História Resiliência - Capítulo 35


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Tags Drarry, Harry Potter, Lemon, Lgbt, Magia, Yaoi
Visualizações 444
Palavras 1.737
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Lemon, LGBT, Magia, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Último capítulo da fanfic gente, já faz 1 mês e três dias q ela começou, e sou muito grata a todos vocês que comentam e favoritam essa história.

Sei q não conheço nenhum de vcs, mas amo todos, de vdd, obrigada por td o carinho e motivação q me deram 💕💕💕💕

Obrigada a todos q torceram, riram e vibraram com a fanfic 💕💕

Capítulo 35 - Expresso de Hogwarts


Fanfic / Fanfiction Resiliência - Capítulo 35 - Expresso de Hogwarts

15 anos depois.

 

Harry Potter dormia tranquilamente, abraçado com  Draco.

Aquela manhã em especial estava muito fria, então o moreno estava bem aconchegado ao marido.

- Pai! Acorda - Gritou Scorpius, o garoto só ganhou um choramingo em resposta.

O menino saiu do quarto em busca do irmão, Orion, e quando voltaram, traziam várias bombinhas explosivas, os gêmeos a jogaram no chão, fazendo um barulho estrondoso.

- Por Merlin! - Draco acordou gritando - Seus pirralhos.

Os dois saíram rindo e correndo para fora.

- Maldição - O loiro se aconchegou novamente ao marido - Eu não sabia que para termos filhos, precisaríamos  que desistir das nossas noites de sono.

- Cadê o meu uniforme? - Gritou Aisha, a garota era a terceira filha do casal, além de ser uma cópia idêntica de Draco, seus cabelos eram longos, indo até sua cintura, lisos e loiros, olhos prateados frios, e sua pele era mais pálida que a do pai.

Pela semelhança com o marido, todos da família juravam que ela entraria para a Sonserina, foi uma grande surpresa saber que ela era uma Grifinória, fato que Harry e Sirius nunca deixavam a família Malfoy esquecer.

- No seu armário - Gritou Potter 

- Não está lá, já procurei.

- Aisha Black Malfoy-Potter, se eu levantar dessa cama e achar seu uniforme, você vai se ver comigo - Rebateu o moreno.

- Mas que saco! - A loira voltou para seu quarto.

- Olha a língua mocinha - Gritou Draco.

- Que deselegante - James estava apoiado na porta, o quarto filho do casal era idêntico a Potter, seus cabelos eram pretos e apontavam para todas as direções, além dos olhos tão verdes quanto os do pai, mas as semelhanças acabavam por aí, sua personalidade era igual a do loiro, além de ter entrado para a Sonserina - Pensei que Malfoys não usassem esse linguajar.

- E não usam, só que aí misturamos nosso DNA com o dos Potter, e deu nisso - Gargalhou Draco.

- Muito engraçado, continue com essas piadas e você vai dormir no sofá essa noite.

- Desculpe Potty.

- Vocês vão ficar melosos agora? - Perguntou Aline, a última filha dos dois acabou de completar 11 anos, e iria para Hogwarts hoje, diferentemente dos pais, ela tinha os cabelos tão ruivos como o dos Weasleys, além de lindos olhos pretos.

- Somos sempre melosos, e se não fossemos assim, vocês nem teriam nascido - Gritou Draco, enquanto dava beijos pelo rosto de Harry.

- Parem de encher o mundo com crianças - Sirius Black aparatou na casa da família Malfoy-Potter, juntamente com Lupin - Os vovôs chegaram!

As crianças correram para abraça-los, os Black viviam visitando o casal, além de todo o ano irem levar os netos para a plataforma, junto com os pais.

Apesar de já estar mais velho, e possuir uma grande mecha branca nos cabelos pretos, Sirius ainda mantinha a pose de bad boy, sempre usando roupas de couro, andando pelos país de moto com o marido, além das tatuagens que fez em Azkaban.

As crianças os adoravam, principalmente os gêmeos, que tentaram fazer um moicano ano passado, em homenagem ao avô, mas Draco negou veemente, e quase os esganou.

O loiro soltou um grunhido alto, sua manhã dormindo até tarde estava arruinada.

- Trouxemos presentes, para Scorpius e Orion, o Mapa dos Marotos, uma criação minha.

- Pai! - Resmungou Harry - Esses dois já são muito encrenqueiros, não precisam desse mapa.

- Bobagem, não culpem os garotos por isso, eles são Grifinórios natos, além do sobrenome Potter, sabia que o pai de vocês lutou contra Voldemort enquanto vocês ainda estavam na barriga?

- Por isso que eles nasceram estragados - Gargalhou James.

- Não fale assim com seu irmão James Black Malfoy-Potter - Ralhou Draco

- Para a minha Aisha, da Grifinória - Disse enquanto encarava Malfoy - A capa da invisibilidade - Continuou Sirius.

- Pai! - Gritou novamente Harry - Você está praticamente implorando para eles se meterem em confusões.

- Ridículo. Sabia que o seu pai já beijou Cedrico Diggory?

Os gêmeos gargalharam ao ver a cara de bravo do loiro, eles adoravam essa história!

- E para você James, meu Sonserino favorito, uma chave de Portal que pode o levar para qualquer lugar. E para a minha futura Grifinória Aline, um anel que pode te fazer aparatar...

- Ela vai ser Sonserina - Rebateu Draco.

- Grifinória - Murmurou Black.

- Pelo amor de Merlin! Meu marido é Grifinório, meus filhos gêmeos e até a minha filha, deixe pelo menos a Aline e o James serem Sonserinos.

- Concordo plenamente, alguém tem que continuar a linhagem Malfoy. - Lucios e Narcisa tinham acabado de chegar.

Os netos foram abraçar os dois.

Harry Potter aproveitou o momento de distração dos filhos e beijou o marido - Não me importo com a casa deles, contanto que eles sejam felizes.

- Um filho Grifinório eu aceito, um Corvinal também, agora um Lufa-Lufa... Eu morreria de desgosto - Disse Draco.

- Isso é uma pena, Lufanos beijam muito bem.

As crianças gargalharam ao ver Draco dando um tapa na bunda de Harry.

 

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

- É verdade que você se transformou em um animago pra ajudar o vô Lupin? - Perguntou Orion enquanto eles andavam pela plataforma.

- Ele já era louco por mim na época - Gargalhou o lobisomem.

- É verdade - Sirius se transformou em um cachorro, para lamber a bochecha do garoto. 

- Você pode ensinar a gente? - Gargalhou Scorpius.

- Mas é claro que sim! Vocês todos podem ser animagos, isso além de ser legal, é útil para perambular por aí sem ser notado, foi assim que eu fugi de Azkaban.

- Quando a gente crescer vamos querer ser igual ao vovô Black - Gritaram os gêmeos.

- Eles não vão virar animagos - Salientou Draco - Já são umas pestes descontroladas na forma humana, imagina a animal... E ir para Azkaban não é legal, se metam em encrencas e eu mato vocês, ou seja,  vou deixar o Harry cozinhar.

- Cala a boca Malfoy! 

- Nunca vamos ser presos - James abraçou os pais - O sobrenome Potter nos dá muitas vantagens. Dumbledore nos adora.

Draco revirou os olhos - Eu não acredito que aquele velho gaga ainda está vivo.

- Snape também gosta da gente - Ressaltou Aisha.

- Malfoy-Potter nós dá o melhor dos dois mundos - Completou Aline - Amo meu sobrenome! Temos a fama e talento, além do shippe Drarry ser o mais inacreditável de todos, ninguém acreditou que vocês eram nossos pais lá em Hogwarts.

- Essa é a minha garota! Vem dar um abraço no titio - Zabini surgiu de mãos dadas com seu marido Ronald.

O Ruivo comprimentou o amigo - E como vai a nossa filha? - Apontou para Aline - Quando vai contar para o Malfoy que fizemos ela juntos?

Draco chutou o calcanhar de Weasley.

Rony e Blásio já estavam casados a 11 anos, e tinham três filhos; Cameron Weasley Zabini, que era idêntico ao Sonserino, porém tinha ido para a Corvinal.

Rose Weasley Zabini e Lucille Weasley Zabini, as duas garotas eram ruivas e cheias de sardas, ambas foram para a Grifinória.

Aisha deu um beijo na bochecha do namorado Cameron, o que deixou Draco muito bravo.

- Que pouca vergonha é essa mocinha? Eu não vou permitir que uma Malfoy fique com um Weasley.

Blásio revirou os olhos - Ele também é um Zabini.

- Piorou.

Hermione chegou com sua esposa Pansy, as duas tiveram quatro filhas, Gwen Parkinson Granger, morena de cabelos cacheados, que foi orgulhosamente para a Corvinal.

Medeleine Parkinson Granger, idêntica a Hermione, só que com os cabelos lisos, que tinha ido para a Grifinória.

Thomas Parkinson Granger, idêntico a mãe Sonserina, que tinha ido para a Lufa-Lufa.

E Agnes Parkinson Granger, uma autêntica Sonserina.

Gwen estava de mãos dadas com o seu namorado, Austin Chang Diggory.

- Olha só - Brincou Zabini - Parece que as duas decidiram fazer crianças para cada uma das casas de Hogwarts.

- Vá se ferrar - Rebateu Pansy.

- Amor, não diga isso na frente das crianças!

- Não somos mais crianças - Gritaram eles.

O trem apitou, a hora estava chegando, as crianças correram em direção a parede, e os pais lhe acompanharam.

Assim que a atravessaram, Harry e Draco abraçaram seus filhos.

- Divirtam-se em Hogwarts - Disse Lupin.

- Façam tudo o que eu faria, e até o que eu não faria - Gritou Sirius.

- Estudem - Rebateu Lucios. - E juízo, por Merlin!

- Se você venceu a maldição Imperio - Começou Narcisa - Então eles conseguem ficar longe de problemas.

- Não importa a sua casa Aline, sempre vamos te apoiar - Harry murmurou.

- Só não seja uma Lufana! - Draco gargalhou.

O casal se abraçou, e ficaram vendo os filhos partirem para Hogwarts, e eles sabiam que agora ela estava segura.

 

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

 

Harry estava sentado no sofá, lendo as cartas dos filhos para Draco, que o abraçava.

- Scorpius e Orion já estão na detenção por explodirem o caldeirão do professor Snape.

Malfoy deu uma sonora risada - Eles realmente se esforçam para fazer com que o Severo continue odiando os Potter.

- Aisha tirou nota máxima nos exames dela.

- Granger se orgulharia.

- James está saindo com Melissa Lovegood Longbottom.

Draco arqueou suas sombrancelhas - A filha daquela loirinha esquisita e do Grifinório bizarro?

- A Luna e o Neville não são estranhos.

- Claro que não amor... E eu sou um Hipógrifo.

- Aline entrou para a Sonserina.

Nesse momento Draco Malfoy-Potter se levantou do sofá e fez uma dança da vitória.

- Eu sabia! Eu sabia! Eu sabia!

Harry gargalhou e puxou o marido para um beijo demorado 

- É tão estranho ficar em casa sem eles, tudo fica silencioso... - O loiro sorriu - Acho que deveríamos fazer mais alguns bebês.

- Nem morto, não vou parir mais nenhum filho.

- Qual é, eu mereço uma melhor de seis, temos três filhos Grifinórios e dois Sonserinos, precisamos de mais um para equilibrar a balança.

- Nunca.

- Por Merlin!

- Tome a poção você.

- Okay, pensando melhor, já chega de filhos.

O casal se acomodou de novo no sofá.

- Eu te amo tanto - Murmurou Draco.

- Eu também te amo.

- Para sempre?

- Always.

 


Notas Finais


Obrigada por lerem até aqui 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...