História Reverso - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


~ Notas do capitulo: ~
Avisos:
— Isso e uma historiam feita de fã para fã sem intuito de ofender ninguém ;
— Os personagens da serie Gravity Falls não me pertencem ;
— Não repostar ou copiar a historia PLAGIAR E CRIME! ;

Capítulo 1 - 1. Dia. Gêmeos


Fanfic / Fanfiction Reverso - Capítulo 1 - 1. Dia. Gêmeos

Enquanto o pequeno loiro olhava pra fora da janela do ônibus seu irmão o olhava com seu clássico olhar preocupado fitou o mesmo pelo reflexo da janela virou-se pra ele é disse:

— O que foi Will?

— Nada e que você não falou nada o caminho todo e convenhamos, você não costuma ficar de boca fechada, não por muito tempo. 

— Desculpe eu só tô com uma sensação estranha...

— Como assim? Tá enjoado? Com sono? Fome?

— Não é como... Sabe quando você sente que já fez algo que nunca fez na vida?

— Sensação de *Déjà vu...?

— Isso mesmo! Eu sinto como se já tivesse vindo aqui antes. 

— Humm... Deve ser por causa do noticiário.

— Noticiário? Que tem haver?

— Lembra? Passou na TV um dia desses uma reportagem sobre essa cidade dizendo que aqui era um lugar sobrenatural e blá blá blá, pode ser por isso.

— É deve ser...

Mais isso não bastou pra convencer o garoto. Ele continuava com a sensação de já conhecer a cidade e junto com isso a sensação de culpa, medo e saudade...?

"Deve ser só paranóia" dizia pra si mesmo, logo depois adormeceu. 

Quando o ônibus parou no ponto  Will deu um cutucão no ombro do irmão que fez o mesmo resmungar mais ele não se mexeu Will revirou os olhos se aproximou do rosto do mesmo e...

— BILL! ! CHEGAMOS! ! ACORDA PREGUIÇOSO! !

O outro deu um pulo e caiu sentado no chão.

— Tais doido Will?! Porra! 

— Acordou né? Tá vambora.

Ele olhou com ódio para a nuca do mesmo que já descia do ônibus. Pegou a bolsa  com força e a jogou sobre o ombro.

~Break of time~

 

— WIIIILLLLLL!!!! TOOOO COM FOMEEEEE!

Ele o ignorou.

— WIIIILLLLL!!! OTO CANSADOOOO! ONDE CARALHOS FICA ESSA CABANA?!

— A gente já tá chegando! Então para de encher o saco!

— WIIIILLLL!!!

— QUIÉ?!

— Tô com fome tô cansado! A gente já  chegou?!

— Não. 

— É agora?

— Ainda não. 

— É agora?

— Não 

— Agora?

— Olha quando a gente chegar eu te falo tá?

Ele se calou Will deu um sorriso vitorioso mais que logo se desmanchou. 

— Will tô com fome.

— AHHHHHHH!!! 

Dessa vez quem deu um sorriso foi Bill. Deu um sussurro:

"Missão cumprida!"

~Break of time~

— Pronto infe- Digo irmãozinho chegamos.

Bill olhou com um olhar crítico para a cabana cheia de trecos sujos e tralhas jogadas na varanda. Ele olhou pra Will que só lhe respondeu com seu olhar crítico 

— Nem me venha com essa cara. Nós já pagamos a hospedagem e não vamos voltar atrás. 

Ele só observava o outro dar pesados passos até a porta. Estava quase dando o primeiro passo quando sentiu algo escorrendo pelo seu rosto. Ele levou a mão até o rosto e limpou o líquido, lágrimas, ele estava chorando. Will vê a cena e corre até o irmão.

— Ei! O que foi? Se machucou? Onde é que dói? 

— Não eu tô bem eu só... Sinto como se tivesse perdido...

— Perdido...? Perdido como?

— Como se eu tivesse perdido a oportunidade de confessar algo.

— Quer uma água? Eu tenho algumas balas na minha mochila talvez isso seja fome, quer?

— Não Will eu tô bem, sério.

— OK... Mais me avise se sentir mais algo, OK?

— OK.

Ele deu um sorriso torto na esperança de que aquilo acalmasse os nervos de Will. 

— Então tem gente nessa casa?

— Há eu não sei eu ainda não bati na porta. 

— Lerdo.

— É o que vagabundo...?!

— Vem vamos logo que eu tô morrendo de sono.

Eles foram até a porta e bateram na mesma mais ninguém respondeu. 

— Era só o que faltava! Não tem ninguém em casa!

— Calma lá, talvez, eles não tenham ouvido vamos tentar de novo.

Eles bateram de novo e de novo nenhuma resposta.

— Pronto e agora? Eles  esqueceram que a gente vinha por acaso? 

— Se acalma... A gente pode espera Eles aqui.

— Hummm....!

— Ei garotos! Vocês estão procurando alguém?

Eles deram um pulo de susto e se viraram pra ver de onde vinha a voz.

A voz era de um rapaz de, possivelmente, uns 15 a 16 anos alto, forte, com enormes tatuagens que cobriam praticamente ambos os antebraços e de cabelos e olhos castanhos escuro. Will ficou um pouco apreensivo de responder. 

— Na verdade...

— Sim estamos.

— Bill!

— Que foi? Talvez ele possa nos ajudar!

Will concordou mesmo não gostando da ideia.

— Estamos procurando a família Pines senhor.

— Há, Sim vocês são os garotos que vieram passar as férias né?

— Exatamente meu nome Will e este é meu irmão Bill.

— Bill...?

Ele examinou Bill de cima a baixo. Bill o encarrou visivelmente incomodado 

— Algum problema?

— Não nenhum.

Ele apenas virou o olhar. Mais logo retornou com o mesmo sorriso de antes.

— Bem meu nome é Dipper Pines.

— Desculpa mais você acabou de falar: Dipper...?

— Bem, sim...!

Will pegou o celular e ficou comparando Dipper a alguma coisa que estava na tela.

— Algum problema?

— Pensamos que você ainda era uma criança é ate mais novo que a gente.

— Por que...?

— Por causa da foto, veja.

Will mostrou a Dipper o celular que continha a foto de muito tempo atrás com o grupo: Soos, Wendy, Tio-Avô Stanley, Mabel e ele. Ele sorriu.

— Bem essa foto é bem antiga. Foi tirada há 6 anos atrás.

— Desculpa Mais qual a sua idade?

— Eu tenho atualmente Dezessete.

Ambos os irmãos ficaram de queixo caído.

— DEZESSETE?!

— Isso mesmo. 

Ele riu ao ver Bill colocar a mão no peito e fingir desmaio. Will só o segurou quando se desequilibrou e quase caiu pra trás.

— Voltando ao que interessa, Dipper tu tá com a chave da porta aí?

— Sim eu tô.

Dipper caminhou até a porta e abriu com a chave. Não era lá muito arrumada, tinha coisas estranhas por todo lado alguns bixos esquisitos e alguns objetos de algum laboratório.

— Mabel e Soos já devem estar voltando, venham vou mostrar o quarto de vocês.

Ele subiu a escada da cabana que dava pra um corredor com cinco portas. Dipper os guiou até uma das portas e abriu a mesma. Lá só tinha duas camas, um criado mudo pra cada e um armário literalmente minúsculo. 

— O meu quarto e o da Mabel fica logo ali, o banheiro fica lá no final do corredor e pelo amor de Deus não entrem em nenhum dos outros dois quartos, tá?

Eles assentiram. Dipper sorriu e se despedindo foi para o seu quarto. 

É os gêmeos Foram para o seu.

~Break of time~

 

Mabel olhava pela janela enquanto Soos estacionava o carro. Ele a olhou com curiosidade. 

— Tá tudo bem Mabel?

Ela virou-se pra ele.

— Tô sim, e que, sei lá, e tão estranho estar aqui depois de tudo. Dipper parece

tão tranquilo com a idéia de voltar e eu meio que... 

Ela deu um suspiro pesado. 

— Deixa pra lá...

Ela abriu a porta do carro e desceu andou até a porta do condutor e pediu pra ele abaixar o vidro. 

— Não vai entrar?

— Não, prometi a mama que a ajudaria a limpar o porão. Da um abraço no Dipper pra mim, tá?

— Claro, dou sim.

— Se cuida, tá bom?

Ela sorriu e acentiu. Se afastou e observou ele ir, logo depois entrou em casa.

Subiu as escadas procurando Dipper entrou no quarto deles E o encontrou deitado na sua cama. Ele olhou pra ela é viu que ela não estava muito bem.

— Ei tudo bem?

— Tá tudo sim.

Isso não foi o bastante para convencer Dipper.

— Mabel...?

Ela não o olhou nos olhos, ela sempre evitava contato visual quando tinha feito bobagem. 

— Mabel...!

— Eu só to meio enjoada Dipper. Acho que vou tirar um cochilo.

Ela andou em direção a sua cama e se jogou na mesma e virou de costaspara o irmão. Ele se levantou ele ia tocar no ombro dela quando ele ouviu um estrondo.

Ele deu um suspiro e foi ate o corredor. O barulho vinha do quarto dos gêmeos, ele foi e bateu na porta.

— Tudo bem ai pessoal?

— Ta tudo ótimo.

A voz de Will soou abafada.

— Certeza?

— Absoluta.

Ele deu de ombros mais ia continuar prestando atenção.

~ Com os gêmeos ~

 

— Acho que ele já foi.

Bill disse com o ouvido encostado na porta.

— Ótimo.

 Dito isso Will deu um belo tapa na orelha de Bill.

— AIIII CACETE!!

Ele ficou massageando a cabeça dolorida.

— Eu avisei pra você; “Não inventa de mexer na porcaria do guarda-roupa!” E o que você fez? MECHEU NAPORCARIA DO GUARDA-ROUPA  ! ! E agora gênio? Como a gente vai levantar essa merda?!

Ele apontou para o móvel caído no chão.

— Calma irmãozinho, vai ficar tudo bem.

— TUDO BEM A MINHA BUNDA!!!!

Bill tapou a boca do irmão antes que ele acordasse a casa toda.

— MURHP?!

— Quer botar no jornal é?

Will deu uma bela mordida na mão do irmão que começou a saltitar pelo quarto segurando a mão e segurando um grito.

Ele só surrou um:

— Filho da puta.

Will só ficou com seu olhar irônico.

— Levanta daí vai logo princesa.

— Princesa e o meu...

— Bota no jornal.

Will sorriu vitorioso.

— Vai me ajuda a levantar essa pocilga.

Bill se posicionou de um lado  do guarda-roupa e Will do outro.

E assim foi sua chegada em Gravity Falls. O que será que o destino reserva para os nossos gêmeos?

Leia e descubra.

Isso e só o começo...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...