1. Spirit Fanfics >
  2. Revenge for Alexandria - CARL GRIMES >
  3. 35. Não precisa fazer sozinha

História Revenge for Alexandria - CARL GRIMES - Capítulo 37


Escrita por:


Capítulo 37 - 35. Não precisa fazer sozinha


Fanfic / Fanfiction Revenge for Alexandria - CARL GRIMES - Capítulo 37 - 35. Não precisa fazer sozinha

LIA MONROE

Acordei com um pouco de luz em meu rosto. Me sentei na cama e passei a mão pelo rosto, me lembrando do que aconteceu no dia anterior, e segurando as lágrimas nos meus olhos.

Me levantei, em silêncio para não acordar Enid, e fui para o banheiro. Tomei um banho relaxante e percebi que minha barriga já começava a aparecer. Fiquei alguns minutos debaixo da água, até sair e me trocar.

Desci as escadas e sai para o campo da comunidade, olhando o céu alaranjado, indicando o começo do dia. Perto do portão, alguns Salvadores estavam presos em um galinheiro. Fiquei encarando o local, até sentir a presença de alguém ao meu lado.

一 Como você está, garota? - Daryl perguntou, olhando para a mesma direção que eu.

一 Estou bem caipira... - virei o rosto para ele, que fez o mesmo, e abri um meio sorriso. 一 Porque estão ali? - me referi aos prisioneiros.

一 Jesus quis isso. Maggie disse que ainda vai decidir o que fazer com eles. - concordei e voltamos ao silêncio de antes. 一 Rick está preocupado com você. - ele disse por fim.

一 Não tem motivo para isso. - disse baixo.

一 Tem sim! - Daryl disse firme. 一 Você está grávida. Sabemos muito bem que quer ver o Negan morto, e que não vai parar até conseguir isso.

一 Ainda bem que vocês sabem disso, Daryl. - disse rindo um pouco. 一 Mas, não vou fazer isso sozinha, isso eu posso garantir a vocês. 

一 Que bom Lia... porque também não vamos deixar você sozinha. - ele me deu um beijo na cabeça e caminhou para o outro lado. 

(...)

Simon apareceu em Hilltop pela noite. Maggie conversava com ele, na varanda do casarão, através do rádio. Os prisioneiros estavam no acordo.

Estava escondida atrás de um carro, quando os tiros começaram. Alguns moradores caíram feridos do meu lado e eu comecei a atirar também. Consegui acertar alguns Salvadores e eles, depois de um tempo, começaram a evacuar o local. 

Na manhã seguinte do ataque, me sentei nas escadas do casarão e fiquei observando o movimento da comunidade.

一 Poderia falar com você por um instante? - Siddiq, o homem que Carl ajudou, parou ao meu lado. Concordei e ele se aproximou um pouco mais. 一 Não tive a oportunidade, mas eu sinto muito pelo o que aconteceu com você... 

一 Você não sabe a metade das merdas que já aconteceu comigo. - o cortei e dei uma risada sem humor.

一 Digo pelo Carl... - ele abaixou a cabeça e continuou. 一 Ele foi infectado enquanto me ajudava, então é minha culpa. Só queria que soubesse que peço perdão por isso. Quando descobri que você estava grávida eu me senti um monstro! Se ele não tivesse parado e me ajudado, talvez... 

一 Pare... - me levantei, e ele me olhou. 一 Não se culpe por algo que não fez. Os zumbis o mataram, não você. Carl quis te ajudar, porque tinha um bom coração. E mesmo não te achando, isso poderia ter acontecido de qualquer forma. - respirei fundo, tentando não chorar. 一 Sim ele morreu, mas isso não é sua culpa, por isso não tenho nada para o que te perdoar. Você está aqui, agora, conosco! E sei que vai se adaptar logo. - sorri sincera para ele.

一 Obrigado por isso, Lia. - ele sorriu de volta e eu apenas balancei a cabeça concordando. Siddiq saiu, me deixando sozinha outra vez.

"Bela vista, não acha?!" - olhei para meu lado, e vi a imagem de Jony ali.

O que? - fiquei surpresa e com lágrimas nos olhos. Ele apenas sorriu e se aproximou mais de mim.

"Achou que só a tia Alana tinha esse poder?" - ele disse divertido, fazendo eu rir também. 一 "Eu disse que não te deixaria sozinha nesse mundo de merda, Lia. Estou aqui para cumprimir minha promessa." - ele pegou na minha mão.

Como eu queria você aqui... - sussurei e as lágrimas, que até então eu segurava, caíram.

"E eu estou! Só que... de um modo diferente."

一 Eu vou matar ele, eu te prometo. - disse confiante e ele suspirou fundo.

"Tudo bem Lia. Mas, não precisa fazer isso sozinha. Você sabe não é?!" - concordei.一 "Ótimo! Até outro dia, maninha." - senti seu leve toque em meu ombro e logo sua imagem sumiu.

Apoiei o cotovelo na perna e coloquei a mão na boca, abafando meu choro que começou. Olhei para o sol se pondo no meio das árvores e chorei um pouco mais. Alguém se sentou ao meu lado e me puxou para um abraço de lado. 

一 O que aconteceu? - Enid perguntou, mas não saia do aperto para responde- lá.

一 O Jony... ele... - um soluço saiu da minha garganta. 一 Ele apareceu para mim.

一 E isso não é bom? - ela disse com entusiasmo na voz, claramente tentando me animar.

一 Sim... - me soltei e sorri. 一 Mas ele poderia estar aqui, de verdade. - disse um pouco triste.

一 Ele sempre vai estar aqui, Lia. - Enid disse, sorrindo. - Agora vamos dormir, hoje o dia foi cheio! 

(...)

AAAAHHHHH! - um grito no andar de baixo da casa fez com que eu e Enid acordassemos assustadas. 

一 O que foi isso? - perguntei a ela, já calçando meu coturno e pegando a arma.

一 Não sei, vamos lá ver o que está acontecendo. 

Descemos para a entrada e vimos alguns zumbis no chão e Rick ajudando algumas pessoas a saírem dali. 

Lia! Enid! - Daryl e Michonne correram em nossa direção, com Judy e Gracie em seus braços. 

一 Fiquem com elas, quando terminarmos, nós chamamos vocês. - assentimos para ele e pegamos as meninas. Ajeitei a mais velha no colo e comecei a subir de volta às escadas, com Enid atrás de mim.

Entramos no quarto e fechamos a porta. Colocamos elas na cama, já que voltaram a dormir, e ficamos com nossas armas apontadas para a porta. 

(...)

Alguns minutos se passarem e alguém bateu na porta. 

Sou eu, abram. - era Rick. Guardamos as armas e Enid abriu a porta. 一 Como vocês estão? - ele perguntou passando o olhar por nós e para as pequenas na cama.

一 Estamos bem Rick. - respondi. 一 O que aconteceu? 

一 Acredito que as armas que os Salvadores usaram para nos atacar estavam infectadas. As pessoas que foram atingidas durante o ataque morreram e voltaram, atacando as pessoas por perto. - ele respondeu e se colocou em sua típica postura de xerife.

一 Tudo está limpo agora? - Enid perguntou e o homem concordou. 一 Ótimo. Vamos colocá-las no quarto, não se preocupe. - ela se referiu às garotas. 

一 Podem descansar depois disso... - Rick abraçou Enid e depois se aproximou de mim. 一 Vamos cuidar do resto. - sorri em concordância e o mais velho deixou um beijo no topo da minha cabeça.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...