História Reviravolta do Futuro - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Tags Amor, Brigas, Drama, Naruto, Romance, Sakusasu, Sasusaku
Visualizações 97
Palavras 4.948
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Mistério, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Mutilação, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Já q estou por aqui hj, então vamos postar hahahaha

Obrigada pelos os favoritos, isso me animou

Enfim, n sou o Chaves mas siga-me os bons!

Capítulo 2 - Você?


Fanfic / Fanfiction Reviravolta do Futuro - Capítulo 2 - Você?

Ela foi despertada dos seus pensamentos assim que ouviu passos de alguém, apertou os passos e olhou para trás rapidamente. Reparou que era um homem que andava e parecia que ia à sua direção. Ela andou mais rápido e o homem correu até ela e a segurou firme pelo braço, virando-a para ele.

Assustada, o empurrou e reparou que ele usava uma jaqueta preta e calça jeans. Levantou o olhar para encarar a face do homem que tinha um rosto esculpido como de um anjo, os cabelos desgrenhados escuros e os olhos mais pretos que ônix.

Deu conta que era o mesmo homem que havia a encarado antes na festa...  

-Uma moça bonita não deveria andar pela rua sozinha de madrugada! -A voz rouca balbuciava, a segurando novamente pelo braço e ela pôde constatar que ele estava bêbado também pelo o cheiro de bebida forte. O que aumentou o seu medo... –Você não acha?

-Me solte! -Ela puxou o próprio braço, apavorada, o fazendo rir. -Quem é você? 

-Isso não importa, rosada! -Ele disse rouco com um sorriso mínimo nos lábios. -Me importo com outra coisa! -Ele a olhou de cima a baixo e a Haruna sentiu o seu corpo pesar. Ele inusitadamente agarrou-a e ela gritou.

-Socorro! Socorro! -Ele pôs as mãos nos lábios finos para calá-la.

-Você é bem valente! -Ele riu, debochado. -Mas não é tão forte como eu! -Riu alto, ela se rebatia nos braços dele.

-Por... Por favor, não me machuque! -Ela disse num ar de suplica. 

-Não farei nada de mau, rosada! -Ele enunciou rouco ao se aproximar em seu rosto. Segurou forte em seus pulsos e imediatamente roçou seus lábios no dos finos, Sakura virou o rosto. Ele soltou um dos pulsos, segurou o queixo fortemente dela para selar seus lábios e iniciou um beijo que não fora correspondido. Sakura tentava o empurrar, não obtendo sucesso. Ele passou os lábios para o pescoço da Haruno, parecendo se saborear ali, Sakura segurava as lágrimas. Seria mesmo possível que ele realmente iria abusar dela ali? Ela fechou os olhos com força e desistiu de empurrá-lo, de fato o homem era muito mais forte do que ela. 

Sentiu quando ele soltou um dos seus pulsos por completo e levou as mãos em sua cintura, ajuntando mais os corpos, voltou a beijá-la nos lábios. Ela haveria de pensar, não deixaria aquilo passar de um beijo. Tudo o que ela sentia era um profundo nojo, com toda certeza odiaria aquele homem por toda vida. Mas não permitiria que ele fizesse o que ela imaginara. Então riu ao pensar. 

Mordeu com toda força o lábio inferior do Uchiha e depositou com toda sua força o joelho na região debaixo do homem, que urrou de dor caindo no chão, contorcendo-se, ela agradeceu internamente as aulas de jui jitsu quando mais nova, que o pai havia a obrigado fazer.

-O mal de vocês homens é achar que mulher é vulnerável em tudo! -A voz da Haruno soou altiva. -Sinto muito, mas não sou uma qualquer que você pode fazer e entender! -Ela disse o vendo se contorcer, tentando se levantar, contudo caia no chão por ainda estar bêbado. Ela deu as costas para ele.

-Volte aqui, rosada! -A voz rouca soou autoritária e Sakura virou para ele e riu quando o viu grunhir. -Você é como as outras! -Grunhiu novamente. -Apesar de tentar ser valente!

-Eu não sei quem é você e quando falar igual as outras como se refere! -A Haruno disse séria. -Mas se for aquelas que te rejeitam, realmente não sou igual, sou superior! -Ela disse dando as costas para ele novamente, voltando a andar.

 Sasuke nada disse, somente a via saindo dali. O olhar dela sob si o deixou intrigado. Que mulher rejeitaria um Uchiha? Ele deitou por completo no chão e sorriu minimamente, gostaria um dia de reencontrar aquela mulher, ela era diferente das outras, se fosse outra mulher se renderia por completo aos seus braços.

Riu fechando os olhos, a dor havia passado, o sono estava lhe alcançando.

 

Sakura só permitiu-se chorar quando entrou em seu quarto.

Tentara ser valente na frente daquele homem, haveria de ser, entretanto não deixou de sentir medo, muito medo. Tirou as roupas que pareciam pesar em si caminhando até o banheiro e se pôs debaixo da água fria. Vestiu-se com uma blusa de time de basquete e uma calça moletom. Deitou-se ainda deixando as lágrimas descerem como cascata, se não reagisse, aquele homem abusaria de si? Isso deixava-a com medo, apavorada. Com toda certeza odiaria aquele homem. 

 

Sasuke chegou em casa com a ajuda do Sai, estava bêbado demais para ir para casa sozinho e tampouco poderia pilotar a moto. Tudo o que ele falava pro Sai embaraçadamente era "ela pensava que eu iria fazer besteiras... Que rosada valente... Ela é linda" Sai simplesmente dava de ombros não sabendo do que o Uchiha falava. O deixou em casa, sendo o Uchiha recebido por sua mãe, que assim que o viu chegando com o rapaz, saiu correndo em direção dele, abraçando-o e dando uns tapas em seguida. Agradeceu o Sai que sorriu gentilmente e foi embora. Mikoto pôs o Sasuke para se banhar e logo para deitar. Sentou do lado dele. Agradecia internamente que o esposo tinha o sono pesado e não havia acordado.

-Mãe? -Sasuke ainda estava acordado, Mikoto acariciava seus cabelos, pensativa. Ela não queria falar com ele, estava aborrecida demais para brigar. -Está chateada comigo!?-A voz dele balbuciava ainda por conta da embriaguez. 

-Quer mesmo que eu responda? -Ela disse com a voz calma, contudo Sasuke percebera que a voz da mulher denunciava mágoa. 

-Sou um péssimo filho, não é? -Ele a questionou sentindo o carinho da mulher. 

-Você já foi melhor! -A mulher falou sincera, ele fechou os olhos. -Você deveria esquecer o passado ou você ainda a ama? -A mulher aproveitava a vulnerabilidade do filho já que estava bêbado. 

-Não é isso! -Sasuke abriu os olhos. -Mas acho que essas coisinhas são inexistentes!

-Essas coisinhas você quer dizer amor?

-Sim! -Ele respondeu. -As mulheres gostam de homens como eu!

-Então eu estou também incluída nesse meio? -Mikoto estreitou o olhar. -Não é por causa de uma que você tem que generalizar, Sasuke! -Mikoto soou séria para ele. 

-A senhora não é uma mulher comum! -Ele se remexeu na cama. -A senhora é exceta destas! -Sasuke riu. -A senhora é perfeita demais! -A fez sorrir, puxou mais sua mão para ela continuar com o carinho. -Diferente daquela que me mudou! -Ele soltou o ar pela boca.

-Então torço para que você conheça outra para trazer o meu verdadeiro Sasuke de volta! -Mikoto disse sorrindo e Sasuke resmungou. 

-Isso é impossível, a senhora sabe disso! -Sasuke pôs o cobertor em cima do rosto. -Eu não acredito nestas coisas, acredito que mulher gosta e serve para serem objetos! Tirando a senhora, claro!

-Eu acredito no impossível, e quando você se apaixonar eu irei rir da sua cara, meu bobo! -Mikoto disse divertida, rindo. -E vou desconsiderar esta sua última frase por estar bêbado e não saber o que fala, e porque você ainda não conheceu a mulher da sua vida, pois aquela só quis brincar contigo! -Ela tirou o cobertor do rosto do Uchiha vendo que o filho já havia dormido, ela riu e depositou um beijo no seu cabelo o fazendo resmungar virando por outro lado. -Meu danado, você será muito feliz! -Ela sorriu e saiu do quarto. 

 

-Se eu não corresse eu não sei o que aconteceria comigo! -Dizia Sakura aos prantos pra a loira.

-Calma, testuda...-Ino a abraçou forte. Sakura havia ligado para ela assim que amanheceu o que assustara a Yamanaka, que assim que soube pela boca da Haruno o que ocorreu teve vontade de ir até a pessoa que a fez mal e arrebentar a cara, mesmo sem saber de quem se tratava. Entretanto, ela tentava manter a calma por conta da amiga. -Só foi um susto! -A apertou. -Graças a Deus que nada aconteceu! 

-Eu odeio aquele cara! -Sakura a largou amargamente secando as lágrimas. 

-Como ele é? -Ino a sentou na cama e se sentou em seguida. 

-Tem a pele clara, olhos negros e cabelos desgrenhados! 

-Que estranho, parece com o peguete da Karin! -Ino riu de lado. -Ele é até lindo por sinal! -Ino balançou a cabeça tentando afastar o pensamento de ser o Sasuke que agarrara a amiga. -Mas acredito que ele não seja capaz de fazer isto...-Sakura a olhava confusa. -Espera! -Sakura arqueou a sobrancelha. -Sai chegou a comentar que ele falava de uma tal de rosada, portanto não entendeu pois falava coisa por coisa!

-Quem é Sasuke? -Sakura a olhou mais confusa do que o normal. 

-Isso não importa agora! -Ino soltou o ar pela boca, tinha a certeza que era Sasuke, pois havia reparado que o Uchiha saiu da festa assim que a Haruno saiu. Ela agora ajustava as peças.  -Agora vamos tomar café, para os seus pais não se preocuparem e não desconfiar do que aconteceu! -Ino levantou da cama fingindo um sorriso aberto, Sakura levantou derrotada. -Agora sorria! -Sakura forçou um sorriso e Ino bufou. -Direito!

-Estou sorrindo esquerdo!?-Sakura revirou os olhos. 

-Haha, engraçadinha! -Ino a puxou. -Sei que isso mudou completamente seu humor, mas amiga aconteceu nada e a vida que segue! -Ino riu divertida tentando provocar a amiga, sem sucesso. -Vou te ensinar a rir! -Ela puxou as bochechas da Haruno fazendo a sorrir forçadamente, Sakura revirou os olhos. -Eu já disse hoje que...-Sakura a cortou.

-Que me ama? -Sakura tirou a mão dela.

-Não, querida, não seja tão convencida... -Ino deu de ombros, divertida. -Eu iria dizer que você é feia de todos os jeitos, não há cirurgião plástico pra melhorar a sua linda aparência inexistente! -Ino terminou e viu que conseguiu o que queria, Sakura fumaçava pelas narinas e tinha os olhos vermelhos agora de tanta raiva. Ino se afastou sorrindo. -Hora de correr? 

-Corra! -Disse Sakura e Ino começou a correr para fora do quarto e Sakura riu de lado, tinha uma amiga e tanto pra todos os momentos. -Eu vou te pegar, porca! -Gritou antes de sair correndo atrás da amiga.

 

Sasuke despertava, a primeira imagem que veio a sua mente foi uma moça dos cabelos rosados e olhos verdes. Abriu os olhos, ele não sabia aonde a vira, sua memória estava confusa, só se lembrara de ter chegado a festa e encontrou o Sai do lado de fora aonde estava deitado e com toda certeza fora ele que o trouxe para casa. Mas, por que estava deitado? Ele questionava a si mesmo. Pôs as mãos na testa, a cabeça parecia que iria explodir a qualquer momento. Olhou para a porta vendo se abrir.

-TITIO? -Entrou um menino animado que aparentava ter oito anos de cabelos e olhos negros.

-Ai Shiryu, não grite...-Disse Sasuke se sentando, e estendeu os braços. -Venha no tio! -O menino pulou em cima da cama e o abraçou. -Você está ficando gordo igual seus pais!

-Meus papais não são gordos! -O menino fez bico e Sasuke sorriu minimamente. 

-Cadê eles? -Se levantou com o menino no colo e o colocou no chão. 

-Estão conversando com o vovô! -O menino disse. -Eles disseram que era conversa de adultos! -O menino cruzou os braços e fez bico, o que o deixava fofo.

-Que tal jogarmos vídeo game enquanto isso? -Sasuke arqueou a sobrancelha, mas não queria saber o que era, com certeza era algo relacionado a empresa.

-Ebaaaa!

 

-Espero não estar incomodando vocês! -Apareceu mulher relativamente alta, que tinha cabelo azul curto, em linha reta, olhos cinzentos, com uma lavanda sombra no olho.

-Bom dia, Konan! -Sasuke disse sem animo algum, tirando o olhar do videogame pra olhá-la. -Você não está incomodando!

-Sua cara está horrível! -A mulher sorriu para o cunhado que somente deu de ombros e voltou o olhar pro videogame. Ela olhou para o menino. -Vamos, Shiryu?

-Ahhh, mamãe! -O menino resmungou e Konan revirou os olhos, tentaria ser firme dessa vez. -Deixe-me passar o dia com o tio Sasuke! -Disse pidão.

-Deixe ele passar o dia aqui comigo! -Sasuke sorriu mudo, amava o sobrinho, sempre fora assim desde quando o menino nasceu e era o único que o distraia em alguns momentos. 

-Ele tem aula amanhã cedo! -Konan disse apreensiva.

-Eu levo ele! -Falou Sasuke.

-Tem que ver se o Itachi libera! -Konan disse arqueando a sobrancelha, divertida. -Sabe como ele é! 

-Ahhh mamãe peça ele, com a senhora ele deixa! -Shiryu se levantou aonde estava e foi até a mãe a abraçando. -Por favorzinho! -Fez bico e tinha os olhos marejados. Konan não resistia aquilo por mais que tentasse, era seu primeiro e único filho, o amava com muita intensidade. 

-Vou tentar, meu príncipe...-Ela soltou o ar pela boca, os olhos do menino brilharam, adorava passar um tempo com o Sasuke. -Mas dormir sem você...

-É só hoje! -O menino disse animado a soltando e sentando novamente do lado de Sasuke.

-O que vocês vieram fazer aqui? -Sasuke perguntou diretamente a cunhada, ele estava curioso. -Bom, pergunto porque é raridade vê-los tão cedo! 

-Negócios...-Konan disse sem enrolações -Problemas com as empresas! -Ela se encostou na porta.

-Quais? -Sasuke disse passando o controle para o menino que não entendiam o que os adultos conversavam.

-Estamos tentando ajudar outra empresa que está à beira da falência...-Ela suspirou fundo. -E querendo ou não essa empresa ajuda na divulgação da nossa! Em outras palavras, se esta empresa cair de vez, as dos Uchihas também cai!

-Que curioso...-Sasuke deu de ombros. -Vai que agora meu pai pare de jogar as coisas na minha cara!

-Sasuke! -Konan o repreendeu. 

-Que foi? Eu disse alguma besteira? 

-Por que você está agindo assim depois daquilo? Você tem que superar! -Ela o encarou.

-Konan, vamos mudar de assunto, não sei porque vocês ficam voltando esse filme! -Ela suspirou fundo e ele somente bufou baixo. -Eu não quero ser rude com você! 

-E por que você seria rude com a minha esposa? -Apareceu Itachi, com a expressão calma, porem transparência cansaço. 

-Nada, meu amor...-Konan respondeu sorrindo e Itachi somente meneou a cabeça positivamente. -O Shiryu pode dormir aqui hoje?

-O que ganharei em troca? -A voz dele soou com malicia para a esposa. 

- Me poupe desses detalhes! -Sasuke disse revirando os olhos.  

-Por que eu deixaria você dormir fora hoje Shiryu? -Itachi se dirigiu o menino. 

-Eu tenho feito todas as lições da escola, obedeço a mamãe, arrumo minha cama quando acordo, como todas as refeições no horário certo e guardo meus brinquedos quando acabo de brincar! -O menino respondia pensativo e Itachi arqueou a sobrancelha, ainda faltava algo. -Ahhh parei de chamar a minha professora de bruxa! -O menino fez careta e o Sasuke riu mudo, Itachi o olhou, era uma das formas de ver seu irmão sorrir.

-Nossa, salvou o mundo...-Itachi foi até ele e bagunçou os cabelos negros. -Tudo bem, pode ficar aqui...-O menino sorriu abertamente.  -E veja se ensine o seu tio a ser um bom homem! -Terminou piscando pro filho que sorriu em resposta com as bochechas rosadas como a da mãe, Sasuke revirou os olhos.

-Não amole, Itachi! 

-Vamos, amor! -Konan o chamou. Foi até o menino e beijou a testa dele o fazendo fazer careta. -Se cuide, meu príncipe...-Ela olhou para o Sasuke. -Até mais, cunhado!

-Até! -Sasuke disse, e Itachi somente balançou a cabeça positivamente pegando a esposa pela mão, e logo saindo dali.

 

Os dias passavam como os outros para Sasuke, depois que o sobrinho foi embora voltou à rotina de se embriagar. O pai o evitava, Itachi parecia dificilmente na mansão e sua mãe sempre estava lá por ele. Sasuke sempre acordava no dia seguinte pesado. Nunca iria reconhecer que existia vazio em si e que ainda sofria por conta do que havia acontecido em seu primeiro e último relacionamento. Mesmo que isso fosse nítido através das suas atitudes e mudanças de comportamento.

Acordava sempre com a imagem de uma mulher de cabelos róseos e olhos verdes como esmeraldas, lembrara um pouco dela agora. Recordou que havia a visto na festa do Naruto e a viu com um ruivo. Teve essa afirmação depois que Karin comentou sobre ela por alto com uma das amigas quando ele estava perto. Ele tinha vontade de vê-la um dia...

 

Sakura depois do acontecimento buscou esquecer e voltar sua atenção para a faculdade, estava perto da formatura e a empresa do pai parecia não ir bem, ela estava consciente disso. Lembrara do moreno que a agarrou, ainda tinha lembranças daquele dia. O odiava e não sabia o que ocorreria se um dia o visse. Não falou aos pais para não os preocupar, e ela sabia que assim que o pai soubesse a proibiria de sair por longos anos. Evitou falar também com o namorado, que não chegou a desconfiar de nada, Sakura disfarçava bem, pelo menos assim tentava.

 

Sasuke acordou, levantou e foi diretamente à cozinha. A mesa ainda estava arrumada.

Sentou-se e tomou o café. Uma senhora que aparentava ter uns cinquenta anos se aproximou dele.

-Senhor Sasuke!? -A voz da mulher soou gentilmente.

-Sem reverências! -A voz rouca soou entediante, a dor de cabeça era forte. Ele massageava a testa levemente. –Pois diga!

-O senhor Fugaku solicita a sua presença... - Ela disse, gentilmente. –Ele o aguarda no escritório!

-Sabe dizer do que se trata? -Bebericou o café, pensativo.

-Não, senhor! -O respondeu, ele a olhou com repreensão. –Perdão! Não sei, Sasuke!

-Tudo bem! -Ele levantou. –Só vou terminar aqui e já irei!

 

-Bom dia, papai! o que o senhor quer falar comigo? -Inquiriu Sakura após atravessar a porta do escritório do pai. Ele a havia chamado para uma conversa com urgência assim que ela saísse da faculdade. Ela sabia que era algo que se tratava da empresa.

-Sim! -O homem sorriu para ela, ela foi até onde ele estava sentado e beijou a face. Sentou-se também e o encarou. –Você sabe que estou tendo problemas com a empresa... -Kizashi suspirou pesado e desviou o olhar para o teto. Seu império estava indo à falência, a qual deu tudo de si para abrir e prosperar. Entretanto havia uma solução, apenas uma única solução. Porém, essa solução dependia de sua filha.  –Você sabe que o nosso império está à beira da falência! -A voz do homem soou falha.

-Eu sei, pai! -Sakura respirou fundo. –Eu queria muito ajudar nisso tudo! -Soou sincera.

-E você pode! -Ele falou receoso, contudo haveria de contar.

-Como? Diga, eu topo qualquer coisa! -Ela enunciou entusiasmada.

-Você terá que casar com um dos filhos do meu sócio! -Kizashi soltou de vez, Sakura olhou para ele, assustada.

-Hã?

-Filha... -O homem levantou e aproximou-se dela. –Foi a única solução que achamos! -Ele suspirou fundo segurando os ombros da moça.

-Pai... -Ela levantou e abaixou a cabeça. –Mas eu namoro... -Ela falou entre os dentes. –Como ficarão as coisas entre mim e Sasori? E outra, como me casarei com alguém que nem conheço?

-Eu sinto muito... -Kizashi soltou o ar pela boca. –Sei disso muito bem... -Deu a volta na mesa para sentar na cadeira novamente.  –Mas é só algo para temos no papel, isso foi decidido na reunião!

-Papai! -A voz da Haruna soou fraca. Queria ajudá-lo, se aquilo realmente fosse à única solução queria e tanto solucionar, mas ela tinha uma barreira, não seu namorado de fato. Mas o sonho de quase todas as mulheres de um dia casar com alguém que amasse.

-Se não quiser não obrigarei minha querida, jamais vou te forçar algo que não queira... Mas pra a empresa sair desse estado crítico só achamos essa solução!

-Eu posso pensar? -Ela questionou após um suspirou.

-Sim! -Kizashi lhe sorriu. –Então, esperarei pela sua resposta, querida!

 

-Pai, eu não vou me casar! -Sasuke rebateu levantando-se da cadeira, bufando.

-Sim, Sasuke, você vai! A empresa depende disso! -Disse Fugaku autoritário.

-Não tem outro jeito de resolver isso não? -Sasuke perguntou colocando a mão na cabeça. Ele não queria relacionamento depois do que passou, muito menos um casamento.

-Já tentamos de tudo... -Fugaku disse. –O único jeito é um casamento com um membro dos Harunos... Você não ajuda em nada, pelo menos nisso você poderia colaborar! -Enunciou ríspido.

-Eu não vou me casar, pai... -Sasuke censurou, firme. –Você sabe no que deu na última vez que me envolvi com alguém! -O Uchiha franziu o cenho, contrariado.

-Sasuke, não estou pedindo para você ficar de namorico ou coisa do tipo, é algo profissional, por um ano no máximo, até que a empresa Haruno se levante!

-O que têm? -Sasuke soou irônico. –Resolva isso com o Itachi! -Ele se jogou na cadeira.

-Ele é casado!

-Separe ele, é simples! -Deu de ombros.

-Já está decidido, Sasuke! -Fugaku disse grave e Sasuke bufou.

-E o que eu ganho com isso? -O questionou já dando por derrotado. Quando seu pai falava que estava decidido, era porque estava decidido.

-Te devolvo suas coisas e para acrescentar, te darei o que você pedir! -Fugaku proferiu e Sasuke assentiu, levantando-se.

-Espero que ela seja pelo menos bonitinha! -Disse saindo da sala.

 

Sakura apertou a companhia, nervosa, sem demora um ruivo abriu-a e a beijou, ela desfez o beijo.

-O que houve? -Sasori perguntou, sério. –Não é de hoje que você vem me evitando!

-Perdoa-me, Sasori! -Abaixou a cabeça, o evitava desde o dia da festa de Naruto. Ele segurou a mão dela e a levou para dentro do apartamento. Ela suspirou fundo e olhou para ele que parecia a questionar pelo os olhos. –Irei me casar! -Ela despejou de vez.

-Como assim? -Ele se aproximou dela e passou as mãos em seu rosto, os olhos esverdeados se transbordavam em lágrimas sem permissão. –Me diga o que está havendo!

-Eu já te disse que a empresa não está indo bem... -Ela fechou os olhos com força deixando as lágrimas molharem sua face. –O único jeito é um casamento arranjado com um dos membros dos Uchiha, já que a empresa depende uma da outra... -Ela abriu os olhos tentando cessar as lágrimas.

-Mas por que casar?

-Porque a empresa se tornará uma só! -Ela disse secando as lágrimas, tentando voltar a si. –Legalmente! -Respirando fundo. –Papai alegou que era a única solução, contudo deixou-me decidir!

-Sakura! -Sasori disse beijando a face dela. –Faça conforme à sua vontade...

-Mas poderíamos nos casar, Sasori... -Sakura o encarou. –Eu e você! -Ela prosseguiu. –A sua empresa...

-É melhor fazer conforme seu pai pede para não gerar confusões futuras! -Ele a cortou.

-Então, você não ligará se eu me casar com outro? -Ela tinha os olhos marejados.

-Não é o caso de eu não ligar! -Ele se afastou dela. –É relacionamento profissional, só não quero que ele te toque! -Sasori sorriu. –Esse casamento não obriga você se deitar com ele, não é?

-Não entrei nesse detalhe com meu pai! -Ela disse pensativa, como não havia pensado nisso antes? Ela não seria forçada a se deitar com um desconhecido, não é? Ela sem dar por si pensou no moreno naquela noite e meneou negativamente tentando afastar o pensamento.

-É por quanto tempo o casamento?

-Nesse caso acho que no máximo é um ano!

-Eu esperarei por você! -Ele se aproximou dela e a beijou...

 

Sasuke pegou o carro e após alguns minutos parou em frente de uma mansão que pouco ia. Passou pelo o porteiro com a cara de poucos amigos e apertou a companhia. Logo o moreno de cabelos grandes preso no rabo de cavalo abriu a porta.

-Hoje o tempo muda! -Itachi soou brincalhão e deu espaço para que o irmão mais novo passar. –O que houve, tolo? -Itachi o acompanhou até a sala de estar, Sasuke revirou os olhos, sentando.

-Você já sabe, Itachi! -Pronunciou com sequidão.

-E o que você decidiu? -Itachi arqueou uma sobrancelha, Sasuke respirou fundo.

-Papai não me deu escolha! -Deu de ombros e virou o rosto para olhar para a janela.

-Está com medo? -Itachi inquiriu, apreensivo, sentando-se e Sasuke o encarou rapidamente e desviou o olhar.

-Eu não sei... -Respirou fundo.

-É só um casamento profissional, não precisará se envolver! -Itachi disse, sabia o que o irmão sentia em relação a casamento. –Ou você até poderia tentar ser feliz novamente...

-Eu já sou feliz, Itachi!-Sasuke proferiu, seco.

-Você sabe que não! -Itachi rebateu e sorriu vendo o irmão revirar os olhos. –Você ainda a ama? -Sasuke permaneceu em silêncio. –Levarei isso como um sim! - Itachi o conhecia bem. Além do mais cresceram juntos e Itachi era como seu melhor amigo. O mais velho manteve-se ao lado dele quando ele passou por aquilo tudo. Eles brigavam, contudo sempre estavam juntos. –Irmão, é hora de deixar o passado para trás!

-Podemos mudar de assunto? -Sasuke ergueu a cabeça e Itachi concordou, assentindo.

-Sabe que esse assunto não acaba aqui, não é? -Itachi sorriu mudo.

-Cadê Konan e Shiryu? -Interrogou cortando completamente o assunto.

-Os dois já chegam... -Ele soltou o ar pela boca. –Foram comprar umas coisas!...

 

Sakura adentrou sua casa e viu seu pai conversando com sua mãe, pareciam tensos com tudo. Mas não deixavam de sorrir. Aproximou-se deles e logo os pais da menina olharam-na.

-Já decidi, papai... -Enunciou, séria. –Se a única solução é casar, então pode contar comigo! -Ela sorriu e o homem foi até ela, abraçando-a.

-Obrigado, filha!-A apertou forte. –Serei eternamente grato!

-Então o que falta agora? -Mebuki questionou, os observando.

-Vou providenciar tudo! -Kizashi disse soltando Sakura. –Entrarei em contato hoje mesmo com Fugaku e marcaremos o dia para você ser apresentada ao seu noivo e dali decidiremos a data do casamento! -O homem falava animadamente.

-Papai, posso te pedi algo? -Ela perguntou constrangida, não queria tocar no assunto, contudo era preciso.

-Sim, querida, o que você quiser!

-Já que é um casamento é por conta da empresa...-Sakura exprimia ficando rubra, era um assunto constrangedor, já que falava com seu pai. Deu uma pausa para respirar fundo. –Eu não quero que meu suposto noivo me toque! -Mebuki arregalou os olhos, surpresa.

-Ohh minha querida a intenção era essa! -Kizaski sorriu abertamente. –Homem nenhum irá te tocar antes dos 40!

-Kizashi! -Mebuki chamou a atenção dele e olhou pra filha. –Isso é você e o seu futuro marido tem que conversar, tanto seu pai quanto os pais deles não poderão interferir nisto!

-Mamãe, ainda eu namoro! -Sakura revirou os olhos.

-E daí!?-A loira deu de ombros. –Se eu fosse você terminava essa relação...

-Por causa de um casamento forjado? -Sakura debochou. –Depois deste um ano eu e Sasori nos casaremos! Você que me animou para namorar e agora quer que eu termine por causa disto? -Soou pesarosa

-E ele vai esperar você? -A loira questionou, irônica. –Sakura, você já é uma mulher adulta, faça como bem entender! -A mulher disse bufando saindo dali.

-Affs! -Sakura se jogou no sofá. –Não a entendo! Ela me apoia e depois não me apoia!

-Não ligue para isso, filha! -O homem se sentou do lado dela. –Deve ser a menopausa! -Deu de ombros. –Obrigado por fazer esse sacrifício pela a empresa e me desculpe por isso tudo!

-Não é pela a empresa, papai...-Sakura lhe sorriu. –É por você e pela mamãe...-Ela beijou a face dele. –Não posso ser egoísta, já que a única solução é esse casamento!

-Você e sua mãe são as minhas maiores riquezas! -Ele beijou a testa da menor.

 

Dias depois que Kizashi conversou com Fugaku que já havia conversado com sua filha e já estava tudo certo para o casamento decidiram marcar um jantar para que os noivos fossem apresentados e se conhecessem.

Sasuke chegou à mansão dos Harunos acompanhado pelo Fugaku e Mikoto que buscou arrumar o filho formalmente. O que o deixou mais belo no terno preto junto à gravata vermelha. Ele murmurava porem Mikoto dizia que se ele tirasse iria agredi-lo e chegaria até a suposta noiva vermelho de tanto apanhar. Fugaku somente revirava os olhos os ouvindo.

 

Sakura dava a última olhada no look. O vestido lilás longo e o salto alto preto a deixavam mais elegante. A maquiagem muito bem-feita e o batom vermelho realçavam mais a sua beleza. Mebuki bateu na porta do seu quarto e elogiou o quanto a filha estava linda. Disse que deixaria o noivo babando assim que a visse. 

Foram avisadas para descerem assim que a informaram que os Uchihas haviam chegado. Mebuki foi na frente, Sakura respirou fundo e saiu do quarto.

Parou em frente à escada e estreitou os olhos quando viu um rapaz no meio da sala de cabeça abaixada e de costa para ela junto com seus pais, que conversavam animadamente com o casal Haruno. Sakura respirou fundo chamando a atenção dos casais adultos, menos o rapaz que supostamente era seu noivo, ele não se virou.

Desceu e logo que o rapaz levou um tapa da mãe que murmurava para ele se virar, ele deu de ombros demonstrando desinteresse e virou tendo a surpresa de ver a rosada que teve a impressão de a ter visto algum lugar.

Sakura tremeu, aquele era o homem a qual tentou abusar dela uns dias atrás? Teve vontade de correr quando os olhos negros a encararam com afinco.  Não fez isso, pois as pernas ficaram bambas, se não se escorasse no corrimão da escada, com certeza cairia. A garganta arranhou e se sentiu sufocada quando os olhos do homem percorreram seu corpo rapidamente, analisando-a. A expressão do Uchiha parecia querer lembrar-se de algo.

Ele elevou os olhos novamente e pôde ter a certeza agora que havia a visto na festa do Naruto pelos cabelos completamente róseos e os olhos verdes hipnotizadores a qual sonhava diariamente.

-Você? -Os dois falaram juntos reconhecendo de vez um ao outro.


Notas Finais


N odeiem tanto o Sasuke kkkkkk no desenrolar da história vou esclarecer mais as coisas

Kisssssssss e até


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...