1. Spirit Fanfics >
  2. Reverse Falls o verão que mudou a minha vida >
  3. Manhã depois da bebedeira

História Reverse Falls o verão que mudou a minha vida - Capítulo 120


Escrita por:


Notas do Autor


O proximo em breve, cometem.

Capítulo 120 - Manhã depois da bebedeira


*Pov Pacifica*

Acordo ouvindo o som de agua, me mexo meio desconfortável no meu banco me espreguiçando, acordando. Gemo de dor levando uma mão ate a minha nuca. Ai... Dormi no banco do passageiro de um carro da uma torcicolo do caralho. Levo a minha outra mão ate a porta tateando, enquanto esfrego a minha nuca. Abro a porta e saio. Fora do carro mexo o pescoço de um lado pro outro e me espreguiço de novo, bocejando, me olho. O Dipper deve ter me vestido antes de sair, alias, cadê ele?

Olho em volta reconhecendo esse lugar, claro, nossa cachoeira, já faz um tempo... Sigo o barulho da agua e começo a andar em direção a cachoeira, descalço. Passo por entre algumas arvores finalmente chegando na cachoeira, sinto a grama nos meus pés e vejo a linda queda d’agua ao meu lado, logo abaixo de mim, as aguas agitadas. Caminho ate uma pedra e me encosto nela, vendo o Dipper boiando na agua abaixo de mim, sorrio abertamente, como ele é lindo! Esta nadando em toda a sua gloria, nas aguas ate agitadas dessa cachoeira como se não fosse nada, de boxer. Ele ainda não me percebeu aqui, ta de olhos fechados, boca entre aberta, lábios rosinhas, que vontade de morder!

Assobio pra ele e o vejo franze as sobrancelhas, ele abre os olhos e me ver. O Dipper sorri deixando de boiar.

_ ( Faço sinal com a mão a chamando ) Vem, entra... ( Dipper )

Sorrio pra ele e olho pra baixo vendo a agua, me afasto um pouco da pedra e volto correndo pulando na agua. Sinto a agua me vitaminar, me acordando. Emerjo de novo pertinho dele e abro os olhos o vendo sorri pra mim, ele nada ate mim e me segura pela cintura me beijando, eu passo os braços no seu pescoço. O beijo apaixonadamente, nem percebendo ele aperta a minha cintura um pouco mais forte e afundar comigo. Eu teria soltado um gritinho de surpresa se não o estivesse beijando ainda, mais fiquei surpresa. Ele ri durante o beijo debaixo d’agua e a gente sobe de novo.

_ ( Rio alto ) Que susto Dipper ( o dou um tapinha no ombro enquanto ele ri também ) me pegou de surpresa ( Pacifica )

_ ( Rio alto também e a abraço mais forte, passando suas pernas na minha cintura ) Bom dia meu anjinho ( falo sessando os risos e tirando uma mexa rebelde de seu cabelo da frente dos seus olhos ) como foi a noite? ( Dipper )

_ Boa, porque eu estava com você. Mas to com torcicolo ( falo fazendo um biquinho e rindo, ele ri também. Encosto meu rosto no seu pescoço, a gente fica assim por um tempo ) ...Hmm isso é bom... ( Pacifica )

_ O que? Acorda comigo? ( falo zombeteiro ) ( Dipper )

_ A isso sempre né ( rio e tiro meu rosto do seu pescoço ) mais também acorda todas as manhãs e poder ir pra agua, nadar... ( Pacifica )

_ Você pode, sabe quanta piscinas tem na mansão?! Dentro e fora?! ( Pacifica )

_ Fora uma, enooooormee, dentro umas cinco, mais sei la... Ainda não me sinto tão em casa na mansão assim... ( Pacifica )

_ Por quê? ( Dipper )

_ Sei la... Ainda é difícil, morar la, aceitar que o Ford é meu pai, ate esse carro. Não é com o Ford, eu adoro ele, é so que... Eu fui criada de outro jeito... ( falo brincando com a pele branca de seu ombro ) ( Pacifica )

_ Eu sei, eu entendo, mais eu também fui... Acabei me acostumando... ( Dipper )

_ É eu sei mais... Sei la, também tem o Stan, e eu acho que nunca vou me sentir confortável andando por ai de biquíni e molhada com aquele velho pinguço pela casa... ( Pacifica )

_ Ele já tentou alguma coisa? ( pergunto engrossando a voz, de repente preocupado e furioso ) ( Dipper )

_ Não Dipper... Se tentasse também eu castrava ele... ( ele sorri, parecendo aliviado e divertido ) E além disso, o verão não ta tão longe do fim ( vejo sua cara torcer em uma expressão de desgosto e ele desvia o olhar ) um mês Dipper... E ai, eu termino o ano e vou pra uma faculdade ( falo me espreguiçando de novo, ainda to meio dormindo ) ( Pacifica )

_ Já se decidiu em qual? ( Dipper )

_ Mandei inscrição pra ver se me aceitavam em três ate agora? ( Pacifica )

_ E...? ( Dipper )

_ Ate agora não me disseram nada ( Pacifica )

_ Hmm foi, Yale, Princeton, e Harvard ( Dipper )

_ É... To esperando pra ver qual vai me aceitar ( Pacifica )

_ Não gosto de pensar no fim do verão... ( Dipper )

_ É nem eu... Mas tenho que pensar, eu e meu pai, falamos sobre isso o ano todo... ( Pacifica )

_ Nós vamos ficar juntos... Não se preocupe... Quando você for aceita em uma das melhores faculdades do pais eu vou me inscrever logo atrás e vou com você, porque você com certeza vai ser aceita ( Dipper )

_ Eu espero ( Pacifica )

_ Quem seria louco de não aceitar você? ( ela sorri e eu a beijo, logo depois de colocar mais uma mecha de seu cabelo atrás da sua orelha ) ( Dipper )

Quebra de tempo { x }

Depois do belíssimo bom dia na cachoeira voltamos pra a cabana do mistério, so pra ver como meu primo esta, e se meu tio não bebeu de novo. Dessa vez é o Dipper quem ta dirigindo, o carro é meu mais se ele gosta... E eu também dirijo o dele... Ele para na frente da varanda.

Se vira pra mim.

_ O que viemos mesmo fazer aqui? ( Dipper )

_ Viemos so conferir se meu tio voltou a beber e se meu primo não chamou os “amigos” dele ( falo dado mais créditos as aspas. O dou um beijo no rosto ) pode me esperar aqui se quiser ( Pacifica )

_ Ah por favor ( ela ri e abre a porta saindo do carro ) se precisar de mim me chama gata ( Dipper )

_ Ok ( Pacifica )

Falo pra ele sem o olhar enquanto subo os degraus da varanda.

Entro na casa e solto a maçaneta.

_ Gideon, tio Bud...? Cadê vocês? ( pergunto entrando na casa e olhando em volta ) Gideon ( Pacifica )

_ Paci... Oi to aqui ( Gideon )

Me assusto e levo a mão ao peito, olho pra a cozinha onde ele esta sentado no balcão.

_ Oi Gid ( vou em sua direção ) cadê o tio? Ele bebeu de novo? ( Pacifica )

_ Não, depois que você saiu ele quebrou uma ou duas coisas na sala e foi dormi, ta dormindo ate agora ( Gideon )

_ O que ta acontecendo com ele? ( me sento do seu lado no balcão ) A ultima vez que ele perdeu o controle desse jeito ele tinha acabado de perde a tia Amélia... ( Pacifica )

_ Eu sei, foram tempos difíceis... Se não fosse a tia Priscila e o tio Preston ele teriam nos deixado morrer, ele tava perdendo tudo pra bebida e em jogos, não tinha mais nem comida em casa, saia cedo todo dia e voltava tarde toda noite, já passou ate três dias sem da as caras, as vezes eu tinha que sair pra caçar ele. Vocês me salvaram P... Eu passei seis meses morando com vocês... ( Gideon )

_ Faríamos de novo primo ( bato nas suas costas de leve ) mais eu to preocupada... O que, o que aconteceu? ( o olho ) ( Pacifica )

_ Eu não sei, ele começou a ficar estranho a algumas semanas... Ele não quer dizer o que ouve, ele não quer dizer nada ( Gideon )

_ ( Suspiro ) Ta eu... Eu vou tentar falar com ele de novo... Que merda mais essa agora...To mo nervosa... ( Pacifica )

_ Porque? Que ouve? ( Gideon )

_ Faculdade... ( Pacifica )

_ Já mandou a inscrição? ( a olho ) ( Gideon )

_ Mandei pra três faculdades, mais ainda não disseram nada, nenhuma... ( Pacifica )

_ Demora um pouco ( dou de ombros ) ( Gideon )

_ É mais to com medo de não ser aceita ( Pacifica )

_ Pacifica prima, você é a gatinha mais inteligente que eu conheço, é impossível alguma faculdade não te aceitar, e você mandou a inscrição pra três, não ficaria surpreso se as três faculdades te aceitarem... ( Gideon )

_ Valeu ( falo ainda cabisbaixa mais solto um fraco sorriso ) mais eai ( o olho ) já tomou café? ( Pacifica )

_ Não ( Gideon )

_ Não ta com fome? ( Pacifica )

_ To... Mais a comida acabou a uma semana, ele não fez as compras, e como ele não ta abrindo a lojinha o dinheiro não ta entrando... ( Gideon )

_ Serio isso? Ele ta deixando vocês passarem fome?! ( Pacifica )

_ Esta... ( Gideon )

_ Gideon você sabe abrir a lojinha, vê ele fazendo isso desde a infância, porque não abriu? Claro, preferiu ficar bebendo com os seus “amigos” ( Pacifica )

_ Ai qual é? Você ta naqueles dias? ( Gideon )

_ Porque acha que eu to chegando da rua com a mesma roupa de ontem depois de falar que eu dormiria aqui, por falar nisso, o Dipper ta no carro ( Pacifica )

_ Eca! ( Gideon )

_ O ( suspiro ) Olha so, eu... Eu realmente não sei, como resolver isso, eu não, não tenho ideia. Então eu vou, vou pedir ajudar... Vai se vesti ( desço do balcão ) vou te levar pra tomar café ( ele me olha meio surpreso ) anda, vai logo ( Pacifica )

Ele sorri e desce correndo do balcão em direção ao seu quarto no andar de cima.

Pego meu celular no meu bolso e desbloqueio indo atrás do contato da minha mãe...

***

_ Falou com a tia Priscila? ( Gideon )

Agora estamos no meu carro, na cidade, a caminho de alguma cafeteria. O Dipper ta dirigindo com uma carranca, ele não queria levar o Gid pra passear como ele disse, esses dois se detestam fazer o que? Eu to no banco do passageiro e o Gid no banco de trás.

_ Falei Gid... ( Pacifica )

_ E...? ( Gideon )

_ E... Ela vai passar hoje lá... Acho melhor volta mais tarde hoje, de tempo pra eles conversarem ( Pacifica )

_ Ok, vou da uma passada na casa da minha namorada ( Gideon )

_ Ainda estão juntos? Você e a menina por qual trocou a minha irma? ( Dipper )

_ Sem ressentimentos? ( Gideon )

_ Sinceramente nem você nem o Will são meu sonho de cunhado mais eu prefiro ele ( falo com um sorriso maldoso ) ( Dipper )

O Gid rosna e eu rio. Paramos em uma calçada.

_ Ok pirralho desce, ou você precisa que a sua prima coloque a comida na boquinha pra você também? ( Dipper )

_ O que ta tentando insinuar? ( Gideon )

_ A carapuça não serviu? Ta, a Pacifica tem que larga tudo e ir ser sua baba e do seu pai sempre que você faz merda ou tem problemas ( me viro pra o banco de trás pra vê-lo ) ( Dipper )

_ Chega vocês dois ( me viro pra o banco de trás ) antes que isso extrapole. Gid, desce e toma isso ( falo pegando minha carteira na minha bolsa nos meus pés ) ( Pacifica )

_ Que isso? ( Gideon )

_ Dinheiro, seu burro. Pacifica quê que isso? ( Dipper )

_ Eles tão sem dinheiro, e sem comida. Isso é so uma ajuda ( Pacifica )

_ Você ta brincando?! Vai da o seu dinheiro pra ele?! Serio?! ( pergunto irritado ) ( Dipper )

_ Dipper é a minha família ( falo calma ) ( Pacifica )

_ É o seu dinheiro! ( Dipper )

_ Dipper! ( Pacifica )

_ Esse cara so te da problemas, e você cuida dele como se fosse uma criança, não cansa não?! Ele é seu primo de 16 anos não sua responsabilidade de seis! E além do mais, ainda não esqueci que esse infeliz se juntou com o seu ex e a minha ex vadia pra tentar nos separar gatinha ( falo bravo ) ( Dipper )

_ Dipper é... ( Pacifica )

Ele não me deixa termina, abre a porta e sai bufando a batendo com força. Suspiro.

_ Aceita essa bosta, e eu vou falar com ele ( Pacifica )

Ele pega com um olhar como se dissesse “desculpa” e sai. Eu saio logo em seguida e vejo o Dipper já do outro lado da rua, entrando num bar. O sigo...

_ Dipper espera ( Pacifica )

Ele me ignora completamente entrando no bar, apesar de eu já esta nas suas costas.

_ Amor... ( interrompida ) ( Pacifica )

_ Não, não, sem amor. Eu sei que ele é seu primo e tals mais pelo amor, você cuida desse estorvo melhor do que o pai dele, desse jeito ele vai pensar que qualquer merda que ele fizer você vai limpar sempre, e sempre que ele te fizer algo você vai perdoar de boa, o que não ta sendo mentira. Deixa ele se virar pelo menos uma vez, ele já tem 16 anos, sabe como abrir e fazer funcionar a lojinha, não vai matar se ele trabalhar um pouco! ( Dipper )

_ Ta bom e o tio? E a comida? ( Pacifica )

_ Dinheiro da lojinha comida, e o Bud é pai dele, ele cuida, os dois não fariam metade do que você faz por eles por você! ( Dipper )

_ Dip... ( paro abruptamente quando viro a cabeça e vejo deitados em uma mesa encostada na parede o Ford e a... Professora do Dipper? ) É... O Ford e a sua professora ali? ( falo olhando e apontando com o indicador ) ( Pacifica 0

_ O que...? ( olho na direção ) Tio Ford e Jó? O que ele ta fazendo aqui com a megera? ( Dipper )

_ Dipper não fala assim ( Pacifica )

_ Porque? Ela é uma megera ( falo ainda os encarando ) ( Dipper )

_ ( Reviro os olhos e balanço a cabeça em sinal de negação. Vou ate o bar ) O barman, aqueles dois ali tão aqui a quanto tempo? ( Pacifica )

_ ( Os olho ) Desde ontem, viraram a noite aqui. Beberam e conversaram ate dormi ( Barman )

_ Obrigada ( ele volta ao seu trabalho e eu me viro pro Dipper ) An... ( Pacifica )

_ Vamos levar ele pra casa ( Dipper )

_ E a professora? Sabe onde ela mora? ( Pacifica )

_ Não tem espaço no carro ( Dipper )

_ Dipper!!! ( Pacifica )

_ TA, a gente chama um taxi, agora vamos acorda-los ( Dipper )

Ele passa por mim em direção a eles, TA! Mais essa conversa ainda não acabou... Eu vou logo atrás.

_ Consegue tirar a ressaca deles? ( Pacifica )

_ Se o barman tiver certo e eles tiverem bebido tanto, consigo aliviar. Ai, Ford, acorda ( sem sucesso, esse aqui ta no decimo quinto sono, e a outra não é diferente. Levo minhas mãos ate a testa deles e logo o lugar onde elas estão fica azul ) ( Dipper )

O Dipper coloca a palma na testa deles e em segundos os dois desertam num pulo, literalmente, me assustando, mais o Dipper permanece intacto. Ele se endireita pois estava inclinado sobre o banco pra ficar sobre eles. Os dois estão ofegantes, como se tivessem levado um banho de agua fria logo cedinho.

_ Ford?... Você ta legal? ( Dipper )

_ Eu... É... ( Ford )

Olho a mulher, parece tão perdida quanto ele. Meus olhos caem no Dipper e ergo as sobrancelhas.

_ An... ( Pacifica )

_ Vou leva-los pra o banheiro ( falo pegando o Ford pelos ombros e braços e o levantando sem ele ter tempo de entender o que ta acontecendo ) ( Dipper )

_ Ela também? ( Pacifica )

_ Pra não dizer que eu nunca fiz nada por ela... ( falo o levando pra o banheiro com ele tropeçando e querendo cair toda hora ) Mas primeiro ele ( Dipper )

_ Mais não pode entrar no banheiro das meninas, nem ela no dos homens ( Pacifica )

_ Agora pode, avisa o barman e pede alguma agua, eles vão precisar ( Dipper )

_ Disso e de remédios! ( Pacifica )

_ É mais isso fica pra depois ( abro a porta do banheiro com um baque e nos entramos ) ( Dipper )

_ O que? É... ( começo a rir ) ( Jó )

_ Calma senhorita Parker, daqui a pouco as coisas vão começar a fazer mais sentido, eu espero ( falo me sentando do lado dela e segurando seus ombros ) ( Pacifica )

***

Algum tempo depois ainda estamos aqui, no bar. Agora o Dipper ta cuidando da senhorita Jó, fazendo ela vomitar todo o álcool que bebeu no banheiro, que nem fez com o Ford.

_ Obrigada ( Pacifica )

Agradeço ao barman e pego a garrafa d’agua que ele me entrega voltando pra mesa. O Ford já esta sentado com uma dor de cabeça monstro na mesa, e a cabeça entre as mãos, ele não esta mais bêbado mais com uma ressaca do inferno, dependendo do tanto de álcool que o individuo ingeriu o Dipper pode ate tirar a bebedeira, mais não a ressaca. Jogo a garrafa no banco ao seu lado.

_ A noite foi boa Ford? ( falo travessa passando a língua nos dentes ) ( Pacifica )

_ ( Pego a garrafa e a abro a levando a boca ) Foi, mais o dia começou péssimo ( Ford )

_ Bom é o efeito de dormi num bar ( falo ainda travessa e sorrio, ele me olha ) a qual é, não fique mal humorado ( falo indo ate o banco e me jogando do seu lado ) a verdade é que... Eu estou contente, feliz por você... ( Pacifica )

_ Por quê? ( a olho confuso ) ( Ford )

_ Por que você saiu!! E isso é motivo suficiente, Ford, você nunca sai da sua toca, do porão! É a primeira vez que você esta saindo, saindo assim, pra se diverti, pra beber, fazer amizades, conhecer gente nova, depois de tanto eu falar e insistir, já estava quase desistindo, e eu to feliz por você! Eu to orgulhosa... Então, encontrou a senhora professora aqui ou...? ( Pacifica )

_ Sim, sim, eu não sei o que deu em mim ontem, mais de onze horas da noite e eu decidi beber um whisky na rua invés de beber em casa. Encontrei ela aqui, corrigindo provas de cursos de verão invés de fazer isso em casa. A gente começou a conversar... Quando dei por mim já estava vendo dobrado... ( rio ) Ta não foi... Uma experiência ruim... ( Ford )

_ É claro que não, Ford você não é uma múmia, esse é um mundo novo e você recebeu uma segunda chance. E eu adoraria se aproveitasse... ( Pacifica )

O olho e ele me olha também, com carinho, dou um sorriso contido então ouvimos um baque na porta do banheiro ao nosso lado. Olhamos pra ela e vemos o Dipper passar com a senhorita Parker apoiada em seus ombros, a mulher mal consegue andar, se ele não tivesse carregando ela, provavelmente estaria no chão! Ela parece... Péssima...

_ Anjinho o que você fez com ela? ( pergunto me levantando e indo ate ele ) ( Pacifica )

_ Fiz ela vomitar o bar inteiro, igual o Ford. Não sei exatamente quando ela chegou, pode ate ter bebido mais que ele, aparentemente ela não reagiu bem a minha maneira de tirar a ressaca ( dou um sorriso maldoso ). Bom, nesse casa como em outros não deu pra tirar a ressaca, so aliviar. Agora... Tirem ela do meu ombro ( Dipper )

Ele faz cara de nojo, o olho com um olhar de “Serio isso?!” e passo um braço dela pelos meus ombros e ela o solta se apoiando 100% em mim. Meu Deus... A levo pra o banco da mesa onde estávamos sentados, a mesma que eles estavam dormindo quando chegamos. A coloco sentada.

_ An... a senhor ta bem? ( Pacifica )

_ Minha boca ta com um gosto horrível, minha cabeça ta explodindo e eu nunca vomitei tanto na vida! ( Jó )

_ Acredite, seria pior sem isso ( Pacifica )

_ Ai ( a olho e depois olho o homem atrás dela ) obrigada Mason ( Jó )

Ele revira os olhos e ela torce a cara.

_ Ele detesta esse nome ( Pacifica )

_ Ford, da pra irmos embora? ( pergunto mal educado e impaciente ) ( Dipper )

_ Dipper por favor! E quem é que vai leva-la pra casa? ( Ford )

_ ( Dou de ombros ) Ela tem pernas ( Dipper )

_ Dipper! ( me altero ) ( Ford )

_ Ford! ( saio em defesa do Dipper ) Se... A senhora quiser senhorita Parker eu posso chamar um taxi ( Pacifica )

_ Obrigada querida, você é uma graça, eu gradeceria por favor ( ignoro completamente o Gleeful impaciente e irritado atrás da namorada ) ( Jó )

Assinto com um sorriso contido e vou ate o balcão pegando meu celular, chamo o taxi e guardo o celular agora me concentrando no Dipper. Ele esta sentado no banco ao meu lado.

_ Barman, me desce uma cerveja ( Dipper )

Ele ainda ta irritado com o negocio do Gideon, ele odeia o Gideon, ainda mais depois que ele tentou separar a gente, ele ainda não perdoou, e nem sei se vai perdoa um dia, sei que ele ficou ainda mais revoltado quando eu perdoei, e pra piorar a senhorita Jó ta aqui e ele a detesta, o Dipper tem uma longa lista de gente que detesta, ele é uma pessoa que não da certo com todo mundo, e que é difícil de gostar de alguém...

Chego mais perto dele e seguro seu ombro, com meu queixo a centímetros de distancia de seu ombro, ele ainda ta emburrado. O barman serve a cerveja e sai, ele toma um gole e eu encosto minha testa em seu ombro.

_ Amor... Ainda ta bravo com o negocio do Gideon? ( ele não responde, emburrado ) Qual é Dipper ( Pacifica )

_ Pacifica, ele sempre se mete em problemas como um imbecil, anda com gente errada e provavelmente ate usa coisas erradas, e você sempre tenta defender ele, briga por ele, aguenta os amiguinhos dele por ele e ele nunca reconheceu, nem te defendeu dos idiotas que ele chama de “amigos”. Salva ele, cuida dele, como se ele fosse sua responsabilidade, mais ele não é! Uma vez ou outra ate vai, mais sempre que entra uma farpa no dedinho dele você corre pra ajudar, não é assim?! E pra piorar, você ainda perdoou ele depois dele tentar separar a gente, e ele ate conseguiu, por algumas semanas. Eu quase morri sem você! E você perdoou ele!!! E ainda da dinheiro pra ele, aguenta as provocações dos amiguinhos estúpidos dele, é a baba dele sem se importa. Pacifica, esse moleque tem que crescer, ele não é sua responsabilidade nem o paizinho ridículo dele, sabe com quem você tem que se preocupar? Com você! E no máximo com o seu pai, a sua mãe, o Ford e COMIGO!!! Eles dois não são prioridade, desse jeito ele vai achar que sempre vai ser você, que você sempre vai cuidar dele, da dinheiro pra ele, da comida pra ele, perdoar ele, aguenta os amigos filhos da puta dele, limpar a merda dele, cuidar dele quando ele tomar um porre. Tipo dessa vez agora, o pai dele bebeu e perdeu o controle, TA! Mais ele não precisava fazer o mesmo, ele fez o mesmo. Invés de abrir a lojinha, jogar todos os whiskys fora, o que o Gideon fez? Chamou os amiguinhos pra da uma festa enquanto o pai entrava rapidamente em coma alcolico! Pedir ajuda da família de vez em quando tudo bem, mais ele é um parasita, ele pede sempre! Parece que ele não sabe se virar sem você ate porque ele nem precisa! Dessa vez agora, porque acha que ele escolheu agir feito um irresponsável filhinho de papai? Porque ele sabia que mais cedo ou mais tarde a priminha dele iria aparecer pra resolver tudo! ( Dipper )

_ Dipper... ( interrompida ) ( Pacifica )

_ Não fode Pacifica, vamos levar o coroa pra casa e a medusa também, o taxi dela já chegou? ( Dipper )

Ele se afasta de mim sem acrescentar mais nada, me deixando completamente no vácuo e de boca aberta. Por uns segundos continuo na mesma expressão chocada ate me virar pra ele e os outros.

_ Vamos medusa, sua carruagem chegou ( Dipper )

_ Medusa? ( Ford )

Vou ate eles, o vejo da um sorriso de canto presunçoso.

_ Que respeitoso senhor Gleeful... Ele me chamava assim desde que eu ainda era sua professor na escola, mais quer saber senhor Gleeful não me incomoda, porque se o cavalheiro aqui não sabe, Medusa era uma das mulheres mais lindas da Grécia! ( Jó )

_ É e virou uma assombração! ( Dipper )

_ So porque a deusa Atena foi uma ignorante, machista ( Jó )

Quando ele vai abrir a boca pra responder eu me meto.

_ Nisso ela ta certa, deusa Atena uma ignorante e deus Poseidon um animal. Mais a moral aqui já entendemos, ela passou uma coisa, era vitima mais ninguém teve pena dela! Vilões não nascem, são criados ( olho o Dipper ) ( Pacifica )

Ele engole duro desviando o olhar, parecendo desconfortável.

_ Chega, vamos pra casa ( Dipper )

_ Ok ok, meu taxi ta na porta? ( falo me levantando ) ( Jó )

_ Sim, precisa de ajuda? ( Pacifica )

_ Não querida eu estou bem. Vamos! ( sorrio gentil ) você é muito educada. Diferente do seu namorado ( Jó )

_ E quem te perguntou? ( Dipper )

_ Dipper!!! ( o repreendo e ele revira os olhos ) ( Ford )

_ Sem “Dipper!!!” Ford, não ferra. Vamo logo pra casa se não te deixo aqui ( falo mal humorado e mal educado e saio na frente sem mais esperar ) ( Dipper )

O vemos passar pela porta do bar e o baque dela com a parede quando ele a fecha.

­­­_ Desculpem... Ele ta de mal humor ( Pacifica )

_ O que aconteceu? ( Ford )

_ Nada serio, eu vou tentar falar com ele mais tarde. Ford vamos, senhora Jó o seu taxi já ta na porta ( Pacifica )

Ela assente dando um sorriso curto e pega sua bolsa no banco saindo na frente, logo depois o Ford se levanta e vai atrás, eu também.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...