1. Spirit Fanfics >
  2. Resident Evil: A Living Nightmare >
  3. A Batalha Contra Troy

História Resident Evil: A Living Nightmare - Capítulo 31


Escrita por:


Notas do Autor


Fala, galera! Tudo bem? Então, hoje chegando com mais um EP que já estamos no finalzinho da história. Espero que gostem :3
E pra quem quiser OST, eu recomendo essa aqui do Mega Man X6: https://www.youtube.com/watch?v=5DiPFXKm4wc

Capítulo 31 - A Batalha Contra Troy


Fanfic / Fanfiction Resident Evil: A Living Nightmare - Capítulo 31 - A Batalha Contra Troy

Ao abrirem a porta. Chris e Jill se viam em uma enorme sala de armazenamento. Ali dentro, era possível se ver grandes contêineres espalhados. Alguns deles com as escritas “BOW dentro, manuseie com cuidado”. A sala era aberta, porém havia uma escada para o andar superior. O andar superior era composto por longos corredores, também com alguns contêineres, porém esses menores que os grandes contêineres do andar de baixo. Havia do outro lado uma grande porta por onde esses contêineres sairiam e, no andar de cima, uma pequena porta onde eles saberiam para onde levaria. Porém, o mais importante, era Troy, que estava ali, no centro do andar inferior, esperando por Chris e Jill. Ao invés de um jaleco, ele trajava uma roupa militar, preta. Porém, aparentemente, não portava nenhuma arma de fogo, apesar de Chris e Jill, rapidamente, terem visto vários “gadgets” em seu uniforme.

- Meus parabéns! – Troy novamente mostrava o seu lado irônico, dizendo e batendo palmas. – Vocês conseguiram. Vocês derrotaram todos os meus projetos. Nightmares, lickers-ômega, até mesmo o High Tyrant. Devo dizer a vocês que não tenho mais BOWs diferentes para vocês. Vocês já derrotaram todas do meu catálogo. – Completou, debochando.

- Troy, renda-se! – Redfield gritava para ele, apontando a sua Magnum para o vilão, com Valentine fazendo o mesmo.

- Não acredito que essa seja a melhor ideia, Chris. – Troy novamente dizia, exalando todo o seu sarcasmo. – Apenas olhe para a Jill. Ela foi infectada com o vírus. Outros amigos seus também foram e estão vivos, eu já te disse isso antes. O mundo inteiro estará assim também, Chris. Aqueles que sobreviverem serão os eleitos para a Nova Era!

- Sinto muito, Troy, mas isso não vai rolar! – Jill respondeu. – Não vamos deixar que um vírus contamine todo o planeta.

- Bom, eu tentei ser diplomático. – Troy respondeu, ainda zombando dos dois. – Então creio que precisarei usar a força, infelizmente.

- Você fala demais! – Chris respondeu irritado, já disparando contra Troy. O tiro foi certeiro em sua direção, porém Troy consegue, de alguma forma desviar, em uma velocidade absurda. A velocidade de um tiro disparado é superior a mil quilômetros por hora e Troy, com os seus reflexos e a sua velocidade de movimento, conseguiu se esquivar, assustando a dupla, que não deixou de lembrar de um antigo algoz.

- O quê?! – O capitão ficou espantado com aquilo. Era impossível não se lembrar de Albert Wesker, ao vê-lo desviar de seu tiro.

- Não, não pode estar acontecendo... – Jill também permanecia inconformada.

O vilão caminhava lentamente até eles. Chris e Jill então ativavam o pulso sonar, com o intuito de descobrirem algo sobre Troy para usar de vantagem, mas antes mesmo que pudessem olhar, viam uma granada de PEM, lançada por Troy, perto deles. Chris e Jill desviaram, pensando ser uma de fragmentação ou incendiária na hora, mas o PEM (pulso eletromagnético) desativava todos os componentes elétricos, fazendo com que o PDA dos dois fosse completamente inutilizado.

- Desgraçado! – Chris reclamava, ao ver o seu PDA já desligado por efeito do pulso.

- Não, Chris. Não. Não pode usar interferência externa aqui. – Troy respondeu, usando o sarcasmo de sempre, fazendo um sinal de negativo com o dedo. Então não podiam utilizar o sonar, não podiam contar com a ajuda de Ellie nem de ninguém de fora. Seriam os três ali e precisariam se virar.

Chris e Jill então consideraram que Troy teria basicamente os mesmos poderes de Albert Wesker. O problema é que agora faltava tempo a eles e nem mesmo o cronômetro dava para ser usado. Mas precisariam bolar algo para derrotarem Troy. Assim como Wesker, Troy os subestimava, andando lentamente, provocando-os, provavelmente porque queria gastar o tempo deles. Isso poderia ser usado de vantagem. Chris e Jill teriam que cooperar se quisessem resolver aquilo.

Com isso, Chris resolver sacar o seu fuzil, disparando contra ele, enquanto que Jill subia as escadas, rapidamente. Troy conseguia desviar de todos aqueles tiros, em uma velocidade absurda, até que ele, de forma súbita, corre e ataca Chris com um soco, na altura do estômago, em uma velocidade altíssima. O capitão sequer teve tempo para reagir, devido à velocidade de Troy. Ele se ajoelhou, tamanha dor que sentia. Troy tentaria fazer alguma coisa com o capitão, mas Jill, de longe, disparava com a Magnum nele, de um lugar onde acertar o capitão seria impossível. Jill não era uma atiradora do nível de Chris, mas ainda assim era muito boa, sempre treinou muito, desde antes de entrar nas S.T.A.R.S. nos tempos de Delta Force. Os disparos acertavam o vilão, que sentia cada tiro, mas não caía. Troy procurou, olhando por todos os lados, de onde vinham os disparos, mas não conseguiu encontrar, já que Jill cessou os tiros após ver que ele estava procurando por ela. Com isso, foi a brecha para que Chris fugisse, se refugiando atrás de um dos contêineres.

- Vocês não podem fugir! – Troy gritava para eles, enquanto procurava, já irritado.

Redfield não tinha muitas condições de correr ou fugir no momento, então preferiu ficar escondido por mais um tempo. Jill, já percebendo, fez algum barulho do lado de cima com o intuito de chamar a atenção de Troy.

- Ah, aí estão vocês! – Troy gritou novamente, subindo as escadas, já irritado. Jill permanecia tentando se esconder do lado de cima, enquanto Troy a procurava. Até que Troy saca outro dispositivo do seu arsenal: um drone de reconhecimento. Troy ligou o drone e o mesmo, programado por inteligência artificial, andava pelos longos corredores, procurando por Valentine. Ele emitia uma luz branca que se tornaria vermelha se encontrasse um dos alvos. O drone seguia lentamente por um lado, enquanto Troy ia do outro lado, com o intuito de encurrala-la. O drone chegava muito perto de Jill, até que, de longe, Chris alvejou o drone com o fuzil e o destruiu, dando a Valentine alguma chance para fugir e foi isso que ela fez, descendo as escadas correndo para o andar inferior. A roupa que Chris e Jill vestiam não eram apenas resistentes, mas ajudavam na furtividade também, inclusive reduzindo o barulho das pisadas, o que fez com que Jill tivesse uma certa vantagem antes de Troy encontrá-la.

- Por que estão fugindo? Vocês não estão com pressa? Apareçam e lutem! – Troy já mostrava uma visível frustração e raiva ao ver a postura dos dois. Mas Chris e Jill não tinham outra escolha. Bater de frente não era uma opção, pois seriam facilmente mortos.

Troy descia as escadas, já irritado, não mais na mesma lentidão de sempre. Enquanto isso, Jill e Chris seguiam escondidos. Apesar da morena ter descido, eles ainda estavam longe um do outro. E Troy não conseguia encontra-lo, precisando então usar mais um artifício. Ele então ia para um dos contêineres contendo BOW e quebra uma das portas, liberando um hunter.

- Agora não dá mais para se esconder... – Gritou sozinho, analisando o cenário friamente enquanto o hunter tentava procura-los, sedento por sangue. O hunter podia encontra-los de forma mais apurada porque ele poderia encontra-los pelo cheiro. Enquanto ele procurava, Jill não teve opção, a não ser jogar uma granada no pé do monstro, que explodiu, o eliminando. Porém, isso denunciou a posição dela para Troy, que rapidamente foi ao seu encontro.

- Aí está você! – Troy dizia, rindo. Mas antes que Troy pudesse atacar, Chris disparava de longe contra ele, de modo a proteger Jill. Os disparos acertavam o vilão, que recuava e nisso, Valentine desfere um chute alto em Troy, acertando o seu rosto. Jill logo após recuava e tomava cobertura, pois sabia que Troy poderia acerta-la.

- Desgraçada! – Praguejou o vilão, colocando a mão onde ela o havia acertado. – Você vai pagar por isso!

Troy agora se tornava mais agressivo do que nunca. Porém, a experiência que Chris e Jill tinham com Wesker faziam com que eles conseguissem levar a luta em vantagem. Troy, apesar de ter o tempo a seu favor, já começava a ficar irritado por estar em desvantagem contra eles. Eram dois contra um, mas ele tinha o vírus dentro de si. Ele rondava a área, correndo cada vez mais rápido, buscando por um dos dois, pois saberia que, se encontrasse um, o outro o ajudaria. Até que, de relance, ele encontra Chris escondido.

- Ah, aí está você! – Ele gritava para o capitão, que fez uma careta logo após ouvir. Imediatamente, ele corre para onde Chris estava e o acerta novamente com outro soco, indefensável, mais uma vez na altura do estômago. Redfield caía sobre os pés de Troy, sem reação, pois os golpes possuíam força sobre-humana. Como o esperado por ele, Jill aparecia e disparava contra Troy, para tentar afugentá-lo de lá. Mas dessa vez o vilão já esperava os disparos e, com isso, conseguiu desviar dos tiros e, de quebra, descobriu onde Jill estava.

Com Chris ainda no chão, Troy correu para onde Jill estava dessa vez. Seu objetivo se tornava cada vez mais claro: atrasar os dois para o lançamento dos mísseis. Ele se aproximou de Jill e, dessa vez, desferia um chute contra ela, a jogando longe, fazendo com que ela se chocasse contra a parede. Ela permaneceu ali, caída, sentindo dores.

- Jill, não! – Redfield gritava, ainda com as mãos aonde fora atingido. Troy se aproximava ainda mais dela, fazendo com que Chris disparasse contra ele, que imediatamente desviava dos tiros e se virava. Nisso, o capitão jogou uma granada flash nele. Diferentemente dos disparos, as granadas flash eram bem mais difíceis para Troy desviar, pois assim que eram jogadas, já fazia ter um enorme clarão direto em Troy, que nada pôde fazer a não ser tampar os olhos e ficar ainda mais irritado.

Jill sinalizaria ataca-lo, mas Chris pediu para que ela não o fizesse agora. O capitão então optou por lançar uma granada de fragmentação bem no pé de Troy, que explodia e o acertava em cheio, jogando-o longe. Jill e Chris se aproximavam dele, efetuando vários disparos com a Magnum enquanto ele ficava caído, mas não demorou muito tempo para que ele ficasse em pé novamente. Ele imediatamente já ia para cima de Chris, atacando-o fortemente com socos e pontapés, a ponto de ele cair ao chão, sem chance de fazer nada. Assim, Troy se aproximava de Chris, sorrindo ironicamente.

- Então esse é o capitão da BSAA, o lendário Chris Redfield? Esse mesmo que está caído aos meus pés? Entenda, tudo tem um começo e um fim. E o seu fim está próximo. Você pode ter sobrevivido à mansão, sobrevivido ao Wesker, mas hoje a sua história acaba. Logo os mísseis serão disparados e... Argh!

Antes que Troy pudesse terminar a sua fala, Jill o havia estacado com a sua faca, fazendo com que Troy se afastasse. Ainda caído, Chris saca a sua Magnum e dispara contra ele mais uma vez. Jill, por sua vez, o acerta com vários golpes, emendando uma sequência de chutes em seguida. Troy agora estava completamente estonteado e aquela talvez fosse a chance de ouro para eles. Enquanto Jill atacava, Chris se colocou de pé e, mesmo extremamente cansado, usou todas as suas forças e também o atacou com dando vários socos, com o resto das forças que lhe restavam. Troy estava completamente batido e recuado, com a mão aonde havia sido estacado.

- Vai, Jill. Agora! – Chris se levantava e sacava a sua Magnum.

- Entendido, Chris. Vamos – Respondia Jill, também puxando a sua.

Assim, Chris e Jill dispararam juntos as suas armas. Eles viam uma eternidade os tiros chegarem até Troy, pareciam estar em câmera lenta, mas puderam ver ambos os disparos o acertando em cheio. Aquele foi o golpe final. Troy, ainda de pé, começava a se contorcer, até que finalmente caía, se escorando em uma das paredes. Chris, mesmo ferido, junto de Jill, se aproximavam dele, apontando as armas novamente.

- Ugh, não, não é... não é possível! – Troy dizia, em dificuldades. – Mesmo... o... ômega não pôde me ajudar... argh!

- Troy, desista! – Jill respondeu, ainda apontando a arma para ele.

- O-o que houve de errado? Argh! – Troy proferia essas palavras com muita dificuldade, enquanto se contorcia todo, consequência do vírus que estava dentro dele. – E-eu deveria ter... deveria ter analisado melhor, agora eu... argh, argh... ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh! – O vírus em seu organismo estava gritando, pedindo para que fosse liberado, até que, substâncias parecidas com as vistas no Uroboros saem de dentro de seu corpo e o consomem, transformando-o em um monstro, completamente tomado por aquelas coisas. Não era mais Troy e sim mais uma aberração, que pula e quebra uma das paredes ali, fugindo.

- Minha nossa! Que merda foi aquela? – Jill dizia espantada.

- Não é possível! O que aconteceu com Troy? – Isaac aparecia no segundo andar, sem entender como ele havia sido derrotado e o que o vírus havia feito.

- Isaac? – Jill olhava para cima, procurando-o. Mas ele já havia ido embora.

- E-eu vou atrás do Troy... – Chris respondeu, muito cansado e abatido, colocando a mão na região da barriga, visivelmente mal.

- Chris, não, você não pode ir, ele vai te matar desse jeito!

- Jill... não se preocupe comigo. Vá atrás do Isaac e dos mísseis... E-eu me viro com o Troy. N-não temos tempo. Vá! – Redfield completou, indo mancando, com as mãos sobre a região da barriga. Valentine começou a subir as escadas, porém, por um momento, olhou para Chris uma última vez.

- Chris, se cuida. – Jill disse baixinho, com lágrimas nos olhos. Então, ela fechou os olhos por alguns segundos e terminou de subir as escadas. Ela reparou que o PDA havia voltado a funcionar, então precisava de informações.

- Ellie, está por aí? Quanto tempo temos?

- Pouco mais de quinze minutos, Jill! Temos que correr! O helicóptero já está no jeito para a extração!

- Entendido, obrigada.

Jill imediatamente encerrou a comunicação e se colocou a correr, abrindo a porta por onde Isaac estava. Ela só tinha quinze minutos, seria tempo o suficiente para ela?


Notas Finais


Só pra poder dar uma noção melhor, a criatura que ele se tornou se parece com isso aqui: https://i.imgur.com/fbrH1Xi.mp4
https://i.imgur.com/wd5EKAJ.gif
Esse bicho vem de um jogo chamado Prey, é um Survival Horror muito bom. Eu recomendo.
Mas e agora, o que acontece com os nossos heróis? Vocês vão saber o destino de cada um deles na semana que vem.
O próximo capítulo sai na terça, dia 23/02/2021.
Espero que tenham gostado. Tenham um ótimo final de semana e se cuidem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...