História Resistência - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Bulma, Vegeta
Visualizações 99
Palavras 1.379
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Científica, Romance e Novela
Avisos: Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


***

Capítulo 2 - Temporada De Caça


Fanfic / Fanfiction Resistência - Capítulo 2 - Temporada De Caça

Ao passarem completamente pela porta estreita, imediatamente ela fechou-se atrás delas.

As senhoras se prostraram numa sala semelhante a uma cozinha. Haviam alguns utensílios domésticos, fogões, louças e especiarias. Ajoelharam-se no chão pois não haviam cadeiras, apenas uma mesa gigante. Com um cesto cheio de frutinhas vermelhas no colo, elas faziam a seleção das melhores manualmente.

As mais doces eram bem vermelhas e macias -as que estivessem intactas - eram colocadas em travessas douradas; As que não obedeciam esse critério eram colocadas em travessas prateadas.

-Veja aquela porta, menina...  disse a senhora meio cega, apontando para o lado oposto da sala.

-...Ali alguns escravos sempre pegam as travessas douradas, a cada 6 horas. Só por causa dessa rotina temos a noção de mais ou menos quanto tempo se passou. Ela irá abrir-se a qualquer momento...

-Srta Briefs, creio que seja a hora de seguir. Já está dentro da instalação. Agora, não há nada mais que possamos fazer além de orar. Veja, é agora, a porta está aberta, apresse-se, tome essa travessa. 

-obrigado. .disse pegando a travessa dourada.

A fila de senhoras caminhava lentamente, cada uma entregava a travessa dourada de suas mãos para o escravo de dentro, sem ultrapassar os limites da porta, apenas estendiam os braços. Assim que a última senhora entregou a travessa, Bulma seguiu adiante, tornando-se a última da fila de escravos internos.

Quem deveria fazer a vigilância dessa entrega  para que isso não ocorresse, era Yamcha. Mas ele não estava nenhum pouco interessado em passar o dia inteiro vigiando velhinhas.

Ele preferia passar o dia passeando pelos  corredores e indo aos locais de leilões pra comprar  escravas. Parte do status que Yamcha recebeu, era por causa da discrição e fácil acesso a escravas sexuais que ele possibilitava para os Saiyajins.

Porém do outro lado, havia a incerteza de quem estaria monitorando a entrega. Mesmo assim, Bulma estava disposta a correr o risco. 

Finalmente, ao final do corredor, Bulma avista os soldados. Para sua surpresa, um deles esboçava um grande sorriso no rosto e era bem convidativo. Já  o outro, que com ele conversava, tinha feição bem mais maldosa.

-Epa, espera um pouco... .exclamou o soldado sorridente.     -1..2..3... Quantos vocês eram mesmo, 16??

Todos na fila pararam. Bulma ficou gélida de medo, as mãos tremiam de pavor. Ela era a última e os soldados estavam bem ao lado dela.

-Kakarotto, você é mesmo um imbecil! .respondeu Broly.

Kakarotto levou as mãos na cabeça e olhou pra fila novamente. -Você lembra quantos eram, Broly?

-Claro que não, idiota! Eles são sua jurisdição.    . Broly pegou um punhado de frutas na travessa de Bulma e foi embora.

-Então, tá tudo bem pessoal! Podem ir. . respondeu Kakarotto.

"Ufa, meu Kami!!! Obrigado! Obrigado!" .pensou Bulma.

***

Na sala do general:

-Humano traidor... Me diga o que sabe sobre esse tipo de artefato....  . questionou Raditz, entregando o objeto para Yamcha.

-Nunca vi objeto similar a este, general... . respondeu prontamente.

-E o que me diz sobre uma tal Corporação Cápsula? Meus homens não conseguiram descobrir nada. .continuou a indagar.

-Eu não sei, senhor. Vivi muito tempo no deserto, não sou familiarizado com esse tipo de atividade, senhor...

-Por acaso, está escondendo algo de mim? Posso esmagá-lo como o inseto que é, se estiver mentindo...  .ameaçou Raditz.

-N..n..não, senhor..  Mas posso descobrir, general Raditz. Interrogarei os escravos, alguém deve s...

-Excelente idéia! Preciso me divertir um pouco. Leve a todos, sem exceção, ao salão principal daqui a meia hora. Preciso comer algo antes! . concluiu Raditz.

Yamcha consentiu e dirigiu-se até a ala da qual era responsável.

***

-Prestem bem atenção, suas múmias vivas: me falem tudo que sabem sobre a Corporação Cápsula, agora! .exigiu Yamcha.

Todas permaneceram caladas.

-Pelo visto, preferem falar diretamente com o general, pois bem... Última chance: Corporação Cápsula, alguém?

O silêncio seguiu.

-Certo. Escolha de vocês... A propósito, lembrei-me de algo! Todas vocês, tirem o capuz.

Todas cumpriram e mostraram suas caras.

-Me digam, onde está a de cabelos azuis? . questionou.

Não obteve nenhuma resposta. 

-Estou levando isso pro lado pessoal... Dou liberdade pra vocês e é assim que me retribuem?? .estalou o chicote no chão.

Tomou a senhora mais idosa e obrigou-a a ficar de joelhos. Ordenou que tirasse a vestimenta de capuz e ameaçou chicoteá-la até a morte.

-Tudo bem, eu falo. disse a senhora meio cega. "Perdoe-me menina, mas faço isso porque sei que poderá se virar melhor que esta pobre senhora". punia-se mentalmente.

-NÃO! Não fale!... . implorou a outra senhora.

-Muito bem, desembuche. E você, fique quieta.

-A menina...de cabelos azuis é filha do Dr Briefs, presidente e cientista Mor, da Corporação Cápsula. . confessou.

-Onde ela está? Me diga...

-Ela seguiu os escravos internos... Por favor, não deixe que façam mal à pobre moça, ela só quer nos libertar desses alienígenas... Você ainda pode se arrepender e ajudá-la...

-Cale-se! Temos uma vencedora aqui! Todo o resto dos museus ambulantes sigam para o salão principal e aguardem o general lá. Preciso encontrar alguém.

Yamcha saiu mais apressado que nunca.

***

Meia hora passou-se e Raditz finalmente chega ao salão, onde as senhoras o aguardavam já cientes de seus destinos.

-Qual de vocês insignificantes irá me contar sobre a Corporação Cápsula?

Todas recusaram-se.

-Muito bem, se me contassem iriam morrer da mesma forma. .concluiu isso e lançou uma rajada de ki que desintegrou-as em segundos.

-Cadê aquele maldito?! Ele nunca está presente quando é necessário, não sei por que ainda o mantenho vivo... 

Pegou o scouter na mão de um dos soldados que sempre o acompanhava.

 -Yamcha, venha até o salão, seu desprezível!!!...

"-Entendido."

***

Yamcha estava na ala de distribuição de comida, supervisionada por Kakarotto.

-Senhor, por acaso notou alguma escrava diferente passar pelo corredor de troca? .quis saber.

-Ué, mas você do outro lado não viu?

-É que... Não é isso... Eu estava vigiando tudo do outro lado,  claro...

-Então não posso ajudá-lo.

-Tá bom, eu senti falta de uma das minhas escravas. Acho que ela fugiu e só pode ter sido pra cá, pois eu a vi entrar na cozinha, mas agora ela não está. .desabafou.

-Anda tendo romances com suas senhoras???humm.. Safadinho você, hein?!!!... . insinuou Kakarotto, batendo no ombro de Yamcha.

-Claro que não! Ela é diferente... É jovem e tem cabelos azuis... Posso checar entre seus escravos?

-Aah, entendi... Bom, quanto a checar, acredito que não...

-Ela é importante pra mim, senhor Kakarotto...

-E por que ela fugiu? Trate melhor os escravos sob sua responsabilidade, principalmente as escravas fêmeas e não as trate como escravas sexuais... .advertiu Kakarotto.

" -Yamcha, venha até o salão, seu desprezível!!!" .Raditz gritava no scouter.

-Entendido. . respondeu Yamcha.

-Veja pelo lado bom... Se ela estiver comigo, agora estará a salvo. . concluiu Kakarotto.

-Okay, Senhor. Obrigado.

Yamcha saiu irado. "-Mas que droga!! Será que eu nunca vou poder fazer minhas coisas sem aquele maldito me atrapalhar??!!! .pensava enquanto seguia pro salão.

***

Chegando no salão...

-É bom você ter boas notícias para mim, humano... ou vai ser desintegrado assim como suas velhotas!. . ameaçou Raditz.

-Trago sim, senhor. Cápsula é o nome de uma famosa corporação de cientistas aqui da Terra. Seu principal contribuidor era o chamado Dr. Briefs, presidente da Corporação Cápsula. Baseado no comunicador que seus soldados encontraram, acredito que ele tenha uma filha e ela esteja atrás dele. Acredito que o cientista esteja a caminho do Norte, talvez planejem contra vida do Rei Vegeta.

Yamcha precisou mentir, pois não queria que os Saiyajins pusessem as mãos na azulada antes dele. Pensou que jogando toda atenção para o cientista e para o Rei, poderia despistar as atenções da instalação Leste e ter tempo suficiente para encontrá-la.

-Muito bem, agora sim me lembro bem o porquê de mantê-lo vivo, traidor... Bom trabalho!

-Obrigado, general pela sua piedade.

-Está liberado de suas atividades hoje, tem uma nova missão: encontre pra mim uma escrava especial, quero me divertir um pouco mais. Retire-se.

Assim que Yamcha saiu, Raditz iniciou uma transmissão para o Norte.

***

"-Mensagem urgente para o Rei Vegeta. Existe mais um cientista e, segundo informações, é o mais importante do planeta. Conhecido como Doutor Briefs. Há indícios de que ele esteja a caminho da instalação Norte. Todos os soldados estejam em alerta e procurando esse cientista, dado como perigoso. Atenção redobrada, possível ataque contra o Rei. General Raditz. Fim da transmissão".

-Ouçam com atenção, está aberta a temporada de caça a este cientista! Capturem-no com vida e, isso é uma ordem que não será tolerado descumprimento...

-...Bardock, retransmita a mensagem para todas as instalações, frisando a minha recomendação, quero esse terráqueo vivo para que possa produzir; E cuide para que sigam à risca minhas ordens.

-...Nappa, traga até mim o meu filho Vegeta.  .concluiu o Rei.

-Sim, Alteza. .concordaram ambos.

***



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...