História Revelação - Capítulo 37


Escrita por: ~

Postado
Categorias Uma Rosa com Amor
Personagens Claude Geraldy, Serafina Rosa Petroni
Visualizações 29
Palavras 518
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 37 - Último Capítulo


   — Ela é a menina mais linda do mundo — disse Claude, orgulhosamente, enquanto erguia seu bebê de seis semanas, Victória, para seus irmãos admirarem. 

   — Você só pode dizer isso, porque Alabá terá outro menino — apontou Henri

   — Ouça-os — murmurou Ninica com desgosto. 

   — Por que será que bebês têm o poder de derreter os cérebros dos homens? 

   — Eu pensei que bom sexo tivesse esse poder — acrescentou Alabá, de maneira travessa. 

   — Isso também — disse Rosa com uma risada. Eric estava de pé, perto dos homens Geraldy, parecendo absurdamente orgulhoso de sua irmãzinha. O coração de Rosa nunca deixava de inchar quando ela via o amor entre pai e filho. A adoção de Eric se tornara final apenas duas semanas antes que Victória tinha nascido. Uma semana depois, Claude recebera um telefonema frenético do laboratório que fizera o exame de paternidade. Eles haviam, realmente, cometido um erro e trocado o resultado com o de outra pessoa. Claude ficara horrorizado, mais uma vez, pelo fato de tê-la acusado de mentir, um dia, mas ela o relembrara que ele acreditara em sua palavra muito antes de saber que o resultado estava, de fato, errado. Aquilo bastava para Rosa. Ninica havia sido rápida em apontar que tudo que eles teriam precisado fazer era esperar Victória nascer, porque não havia uma única pessoa em seu juízo perfeito que fosse capaz de negar que ela era uma Geraldy da cabeça aos pés. O bebê tinha cabelos e olhos escuros, e era abençoada com a pele cor de oliva do pai. Para todos os propósitos práticos, ela era uma miniatura de Claude. Rosa olhou para sua família, todos reunidos em sua casa sobre o penhasco com vista para o mar. Havia tanta felicidade ali. Às vezes, era difícil acreditar que era tudo seu. Que ela possuía uma família. Que pertencia a uma família. Ela e Claude tinham vagado pelo mundo por tanto tempo, mas, de alguma maneira, haviam encontrado seu caminho um com o outro, e encontrado o mais importante. Um lar. 

   — Eu gostaria de propor um brinde — disse Henri, erguendo seu copo. 

   — Às esposas Geraldy. Eu não tenho dúvidas de que elas nos manterão alertas e conscientes até ficarmos velhinhos, e eu pretendo apreciar cada minuto disso. 

   — A elas, a elas — concordou Freitas e levantou o próprio copo. Claude virou-se, a fim de sorrir para Rosa, e ela se levantou, posicionando-se ao seu lado, enquanto os dois olhavam para o pacotinho nos braços dele. Ela estendeu o braço, e Eric aconchegou-se ao seu lado. 

   — Eu gostaria de propor um brinde — disse Rosa. 

   — A Ninica. Que ela dê a Freitas uma casa cheia de garotinhas tão lindas e audaciosas como ela é. 

   — Morda a língua — murmurou Ninica, mas seus olhos brilhavam com felicidade. Freitas pôs um braço ao redor da esposa. 

   — Deus me ajude, se isso acontecer. Uma Ninica é tudo que este mundo precisa. 

   — Eu gostaria de propor um brinde ao amor e à amizade — disse Alabá. Ela puxou Rosa e Ninica para longe dos maridos, e passou os braços em volta das duas. Rosa e Ninica a abraçaram de volta. 

   — Ao amor e à amizade — ambas ecoaram. 


Notas Finais


Agradeço a todos que acompanharam essa história, mas infelizmente ela chegou ao fim.
Mas não fiquem triste, outra história está a caminho.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...