1. Spirit Fanfics >
  2. Reverso - Limlendez >
  3. Capítulo 39

História Reverso - Limlendez - Capítulo 39


Escrita por:


Notas do Autor


Viva Christina Chang!
Rainha da nossa história e uma deusa com zero defeitos!!

Capítulo 39 - Capítulo 39


Melendez observava Lim cumprimentando todos, ela não ficou brava como ele pensou que ela ficaria. Os amigos que estavam ali eram pessoas que ela gostava e se sentia a vontade. Todos já tinham passado por muitos momentos difíceis juntos e se apoiaram, inclusive Miller.

- Obrigada por isso, Neil! Valerie disse se aproximando dele.

- Por que está me agradecendo?

- Por ter ajudado minha filha a se encontrar. Olha como ela está naturalmente feliz.

Melendez sorriu um dos seus maiores sorrisos.

- Ela que me ajudou, Val. Antes de Aud eu pensei que não existia uma felicidade como a que estou vivendo agora. Ainda tenho medo de estar sonhando.

- Você não está sonhando, meu filho. Ela disse abraçando-o.

- O que vocês estão cochichando ai, hein? Perguntou Lim se aproximando.

- Falando do quanto te amamos, respondeu Melendez envolvendo-a em seus braços.

X

Eles foram para casa no início da madrugada. Lim entrou e sentou no sofá, Melendez reparou que os olhos dela estavam cheios de lágrimas.

- Ei... Por que você está chorando?

- Minha vida era tão calma sem você, Neil... Quanto tempo eu perdi sem isso?

- Audrey, eu trocaria toda eternidade por uma única vida com você!

Melendez se ajoelhou diante dela e segurou seu rosto com as duas mãos. Ele começou a beijar o rosto molhado de lágrimas fazendo-a sorrir. Melendez correu as mãos pelos braços dela e sussurrou.

- Quer comemorar mais?

Lim o beijou puxando-o mais para si.

- Pode apostar que sim!

Melendez soltou o zíper do vestido dela beijando suavemente toda pele da clavícula e pescoço. Lim sabia onde tocá-lo para que ele enlouquecesse e ela foi até aquele espaço abaixo da orelha dele e mordeu. Ela já podia senti-lo pronto através do tecido da calça.

- Ei, eu ainda nem comecei a brincar e você já está pronto?

- Só de olhar para você eu já fico pronto, ele respondeu.

As mãos de Lim estavam frias em seu pescoço, ela gemeu e Melendez a beijou ainda mais profundamente. De repende eles estavam quase nus, estavam quase perdendo o controle. Lim se contraía diante da expectativa, era sempre assim quando eles se faziam transbordar, era sempre assim quando ela sentia Melendez dentro dela.

- Vem Neil, me mostra a intensidade do seu amor!

Não precisava mais nada para que ele a prendesse deslizando para dentro dela. Eles estavam mais excitados que de costume e transaram no chão, na escada, na parede...

- Aud... Melendez chamou gemendo.

- Hum... Ela também respondeu em um gemido.

- Se você me fizer gozar mais uma vez, amanhã eu não levanto. Já são 5:30h da manhã. Vamos dormir.

- Vamos, seu velho cansado! Ela respondeu sorrindo.

X

O tempo passava rápido e eles já estavam morando juntos há um ano. Eles queriam ter oficializado em abril, mas não conseguiram nada disponível em nenhum canto da América. Foi frustrante para eles, mas principalmente para Valerie e Monica. Estava tudo certo para abril do ano seguinte. Lim estava feliz porque tinha conseguido adiar todas as compras e corridas atrás de um vestido.

Faltava oito meses e sua mãe e Monica já voltavam a falar sobre compras. Lim estava exausta nas últimas semanas. As reuniões eram exaustivas e ela era requisitada em todos os cantos do hospital. Lim já se sentia segura no cargo que ela ocupava há quase dois anos.

- Amor, por que você vai cobrir a emergência e principalmente, por que durante a noite?

- Estou sentindo falta de emoção, Neil. Não aguento mais papelada atrás de papelada.

- Vou sentir sua falta, Melendez falou irritado.

- Prometo que vai ser só hoje, Lim respondeu beijando-o.

X

Lim assumiu a emergência com Park e Reznick como seus residentes da noite. Ela estava animada por entrar em ação de verdade. A noite correu tranquila e já era madrugada quando chegaram dois feridos de uma briga de bar, um estava desmaiado. Lim assumiu os cuidados dele enquanto Park e Reznick suturavam o ferimento do que estava acordado.

Como se fosse um flash o homem diante de Lim acordou em estado de surto psicótico, ele tentou atacar Lim que se afastou para que o homem se levantasse logo em seguida empurrando a cama contra ela. Lim ficou presa pela cintura e desmaiou no momento que as enfermeiras aplicavam um tranquilizante no agressor.

Tudo passou como um borrão, Reznick e Park foram em socorro de Lim e a equipe de enfermagem chamou o Dr Evans que estava de sobreaviso para dar suporte à emergência. Eles colheram sangue para fazer exames e após o resultado, se necessário pediriam uma tomografia. O Dr Evans chegou para assumir os cuidados de Lim.

- Park, você acha que devemos avisar ao Dr Melendez? Falou Reznick.

- Sim. Ligue para ele agora.

Passava das duas da manhã quando celular de Melendez tocou. Ele acordou assustado procurando por Lim e lembrou que ela estava no plantão da emergência. Melendez se esticou para alcançar o celular e olhou no visor.

- Dra Reznick, aconteceu alguma coisa? Ele falou soando preocupado.

- Fique tranquilo, Dr Melendez. Está tudo sob controle.

- Cadê Audrey? Aconteceu alguma coisa com ela?

- Dra Lim atendeu um paciente em surto psicótico e ele a atacou.

Nessa altura Melendez já estava de pé colocando a primeira roupa que encontrou pela frente.

- Onde ela está, Morgan? Melendez suplicou usando o primeiro nome dela.

- Ela desmaiou e colhemos sangue para ver o motivo ou se foi apenas o susto. O Dr Evans assumiu o plantão, mas fique tranquilo que ela já acordou e está estabilizada.

- Chego aí em 20 minutos, Morgan. Obrigado!

Melendez chegou em 15 minutos e encontrou Park assim que entrou na emergência.

- Onde ela está, Park?

- Ela já saiu da emergência e está em repouso no quarto.

Melendez não teve paciência de esperar o elevador e subiu as escadas de dois em dois degraus. Parou no posto de enfermagem e perguntou onde ela estava.

- Boa noite, Dr Melendez. A Dra Lim está no quarto 5c. Informou uma das enfermeiras.

Lim estava olhando para o teto quando ele chegou. Havia um suporte de medicação intravenosa ao lado da cama.

- Ei você!

- Neil, não acredito que te fizeram vir aqui por essa besteira.

- Como você sabe que é besteira? Você desmaiou, amor.

- O paciente estava em surto e bateu a cama contra mim com força. Foi só isso.

Melendez se aproximou dela beijando sua testa.

- Você não pode me assustar assim.

Dr Evans entrou na sala sorrindo.

- Olá Dra Lim, Dr Melendez.

- Olá Evans! Você já tem os resultados do exame de sangue dela?

- Bom, certamente o homem pressionou a cama com muita força contra ela, mas por extinto ela se protegeu virando de lado. Sugiro uma radiografia para ver se houve alguma fissura na costela, mas fora isso está tudo bem. Ótimo eu diria. O exame de sangue mostra que nada aconteceu com o bebê.

Lim olhou para o Dr Evans com o pânico dominando seu rosto.

- Que bebê?! Lim perguntou apavorada.

Melendez estava paralisado.

- Vocês não sabiam? Dra Lim você está grávida de cinco semanas e meia.

O chão saiu dos pés deles. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...