História Retribuindo Favores - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 7
Palavras 778
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Capítulo na área

Capítulo 5 - Mais distantes ou mais próximos?


      Saímos da festa e basicamente corremos até o Internato, Kurt mordeu o lábio inferior durante todo o trajeto (provavelmente isso me deixou com mais "calor" que ele ), cara sério , as vezes ele é tão infantil é uma completa contradição sabe?, ele diz "não sou criança" mas age como uma.
     Ao entrar no quarto tranquei a porta, Kurt estava sentado na cama com o rosto abaixado o que fazia seus cabelos castanhos o cobrirem, ele ainda tinha as mãos tampando "aquele" lugar , como se estivesse lutando pra se segurar , uma luta quase impossível de ganhar. Então me cansei daquela situação.
    - Ah... Kurt se quiser eu te ajudo a resolver isso - suspirei e disse ,ao me ouvir ele se assustou e ficou ainda mais envergonhado.
   - N-não pr-precisa... E-eu ... Eer - respondeu ,  andei até ele e levantei seu queixo.
   - Você não precisa ter vergonha de mim sabia? - falei de forma doce - afinal estamos "namorando" não é?- completei fazendo aspas com os dedos meio constrangida (tá a desculpa foi péssima , mas cara não é culpa minha, com ele fazendo essa cara não dá pra me concentrar em nada).
   - É que eu nunca ... - ele parou de falar e eu entendi tudo.
  - Você é virgem não é Kurt? - ele assentiu .
 - É pode-se dizer que sim - respondeu (eu sei tem algo por trás desse mistério todo).
 - Olha vamos fazer assim, eu só vou dar um jeito nisso e gente vai dormir não vou tirar sua virgindade ok? - disse de forma doce e ele assentiu.
    Estávamos os dois sentados sob a cama ele tinha as costas apoiadas sob a cabeceira e eu estava com as pernas dobradas virada em sua direção. Eu aproximei minha mão das de Kurt que ainda cobriam seu membro e as tirei gentilmente dali ( agora entendi o que ele tava tampando afinal ele tá com uma puta ereção) eu abri o zíper de sua calça ,abaixei sua cueca e comecei a toca-lô gentilmente o fazendo gemer baixo, logo fui aumentando a velocidade do toque e ele consequentemente aumentou o volume dos gemidos e na tentativa de conte-los mordia o lábio inferior que já estava bastante vermelho ,então eu o beijei sem parar de toca-lô para que ele não machucasse os lábios, o beijo se tornava  mais quente e voraz a cada segundo, não aguentando mais ele separou nossos lábios e escondeu seu rosto na curva do meu pescoço chegando a seu ápice sujando o lençol e a minha mão ( apesar que isso não resolveu de nada ele ainda tava muito duro). 
    - Mary - me chamou num sussurro.
  - Hum? - surpresa respondi.
   -Você quer ser a minha primeira ? - ele perguntou ainda sussurrando fiquei paralisada por um instante.
    - Quero - ( como assim eu disse isso!? Não acredito eu sou mesmo uma pervertida, se esse garoto bobear vai acabar virando meu escravo sexual).
     Então pela primeira vez Kurt tomou a iniciativa e me beijou, colando meu corpo ao seu , eu podia sentir seu nervosismo como se ele já tivesse tido uma experiência muito ruim com isso, então eu me senti péssima como se estivesse fazendo mal a ele. Eu separei nossos lábios e em seguida me afastei.
    - O que foi ?- ele perguntou surpreso.
   - É que essa seria sua primeira vez não é? - ele assentiu timidamente - então não é assim que deve ser, deve ser por amor Kurt, alguém que você realmente ame, porque assim você não vai poder pensar "como teria sido se eu não tivesse feito " e sim lembrar com carinho, você é um doce Kurt, foi o único que me estendeu a mão quando eu precisei, mas, você não me ama de verdade, e-então eu vou tomar banho pra gente dormir e depois é sua vez - eu me levantei e corri até o banheiro, batendo a porta com um pouco mais de força que o habitual ,rapidamente tomei banho, quando voltei Kurt havia arrumado a cama  (no caso trocado o lençol) e foi tomar banho, nós dormimos sem trocar mais nenhuma palavra ou sequer olhar um pro outro. De manhã eu acordei mais cedo e saí pra tentar esfriar a cabeça, porra o que foi a noite de ontem? E o pior de tudo foi o clima pesado que ficou entre a gente. E-eu ... não quero que ele vá embora, não quero ficar sozinha de novo, ele se tornou especial pra mim e e-eu não posso perde-lô. Ao pensar nisso senti minhas lágrimas quentes correr sob meu rosto gelado deixando ainda mais melancólica aquela manhã de domingo.
     


Notas Finais


Espero que tenham gostado 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...