1. Spirit Fanfics >
  2. Retrouvailles >
  3. Meu vicio? Seu prazer! (Hot 2)

História Retrouvailles - Capítulo 17


Escrita por:


Capítulo 17 - Meu vicio? Seu prazer! (Hot 2)


Fanfic / Fanfiction Retrouvailles - Capítulo 17 - Meu vicio? Seu prazer! (Hot 2)

Ele segurou meu rosto com as duas mãos delicadamente quase como uma carícia e sussurrou "vai se arrepender muito de ter me provocado tanto" e se inclinou para o que mais parecia um beijo doce e amoroso

O que estava tramando? 

Ele desceu as maos ate minhas coxas durante o beijo. Derrepente parou de se mover dentro de mim e tirou seu membro.

Tentei o entrelaçar outra vez, mas ele separou minhas pernas impedindo. Era essa a intenção? Desistir e me deixar confusa?

Inesperadamente me agarrou pela cintura me fazendo descer da pia, e assim que firmei os pés no chão ele me virou de costas, rapido demais para que eu conseguisse reagir

Ele abriu o ziper por completo e abaixou um pouco mais as calças permitindo-se uma  liberdade maior

Tudo isso em uma velocidade incrível 

-o que voc--

Quando tentei perguntar o que estava havendo, fui interrompida instantaneamente quando ele agarrou meus braços juntando  meus pulsos nas costas, segurando os dois com a mão esquerda. 

Passou a mao direita por meus cabelos agarrando minha nuca me fazendo olhar para frente, me debruçando sobre a pia. Sussurrou me causando arrepios

-agora sim vamos brincar de verdade-

Começou a adentrar em mim outra vez, bem devagar, me fazendo senti-lo entrar centimetro por centimetro com seu membro grosso cujo o latejar me fazia estremecer  de prazer 

Me puxou pelos cabelos outra vez me fazendo encarar o espelho

Esse era meu castigo por te-lo provocado.

Ser colocada diante de minha própria imagem que refletia minha impotência sob o domínio dele outra vez. Que posição humilhante. 

Mas confesso que ser colocada assim de modo inesperado, mesmo que bruto, foi delicioso. 

Fui descuidada ao deixar escapar um meio sorriso de pura luxúria. Mostrando estar plenamente satisfeita em conseguir o que queria.

Ele, sádico, percebeu.

-do que esta rindo?...acha isso engraçado?- falou deslizando a mao direita pressionando meu pescoço. Começando aumentar gradativamente as arremetidas fortes

Comecei a gemer alto outra vez, sentindo-o quente dentro de mim, indo mais e mais rapido.

-aahhh...vai..hnnn..nao para, aaahhhhh-

Ele apertava meu pescoço ofegante em meu ouvido, com um arfar pesado e voraz, me encarando firme no espelho saboreando cada segundo. Possuindo um dominio sinico de si mesmo, tao arrogante e invejável. 

Começou a dar estocadas mais profundas e violentas, me fazendo sentir o maximo daquele prazer, me obrigando a gemer alto outra vez. Ele percebeu continuando no mesmo ritmo ate que meu orgasmo diminuisse.

Então, ele parou. 

Segurou meu rosto me fazendo virar para ele outra vez e me beijou fervoroso e intenso

- Ainda nao terminei- falou baixo levantando minha perna e enfiando outra vez.

-aahannhhhhh...- gemi involuntária  

Ele se manteve nessa posição agarrando minhas nadegas impetuoso. E nao demorou muito para que levantasse minha outra perna fazendo com que ficasse suspensa nele

Me jogou contra a parede de modo rude, gemendo baixo, aplicando mais vontade nas estocadas cada vez mais rápidas e descontroladas, por vários minutos sem cessar. 

Me trazendo o climax do meu prazer uma segunda vez, e como na ultima, continuou no ritmo ate que meu orgasmo diminuísse. 

Quando me pôs de pé, minhas pernas fraquejavam, mas nao quis que ele notasse, entao ajoelhei segurando seu membro começando a masturbar outra vez.

Antes que pudesse coloca-lo em minha boca ele me puxou pelos cabelos, me encarando sinico... Outro truque sujo de sua mente maliciosa.

Segurou meu rosto com a outra mão, e quando pus a lingua para fora, tentando chegar ao seu membro, deu-me um tapa fraco porem arduo no rosto. Como forma de demonstrar sua dominação com firmeza.  Seus olhos deturpados pela luxuria se deliciavam com o controle. Ele era obcecado por isso. Controle.

Um sorriso meu quase surgiu novamente, mas não, eu nao queria que ele percebesse outra vez que estava gostando, apesar de ser óbvio, eu nao iria admitir.

- deite-se - ele disse firme, com aquele maldito e delicioso tom de voz sexy.

Me deitei ali mesmo, no tapete do chao do banheiro, sem questionar. (Afinal, questionar para que se no fim ele ainda estaria no comando?)

Ele se ajoelhou e me puxou para perto, me virando de costas, me arrumando na posição de seu agrado, me pôs empinada para ele com os joelhos no chao e o rosto ainda deitado no tapete (de quatro). Comecei a me masturbar com a mao entre as pernas. 

E penetrou sem cerimônias com seu membro leslizando rapido para dentro devido a lubrificação quente

cravou as unhas em meus quadris ao agarrar firme como impulso para estocadas rigorosas e violentas, começando a gemer em alto e bom som

-aaahh..ahhhhhht-tao...hmnn..ahaa... apertada... e gostosa..aahhh...- ele gemia de modo sexy me causando arrepios de prazer que percorriam por meu corpo inteiro

Eu o sentia latejar, voraz e frenético dentro de mim, o sentia me agarrar com veemência como se quisesse se afundar em mim...

Gemia descontrolada em êxtase enquanto ele estocava fundo em minhas partes estreitas me causando mais orgasmos, meu corpo estremecia e eu continuava a gritar sem pudor virando os olhos de prazer, eu ja nao possuia controle sobre mim...eu era dele...inteiramente dele.

Ele continuou acelerando cada vez mais, e eu senti seu orgasmo vir ate o último segundo. Quando ele gemeu cada vez mais alto ate tirar seu membro de mim, gozando em minhas costas. Quente e saciado.

 Ele levantou com a respiração descompassada, e me estendeu a mão. Eu aceitei a ajuda levantando ainda ofegante.

eu ...ahf...afh...vou tomar um banho - falei respirando com dificuldade, tentandor retomar o folego -afh...- respirava pesado puxando o ar - me espera la fora por favor...-

Eu nao conseguia encara-lo, nunca estive tao vermelha de vergonha quanto naquele instante, mal conseguia me manter de pé, nua em sua frente. Que constrangedor.

Ele arrumava sua calça, olhando diretamente para mim, eu conseguia sentir aqueles olhos verdes me encarando.

Pegou a camisa jogada na pia e me beijou no rosto com gentileza, saindo do banheiro com um sorriso quase invisivel no rosto, mas ele estava la, eu o sentia me encarando, vitorioso!

Enquanto ele me esperava na sala eu pensava pensava no que dizer quando saísse do banheiro depôs daquilo tudo.

.

Cheguei a demorar cerca de uma hora no banho, e quando sai do banheiro, nao o encontrei na sala.

Tomara que nao tenha ido embora...

Quando abri a porta do meu quarto, la estava ele deitado, dormindo em minha cama.

Como um felino folgado.

Nao o expulsei, afinal estava cansado. Deitei tentando tirar o travesseiro dele devagar, quando ele me puxou me abraçando durante o sono de modo inesperado.

Eu correspondi, afinal, eu também estava exausta.

Ao me sentir segura na maciez de seu corpo, eu adormeci ali, admitindo a mim mesma sengundos antes de pegar no sono.

Dessa vez eu estava, de fato, em suas mãos. Adrien Agreste! O que farei agora?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...