1. Spirit Fanfics >
  2. Retrouvailles >
  3. O inicio

História Retrouvailles - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - O inicio


Fanfic / Fanfiction Retrouvailles - Capítulo 1 - O inicio

Ainda lembro bem a primeira vez que a vi em minha vida...

Céus, ja faz tanto tempo...

Eu devia ter uns 5 ou 6 anos
Minha mae me levou em uma confeitaria a primeira vez - eu costumava ser fascinado por doces -
E estava andando com cuidado observando as delicias na vitrine enquanto minha mae conversava com a gentil moça que a servia

Eram tantos bolos, doces, cupcakes, doces de todos os tipos e formas
Eu estava fascinado
Quando derrepende, cheguei ao fim da vitrine e reparei que uma garota entre olhava em minha direção pela fenda

- Marinette meu bem, venha cá por favor. - ouvi a moça do balcão chamar, olhei em sua direção, e quando voltei a atenção para a brecha a garota havia sumido

-Adrien -minha mae chamava - venha cá.

Andei ate ela, e quando me pôs no colo, pude ver sentada no balcão a garota

Com estonteantes olhos azuis

Que me hipinotizavam

Nao consegui parar de olhar para ela, era tao delicada e bonita
Mais linda do que todos os doces nas vitrines

-o que houve, pequeno Agreste, o gato comeu sua lingua? - disse a moça que conversava com minha mae - esta é minha filha, marinette.

-Diga oi, sorria para ela, filho- minha mae dizia passando a mao em minhas costas

Eu tinha acabado de perder meu primeiro dente naquela semana, e sorrir era a última coisa que eu queria, entao fiz cara emburrada, para que minha mae pensasse que estou com raiva e me tirasse dali

Estava com vergonha

Quando derrepende a garota se esticou no balcão chegando perto de mim e disse " olá, pequeno agreste" dando um sorriso imenso, mostrando os dentes banguelas, os dois da frente
" nao fica com raiva nao, eu peguei aquele cupcake que voce tava olhando na vitrine. Pode comer"

Me deu o cupcake que estava pela metade

-bem... eu mordi um pedaço, haha-

Ela nao parecia constrangida pelos dentes, nem com vergonha de mim como eu dela...

Naquele dia, desde que a conheci eu sempre soube

Marinette ... voce é  sem duvida, uma garota muito corajosa.

*2:14 da manha*


- Ja ate perdi a conta de quantas vezes você invadiu meu quarto de madrugada pra reclamar da sua vida, gatinho enxirido- marinette resmungou dando um semi sorriso, ainda concentrada em rabiscar na sua mesa de desenho


- desculpa, se estiver ocupada eu venho outra h--
-nao, nao -falou me interrompendo, virou-se para mim - eu estava te esperando


-entao por que reclamou?- questionei entrando
- so estava brincando, cadê seu senso de humor?- debochou - o que houve dessa vez? Lady bug te deu outro fora?
- poise... agora que ela ta namorando, fica me desprezando e isso...isso machuca sabe?!- murmurei me deitando, abraçando o travesseiro


Marinette se aproximou de mim, deitou-se ao meu lado acariciado meu cabelo
-por que machuca?-  perguntou


- por que eu sei que a faria mais feliz se ela me amasse como sou - afirmei
- mas esse é o ponto, voce esta errado! nao pode mandar nos sentimentos alheios, gatinho, ja falamos disso antes - mari
- mas ela gosta de mim, eu tenho certeza que no fundo ela gosta, so nao sabe disso ainda. - apertei o travesseiro
- e como tem tanta certeza disso? Se ela gostasse nao estaria namorando outra pessoa...- o silencio reinou por cerca d 5 segungos - mas calma gatinho, um dia voce vai achar alguem que goste de voce exatamente como é, ladybug nao é a unica garota do mundo -
- mas ela é a unica do meu...- olhei para marinette - falando em "gostar d jeito que é", como vai seu namorado?


Marinette rapidamente tirou o sorriso do rosto
-nao quero falar disso- disse enquanto se levantava, voltou para a mesa e continuou a desenhar


Me aproximei
-minha vez de perguntar, voce falou com ele dessa vez??-
-nao, chat, eu nao saberia como...- falou aflita
-mas voce nao diz que ele é o garoto dos seus sonhos e etc, voces namoram entao deve ser facil por as cartas na mesa - disse tentando amenizar


- nao, voce sabe que não é assim, na verdade é o opostod facil, e eu ja nao sei o que fazer - falou colocando as maos no rosto


Virei a cadeira dela para mim e me abaixei ficando a mesma altura
Segurei em suas maos
-ok mari, vamos rever o problema -


-chat, ja fizemos isso mil vezes, nunca chegamos a uma conclusão- ela olhou para o lado


Olhei para o desenho dela vendo um esboço d uma garota triste no caderno que ela rabiscava
Segurei seu rosto o trazendo de volta para minha direção
-dessa vez vamos achar a resposta ok, diga, o que te incomoda?-


Ela respirou fundo
- okay, vamos la - olhou para mim e começou a desabafar -
-sempre que estamos juntos, é como se eu nao conseguisse ser eu mesma. Eu sinto medo de ele nao gostar de algo que eu diga ou faça, me sinto muito insegura. E ele sempre aparenta estar se sentindo do mesmo jeito. No inicio eu pensava "é so vergonha, vai passar, com o tempo podemos nos abrir mais", mas ai que ta, ja se passaram 6 meses e eu me sinto mais eu mesma com voce ou qualquer outra pessoa. É como se eu pudesse falar normal com todo mundo, menos com ele -


-marinette voce ja pensou em fazer terapia de casal? - dei ideia
-nao, chat, ele nao tem muita liberdade, so temos 15 anos e precisamos de permissão pra tudo, sem falar que namoramos em segredo...- ela desviou o olhar cabisbaixa - ficar com ele era a coisa que eu mais queria no mundo... mas nao faz sentido se continuo sem saber como ser eu mesma e nao gosto do modo como ele me trata.


-como assim modo como te trata?- perguntei


- ele aje como se eu fosse a garota mais independente do mundo, e nao consigo sequer falar dos meus problemas, por que ele sempre me vê como uma espécie de "pessoa perfeita" e isso me irrita... eu nao consigo sequer chorar na frente dele, isso... isso é muito desconfortável. Eu o amo mas nao sei lidar com isso.


- Marinette, veja bem, vocês tem dificuldades, todo casal tem, mas voce tem sorte de namorar a pessoa que gosta, e apesar de tudo isso, eu queria estar no seu lugar - murmurei de modo que ela ouvisse


- cuidado com o que deseja gatinho, um dia pode arrumar uma namorada doida por gatos que vai te enfeitiçar e te fazer miar pra sempre -ela falou olhando para mim brincalhona


Nao entendi, mas conheço esse olhar, entao, quando tentei me afastar ela pulou em mim me fazendo cócegas 
-Hahahaahah, ma-ri-hahaha-par-porfav-hahhaa.


- é tudo muito simples pra voce, ne gatinho, vai ficat akumatizado, vai rir pra sempre, hahaha. -ela continuava


-hahaha-issha,nem faz sent-hahaha-mari-haha-por f-ahhaha.-eu nao conseguia parar de rir


Ela so parou quando meu anel apitou
-ja ta na hora de ir gatinho? Que pena- sorriu brincalhona


-desculpa mari, tenho que ir- falei ainda sorrindo


-ve se aparece mais vezes por aqui, ja fazia duas noites que nao te via, aposto que ta indo visitar outra garota por ai- reclamou


-voce é minha melhor amiga, para com isso, haha- rebati


Ela me abraçou
-obrigado gatinho, voce sempre tem os melhores conselhos-
-disponha, amanha eu volto, vamos ver filmes outra vez okay?- perguntei


-nao pode ser video game? - pediu delicada
-fechado, video game então. Tchau- assim eu fui pulando telhados
-ate a próxima gatinho- ela gritou


Mal sabiamos que nao haveria proxima... e no dia seguinte, tudo iria desmoronar e se refazer diante daqueles mesmos olhos azuis tão inocentes...
Depos daquele dia
Não havia como saber o que viria pela frente...




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...