História Ressentimento - Capítulo 57


Escrita por: ~

Postado
Categorias Henrique & Juliano
Personagens Henrique
Tags Henrique, Juliano
Visualizações 521
Palavras 1.577
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 57 - Afastar ou não?


Fanfic / Fanfiction Ressentimento - Capítulo 57 - Afastar ou não?

Fechei os olhos ouvindo nossas respirações descompassadas, de longe eu conseguia ouvir alguns passarinhos voando a nossa volta. A mão dele foi até a minha cintura me puxando para si, quando finalmente eu iria beijá-lo ouvi um grito e abri os olhos novamente..

—MILENA, O QUE ESTÁ ACONTECENDO AQUI?

—PAPAI?- Perguntei assustada.

—EU NÃO ACREDITO NISSO!- ele me puxou pelo braço, sem me machucar. Seu olhar de decepção visível e isso me fez abaixar a cabeça envergonhada. —É assim que você retribui a preocupação da sua mãe? Milena sua mãe não dormiu esperando você chegar em casa, você tem noção do quanto ela está preocupada? – senti as lágrimas molharem minhas bochechas. —Você é irresponsável, Milena! Sua mãe tem pressão alta e você sabe disso, se acontecer algo com ela a culpa é sua! MILENA VAI PRO CARRO!- ele gritou, olhei para a Henrique e logo entrei no carro...


POV JOÃO

—Eu já te pedi para ficar longe dela!- Falei com raiva. —O que você fez com ela não foi o bastante?

—Desculpa... Mas é que eu amo sua filha!- Henrique respondeu.

—Ama?- gargalhei irônico. —Quem ama não faz outra pessoa sofrer, não trai... Henrique, não quero você com a minha filha, ela merece alguém melhor.. Aliás, ela já tem alguém e você tem que respeitar isso.-controlei a raiva. —Por respeito a amizade das nossas famílias, eu te peço que não se aproxime da minha filha, nem hoje.. nem amanhã e nem nunca! Tá me entendendo? Não criei minha filha com tanto amor e cuidado, para você vir fazer ela de palhaça. Você dá sorte, rapaz, se fosse outro eu já teria mandado te matar. Então, respeite a decisão dela, ela não quer você, e por mais que ela ainda sinta alguma coisa eu não quero que você abuse dos sentimentos, ela está frágil e pode se machucar novamente.

—Eu só quero mais uma chance com ela!- ele disse sério. —Eu me arrependo de cada lágrima que ela deixou cair. -senti verdade em suas palavras porém não queria arriscar a felicidade da minha filha. —Não está sendo fácil para mim, logo eu que sempre fui da farra, jamais pensei que pudesse me apaixonar.

—Sabe qual é o seu problema?- perguntei encarando seus olhos. — Você não está acostumado com mulher de verdade!- ele me olhou incrédulo. —Não estou falando de corpo, Henrique. Estou falando de coração puro... Minha filha pode não ser a melhor que você já pegou mas eu te garanto que você nunca vai encontrar alguém que seja tão boa quanto ela. Milena nunca se importou com seu dinheiro, muito menos com sua fama, eu criei minha filha ensinando á ela que as coisas mais importantes são os sentimentos, são as coisas que vem do coração e eu não me arrependo disso. Sabe por que? Por que ela seguiu meus conselhos, ela cresceu sabendo valorizar as poucas coisas que temos, ela aprendeu a valorizar o que sente e infelizmente isso fez com que ela acreditasse que todos em sua volta fizessem o mesmo e foi aí que ela teve sua primeira decepção amorosa. – o encarei semicerrando os olhos. —Ela acreditou em você, apostou todos os sentimentos que ela sentia, ela se entregou á você!- ele arregalou os olhos. —Sempre soube de tudo Henrique, ela é minha única filha e eu busco saber sobre a vida dela... Sempre fui presente em tudo, desde quando descobrimos sobre a gravidez, os primeiros passos...-Sorri me lembrando. —Ate mesmo quando virou mocinha! Enfim, sei que minha filha não era santa antes de te conhecer mas, ela nunca havia se entregado á ninguém antes de você, eu temi tanto que esse dia chegasse e, fiquei feliz em saber que tinha sido você... – dei uma pausa. —Pensei ter entregado minha filha para uma pessoa que saberia cuidar, e veja que decepção, você fez tudo certo para tudo dar errado!

—Eu sinto muito!- ele disse com lágrimas nos olhos. —Eu não previ que tudo isso iria acontecer, se soubesse não teria me envolvido.

—Então se afasta... Deixa ela ser feliz! Graças á você ela não vai se entregar tão fácil a outro relacionamento. Deixa ela seguir a vida dela com o Lucas ... Deixa minha filha em paz!- me virei em direção ao carro e entrei, Milena estava no banco de trás, o caminho foi longo e em silêncio, só se ouvia o choro baixo dela. —Chegamos!

Ela desceu do carro e não disse nada, abaixou a cabeça e esperou que eu a desse um sermão mas em vez disso eu a abracei...

—Desculpa!- ela sussurrou. Fomos caminhando enquanto ela soluçava e me abraçava de lado.

—Filhaaaaaa!- Cássia veio correndo. —Ai Deus, achei que tinha acontecido algo e...-Ela a analisou. —Por que está com a blusa dele?- só então a reparei percebendo que estava com a roupa do Henrique.

—Milena?- esperei sua resposta, ela se encolheu em meu braço.

—Eu não transei com ele, se é o que querem saber!- ela disse e se soltou de mim subindo as escadas.

—Espera, Milena!- Cássia disse.

—Deixa que eu vou falar com ela...- beijei seus lábios e subi até o quarto da minha filha. —Filha?- bati na porta duas vezes e então abri.

—Me deixa sozinha!- ela pediu afundando a cabeça no travesseiro. — Depois você xinga, e faz o que quiser... Só quero ficar sozinha!



POV MILENA

Eu só queria gritar e chorar, aliviar essa dor de não poder ficar com quem amo, tenho medo de jogar tudo para o alto e me machucar novamente.

—Eu só quero conversar, filha!- ele disse se sentando na cama. —Quero entender o que você está sentindo... -permaneci calada, meu pai não entenderia essa confusão, nem mesmo eu consigo. —Lembra quando você deu seu primeiro beijo?- ele gargalhou e eu lembrei o quão horrível foi.

—Você descobriu!- falei sorrindo fraco. —Não foi um dia legal! Fiquei de castigo e ganhei umas palmadas.

—E o que mais?-Perguntou.

—E aí, você foi atrás do menino e mandou ele nunca mais aparecer na sua frente!- sorri me lembrando.

—Sim!- ele gargalhou. —Você é minha menina, e eu não queria aceitar que você havia crescido...

—Eu sei!- o encarei e ele beijou minha testa.

—Lembra da vez em que você quebrou o braço?- assenti. —Naquele dia eu quase tive um infarto. Te ver chorando na cadeira do hospital me deixou extremamente impotente, eu não podia pegar a sua dor toda para mim ..-Ele deu uma pausa. —Te ver sofrendo daquele jeito me fazia sofrer em dobro! Os anos passaram tão rápido e hoje estamos aqui de novo... Uma dor nova, dessa vez arrisco a dizer que mais intensa, não é?- assenti. —Mas essa dor vai passar, assim como a dor do seu braço, talvez fique uma cicatriz...- apontou para o meu braço que havia uma bem pequena. —Mas essa cicatriz foi para mostrar que por mais que a dor foi intensa, você estava fazendo algo que goste...

—Sim... Estava andando á cavalo!- me lembrei.

—Então, o que eu quero te dizer é que, se você estivesse parada e não se arriscasse você não teria se machucado... Mas também não teria vivido momentos inesquecíveis, estou certo?- assenti pensando no que ele disse. —Você deixou de andar á cavalo por ter caído e quebrado o braço?

—Claro que não!- falei sorrindo.

—Então encare esse coração quebrado como aconteceu com o seu braço...- o olhei confusa. —Não deixe que a dor que está sentindo agora te faça ter medo de amar novamente...- ele sorriu e eu o abracei apertado. —A dor vai passar e vai ficar as lembranças, mas no futuro você vai ver que cada cicatriz foi um momento em que você viveu com intensidade, que você e foi feliz... Você é jovem, tem muito o que errar e o que acertar ainda, não se prive de ser feliz!- ele se levantou e me olhou. —Eu não quero te ver na cama, chorando igual naquele hospital, porque isso me machuca. Te ver sofrendo me machuca, e o meu desejo é o mesmo de antes, que toda essa dor passe e que um dia isso seja apenas uma de suas milhares de história... Bom, vou deixar você sozinha!

—PAPAI?- Chamei antes que ele fechasse a porta. —Eu te amo!- seu sorriso de alargou e eu me permiti sorrir também. —Obrigada por tudo! Você é o melhor pai do mundo...

—Eu também te amo minha princesa, sempre estarei aqui para cuidar de você e, você é a melhor filha que um pai poderia ter!- senti meus olhos se encherem de lágrimas. —Tenho orgulho da mulher que você está se formando, não se preocupe, tudo vai se ajeitar!- assenti e ele saiu me deixando no meu quarto.


POV Henrique

Entrei em casa desnorteado depois de ouvir as palavras de decepção do pai da Milena.

“Então se afasta... Deixa ela ser feliz! Graças á você ela não vai se entregar tão fácil a outro relacionamento. Deixa ela seguir a vida dela com o Lucas”

A voz dele martelava na minha cabeça, e tinha um peso enorme. Eu reconheço que agi feito idiota mas, eu não sei se estaria disposto a me afastar da Mili, sei que o que eu sinto por ela é tão intenso que chega a ser medonho, parece até que ouve algum feitiço ou algo assim. E é esse mesmo sentimento que me faz querer estar por perto e não desistir facilmente, mas aí me lembro que ela não merece sofrer...

Afastar ou não? Eis a questão!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...