1. Spirit Fanfics >
  2. Reverse - Feelings - Adrinette >
  3. Questionamento

História Reverse - Feelings - Adrinette - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


desculpem a demora, EAD ta me tomando bastante tempo =/


boa leitura 💜

Capítulo 3 - Questionamento


Fanfic / Fanfiction Reverse - Feelings - Adrinette - Capítulo 3 - Questionamento






-- Não me diga que está bolando outro plano mirabolante para se declarar pra Adrienne... -- Tikki fala vendo o azulado concentrado, escrevendo alguma coisa em um papel. 



-- Dessa vez vai dar certo... -- Ele continua suas anotações. 


-- Não seria mais fácil você apenas dizer o que sente? Ao invés de ficar bolando esses "planos infalíveis"? -- Ela aconselha. 



-- Esse é o problema Tikki... eu não consigo falar pra ela... -- O mestiço abaixa o olhar. 


-- Você ajuda Paris todo dia... -- A pequena sorri. 


-- É mas... eu não ajudo Paris sozinho... -- O garoto pensa em algo. -- Tikki você é um gênio! -- Ele sorri, e ela retribue. 



-- Posso perguntar para a LadyNoir em como ela faz pra ficar gritando no meio da rua que me ama! -- O rapaz levanta e começa a andar de um lado para o outro.



-- Só preciso de uma oportunidade de falar com ela... e é melhor que seja como Mario, pra ela não ficar magoada... 



-- Agora sim vai dar certo... -- A criatura avermelhada sorri. 











                  °~•( ' - ' )•~° 










-- Ai que fofo! -- A loira diz vendo as fotos do super-herói. 



Seu kwami apenas revira os olhos e bufa, mudando de canal. 



-- Seu LINDO! 


-- Você quer parar com isso?! É estranho. -- Plagg volta a ver TV. 


-- Foi mal... -- Ela solta um risinho, voltando a ver fotos e vídeos do garoto. -- 1, 2, 3, 4... 


-- Mas o que é que você tá fazendo?! -- Plagg pergunta impaciente. 


-- Tô contando quantos gominhos o tanquinho dele têm... 


-- Depois eu quem sou o pervertido... -- O kwami é interrompido por batidas na porta. 



-- Adrienne? Está praticando piano? -- A voz de Natalie soa por detrás da porta. 



A loira então começa a entrar em desespero, e logo desliga o computador, enquanto Plagg pulava sobre o piano, para parecer que ela realmente estava tocando. 



-- O-oi Natalie, é-é... eu tô praticando aqui sim... -- A garota se senta no banquinho em frente ao piano, começando a tocar suavemente. 



Assim que eles escutam o barulho de passos se distânciando, Adrienne dá um suspiro de puro alívio. 



Porém, assim que se levanta, toma um susto ao ouvir um raio nos telhados próximos. 



-- Mas esse velho com pedras no rim não tem nada melhor pra fazer não?! -- Plagg olha em direção aos telhados. 



-- Pelo visto não... -- A loira suspira. -- Plagg, mostrar as garras! 












                     °~•( ' - ' )•~° 











O azulado apoia as mãos nos joelhos, recuperando o fôlego, depois de purificar o akuma. 



-- Estava distraído hoje, My Lord. -- A gatuna se aproxima dele. 


-- É que eu tava pensando... numas parada' ae... -- O herói se endireita. -- Hoje é a sua noite de patrulha, né? -- A loira assente. -- Ótimo. É... você pode vigiar lá pra perto da padaria dos Dupain-Cheng? 



-- Hum? Posso, mas... porquê? 


-- A-ah é que... eu vi o filho deles meio estressado esses dias e tals... -- O garoto coça seus fios azulados. 



"O Mario anda estressado...?" Pensa a menina, preocupada. 


-- Bom era só isso mesmo. Tchau. -- Ele se prepara para ir embora. 


-- Vai embora assim, mesmo? -- Ela cruza os braços, quebrando a cintura para o lado. 


-- Assim como? 


-- Não vai nem me dar um beijinho? -- Diz em um tom de brincadeira, sorrindo em seguida.



O azulado revira os olhos sorrindo de lado, se aproximando da gatuna. 



Ele então aperta seu rosto, ocasionando ela fazer um leve biquinho, beijando sua bochecha, deixando a garota corada. 



-- Até mais, gatinha. -- O herói acena para ela, logo saindo pelos prédios. 



A menina segue o azulado com o olhar, logo abrindo um sorriso de orelha à orelha, dando pulinhos de felicidade enquanto tocava sua bochecha. 



O garoto então chega em seu quarto, se destransformando, e logo abre um pacote de cookies, dando-o para sua kwami. 



-- Brigada'. -- A pequena morde um dos cookies. 


-- De nada, Tikki. -- O mestiço dá um beijo na cabeça da kwami, que solta um risinho. 



Ele então senta na escrivaninha, liga o computador e a tela de fundo com várias fotos de sua amada modelo aparece. 



-- Deu um beijo na LadyNoir... -- Tikki comenta, dando outra mordida no biscoito. 


-- Sim...? -- O garoto pede continuação. 


-- Não acha que está dando falsas esperanças pra ela? 


-- Nada ver' Tikki. Foi só... um beijinho entre amigos. 


-- Pra você deve ter sido só um beijinho, mas eu aposto que significou bem mais pra ela... -- Diz vendo o garoto abaixar a cabeça. 



Tikki estava certa. Acabou fazendo por impulso... Estava se achando um completo babaca egoísta. A última coisa que queria era machucar sua amiga...



-- Droga... por quê você sempre está certa? -- Ele sorri levemente e a pequena retribue. 



-- Eu carrego mais de 5 mil anos nas costas, meu anjo. -- Ela sorri convencida, uma cena muito rara de se ver. 



O mestiço ri da criatura avermelhada, que acaba por dar risadas junto com ele. 











                    °~•( ' - ' )•~° 











O franco-chinês já havia tomado banho, estava com sua regata branca e sua calça moletom, vendo vídeos no youtube. 



Logo ele e Tikki começam a rir, enquanto comiam cookies. 



-- Oi, vírgula, cença. -- O azulado repete, rindo. 


-- Ai mas esse tio "oroqui"... -- A pequena diz entre risos. 



Por algum motivo, a pequena olha pela janela, vendo uma certa gatuna sentada em telhados próximos. 



-- Mario! -- O mestiço a olha. -- Olha lá, ela já tá ali! -- A kwami aponta, e ele logo olha para a janela. 



-- Ok... eu vou lá na varanda... -- O garoto se levanta, e sua kwami se esconde em suas vestes. 



O franco-chinês chega na varanda, fechando o alçapão, e logo uma brisa o atinge, fazendo-o se arrepiar. 



Ele então se inclina na grade, e começa a observar o céu estrelado. 



A loira, observar as casas, nota o mestiço olhando o céu, então um sorriso se instala em seu rosto, e ela vai até ele, sem ser percebida. 



-- O que um príncipe tão bonito faz sozinho à essa hora? -- A gatuna abre um sorriso, vendo ele se assustar. 



-- Misericórdia, garota. -- Ele põe a mão no peito. 


-- Hm... não sabia que minha beleza era tão chocante... -- Ela arranca risadas dele. 


-- Ai coitada... -- O azulado provoca baixinho, logo recebendo um tapa no ombro. 


-- Vai mesmo debochar de mim, Dupain-Cheng? -- A loira sorri provocando. Ela sabia que ele odiava ser chamado pelo sobrenome. 


-- Eu não, pô... -- Sorri. 



Os dois logo começam a conversar sobre assuntos aleatórios, rindo enquanto viam as estrelas. 



De vez em quando, a menina até se repreendia mentalmente por algumas olhadas bobas que acabava dando no corpo do amigo. 



Mario ao reconhecer uma oportunidade, chegou ao seu objetivo inicial. 



-- LadyNoir... -- Ela o olha. -- Como... você consegue...? 


-- Consigo o que? -- A gatuna faz uma cara confusa. 


-- Falar que ama o Mr.Bug toda hora... como você consegue, sabe... se declarar? -- Ele volta a olhar as estrelas. 



A menor entra em choque com aquela pergunta. Nem ela mesma sabia como conseguia. Fora que ninguém nunca perguntou sobre isso, ninguém nunca se importou com esse lado. 



-- Ah eu... não sei... porquê? 



O que mais a intrigava não era nem a pergunta, e sim a intenção por trás dela. Estaria seu amigo... apaixonado? 



-- Ah é que eu... só queria saber como... me declarar... 


-- Você... tá apaixonado...? -- A heroína não conseguia tirar os olhos do azulado. 


-- Tô... -- Ele diz sem parar de olhar para o céu. 



A garota estava sem reação. Como assim seu melhor amigo estava gostando de alguém e nem lhe contou? 



"Será que ele tá bravo comigo...?" Pensa a loira. 



-- Saiba que está perguntando para a pessoa errada... -- Ela sorri voltando à olhar o céu. 


-- Por quê? -- Pergunta confuso. LadyNoir era a pessoa mais "galanteadora" que o azulado conhecia. 



-- Porque eu uso o humor pra ganhar os meus dates... e é por isso que eu não tenho nenhum. -- Conclui em um tom engraçado, enquanto o mestiço ria. 



-- Só pra você ter uma ideia, quando você me ver saindo com alguém, se prepara porquê o mundo vai estar acabando. -- Ela arranca ainda mais risadas do franco-chinês. 



-- E eu então? Eu sofro com essa minha cara de bolacha... -- O azulado diz arrancando boas risadas da heroína. 



-- Tipo aquele garoto do comercial de trakinas, comeu e a cara não voltou ao normal... -- A heroína diz entre risos, fazendo o garoto quase cair de tanto rir. 



-- Aí já não precisa ofender... 



Até Tikki já estava com dor de barriga de tanto rir baixinho, escondida nas vestes do portador. 



-- O pior é que eu comia trakinas mesmo quando eu era pequeno... -- O garoto conclui enquanto a gatuna colocava a mão na barriga, que já estava começando a doer. 



-- Ai socorro... -- Ela diz entre risos. Nem estava mais em cima da grade. 


-- Conversa de idiota, né? -- O azulado volta a ver as estrelas. 


-- Eu fico imaginando seus vizinhos querendo dormir... -- A loira limpa uma lágrima, já parando de rir. 



A mesma pega seu bastão, e toma um susto ao ver as horas. 



-- Nossa, minha patrulha já acabou à meia-hora atrás... 


-- Ai para, assim eu até me sinto especial... -- Ele fala fingindo colocar o cabelo atrás da orelha, fazendo a menor rir. 



-- Boa noite, príncipe. -- Ela lhe dá um beijo na bochecha, fazendo o garoto corar um pouco. 


-- Boa noite. -- O azulado sorri, e ela logo vai embora, pulando pelos telhados. 



Ele então volta para o quarto, enquanto sua kwami sorria. Ela sabia que o destino sempre uniria esses dois, com ou sem máscara. 








Notas Finais


moral da história: não coma trakinas =) mentira, trakinas é bom. ✊

desculpem qualquer erineo.

até o próximo capítulo. 💅


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...