regata, “O Tyler adora exibir seus fortes braços” pensou Brody, mas rapidamente buscou nublar esse pensamento.

 

- Se o linguado acha que eu estou grato pelo salvamento, então você realmente deve estar tendo uma insolação por não estar acostumado ao sol da praia - Disse Brody levantando e encarando Tyler perigosamente perto.

 

- Eu não te salvei porque gosto de você, acredite que o ódio é recíproco.

 

- Pode crer, eu odeio seu jeito marrento.

 

- Odeio seu gênio ruim.

 

- Odeio seus olhos verdes.

 

- Odeio seu estilo de bad boy.

 

- Odeio que ande sempre com os braços descobertos.

 

- E eu odeio que você beije bem até inconsciente.

 

Só tiveram tempo o suficiente para trancar a porta antes de se prenderem em um beijo selvagem. Suas línguas gladiaram na boca enquanto tiravam apressadamente as roupas.

 

Brody puxou sua roupa e jogou por cima da camisa caindo em cima da bancada. Tyler em uma demonstração de força rasga a própria regata oque causa uma pausa na ação do momento.

 

-Cara, oque você fez?

 

-Sei lá, fazia mais sentido na minha cabeça.

 

Eles se olham apenas tempo o suficiente para retomarem o fogo que estavam sentindo e voltarem a arrancarem suas roupas. Brody agora só estava em sua apertada sunga e Tyler em sua bermuda que já exibia uma pesada mala.

 

-Bom - diz Brody - é isso ai.

 

- sim - diz Tayler - só mandar bala.

 

- …

 

- …

 

-perai você não acha que eu…

 

- muito menos eu vou…

 

- eu nunca…

 

- muito menos eu… - Tyler então da sua tacada - bom, você me deve ou já se esqueceu que eu salvei sua vida?

 

Brody bufa.

 

-Ta - Diz Brody se ajoelhando frente a grande tenda de Tyler - mas você vai retribuir depois.

 

- Ta, ta - Disse concordando o sedento Tyler - Só começa logo.

 

Brody desajeitado pela falta de experiência. Ele desfaz a bermuda com velcro e como já havia percebido, Tyler estava sem cueca. Assim que abre sua grande rola surge. Ela pende pra baixo pelo peso da grande cabeça rosada. Havia pelos claros em volta oque brody achou perigoso usando velcro sem roupa de baixo.

 

- Oque foi? vai ficar namorando a minha pica? - Disse Tyler impaciente - cai de boca nessa piroca que eu sei que você ta afim.

 

Tyler pega no cabelo de Brody que só tem mobilidade o suficiente para abaixar conseguindo pegar a cabeça da penca onde desliza toda pela sua garganta o fazendo engasgar. Sua boca salivava mais do que o normal oque excitava mais ainda Tyler.

 

Tyler fodia a boca do amigo, suas bolas batiam no queixo. Podia ver as lágrimas escorrendo dos olhos de Brody pelos engasgos e falta de ar. Quantas vezes não quis dar um soco naquela cara? Agora ele estava lá, ajoelhado se engasgando com o tamanho do seu pau. Há algo de excitante em ter alguém que você odeia chupando seu pau. Esse sentimento provavelmente era muito errado, mas ao mesmo tempo muito excitante, como as melhores coisas são.

 

Tyler começa a se curtir. Com uma das mãos ele belisca seu mamilo e com a outra ele mostra o muque que beija. Brody achava incrível como Tyler se amava, parecia mais que estava tranzando consigo mesmo do que com ele, ao mesmo tempo ele admirava (secretamente) o corpo do rival, além de poder finalmente controlar a velocidade já que ele agora estava com as duas mãos ocupadas.

 

- Eu vou gozaaar - Nesse momento Brody tira o pau da sua boca.

 

- O'que pensa que está fazendo? - Disse Tyler se masturbando pra não perder o tesão.

 

- Ué, tirando, eu não vou engolir a sua porra - Tyler perde a paciência e puxa seu cabelo voltando a afundar seu pau na boca de Brody.

 

- Para de viadagem e mama tudo logo - Disse Tyler sem perceber a ironia da frase.

 

Brody quase morde o pau de Tyler com o susto, mas ele não teve que ficar com aquele pinto por muito tempo na boca tendo em vista que Tyler despejou todo seu leite dentro da garganta dele. Tudo o'que Brody pode fazer foi sentir seu leite escorrer pra dentro da sua garganta e engolir obedientemente.

 

- Para uma boca que fala tanta merda até que ela é bem quentinha - disse Tyler já colocando seu peru semi flácido dentro do short.

 

- Onde pensa que vai? - Diz Brody limpando a boca com a mão e se levantando.

 

- Ué, já acabei oque tinha que fazer aqui.

 

- Mas você não vai mesmo - Disse Brody agarrando Tyler - Tinhamos um acordo - Ele joga Tyler na mesa de bruços sem se importar nos objetos e papéis que ainda estavam nela

 

- Você não sai daqui até eu tenha gozado também.

 

Brody cospe no pau enquanto Tyler apenas pode esperar apreensivo. Brody passava a mão em torno do seu grande pau reto, coberto de veias e com um prepúcio que cobria parte da cabeça. Quando ele encostou no pequeno botão rosado de Tyler o sentiu apertar sua cabeça.

 

- Cara, relaxa esse cu ai, se não vai doer mais - Disse Brody buscando enfiar mais em um buraco quase que totalmente fechado.

 

Mas Tyler estava com tanto medo que ele simplesmente trancou. Brody não teve pena ou compaixão, apenas meteu abrindo espaço fazendo Tyler ser obrigado a ceder.

 

- AAaaaAAaahg - Tyler estava gemendo alto, o'que fez com que Brody reagisse dando um forte tapa no seu traseiro.

 

- Cala a boca vadia, quer que alguém saiba que você libera o traseiro? - A marca da mão de Brody ficou desenhada de vermelho em uma das abas da grande bunda de Tyler que ainda gemia sem parar. Não podia acreditar que ser penetrado doía tanto, sempre tirou sarro das “bichas” por se achar mais forte, mas até mesmo Tyler podia notar a ironia da situação de estar sofrendo tanto para algo que era comum dos viadinhos que ele tanto zuava.

 

Brody já viu que Tyler não ia parar de gemer, então ele resolveu tomar uma providência. Brody pegou sua sunga vermelha que havia colocado sobre a mesa e a enfiou na boca de Tyler que lacrimejava pela queimação de ter seu ânus aberto pela primeira vez de maneira tão rude.

 

Brody então enfia toda sua extensão até que Tyler sinta seus pelos púbicos em sua bunda. Tyler cerrou os dentes na sunga vermelha, mas a dor deu lugar a prazer quando sentiu ser tocado em uma parte que nem ao menos sabia que existia.

 

Imaginem o susto de Tyler, convicto hétero, quando sentiu seu pau voltar a crescer a medida que a grande cabeça de Brody apertava sua próstata lhe dando shocks de prazer que faziam seu pau esfregado na mesa gozar novamente criando uma mancha que nunca sairia daquela mesa.

 

- Ta gostando nê? - Disse Brody dando outro tapa na bunda, Tyler pensou que ao menos ele podia revezar as abas ué ele batia, mas preferiu não falar nada pra não soar gay.

 

- Só termina logo ai - disse Tyler sem querer parecer que estava gostando de qualquer forma do que estava acontecendo e tirando a sunga da boca.

 

Brody curtia mais do que queria admitir quão quente e apertado era o rabo de Tyler. Ele agora podia meter com mais mobilidade, mesmo que o caminho fosse estreito, seu caralho já havia entrado facilitando para ele investir tirando quase todo o pau e metendo o mais fundo que conseguia.

 

Suas duas mãos estavam no traseiro do seu rival e quão grande eles eram. Brody sempre notou, apesar de não querer admitir, que Tyler tinha um belo traseiro. Agora ele poderia tocar e apertar o quanto quisesse.

 

Brody metia com força e cada investida arrastava mais a mesa fazendo Tyler ter de se segurar nela derrubando objetos e papéis que ainda estavam em cima da mesa. Não demorou muito para Tyler sentir o primeiro jato de goza dentro de si.

 

- Cara, o'que é isso - Disse ele com cara de nojo.

 

- Você… gozou… dentro de mim… nada mais justo… que eu… encha esse teu rabo de porra - Mais jatos jorram dentro dele, a sensação lhe era tão estranha, sentir algo tão espesso despejado dentro de sí.

 

brody então tirou seu pau que ainda babava gozo de dentro do Tyler. Ele circulou a mesa e pegou sua sunga, limpando seu pau e rastro no chão que ele fez com ela.

 

Tyler se levantou com dificuldade. Tava sentindo muita dor vindo do seu botãozinho rosa que agora estava avermelhado.

 

- Cara, meu rabo agora ta pegando fogo - Tyler nem queria tentar se abaixar pra pegar sua bermuda agora.

 

- Não tenho culpa se seu buraquinho era pequeno demais pro tamanho do meu cacete - Tyler queria responder, mas sabia que no fundo era verdade, o caralho do Brody tinha sido demais pro seu buraco virgem.

 

Brody então sai pela porta. Assim que a fecha encosta nela, mil pensamentos passam na sua cabeça, mas ele os suprime ao maximo. "Não podia ser gay" pensou o veterano do mar " isso não passou de uma curiosidade passageira". Tyler lá dentro pensativo também refletia, não poderia ser gay, sempre foi tão bom com as mulheres.

 

Ambos assim se afastaram e viveram suas vidas como dita a regra. Casaram cada um com uma esposa e ambos tiveram filhos que brigavam exatamente como eles com sua idade. Ambos nunca puderam ser totalmente felizes porque por mais homem que fossem nunca tiveram a coragem de admitir a verdade, que ambos eram as maiores bichas que pisaram nas areias de Malibu.


Notas Finais


Olá, já leu uma história interativa? pois é, há dois finais alternativos lá no blog onde você pode escolher seguir o Brody ou Tyler e ter um vislumbre a mais da história (ambos inéditos por aqui), passa lá no blog e escolha sua opção: https://contosdotioadam.blogspot.com/2019/07/resgate-em-malibu-do-odio-ao-prazer.html


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...