1. Spirit Fanfics >
  2. Reviravoltas >
  3. Único: Está feliz agora?

História Reviravoltas - Capítulo 1


Escrita por: e tsurugi_


Notas do Autor


Olha eu aqui mais uma vez, meus amores, como estão? Todos bem? Espero que sim. -u-
Bom, eu não sei como iniciar isso aqui, mas o que posso dizer é que foi um plot um tanto libertador para mim, por mais que seja algo dramático, ainda assim foi/é algo gostosinho de trabalhar — adoro trabalhar um draminha de vez em quando T^T.
Não irei me demorar muito aqui, só espero que apreciem sem moderação, visse? Visse.
Boa leitura. <3

Selecionar era: "School Trilogy"
Selecionar álbum: "O!RUL8,2?"
Selecionar música: "Skit: R U Happy Now?"
Jogadores: "Taehyung VS Jungkook"
- Start

Capítulo 1 - Único: Está feliz agora?


Jeongguk estava sem palavras. Nunca pensou que passaria por tal momento, ainda mais sendo protagonizado por aquele que amou, na verdade, ama. Mais do que tudo nesse mundo.

Estava incrédulo e estático no lugar, tentou digerir cada informação com precisão absoluta, ainda não acreditava o que seus ouvidos haviam absorvido, parecia uma piada, e uma de mal gosto. Ou talvez uma pegadinha, Taehyung estava brincando consigo, sempre fazia essas peripécias.

— Você está terminando comigo? — proferiu por fim, enquanto se sentava em um dos sofás da sala da casa da progenitora. 

Olhou o rapaz que permanecia em pé, ainda não acreditando em uma palavra do que ele havia dito. Talvez estivesse ficando velho demais e a memória estava começando a pifar, mas tinha certeza que jamais aquela pessoa, que lhe jurou mundo e flores, diria tamanha crueldade para si. Não, aquela pessoa não. 

— Jeongguk, por favor, me entenda. — O rapaz de cabelos pretos sentou-se ao lado do mais novo e lhe segurou a mão que estava trêmula. O mais novo estava prestes a chorar, isso era evidente. 

— Entender você? — repetiu as palavras tão amargas para seu paladar, ainda confuso com o rumo das coisas. Estavam bem, não brigavam por coisas fúteis, tampouco se divergiam em algo mais importantes para eles. Afastou o toque do outro, levantou de onde estava e olhou a pessoa que julgava amá-lo tanto quanto ele próprio. — Eu tenho que entender você, Taehyung? Você chega aqui e me diz que quer terminar comigo porque arranjou alguém melhor? E ainda digo mais: que essa pessoa te banca? O que eu sou para você, afinal? Um estepe? Uma passada de tempo? Um incômodo? Me diz! Porque ainda não entendi o seu ponto.

O mais velho entre eles, denominado como Kim Taehyung, suspirou e permaneceu sentado no sofá. Para si, Jeongguk estava fazendo apenas cena, nada mais que isso.

— Não seja ridículo, Jeongguk — falou enquanto olhava o rapaz. A boca deste abriu e fechou incontáveis vezes, mas a fechou. Se controlaria ao máximo até o final. — Você está aumentando as coisas e distorcendo totalmente o que eu disse. 

— Claro, claro — murmurou irritado.

— De qualquer forma, eu gosto de você, mas você é universitário ainda e mal tem grana para sairmos, entende? Eu quero algo a mais e você não é capaz de fazer isso por mim, compreende agora?

Na verdade, ele não compreendia. Muito pelo contrário, estava ficando ainda mais irritado por tamanha mentira que viveu durante meses com uma pessoa, a qual agora estava o olhando com uma cara deslavada e ainda por cima o tratou como se fosse um nada.

— Você não passa de um ridículo, Kim Taehyung. — Seguiu para a porta da casa e abriu. — Saia daqui. Some daqui e sequer pense em me procurar novamente para me dizer essas bobagens, eu escutei muito por hoje e ainda tenho que estudar. — Sorriu sem muita graça e com uma certa acidez. — Vai procurar essa pessoa que você diz que te banca e se engulam se for necessário e nunca mais, nunca mais mesmo pense em falar comigo.

O rapaz de cabelos pretos nunca havia visto o, agora, ex-namorado tão irritado. Haviam namorado durante meses que se tornaram anos e Jeongguk nunca sequer havia levantado a voz para si uma vez sequer, mesmo triste, irritado ou pilhado com alguma coisa. Entretanto, daquela vez foi diferente, ele estava profundamente chateado e sendo sincero, sentiu muito por ter sido escorraçado da casa da mãe dele por isso. A maior evidência daquela tristeza toda veio depois, com o bater de porta que possivelmente foi escutada na vizinhança toda, mas não voltaria atrás, suas palavras eram verdadeiras e Jeon teria que lidar com elas de um jeito ou de outro.

Por outro lado, na casa do calouro de fotografia, o qual dividia com a única família que lhe restava, este estava no chão, sentado, chorava como se uma parte sua houvesse sido arrancada a mão, e parecia ainda mais que doía ao se lembrar com a frieza que Taehyung havia lhe dito tamanha bomba sobre estar (provavelmente) se relacionando com outra pessoa, de quebra ainda gastando um dinheiro exorbitante que nem era dele. Todavia, a parte que mais lhe rendia lágrimas era aquela que o Kim havia mentido para si praticamente o tempo todo, aquilo jamais sairia da sua mente. 

[...]

Anos se passaram e a vida do jovem Jeon correu conforme o esperado. Formou-se em fotografia, sendo o melhor da classe pelo talento e também por notas, orgulho dos professores e também da progenitora, a qual sempre o apoiou em suas decisões. Seguiu com a carreira que havia escolhido e ganhou um dinheiro extra com seus cliques e flashes sem iguais. Todos que o contratavam ficavam satisfeitos pelo serviço, não ficavam nem um pouco incomodados por Jeongguk ser tão novo e dominar aquela arte sem igual, deixava alguns fotógrafos renomados no chinelo.

A fama do rapaz era tão grande que a agenda deste estava sempre cheia, mal tinha tempo para suas atividades pessoais. Não reclamava, sentia-se bem e realizado com o que escolheu, filas e telefones atrás de outros não o deixavam exausto apenas o incentivava a dar sempre o seu melhor.

Pendurado ao telefone com um novo contratante, realizava mais um contrato para o final do ano. Era um casamento e os noivos queriam algo bem marcante e destacado para mostrarem aos futuros filhos. Concordou com mais um pedido e pediu que a pessoa fosse ao escritório para assinar seus serviços, fechando assim, mais um mês entupido de trabalho até não querer mais. 

Ter seguido com aquela vida não foi sempre fácil, o desemprego ou o descaso que ganhou no começo o desanimaram um pouco, entretanto, conforme fora envelhecendo, as pessoas começaram a lhe dar um crédito ao que fazia e notavam que não brincava quando o assunto era tirar fotos. 

Desapegou-se totalmente da ideia de ter uma vida a dois com alguém — achava incrível como as pessoas gostavam disso, tanto que a maioria que o contratavam pedia algo para casamentos ou noivados — Não recusava, obviamente, sabia ser profissional e não lhe afetava em nada na vida pessoal, não lhe dizia respeito. Por fim, não se incomodava.

Havia superado, mesmo que aos poucos, aquela dor de cabeça que Taehyung havia lhe causado. Ele também nunca mais ousou ligar e estava bem melhor assim, havia deletado número de telefone, excluído de redes sociais e não se importava mesmo com algo assim, estava bem e solteiro, o que era o suficiente para si. Tinha a mãe que lhe dava carinho e era o único que precisava e nada mais.

Durante todo o ano continuou cumprindo a agenda cheia, com ajuda de dois funcionários — e era apenas deles que precisava —, o mais irônico era o fato deles serem um casal, mas isso nunca o importunou, de fato, só não estava disposto a encontrá-los fazendo algo inapropriado em seu escritório o que, claro, isso nunca aconteceu, então os manteve até então. 

O final de ano chegou e com ele o casamento do contratante, o qual Jeongguk aceitou fazer a sessão de fotos. A única coisa que ele não esperava era que fosse encontrar Taehyung depois de tempos. Foi um choque para si, mas não poderia abandonar o barco, não nutria mais nada, nem raiva, apenas mágoa.

A cada flash uma nova sensação ruim lhe invadia a boca, e parecia que só piorava conforme a tarde corria em passos de tartaruga. A cada minuto que via o sorriso do rapaz que um dia dizia que lhe amava, sentia como se fosse uma facada no peito. Ele estava realmente com outra pessoa, e aparentava estar bem com isso, o que realmente não deveria lhe importar. Contudo saber que ele era um dos padrinhos porque o irmão do noivo estava casando, era a pior coisa que poderia ter lhe acontecido porque, no fim das contas, ainda queria saber o porquê de Taehyung ter lhe tratado de forma tão fria ao ponto de lhe virar as costas. 

A resposta — ou algo semelhante a isso —, veio um tempo depois, quando estava guardando seu material de trabalho nas devidas sacolas para não correr risco de quebrar, sentindo ser observado a todo instante, e aquilo estava começando a incomodá-lo.

— Yoongi, Hoseok, levem as coisas para o carro, irei tratar as últimas coisas do contrato com o assinante. 

Os rapazes saíram após concordarem e pegarem algumas das sacolas, isso foi o suficiente para Jeongguk se virar e olhar para sua dor de cabeça no momento.

— O que quer? — Fora curto e grosso.

— Podemos conversar? — Taehyung disse um tanto relutante e parecia que havia chorado, sua voz estava embargada e Jeon apenas concordou.

Se afastaram o suficiente da multidão para não atrair olhares e mesmo que atraíssem, poderia ser só uma conversa normal entre contratante e contratado, nada fora do comum. 

Foi só notarem que estavam realmente sozinhos que Taehyung desabou ali, na frente do Jeon. O que o pegou de surpresa, não esperava tal coisa vindo do rapaz que o fez sofrer anos atrás por causa de um término. 

Kim Taehyung chorava, desabafava, contava tudo que parecia guardado entre sete chaves em seu peito, segurava em puro reflexo a roupa do mais novo e o molhava com aquelas lágrimas salgadas. Entretanto, Jeongguk não esboçou nada depois do susto que tomou ao ver Taehyung chorar. Se não passava de cena ou realidade, nada daquilo lhe importava mais, não era da sua conta, tampouco afastou o rapaz quando este tocou em suas roupas sociais, afinal, não havia se comovido nem um pouco com aquele espetáculo do outro, assim como ele havia feito consigo.

— Eu só quero que me perdoe por tudo que lhe disse, Jeongguk, eu o amei mais do que tudo nesse mundo e nada, nada será capaz de mudar isso. Eu só peço o seu perdão.

O rapaz de cabelos pretos arqueou a sobrancelha e analisou se ninguém havia notado a falta deles, mas ao que tudo indicava: não, não haviam dado falta.

Ele esperou, por longos e demorados minutos, Taehyung terminar tudo, dizer tudo, para depois dar seu veredito a respeito de perdoá-lo ou não. 

— Você está feliz? — foi tudo o que disse. Observou o rapaz alto arrumar a postura e limpar o rosto encharcado de lágrimas. — Digo... Está feliz agora? Com tudo que conquistou? Você procurou por riqueza e glamour como se fosse sua fonte de felicidade. Me tratou como se fosse um nada porque eu não poderia bancá-lo, lembra? Então eu te pergunto, Taehyung. Está feliz agora? — O mais velho permaneceu calado. — Você tem tudo agora, né? Dinheiro, uma casa enorme, roupas de grife e eu espero mesmo que seja apenas teatro seu ter me arrastado até aqui e chorar que nem um crocodilo, para no fim, eu notar que não, você não está feliz. Dinheiro não é tudo isso, não é mesmo? Não passa de um pedaço de papel capaz de comprar tudo, menos a felicidade de alguém, mas fique você sabendo que eu estou ótimo, tenho um vida melhor, trabalho com o que gosto, e não é por causa do dinheiro que estou bem, sempre bom lembrar, né? — Sorriu para o rapaz que permanecia quieto. — Eu estou bem, conquistei tudo o que um dia almejei, então, portanto, não estrague isso.

Se afastou a passos contados até onde havia deixado suas coisas de trabalho, nunca olhando para trás, sua vida seguiria sempre em frente. 

Havia feito com Taehyung o que ele havia feito consigo: virado as costas e nem sequer ousou olhar para trás para ver o que ele faria a seguir. Em seu coração sentia algo incomum, algo que também sentiu quando se formou: satisfação, e ninguém tiraria isso de si. 


Notas Finais


Então, o que acharam? Gostaram? Não gostaram? Deixei muito a desejar? Só me puxarem a orelha (ou não dnfukjdhfxnc) nos comentários, lerei todos com muito carinho. -u-
A fic foi um plot doado que eu não de quem é djfiudkjhnc, mas espero que a pessoa tenha lido e curtido; a betagem ficou por conta da @smaxyjjk; e por último, mas não menos importante, a capa foi feita pela Verô (@egyptian). Obrigada a todos. <33


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...