1. Spirit Fanfics >
  2. Restart - sesshykag (reescrevendo) >
  3. Cap14 - Sua

História Restart - sesshykag (reescrevendo) - Capítulo 14


Escrita por:


Capítulo 14 - Cap14 - Sua


 Batidas na porta fizeram Kagome se sobressaltar, vestindo rapidamente um quimono qualquer, Sesshoumaru estava parcialmente vestido, mostrando parte do tronco, a Miko abriu a porta após purificar o quarto, Shippou pulou nela a abraçando, Rin riu enquanto esperava o garoto solta-la, tomando o lugar do ruivo assim que ele o fez.

–Senhor Sesshoumaru! O senhor Jaken está a tua procura– avisou assim que viu o lorde no quarto, estava surpresa, mas evitou demonstrar.

–Hum – Sesshoumaru murmurou se levantando, apesar de já ter se arrumado de forma apropriada e sentado na beira do futon, assim que passou ao lado de Kagome parou – Conversamos mais tarde

A Miko sentiu o corpo arrepiar e assentiu, sorrindo levemente, os três se sentaram no futon e Shippou foi o primeiro a se pronunciar.

–Okaa-san, por que o cheiro do Sesshoumaru está na senhora?– a pesar da pureza do youkai raposa ele já entendia certas coisas, até mesmo por ter vivido com Miroke e Sango.

O rosto da Miko esquentou e só então ela ergueu a barreira ao seu redor, fazendo o ruivo rir e Rin a olhar sem entender.

–A okaa-san e o otō-san estão juntos?– Rin perguntou animada, era óbvio o quanto queria que a mãe e o pai formassem um casal, um suspiro pesado saiu dos lábios da miko

–“O que devo responder?”– se perguntou –“Ele não me marcou ou disse que estamos juntos”

– Não sei, Rin– respondeu depois de muito pensar– mas prometo que vocês serão os primeiros a saberem se isso acontecer.

–Okaa-san, o que a senhora vai nós ensinar hoje?– a raposa perguntou mudando de assunto, diferente de Rin não estava tão impaciente com a falta de resposta.

–Matemática!– Rin gritou incomodando os ouvidos da Miko, que se segurou para não tampa-los, mas não conseguiu evitar a careta de dor

–Rin, não devemos gritar, a okaa-san – a lembrou, fazendo a menina concordar e pedir desculpas a Higurashi.

Kagome pediu que os dois fossem na frente, tendo tempo para se arrumar, checou se a franja escondia bem a lua minguante e colocou outro quimono, prendeu o cabelo em um coque frouxo, deixando cair alguns fios e após passar um leve batom nos lábios saiu em direção a biblioteca.

–“Talvez eu tenha exagerado um pouco”– pensou olhando para as vestes, não percebeu quando um albino saiu do escritório de Sesshoumaru e acabou por esbarrar nele – Desculpe, eu estava distraída.

O youkai a olhou de cima a baixo, um sorriso presunçoso foi escondido rapidamente e trocado por um gentil.

–Tudo bem, também é minha culpa, não prestei atenção no corredor, minhas sinceras desculpas, senhorita...?– falou gentilmente, dando espaço para que Kagome se apresentasse, os olhos negros pararam sobre os dela.

–Kagome, Higurashi Kagome – respondeu educadamente, se sentindo inquieta, olhou a entrada do escritório a espera de Sesshoumaru, mas ele não saiu.

– É um prazer conhecê-la, senhorita Higurashi– sorriu, dando ênfase no senhorita, Kagome queria apenas se retirar, mas não poderia ainda – meu nome é Natsumi Ryū.

–É um prazer conhecê-lo, mas sinto dizer que devo me apresar, estou atrasada para algo – falou de forma contida, saindo em seguida, os olhos a acompanharam e um sorriso maldoso surgiu assim que ela virou no corredor para as escadas

–Então o Ryūhei estava falando a verdade– murmurou já distante do escritório – Fufufu, vai ser adorável destruí-la com minhas próprias mãos.

De uma das janelas pelo caminho Kagome o viu ir embora, um sentimento estranho tomou conta de seu coração, mas deixou para pensar nisso depois.

A tarde passou rapidamente na biblioteca, Shippou tentava se concentrar no que lhe era ensinado, mas achava mais fácil outras matérias à aquela, já Rin adorava e sempre acertava todos os exercícios que a Miko a passava.

A noite Sesshoumaru se juntou a mesa, sentando ao lado de Kagome com um olhar menos frio, apesar do jantar silencioso não está sendo algo estranho e sim familiar de certa forma, Rin e Shippou trocavam olhares e riam com frequência, arrancando alguns sorrisos da Higurashi, após o jantar a sacerdotisa levou os mais novos para seus determinados quartos e foi para o seu distraída.

–Como se sentiu hoje?– o lorde a perguntou, assustando-a, ao ver a reação da mulher gargalhou levemente.

–Não me assuste assim, Sesshoumaru!– reclamou ao se recuperar, sentiu as bochechas corarem ao perceber que o lorde tinha o tronco a mostra – Os cheiros e barulhos ainda me incomodam um pouco, mas já consigo ver normalmente.

–Isso é bom, Miko– falou se levantando, seus olhos pararam na boca de Kagome, que se sentiu como uma presa prestes a ser pega pelo predador, esse pensamento a fez sorrir.

–“Se Sesshoumaru é meu predador, não me importo em ser a presa”– pensou, Sesshoumaru viu os olhos da sacerdotisa mudarem ganhando um tom avermelhado cheio de luxúria e desejo.

– Quero que passe a se apresentar como uma lady, não importa quem seja, quero que saibam que é minha fêmea!– sussurrou assim que estava próximo o suficiente, a puxando pela cintura e a mordendo no lóbulo da orelha

–Quando for sua fêmea, talvez eu faça isso, youkai– respondeu fazendo o lorde rosnar em aviso, Kagome sorriu feliz ao conseguir provoca-lo

–Não brinque, Miko– avisou passando as presas pelo pescoço dela, sentiu o cheiro começar a se espalhar e novamente rosnou, dessa vez em prazer

–Me marque, Sesshoumaru e serei sua lady, mas não antes disso– murmurou e ele a apertou ainda mais contra si, pegou-a no colo rapidamente e a deitou no futon, ficando por cima

–Não haverá volta, Kagome– sussurrou, rasgando o quimono com as unhas, seus lábios cobriram os dela de forma brusca, mas foi correspondido no mesmo segundo, livrou-se da própria roupa e dos trapos que sobraram após rasgar as dela.

–Não preciso que tenha, Sesshoumaru– afirmou arfando após o beijo, o youkai encostou sua testa na dela e sorriu, um sorriso que apenas ela havia presenciado em toda a vida do lorde– me faça sua, meu macho.

A voz de Kagome despertou certeza em Sesshoumaru, a protegeria, era essa sua escolha, novamente a beijou, não com luxúria, desejo ou pressa, entregou ali todo seus sentimentos por ela, quando a invadiu lentamente a ouviu gemer, continuou nesse ritmo por um tempo.

–Vá... Vá mais... Mais rápido, Sesshoumaru– pediu fazendo o lorde sorrir e a obedeceu, sentia que ela já estava perto e ele também, quando o pico de prazer os atingiu ele a mordeu e se surpreendeu ao sentir que ela havia feito o mesmo enquanto o abraçava, despejou um pouco do veneno na miko e sentiu algo vir dela também, assim que ela o soltou Sesshoumaru rodou para o lado a puxando para cima de si – Aishiteru, Sesshou....

–Mo Aishiteruyo, Kagome– sussurrou a apertando o pequeno corpo e os cobriu antes de se permitir dormir



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...