História Revenge - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Consegui postar 2 caps hj vitoria na guerra
Desculpe se passou algum erro ou algo mais, eu tenho mt preguiça de fazer correção hihihi

Capítulo 6 - Cap6


Pov Baekhyun

 

Ainda sentia meu coração apertado.

Luhan me arrastou para o quarto e eu fiquei em silêncio. Não sabia que iria ser tão difícil me vingar de Chanyeol.

 Entrei no quarto e me sentei na cama. Fechei os olhos por um momento ao sentir meu melhor amigo sentar ao meu lado.

- Baek, não fique assim. – pediu calmamente e eu abri os olhos o encarando - Foram 6 anos juntos, não é fácil! Não quando se ama de verdade. – acariciou meus cabelos.

- Ele esta tão magoado. – sussurrei e ele respirou fundo.

- Não sei Baekhyun, eu estou desconfiado de algo que pode mudar o rumo das coisas. – falou baixo e eu o encarei curioso.

- O quê? – perguntei afoito e ele negou com a cabeça.

- No momento certo você vai saber. – bufei frustrado o encarando.

Mas ao fixar em seu rosto não aguentei e comecei a rir descontroladamente. Luhan apenas franziu o cenho me encarando como se eu fosse louco.

- Eu te beijei. – falei entre risos e ele bufou.

- Você beija bem Baek, se eu soubesse antes... – piscou pra mim e eu arqueei a sobrancelha.

- Luhan, posso tirar uma dúvida? – perguntei baixinho e ele me olhou confuso.

- Duvida? Que duvida? Pergunta ué. – me olhou curioso e eu respirei fundo.

Eu realmente ia fazer isso?

Eu não deveria fazer isso...

Mas em um ataque súbito de coragem o empurrei fazendo deitar na cama e ele arregalou os olhos em entendimento. Sentei no seu quadril, me inclinei sobre seu corpo e tomei seus lábios em um beijo lento, nossas línguas se moviam com calma e sincronia. Suas mãos seguraram minha cintura com firmeza me fazendo arfar contra sua boca.

Se fosse Chanyeol já teria me virado ficando por cima de mim.

Ele sempre queria estar no comando e eu amava a forma que ele conseguia me dominar.

Levei minhas mãos em seu cabelo aprofundando o beijo, indignado por estar pensando em Chanyeol naquele momento. Mordisquei seu lábio, mas logo me separei dele pois precisava de ar, porém foi tempo o suficiente para recuperar o folego e colar minha boca em seu pescoço, ele gemeu baixo com meu toque. Suguei aquela área o marcando, suas mãos seguraram minha cintura me forçando a rebolar sob seu membro e eu gemi com a fricção. Intercalei em seu pescoço chupadas e mordidas, gemi rouco quando ele cravou as unhas em minhas costas.

Se fosse meu Chan eu já..

- Porra, não consigo – rosnei rolando para o lado e fitei o teto.

Ouvi sua risada baixa.

- Sabe que se fosse outro ficaria ofendido, não é? – debochou e eu revirei os olhos. Dei um sorriso malicioso para ele.

- Como se eu não soubesse que você queria que fosse o Sehun no meu lugar. – apontei e gargalhei ao ver suas bochechas ficarem vermelhas.

Luhan envergonhado.

 Essa é nova.

Mas logo minha expressão se fechou.

- Eu sinto como se estivesse o traindo. – falei sentindo a culpa me dominar.

Eu queria os beijos de Chanyeol, queria seus toques e não conseguia estar com mais ninguém.

- Às vezes algumas lutas são em vão – seus olhos me encararam fixamente - Às vezes perdoar é vencer a batalha. – sussurrou e eu estremeci.

- Eu ainda não estou pronto para perdoa-lo. – confessei ainda sentindo aquela mágoa em meu peito – Não sei se um dia estarei. – me odiei por querer deixar tudo para trás e estar ao lado de Chanyeol.

- Se minhas suspeitas estiverem certas em breve você estará. – sua expressão era suave e eu o encarei sem falar nada.

Conhecia Luhan para saber que ele não me contaria nada, não antes de ter certeza. Mas uma sensação esquisita tomou conta de meu corpo.

Será que eu poderia recomeçar ao lado de Chanyeol?

Eu poderia ter minha família de volta?

A única certeza que tinha era que não conseguiria seguir em frente enquanto não encontrasse o verdadeiro assassino.

- Temos que ir para aquela maldita reunião. – sussurrei e ele assentiu se levantando.

O vi carregar uma arma e prender na calça.

- Você tem que fingir que já perdoou Chanyeol. – engoli em seco - Sem falhas Baekhyun. – apenas conseguir assentir diante sua voz dura.

Eu sabia que não poderia falhar.

Havia muita coisa em jogo.

Principalmente a vida do meu filho.

Saímos do quarto rumo ao escritório e abri a porta sem ao menos bater. Chanyeol estava sentado na ponta direita da extensa mesa. Alguns arquearam a sobrancelha ao me verem entrar daquela forma e outros fecharam a cara sem esconder o desgosto. Ignorei a todos e sentei no colo de Chanyeol como fazia antigamente nessas reuniões, me aninhei em seus braços e suspirei fundo.

Isso é apenas parte do plano.

 Disse para mim mesmo tentando controlar as batidas frenéticas do meu coração. Selei nossos lábios e meu corpo estremeceu.

É só um plano.

Só um plano.

 Levei minha boca em sua orelha.

- Sem falhas. – sussurrei só para que ele pudesse ouvir.

Chanyeol sorria de forma doce, o que realmente me surpreendeu. Me virei para o pessoal e todos encaravam incrédulos.

Alguns com raiva explicita.

 Arqueei a sobrancelha fingindo confusão.

- O que? – questionei inocente.

- Não acredito que você perdoou ele Chanyeol. – Chen rosnou e eu arqueei uma sobrancelha.

- Jongdae me desculpe, eu prezo muito sua amizade mas minha vida pessoal é assunto meu. – mesmo sendo uma farsa meu coração batia em euforia - Eu voltei sim com o Baek e vou reconstruir minha família. - falou firme e Chen bufou raivoso me fazendo sorrir vitorioso.

- Você já contou a novidade para eles Chanyeol? – Luhan perguntou seco e todos olharam curiosos.

- Seja o que for, temos que esperar o Daehyun chegar – Youngjae falou ríspido e meu corpo estremeceu.

 Eles não sabiam ainda.

- Eles acabaram de chegar Hannie. – Sehun falou baixo e eu arqueei a sobrancelha para Luhan.

Hannie? Já estão assim?

 As bochechas de Luhan ficaram vermelhas e eu encarei incrédulo.

 Sehun estava mexendo com ele.

E isso era engraçado no mesmo nível que preocupante.

- O que aconteceu? – Tao questionou confuso e eu suspirei.

- Como um de vocês deve saber. – Luhan falou sarcástico – Daehyun foi assassinado essa madrugada. – me encolhi nos braços de Chanyeol suspirando e todos olharam em choque.

- Impossível! – Youngjae gritou em choque.

Podia ver as lágrimas presas em seus olhos e sua expressão de horror.

Todos pareciam abalados com a notícia.

Joonmyun estava encolhido em um canto. Yixing apenas olhava sério. Tao chorava baixinho sendo confortado por Yifan. Mas meu olhar ficou fixado em Lay não só nele como em Jongup, que realmente me surpreendeu. Aqueles não é era os amigos que eu conhecia. Os dois pareciam indiferentes como se já soubesse daquilo.

Desviei o olhar para Luhan que parecia observar a mesma coisa.

- Hoje não terá reunião. – Chanyeol ditou consternado - Sei que vocês estão abalados com a notícia e nem eu estou com cabeça para isso. – confessou com uma expressão cansada e eu apenas maneei a cabeça em concordância.

Acariciei seus cabelos tentando lhe passar calma e ele me encarou surpreso me fazendo dar conta que fiz isso por livre e espontânea vontade.

Merda.

Tirei minha mão rapidamente, mas pude ver seu sorriso de lado. Todos foram saindo e se despedindo. Iriam se preparar para o enterro de Daehyun.

- Vamos? – Luhan chamou quando sobrou somente nós quatro na sala.

Caminhamos em direção ao escritório novamente. Eu realmente queria evitar me lembrar daquele dia.

- Eu sei que você odeia lembrar disso Baek, mas eu realmente preciso que você fale. – apenas assenti sem fazer muito caso.

Se aquilo significasse a segurança de Myunghan, viveria aquele horror quantas vezes fosse necessário.

Fechei os olhos e deixei minha mente vagar voltando para aquela noite.

 

Flashback on

Eu realmente não queria estar nessa festa.

Queria estar com meu filho e Yeol em casa e sabia que ele também não queria estar ali.

- Vamos ficar aqui em consideração ao Minseok, mas não vamos demorar ok? - Chanyeol falou em meu ouvido sobressaindo a música alta e eu assenti.

Estávamos na área vip da boate mais cara da cidade, era aniversário do Xiumin, só estava um pessoal da empresa e os amigos próximos. Yifan e Tao já estavam bêbados se agarrando e entrando em dos quartos que a boate fornecia. Os outros dançavam freneticamente exceto Lay e Suho que estavam sentados na mesa bebendo e observando a movimentação.

Dei risada da situação.

- Amor, vamos dançar? - ronronei em seu ouvido e ele com um sorriso de lado me puxou pra pista.

Enlacei minhas mãos em seu pescoço e comecei a me movimentar contra seu corpo, ele segurou minha cintura beijando meus lábios, nossos corpos se moviam em um ritmo frenético como a batida da música. De repente um corpo se esbarrou em mim.

 Era Kai e Kyungsoo se beijando.

 Gargalhei ao ver o estado que se encontravam.

 Aqueles dois não tinham jeito.

- Foi mal, Baek - Kyungsoo falou embolado e ainda assim virando um dos copos que segurava. Ri baixo vendo que ele estava com dois copos na mão e me entregou o outro, aceitei  e bebi um gole fitando o olhar preocupado de Jongin sob o namorado. Chanyeol me abraçou por trás beijando meu pescoço.

- Mas já está assim Kyung? - Chanyeol debochou e ele gargalhou embolado.

- É que meu irmão precisa da puta dele bêbado para ser o ativo. - a voz de Yuri me surpreendeu.

Revirei os olhos bufando.

Garota insuportável.

- Pelo menos não sou você, que fica de macho em macho prejudicando os outros por prazer. – quase não consegui entender as palavras de Kyungsoo - Gente assim só quebra a cara e o que é seu está guardado. - falou embolado e saiu puxando Kai pelo braço.

- Garota nojenta - murmurei bebendo o resto da bebida e coloquei o copo na bandeja de uns garçons que passava pelo local. Enrolei meus braços no pescoço de Yeol e voltando a dançar.

 Já estava um pouco zonzo, Bang e Himchan me fizeram experimentar uma bebida nova. Jongup e Suho me desafiaram com shots de tequila e Daehyun me fez beber dois copos de vodca.

Eu era forte para bebidas, mas já me sentia levemente alterado. Ficamos ali no meio da pista conversando e dando risada. Depois de um tempo eles foram buscar mais bebida me deixando sozinho com Chanyeol.

- Acho que vou te dá trabalho hoje. - falei mordendo o lóbulo de sua orelha e recebi um gemido rouco – Estou tão quente. – rocei meu corpo contra o seu.

- Hmm... Eu amo quando você fica assim. – sua voz rouca me fez choramingar baixo e quase o arrastar pelo braço para irmos embora.

- Chanyeol - a voz de Chen me fez revirar os olhos.

- Oi Chen. – ele sorriu e Jongdae sorriu largo e meu olhou debochado. Ele amava roubar a atenção do Chanyeol. No momento que ele arqueou a sobrancelha e ergueu o copo como se estivesse brindando, apenas peguei o copo e sorri desafiante. Dei um gole com um sorriso debochado.

Podia ver a diversão cintilar nos olhos de Chanyeol ao me ver agindo de forma territorial.

- Sehun está passando mal. – avisou revirando os olhos ao ver que não iria conseguir o que queria - Ele está desde a hora que chegou naquele bar. – Chanyeol nem ao menos falou nada, apenas saiu em busca do irmão.

Ele era extremamente protetor quando se tratava de seus irmãos.

- Você não vai conseguir o que quer. – avisei e virei o restante bebida e dei o copo em sua mão e fui atrás de Chanyeol.

Os meninos estava dançando descontrolados. Vi Yuri dançando com Zelo, mas quando notou minha presença veio em minha direção ao mesmo tempo que ela deu de ombros e puxou Minseok pelo braço o arrastando.

- Baek, está tudo bem? - Zelo gritou para que eu pudesse ouvir.

Torci o nariz ao sentir o cheiro forte de bebida.

- Não, o Sehunnie está passando mal. – gritei perto de seu ouvido - Preciso achar o Yeol. – expliquei alto e ele fechou a cara.

- Baekie eu posso te fazer feliz. - falou de repente e eu bufei.

Estava alterado o suficiente para nem tentar rejeitar educadamente as investidas daquele pirralho.

- Que porra. – falei irritado - Zelo eu já te que somos amigos, eu amo o Chanyeol. – quase me senti mal ao ver seus olhos marejados, mas apenas revirei os olhos ao vê-lo ir correndo em direção a saída.

Suspirei fundo e fui procurar Chanyeol.

O vi de costas entrando banheiro com Sehun cambaleando. Caminhei em sua direção, mas minha visão começou ficar turva e eu balancei cabeça tentando me concentrar.

 Não devia ter bebido.

Mas aquilo não era normal.

Comecei a entrar em pânico.

Estava sentindo meu corpo mole.

Senti alguém me segurando por trás, mas não consegui me virar para ver quem era.

Tudo escureceu.

 

Flashback off

 

Lagrimas se acumularam em meus olhos ao lembrar de quando eu acordei. O medo. Já estava algemado e entrei em pânico achando que havia sido sequestrado. A única coisa que falaram era que Yuri estava morta e o frasco do veneno estava em minha mão. Eu estava tão perdido e confuso. As acusações vieram e eu ao menos entendia o que estava acontecendo, de acordo com a polícia a janela estava aberta indicando que quando eu estava fugindo, desmaiei.

Todos me olhavam acusatórios.

Chanyeol me olhava incrédulo.

Eu gritei que não havia sido eu.

Gritei por Chanyeol.

"Chan não fui eu! Por favor acredita em mim, eu sou inocente! Me ajuda, por favor, eu te amo".

Eu gritei entre lagrimas e ele apenas me encarou fixamente.

Aquilo me quebrou.

- Heey bebê, já passou. - Luhan sussurrou me acalmando e eu respirei fundo sem querer mostrar o quanto aquelas lembranças me machucavam.

Apenas segurei forte sua mão.

 - Então quer dizer que você passou mal? - Luhan perguntou para Sehun que assentiu.

- Eu nunca tinha bebido e meio que me empolguei. - falou envergonhado e eu vi o olhar divertido do meu melhor amigo que tentava inutilmente disfarçar.

- E você? Ficou o tempo todo com ele? – perguntou para Chanyeol.

- Sim, o barman pode confirmar. – retrucou quase impaciente.

- Jongdae foi o último a te dar a bebida. - ponderou parecendo pensativo com aquela informação. Antes que ele pudesse falar qualquer coisa uma batida na porta me sobressaltou.

- Entre - Chanyeol falou alto e a porta se abriu revelando o senhor Yohowan. Ele parecia um tanto desconfortável ao entrar e eu franzi o cenho. Luhan o encarava seriamente.

 Chanyeol desviou o olhar.

- Entre e sente-se senhor Yohowan. – Sehun falou gentil e eu me senti um tanto perdido com o clima tenso que pareceu se espalhar.

- Sente- se e vamos conversar – Luhan falou sério e meu advogado sentou na poltrona de frente para ele.

Me sobressaltei ao ver Luhan tirar a arma e apontar para meu advogado.

- O Senhor disse que era um advogado público enviado para defender Baekhyun. – sua expressão era fria e analítica - Então agora me explique de onde conhece Chanyeol? E agradeça por eu não atirar primeiro e perguntar depois. –arregalei os olhos olhando do meu marido para meu advogado.

Chanyeol e o senhor Yohowan se conhecem? De onde? Como?

- Chanyeol me contratou para tirar Baekhyun da cadeia. – meu advogado falou sério e eu senti meu corpo pareceu sair de órbita.

Então era sobre isso que Luhan falava?

Chanyeol havia contratado um advogado para me tirar daquele inferno?

 As certezas que eu tinha acabaram de se esvair com aquela informação.

- Me tirar da cadeia? Você contratou um advogado para me tirar da cadeia? – gritei horrorizado - Você acreditou em mim? Por que nunca foi me visitar? Por que nunca me falou? Por que me fez te odiar? –  saltei da poltrona ficando de pé encarando Chanyeol.

Todos ficaram em silêncio.

Ele se levantou e parou na minha frente.

- Eu fiquei em choque na hora, não conseguia acreditar que você tinha feito aquilo, mas eu não sabia como agir e o que fazer. – confessou baixinho - Eu me envergonhei por não conseguir te ajudar naquele momento, então contratei o senhor Yohowan. – seu olhar desviou por um segundo e o fôlego me faltou - Quando eu soube que você estava com tanta raiva a ponto de não querer ouvir meu nome, pedi para que ele não contasse nada. – um nó se formou em minha garganta - Você não podia receber visitas, estava proibido! Eu quis levar Myunghan para te ver apesar de saber que não era um lugar adequado para levar nosso filho e mesmo assim eu não podia entrar! Eu tentei porra! Eu tentei. – sua voz falhou e as lágrimas que tentei segurar vieram a tona.

- Dois anos Chanyeol! – gritei avançando em sua direção – Por dois anos eu chorei toda maldita noite pedindo para você aparecer, implorando para sair daquele lugar, implorando pelo seu toque. – soquei seu peito em puro desespero - A única coisa que eu queria era abrir os olhos e vê que aquilo tudo foi um pesadelo, que eu acordaria em seus braços. – chorei sentindo meus braços doerem - Eu perdi dois anos do crescimento do me filho, cada sorriso e choro, seus acertos e erros, eu não estava aqui para protege-lo! Quem vai me devolver a porra desse tempo de volta? Quem? – grunhi ainda socando seu peito e ele segurou meus braços.

Olhei em seus olhos e vi apenas saudade e tristeza.

Chanyeol me abraçou forte e eu desmoronei em seus braços.

A vingança que tanto almejei seria injusta?

Chanyeol não me abandonou no momento que eu mais precisei?

- Baekhyun eu preciso que você se acalme! – Luhan praticamente implorou - Eu também estou puto e doido para enfiar uma bala na cabeça desse advogado, mas ainda preciso de informações – resmungou irritado - Agora vamos conversar Yohowan e o senhor vai me dá um bom motivo para deixa-lo vivo. – um sorriso psicótico cresceu em seus lábios e ele engatilhou a arma – E eu garanto, não vai ser fácil. – completou com os olhos brilhando em fúria contida.

Eu só queria entender que porra estava acontecendo.

Minha vingança estava ruindo aos poucos.

 


Notas Finais


Para os leitores novos que perguntaram Oi Oi Deekleyton, saky_mangekyo, Park_Thayla - Revenge tem 16 caps, 2 bonus e uma side HunHan =]

Primeiramente queria dizer que OhChanDerye adorei suas teorias e observações... Vou dizer que sua observação foi muito valida, maaaaaaaas não confie em ninguém o.o hhihihihi

BaekSooHunie, J-hoooooooooope, kaoriexotic, OhXiaohun, Fany_Fany, VMin95Baekyeol, cuttieminseok, Lenafitti, SweetKai, Tmoraes, SatK, Soorujinha, Safadamadrinha, mikkyss, Ariel02, unniecorn gratidão por vocês, obrigada pelos comentarios e apoio de sempre! Por não desistirem e esperarem, por estarem comigo! Obrigada ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...