História Revenge - Capítulo 36


Escrita por:

Postado
Categorias Caitlin Beadles, Candice Swanepoel, Chaz Somers, Christian Beadles, Flavia Pavanelli, Ian Somerhalder, Justin Bieber, Ryan Butler, Sam Claflin, Zayn Malik
Personagens Caitlin Beadles, Candice Swanepoel, Chaz Somers, Christian Beadles, Flavia Pavanelli, Ian Somerhalder, Justin Bieber, Personagens Originais, Ryan Butler, Zayn Malik
Tags Criminal, Gangster, Justin Bieber, Vingança
Visualizações 627
Palavras 4.400
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Tenham uma maravilhosa leituraaaa! <333

Capítulo 36 - Puzzle


Fanfic / Fanfiction Revenge - Capítulo 36 - Puzzle

- Layla Sharck Pov. –

- EXATAMENTE ISSO QUE VOCÊ OUVIU! – Caitlin gritou extasiada, eu ainda estava paralisada com a informação. – A vadia dormia com ele antes de sumir e toda aquela palhaçada, deve ser mais aberta que não sei o quê, senhor amado.... – Ela riu, tomando o gole final do seu café preto.

- A vadia é ainda mais vadia do que eu pensava! – Disse impressionada. – Como descobriu isso?!

- Liguei alguns pontos e também prensei o Chris, eles já foram bem amigos na época em que ela e Bieber estavam juntos e de tanto ele forçar a maldita confessou, mas disse que foi numa época em que Bieber também chifrou ela e tal, não duvido nada que a ariranha já tenha dado para o meu irmão também...

- Justin nunca trairia ela, vaca mentirosa! – Rosnei com ódio. - Bieber precisa saber disso, meu Deus Caitlin!

- Segura essa língua, Layla! – Cait rebateu, a olhei confusa. – Ele não precisa saber de mais nada dela agora, pense nele em primeiro lugar, a puta já fez ele sofrer demais. – Isso foi como um tapa na cara, realmente ela estava certa.

- Verdade... – Suspirei. – É terrível imaginar que aquela mulher pode mesmo ter uma filha com meu marido, e pior, a menina vai ser irmã dos meus filhos com ele! – Revirei os olhos. – Não que a coitada da garota tenha alguma culpa, mas de qualquer forma, não curto nenhum pouco da ideia daquela piranha frequentar a minha casa!

- Se ela aprontar contigo eu mato a filha da puta! – Caitlin rosnou, fui obrigada a rir. – Estou falando sério Layla, se a biscate oxigenada ficar á 30 passos de você, me avise!

- Relaxe, já dei uma surra nela e posso muito bem dar outra. – Disse simples e ela caiu na risada por uma meia hora. – Aquela ali vai evitar confronto físico comigo depois do estado que a deixei, pode apostar!

- Não sabia que a senhorita sabia brigar, pirralhinha...

- Pois é, nem eu! – Concordei com a cabeça à fazendo rir de novo. – Para você ver como a convivência com o Bieber deixa as pessoas!

- Nisso eu concordo. – Caitlin acrescentou.

E foi aí que uma ligeira ideia pairou na minha cabeça, merda! Como eu pude esquecer disso?!

Acho que é tanta coisa acontecendo junto que eu mal consigo raciocinar!

- Cait, preciso de ajuda. – Disse séria e ela prontamente me encarou. – Isso é sério, preciso mesmo saber se você sabe de algo...

- Ah Sharck, lá vem merda... – Ela bufou, rindo baixo.

- Se mentir para mim, nunca mais olho na tua cara! – A ameacei. – Preciso que você seja clara sobre uma coisa para mim...

- Fala logo!

- O que você sabe sobre um tal... “lance de troca”? – Perguntei na lata, Caitlin fez a careta mais engraçada do dia, com certeza.

- O que é isso?! – Ela arqueou a sobrancelha.

Bom, Cait parecia mesmo não estar entendo o que eu tinha perguntado, talvez ela realmente não soubesse...

- Tem certeza que não sabe? Sei lá...talvez.... Já ouviu o Chris falando sobre isso com alguém?!

- Não...que eu me lembre...acho. – Ela pareceu sincera. – Por quê?! O que está rolando?!

- Esse é o problema! Eu.não.sei! – Rebati. – E preciso que você descubra isso para mim amiga, sei lá! Investiga o Chris, leia qualquer papel que tenha a ver com o Justin e me conte tudo que descobrir, porque eu não sei como, nem quando, nem porquê, mas talvez Bieber esteja pensando em se matar.

Caitlin automaticamente cuspiu seu café a quilômetros, completamente sem reação.

- ME EXPLICA ESSA PORRA AGORA, LAYLA!

***

- Christian arrombado! Como não me contou uma desgraça dessas?! – Estávamos agora no carro dela, conversando com mais privacidade. – Meu Deus Layla…Que merda aquele imbecil do cacete tem na cabeça dele?!

- EU NÃO SEI, CARALHO! – Berrei quase chorando. – Eu não sei Caitlin, estou no escuro... E você sabe, se eu for perguntar isso direto para o Bieber...

- Ele vai te esganar, vai esganar o Dylan, me esganar, esganar o Chris, todo mundo, e não vai te contar nada nem que você o ameace de morte!

- Exato. – Respondi. – Ele é esquivo demais, filho da puta!

- Calma Lay, vou te ajudar. – Caitlin colocou sua mão sobre a minha. – Mas primeiro, tem que me prometer uma coisa...

- O quê?

- Tentar ser mais forte, com tudo. – Ela disse simples. – Infelizmente, quando você se mete com alguém como o Bieber, tem que lidar com as consequências.

- O que quer dizer? – Não estava entendendo onde ela queria chegar.

- Só prometa. – Caitlin estava mais séria, uma pose diferente, cheguei a me assustar.

- Tudo bem...prometo. – Disse baixo. – Só me ajude com isso e te devo uma para o resto da vida!

- Relaxa, amigas são para isso, vagabunda. – Ela me deu um tapa leve no braço, rindo em seguida.

Ouvi meu celular vibrar no bolso do jeans e encarei a tela, o que Pattie queria tão cedo?!

- É a Pattie... – Olhei para Caitlin, que franziu o cenho.

- Atenda! É a mãe do pau que você ama sentar! – Ela disse como se fosse algo normal, devo ter corado até os pés de tanta vergonha.

Caitlin não tem jeito mesmo!

- Oi...Pattie!

- Layla querida, como vai?

- Muito... bem! E você?

- Vou indo...e bom, indo direto ao assunto, queria saber se podia conversar com você hoje na parte da tarde, pode ser?

- Claro! Lá em casa?!

- Pode ser, então te vejo a tarde, beijos minha linda!

- Tchau...

Ué????

O que ela queria conversar de tão importante?

Caitlin pareceu ter lido meus pensamentos pela forma que me encarou, mas apenas deu de ombros, ligando seu carro em seguida.

- Não me surpreenderia se a lagartixa loira tivesse algo a ver com essa conversa aí não!

- Vira essa boca para lá Caitlin! Arrh! – Revirei os olhos.

 

***

- Oi Harry! – Dei um beijo estalado em sua bochecha, rindo. – O que faz aqui NO MEU QUARTO?!

Sim, ao entrar no MEU QUARTO avistei aquele ser alto de olhos verdes deitadão na minha cama, mega tranquilo! Como assim?!

Se Justin entra aqui no meu lugar, Harry provavelmente já não teria mais pênis!

- O que esse estrupício está fazendo aqui?! – Caitlin entrou logo atrás de mim, estranhando o fato do meu segurança estar deitado na minha cama.

- Queria conversar com a patroa, mas infelizmente com a sua indesejada presença não poderei conversar com ela. – Ele revirou os olhos, apenas o encarei.   

- Ignore ela, pode falar.... É algo sobre Justin? – Disse preocupada, Harry riu alto.

- Relaxe, não tem nada a ver com o idiota do seu marido.... Não é tão importante na verdade... – Ele desconversou, visivelmente desconfortável com a presença de Cait ali.

E FOI AÍ QUE EU NOTEI UMA COISA UM TANTO QUANTO... INTRIGANTE NO BRAÇO ESQUERDO DE HARRY, MAS QUE....CARALHOS?!

A não ser que eu esteja muito bêbada de café, eu juro que é a pulseira de prata do LIAM ali.... No braço do Harry?!

Liam ama essa pulseira ainda mais do que as gravatas borboletas dele! E eu lembro muito bem que a pulseira dele foi um presente da minha mãe! Não é algo que dá para encontrar por aí!

- Eu...conheço essa pulseira! – Apontei para o braço dele, Harry pareceu ter levado um tiro pela sua expressão facial, Deus não é isso mesmo, é?! – Onde conseguiu ela, Harry?

- Enfim, depois conversamos Layla! Tenha uma ótima tarde. – Ele já foi se levantando da cama todo nervoso e saiu voando do meu quarto em seguida.

Mas...o que?

- Isso que é intimidade com empregados hein pirralha?! – Caitlin me sacaneou rindo, entrando no meu banheiro em seguida.

Me sentei na cama pensando no que tinha acabado de acontecer...

Bom, Liam e Harry possivelmente se conheceram na minha festa de aniversário…Mas, como a pulseira do meu irmão foi parar no pulso do meu segurança?!

Ainda não sei, mas vou descobrir.

- Ah Deus, mais uma para a minha cabeça agora... – Grunhi estressada e me joguei naquela cama em seguida, sentindo o cheiro do Bieber naqueles lençóis.

Contratamos uma empregada há pouco tempo e é ÓBVIO QUE ELA NÃO CHEGA AOS PÉS DA MINHA MARRIE! Mas... ela parece legal! Não a vejo muito e também não temos aquela intimidade…Mas como eu percebi que NÃO NASCI para ser uma dona de casa, precisei de uma ajudinha, sabe?

- Senhorita Layla? – Escutei uma voz não estranha na porta, me virei para ela. – Tem uma garota lá embaixo querendo falar com você, Maddie o nome dela, algo assim...

- Ah sim, obrigada Julie... – A mulher sorriu simples, se retirando em seguida. – JÁ VOLTO CAITLIN! NÃO SAÍ DAÍ NÃO!

Corri do quarto antes que ela decifrasse minhas palavras e desci correndo como sempre as escadas, sinceramente não sei como ainda não tomei um lindo tombo por causa dessa mania idiota!

Avistei Maddie sentada no sofá e analisando a casa com os olhos que logo pararam em mim, a deixando corada em seguida.

Fui até ela e nos cumprimentamos rapidamente, pelo visto essa garota ficava sempre suja de grafites e tinta, gostava disso nela, era...autêntico?

- Como descobriu minha casa, senhorita stalker? – Disse rindo, Maddie deu de ombros.

- Precisava te entregar alguns papeis com os nossos cronogramas de dupla da universidade, gosto de ser bem organizada com essas coisas, aí falei com a secretária e ela me passou seu endereço que a propósito deve ser mais caro do que todo o meu bairro! – Ela analisou de novo minha sala, começando a rir.

- Engraçadinha você! - Revirei os olhos enquanto ela ria, nos sentamos no sofá e ela me entregou os tais papeis, os olhei rapidamente colocando ao meu lado no sofá. – Obrigada por ter vindo aqui trazer...

- QUEM É ELA?!

Ouvi aquela voz familiar e passos pesados pelas escadas, Caitlin ciumenta Beadles se aproximando...

- Caitlin... – Me levantei, apresentando rapidamente as duas. – Essa é a Maddie, minha dupla da universidade! E Maddie, essa é a.... – Cait me interrompeu com a mão, visivelmente desconfiada com a pobre garota.

- A MELHOR AMIGA DELA. – Caitlin sorriu falsamente para Maddie, que devolveu o “sorriso”.

Ah Deus...pronto.

- Então Layla, era só isso mesmo... – Madeleine pagou sua bolsa em cima do sofá e arrumou rapidamente os cabelos, ignorando a Caitlin claramente. – Te vejo hoje à noite? Acho que começaremos nosso primeiro projeto de verdade...

- Estou muito ansiosa! – Quase pulei de alegria, ela sorriu. – Obrigada mais uma vez Maddie, te vejo no campus?

- Isso. – Ela piscou, pedi que Julie a acompanhasse até a porta e me virei para a Caitlin, puta da cara.

- Normalmente o ciumento possessivo na minha vida é o Bieber! – Ela revirou os olhos.

- Não gostei daquela piranha! Quem ela pensa que é? – Dessa vez quem revirou os olhos fui eu, começando a rir logo depois. – Do que está rindo sua imbecil?!

- Ok, você precisa mesmo de um namorado chamado Ryan. – Pisquei para ela, correndo antes que a primeira almofada me acertasse.

 

***

Caitlin almoçou comigo e foi embora para tentar descobrir algo relevante para a nossa pesquisa para o tal “lance de troca”, já aproveitei para estudar algumas matérias da universidade, realmente não queria deixar que nada se acumulasse.

Abri meu celular para ver minhas mensagens e me deparei com isso:

- “Hoje vamos fazer um tour pelo quarto andar! Está a fim de ir ao necrotério? ”

Ri alto daquilo, odeio defuntos, literalmente falando.

- “Prefiro pessoas vivas, obrigada John”.

- “O que tem de bonita tem de chata! Vamos vai? Garanto que vai ser legal! ”

Travis tem mesmo um miolo a menos na cabeça, não é possível!

- Layla? – Escutei a doce voz da Pattie e quase dei um pulo da bancada, guardando meu celular no bolso e sorrindo para ela. – A nova empregada é um amor, nem vou contar isso a Marrie para não causar ciúmes!

- Marrie é ciumenta demais, por favor deixe isso em sigilo. – Rimos juntas, Pattie se sentou à minha frente me encarando com seus grandes olhos azuis. – Bom... Aconteceu algo Pattie?

- Sim... – Ela disse baixo, a encarei desconfiada.

- É algo entre você e Justin? Pois se for sinto muito, mas você conhece o idiota do seu filho Pattie! Ele provavelmente vai ignorar o que eu falar e....

- Layla, é sobre você e Justin!

Meu coração foi na boca e voltou umas 234 vezes com essa frase dela, Deus do céu!

- Como?! – Engasguei com minha própria saliva. – O que foi?!

- Querida, eu descobri...tudo. – Ela disse simples, mas podia sentir uma ponta de tristeza em sua voz. – Sei sobre o sequestro e todo o resto, e pode apostar que a surra que seu marido não levou na infância ele vai legar hoje quando eu encontrar ele!

Meu Deus, santo Pai amado, Jesus Cristo, anjos de luz por favor me expliquem o que está acontecendo aqui nessa cozinha.

- Pattie...não estou entendendo... – Disse baixo, sem forças até para descordar.

O QUE EU POSSO INVENTAR PARA ELA?!

- Layla, por favor não tente se justificar por nada, você é apenas a vítima. – Ela suspirou de frustração. – Justin foi longe demais, sequestrar uma adolescente e forçar você a fazer sabe-se lá o que com ele?! Não posso fechar meus olhos para mais isso! Pelo amor de Deus, você era só uma criança! – Ela colocou suas mãos na cabeça, já querendo chorar.

- Como você soube disso, Pattie? Foi a Marrie?! – Perguntei em alto e bom tom, sem entender.

Como ela soube disso assim? Tão do nada?!

- Isso não vem ao caso Layla, mas não, infelizmente não foi a Marrie e estou muito magoada com ela por isso! Esse absurdo acontecendo aqui e ela omitindo! – Merda, Pattie estava mesmo irritada para valer, podia ver em seus olhos.

Ah senhor, mais essa agora!

- Entenda Pattie, de certa forma...bom, sei que parece ridículo, mas eu não fui forçada a fazer praticamente nada com o seu filho, acredite! – Disse baixo. – Você sabe sobre meu pai?!

- Lionel Sharck?!

- Ele. – Respondi com pesar na voz. – Meu pai errou muito com Justin, e não que eu esteja defendendo as idiotices que o seu filho fez comigo até porque eu não sou uma louca, mas de um jeito bem estranho Justin me tirou de lá e me fez ver as coisas absurdas que aconteciam bem debaixo do tapete! E....sim! Eu amo o Bieber! Ele fez muitas cagadas, fez tudo errado para ser mais objetiva, mas eu sinto que de certa forma isso foi estranhamente bom para nós dois, amadurecemos e lidamos com as diferenças com isso.

- Minha filha! Olhe o que você diz! Como pode “amar” o seu próprio sequestrador?!

Eu concordo com ela, mas as pessoas precisam perceber que a nossa história não se resume só a esse começo torto e sem sentido, se resume a muito mais!

- Pattie, eu não vou embora porque não posso, não vou porque não quero.

- Deus...é pior do que ela havia me falado. – Pattie deixou essa frase escapar, se amaldiçoando por dentro ao observar minha reação. – Layla! Pelo amor de Deus! Saia daqui e siga a sua vida, volte para a sua família! Tem total poder para isso, garanto que Bieber nunca mais vai chegar nem perto de você se depender de mim!

- Porra, Pattie! SERÁ QUE DÁ PARAR ESCUTAR QUE EU AMO O SEU FILHO E ACHO QUE ESTOU ESPERANDO UM FILHO DELE?! SABE O PESO QUE ISSO TEM?! – Perdi minha paciência, me levantei de bancada e comecei a andar em círculos completamente nervosa! – E não! Ele não me estuprou, só para esclarecer...

- Senhor, como eu pude ter errado tanto com ele?! – Ela veio em minha direção, me abraçando com pesar. – E TUDO ISSO PARA SE VINGAR DO SEU PAI?! MEU DEUS! Não sei nem como expressar o que eu sinto com essa monstruosidade, Layla!

Vi lágrimas escorrerem por seu rosto, Pattie nunca esteve tão frágil como agora para mim.

- Você não errou, seu filho tem sim algumas qualidades!

Eu o defendi sem nem acreditar no que eu estava falando! Eu, eu mesma defendendo o cara que “destruiu minha vida perfeita”.

O idiota que entrou na minha vida sendo um psicopata agressivo que me prendeu aqui e me obrigou a casar com ele e todo o resto, e é óbvio que eu não quis isso! Foi sim errado como tudo isso começou, totalmente! Mas...

- Pattie, nesse tempo eu vi...vi como seu filho é frágil. – Me sentei no chão com ela, secando suas lágrimas. – Vi o enorme muro que ele construiu ao redor dele mesmo por causa daquela mulher e vi também o quão frio e errado ele se tornou, assim como senti na pele os resultados disso, mas a única arma que eu tinha era o amor que eu guardava para um cara que um dia me fizesse feliz e me completasse, pensei que não tivesse mais jeito e então me defendi dessa vingança dele com todo o amor que eu tinha, e deu no que deu, eu acho. – Eu sorri para ela, acariciando seus cabelos.

Bom, essa era a verdade, pelo menos para mim.

- Como eu não percebi isso?! Esse.... Tempo todo! Imagino como seus pais devem ter sofrido com isso, santo Deus.... – Ela passou a mão pelos próprios cabelos, completamente arrasada.

Não sabia mais o que falar, como agir, não sabia o que fazer, definitivamente.

- Pattie... – Encontrei seu rosto e a fiz olhar para mim. – Quem fez isso?! Te contou tudo dessa forma?!

OBVIAMENTE EU SABIA QUEM ERA A DESGRAÇADA…Mas eu precisava ouvir isso da boca dela, simplesmente precisava!

- Querida, não vale a pena...

- Pattie, fale. – Disse séria, a vendo desabar de uma vez.

Eu sabia como ela era sensível assim como a minha mãe de uma certa forma, acho que ela devia estar se colocando no lugar de mãe inclusive, para estar desse jeito.

- A....Ashley. – Me levantei rapidamente do chão, secando as poucas lágrimas que eu tinha.

- DE NOVO ESSA PUTA! EU NÃO ACREDITO! VAGABUNDA! – Dei um grito que até Julie que passava pela sala se assustou, sai andando feito uma louca pela casa, morta de raiva.

Por que?! Por que ela insiste em foder com tudo? Já não basta a surra que eu dei naquela cachorra?!

- Layla, você está grávida, por favor não faça nenhuma loucura... – Pattie veio andando atrás de mim pela casa, soltei uma risada baixa de tanto...tanto ódio!

 - Já surrei ela uma vez Pattie, mas não foi o suficiente, não é? – Ela me encarou sem saber o que fazer, podia ver a tristeza misturada com preocupação em seu olhar. – Está tudo bem, Julie vai te fazer companhia, já volto!

Não esperei que ela respondesse e já saí andando com o celular na mão para fora da casa atrás de Harry, logo o encontrei conversando com um dos seguranças e o puxei pela camiseta, ele me encarava como se eu estivesse maluca, e bom, eu estava mesmo!

- O que foi, caralho?! O que aconteceu com você?!

- Ashley, aquele verme! – Rosnei. – Ela foi fazer inferno para a Pattie, contou tudo, do sequestro, do meu pai, tudo Harry! Que inferno!

Rapidamente entramos em seu carro e ele bufou, me encarando por breves segundos.

- Tem certeza? Layla, você não está raciocinando direito... – O impedi com uma das mãos, irritada.

- Só dirige Harry, você deve saber onde ela mora! Você sempre sabe de tudo, vai logo, anda!

- Sim senhora. – Ele respondeu grosso, ele não podia me impedir, por mais que quisesse.

Rapidamente liguei para Justin, que me atendeu no segundo toque.

- Pirralha?! O que foi?!

Essa voz rouca dele me arrepia de uma forma...

- Amor, você não sabe o que a VADIA ARROMBADA daquela Ashley fez! Ela foi na casa da tua mãe hoje e soltou os cachorros, contou do sequestro, do meu pai, de tudo para ela! Pattie está arrasada! EU estou arrasada! PORRA BIEBER!

Falei tudo embolado de tanto nervosismo, ah...eu precisava socar aquela puta!

- Sharck, onde você está?!

- Por que?! Estou indo na casa daquela filha de uma vaca nesse momento, é lógico!

- Caralho pirralha, volta para a casa agora! QUEM ESTÁ TE LEVANDO PORRA?! SE FOR O HARRY AVISA QUE EU ARRANCO A ROLA DELE FORA SE ELE CONTINUAR TE OBEDECENDO!

- Não vou voltar para a casa coisa nenhuma! Você precisa tomar alguma atitude Justin! Estou cansando das suas esquivadas quando nós falamos dessa mulher!

- Layla, Ashley...não está em casa.

- E COMO VOCÊ SABE QUE NÃO?!

- Ela...está aqui porra, no casarão, os exames chegaram mais rápido do que a gente esperava.

- Tchau Justin.

Desliguei o telefone e arremessei com tudo no chão do carro, Harry me encarou assustado por alguns segundos, mas não disse nada, eu não acredito que ela está lá! Com ele! Meu deus do céu que ódio!

QUE ÓDIO DO BIEBER! IDIOTA, RIDICULO, BABACA!

Aquela puta teve coragem de ir lá? SÉRIO ISSO?!

Nem me avisou de nada como sempre, e ainda está lá fazendo sabe-se lá o que com aquela puta!

- Mas isso não vai ficar assim! NEM MORTA! – Encarei Harry, que me olhou como se já tivesse entendido o recado.

***

Harry praticamente voou até chegarmos ao casarão do Justin, desci do carro completamente louca de raiva e sai andando firme até a porta enorme, os caras armados me encaravam com um olhar malicioso que me daria náuseas se eu não estivesse tão possuída de ódio daqueles dois, Deus, me ajude a não matar Ashley de tanta porrada.

Eu sou contra a violência, mas que aquela cobra merece uma boa de uma surra, ah, ela merece.

Entrei na maior pose do mundo naquele lugar e já fui subindo as escadas, ignorei aquele monte de homens andando por lá e deixei que olhassem sem nem me importar, era incrível o fato de eu só ter estado aqui uma vez e já ter decorado os lugares, encontrei dois seguranças parados na porta do escritório de Bieber e assim que ambos me viram se entreolharam surpresos.

- Patroa? – O mais alto, cabelo raspado se virou para mim e perguntou.

- Bieber está aí, não está?! Saia da frente por favor. – O empurrei de leve a tentei abrir a porta, mas a mesma estava trancada.

- Foi mal patroa, mas é que temos ordens para não te deixar... – O interrompi, apontando o dedo na cara dele.

- Se não abrir vocês não vão mais ter empregos amanhã porque o IDIOTA DO JUSTIN VAI ESTAR MORTO! – Berrei irritada, ambos deram de ombros e se entreolharam mais uma vez, finalmente abrindo a maldita porta.

Saí entrando mesmo e senti meus pés congelarem ao me deparar com aquela cena horrível, Catherine estava lá com Ashley, ela estava no colo de Justin enquanto Ashley arrumava seus cabelos loiros ao lado do dois e sorria, aqui sim me deu náuseas, pareciam até uma...uma...

FAMÍLIA.

- Layla?! MAS QUE PUTA QUE PARIU! – Bieber deixou Cath no chão e atravessou voando a porta, morto de ódio. – EU NÃO MANDEI VOCÊS NÃO DEIXAREM ELA ENTRAR, CARALHO?! SÃO SURDOS OU O QUE SEUS ARROMBADOS?!

- Não grite com eles... – Disse tentando engolir o choro, Bieber me encarou vermelho. – Eles não têm culpa de você esconder as coisas de mim, seu imbecil.

- OLHA A PORRA DO JEITO QUE VOCÊ FALA COMIGO! – Ele me puxou pelo braço extremamente irritado. – Que porra você está fazendo aqui pirralha?! O que você tem na sua cabeça?!

- Infelizmente algo que você nunca vai entender. – Disse baixo e encarei Ashley que agora segurava Cath no colo e olhava nossa cena, a garotinha chorava acho que por contas dos gritos assustadores do Bieber. – Sua mãe foi na nossa casa justamente para me falar que era um absurdo eu estar com você! E ELA ESTÁ CERTA! Mas eu insisto em continuar tentando fazer isso dar certo, mas você não retribui! Não sei porque ainda tento. – Ri daquilo, era mesmo ridículo. – Você é um ingrato Justin.

- Pronto, lá vai você fazer drama de novo por PORRA NENHUMA!

Bieber veio em minha direção e me puxou pelo braço até a parte de fora do escritório, ainda pude ver Ashley sorrindo satisfeita com aquilo, vadia.

- Me larga! – Me soltei a força da mão dele. – Por que não vai lá ficar com aquela puta, hein?!

- Não aconteceu nada lá, pirralha. – Ele me encarou, dessa vez mais calmo. – Ela só veio aqui trazer os exames que chegaram na casa dela, apenas isso.

- E por que Ashley trouxe a Catherine?! – Rebati estressada. – Qual a necessidade dessa merda?!

- Layla, preciso que não surte agora, para variar um pouco.

- Não surtar?! OLHA AS MERDAS QUE VOCÊ FAZ! – Retruquei, Bieber se segurou para não me esganar e ficamos alguns segundos em silêncio, naquela situação horrível. – NÃO VAI FALAR NADA BIEBER?! SÉRIO?! QUAL É O SEU PROB...

- EU SOU PAI DA GAROTINHA, MAS QUE MERDA PIRRALHA! – Ele berrou contra meu rosto, acabando com tudo.

Eu não acredito nisso.

Não acredito.

É como se o chão se abrisse e me devorasse, a dor de ouvir aquilo me corroía por dentro de uma forma inexplicável, eu estava...sem ações.

- Pelo amor de Deus fala alguma coisa, porra. – Justin me balançou pelos ombros com um ligeiro olhar de tensão. – Layla não aja como se isso fosse o fim do mundo porque não é! Não é uma criança que vai atrapalhar a nossa vida ou algo do tipo, é só que... – O interrompi respirando fundo.

- Só...cala a boca. – O encarei, Bieber me olhou sem saber o que falar. – Eu não acredito nela! Quem garante que ela não falsificou?! Não tenho como saber! – Me afastei dele, rindo baixo.

- Pirralha, vamos conversar.  – Pela primeira vez nesses tempos o racional da conversa era ele, mas eu não ouviria nada do Justin, não agora. – Para de ficar assim...por favor.

Encarei aquela imensidão cor de mel e os olhos dele imploravam para que eu simplesmente agisse como sempre e ignorasse, tentasse ao menos fingir que aquilo não estava acontecendo.

Acontece que eu já estou me cansando de fechar meus olhos para isso, para essa merda toda.

Prometi a Caitlin que seria forte quando se trata de tudo que envolve Justin, mas esse é justamente o problema!

Eu não sou forte, e não sei se quero ser quanto a isso.

 


Notas Finais


Aí puta que pariu...

Beijinhoss e até o próximo cap! <333


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...