1. Spirit Fanfics >
  2. Reviravoltas do Tempo >
  3. Capítulo 4 - A Chegada

História Reviravoltas do Tempo - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Voltei finalmente meus Filhotes!

Feliz ano novo atrasado, agora que as festas de final de ano acabaram, eu posso postar com mais frequência (talvez nem tanta pois estou cuidando do meu irmão pequeno enquanto a creche não começa).

Peço desculpas pela demora, mas meu computador já foi instalada no meu quarto e ja colocaram internet, então, vai ficar mais fácil para mim.

Sem mais enrolações, vamos ao capítulo.

Boa leitura!

Capítulo 4 - Capítulo 4 - A Chegada


Pov's Harry

Acordo cedo, me arrumo e vou para o Três Vassouras vendo que todos já chegaram, me sento e peço uma cerveja amanteigada para mim e os outros pedem o mesmo.

– A que se deve essa reunião Harry? - Pergunta Gina direta como sempre.

– Eu, o Ron e a Mione descobrimos que fomos manipulados nossa vida inteira e que Tom Riddle não era o vilão que todos pensaram que era, então fomos ao Gringotts onde tomei senhorio de todas as casas da minha linhagem e fizemos uma limpeza pois estávamos cobertos por poções, compulsões e bloqueios. Sendo assim, o Ron criou um plano para podermos mudar tudo e assim salvar vidas inocentes e impedir todas as manipulações - digo calmamente e sorrio pelas expressões chocadas de todos.

– E que plano seria esse Weasley? - Pergunta Blasio interessado na oportunidade.

– Vamos voltar ao passado, selecionar algumas pessoas específicas e ler livros sobre esses nossos sete anos em Hogwarts até a Batalha Final, após isso, vamos a cada final de livro explicar alguns capítulos que foram pulados, pois não iremos ler todos os capítulos - explica Ron – Encontrei um feitiço capaz de levar pessoas ao passado sem precisar de um vira-tempo.

– Já mandamos uma carta com informações para que Dumbledore acredite que vamos para derrotar Riddle, mas o que vamos fazer é expor quem ele realmente foi, um Museu Ambulante Manipulador - diz Mione com os olhos brilhando em raiva ao lembrar pelo que passei.

– Certo, eu estou dentro, quando vamos? - Dizem Neville, Luna, Gina, Blasio, Pansy e Draco ao mesmo tempo e abafo uma risada fraca.

– Vamos nos arrumar hoje e sairemos amanhã às 08h, assim começamos logo a ler e terminamos mais rapidamente, e enquanto alguns ficam acompanhando, outros de nós vamos atrás das horcruxes, assim podemos fundir todas elas e devolver a sanidade de Tom Riddle - diz tranquilo já pensando nas possíveis mudanças e engulo em seco, "e se meus pais não gostarem nem se orgulharem de mim?" penso cabisbaixo, afinal, os anos vivendo com os Dursley deixaram suas marcas (não somente pelo meu corpo).

– Cada um vai para casa e se arruma e amanhã às 07:50 todos nos encontramos na Casa dos Gritos para fazer o feitiço, eu já enfeiticei os livros para somente alguns capítulos aparecerem e para que os livros fiquem em branco - diz Mione e nos levantamos.

Pov's Autora

Todos vão para suas casas pensativos e ansiosos, arrumam suas coisas em malões pessoais e checam se está tudo certo, após terminarem todos dormem.

No Dia Seguinte

Nossos personagens acordam cedo (devo dizer que alguns tiveram que ser derrubados da cama), se arrumam e vão para o ponto de encontro, Harry pega o papel com os dizeres, todos juntam as varinhas com as pontas se encontrando no centro e a varinha de Harry começa a emitir um brilho de cor branca e Harry começa a recitar:

Nos sumus electi Merlini et Morgana Ego heredis in Hogwarts, ibi narrentur spell et verum est tandem dimisit, quaeso, praesidii et qui mecum simul erant, et tutelae sunt illis qui participare nobiscum: Venite iam XXXI Octobris MCMLXXVII, et locutus est!

(Tradução: Somos os escolhidos de Merlin e Morgana, eu, o herdeiro de Hogwarts, recito este feitiço para que a verdade seja finalmente divulgada, proteção para mim e meus companheiros de viagem e proteção para participar, vamos agora para o dia 31 de outubro de 1977, eu disse e assim seja!)

Pov's Harry

Após eu terminar de recitar o feitiço a luz branca nos envolve e somos mandados para a data exata que escolhemos.

Em 1977, Salão Principal, Café da Manhã

Pov's James

Estávamos comendo nosso café da manhã em paz até que o teto do Salão Principal brilha em branco e nove jovens caem do teto no meio do Salão.

– Sai de cima de mim Potter testa-rachada - diz um menino loiro de pele clara e me assusto pois o sobrenome é igual ao meu e todos me olham, engulo em seco.

– Então mande sua amiga sair de cima de mim Doninha Saltitante Albina - diz o menino com o mesmo sobrenome que o meu se levantando, ofego, ele é igual a mim.

– Por Morgana, alguém me ajuda a levantar - diz uma moça de cabelos pretos tentando levantar e um rapaz negro a ajuda.

– Eu tô maluco ou aquele rapaz é a cópia do Prongs? - comenta/grita Sirius me tirando do meu transe - Mas ele tem os olhos da Ruiva Furacão.

– Cala a boca Padfoot - digo dando um tapa forte em sua cabeça. Noto meu lírio percebendo o mesmo e ficando corada, olho o rapaz que é minha cópia e me levanto ao mesmo tempo que Lílian.

– Se apresentem meus jovens - diz Dumbledore calmamente.

– Hermione Granger - diz a menina de cabelos cheios e castanhos.

– Ronald Billius Weasley - diz o rapaz ruivo.

– Ginevra Molly Weasley - diz a menina ruiva.

– Luna Lovegood - diz uma menina loira de expressão sonhadora.

– Blasio Zabine - diz o rapaz de pele negra.

– Pansy Parkinson - diz a menina de cabelos pretos e feições duras.

– Draco Lucius Malfoy - diz o menino loiro, perai, um Malfoy? UM MALFOY? QUE POHA TA ACONTECENDO AQUI?

– Neville Longbottom - diz um rapaz de rosto cheio e cabelos castanhos e vejo Alice e Frank também se levantar igualmente eu e Lílian.

– Harrison James Evans Potter-Lupin-Black Peverell Gryffindor Ravenclaw Hufflepuff, mais conhecido como Harry James Potter - engasgo pelo nome dele e noto Lílian agir igual - Olá mamãe, Olá papai - ele sorri e corro até ele junto de Lily abraçando os dois apertado.

– Não acredito, o Veado se reproduziu - diz Sirius, solto os dois do abraço e azaro ele com os dizeres Cachorro Pulguento pairando em vermelho acima de sua cabeça e um rádio negro saindo de suas vestes junto com orelhas de cão e sorrio maroto vendo ele me fuzilar com o olhar.

– Não é Veado padrinho, é Cervo, entendeu? C E R V O - responde Harry e vejo Sirius ficar sem palavras - Vem logo padrinhos - diz Harry olhando Sirius e Remus

– E-eu? - Questiona Moony surpreso.

– Ah Moony, faça-me o favor, claro que escolhi vocês dois como padrinhos, vocês são como irmãos para mim - digo e dou espaço para eles puxando Lílian comigo, ela me olha erguendo uma sobrancelha questionando em silêncio e eu indico meus amigo e Harry com a cabeça fazendo ela entender na hora e sorrir para mim.

– Diretor, precisamos que chame algumas pessoas, elas são: todos os Potter, os Black, os Malfoy, os Weasley, os gêmeos Prewett, os Evans, Minerva McGonagall, Filius Flitwik, Alice Fawley, Frank Longbottom, Marlene McKinnon,  Remus Lupin, Peter Pettigrew, Eillen Prince e Severus Snape - diz a menina de cabelos cheios.

– Obrigado Mione, diretor, levem-os até o sétimo andar, os Marotos sabem onde fica - complementa Harry - Os citados que estiverem aqui podem me seguir.

Eles saem e os citados seguimos eles até a sala precisa, uma sala que infelizmente nunca conseguimos colocar no Mapa do Maroto, Harry anda três vezes na frente da parede fazendo surgir uma porta e quando entramos vemos nossos pais e outras pessoas se juntando a nós, quando olho dentro da sala fico impressionado, parece um salão comunal mas com as cores das quatro casas de Hogwarts, nos sentamos assim: Lílian em uma poltrona, Eu, Sirius, Remus e Peter em um sofá, meus pais e os pais do Sirius em outro sofá, Snape e sua mãe em um sofá, os Weasley em outro sofá e as crianças no chão brincando, os Prewett em outro sofá, tia Mimi e o professor Flitwik em um sofá, Alice, Frank e Marlene em outro sofá, os Malfoy, os Evans e Regulus em um sofá e o restante dos Black e Malfoy em poltronas com os viajantes.

– Começa logo a explicar Potter - diz o menino Malfoy para o rapaz que é minha cara e fico confuso pois todos do passado olham para mim.

– O que foi gente, ele estava falando do meu filho e não de mim, parem de olhar como se eu soubesse o que está acontecendo - digo cruzando os braços com um bico de formando sem eu perceber e minha mãe aperta minhas bochechas - Aí mamãe, para - digo tentando me esquivar enquanto os Marotos e o pessoal da sala (menos Snape) riem de mim.

– Tudo bem Malfoy, vou explicar tudo para eles e para vocês também, pois eu expliquei uma parte somente do plano, Ron e Mione sabem ele todo - ele suspira e me arrumo de forma ereta para prestar atenção total. - Eu acabei entrando por acidente na sala dos fundadores e descobri tudo que Dumbledore fez, e antes que protestem tenho provas, enfim, depois que falei para Ron e Mione o Ron começou a ficar estático e branco, foi quando perguntei o que aconteceu que ele me explicou que somente pode entrar nessa sala o diretor e/ou os descendentes dos fundadores, após isso ele tomou as rédeas da situação pois tanto eu como Mione estávamos sem entender nada, fomos ao banco Gringotts e fizemos um teste de herança e bem.. foi onde descobri que nós três fomos manipulados pois tínhamos poções, bloqueios e compulsões em nós, ele bloqueou minhas heranças de criaturas, meus núcleos mágicos e habilidades naturais, fora as poções de amor e o contrato de casamento, passei algumas dificuldades na infância e ele como Guardião Mágico não me checou nem uma vez com meus tios trouxas. Os Goblins removeram tudo, tomei posse dos senhorios reivindicando tudo que foi roubado de mim, denunciei os envolvidos, fui levado ao cofre Peverell e foi onde Morte apareceu para mim, ela me deu um livro falando sobre o tempo e nos ajudou desde então, estudamos o livro com afinco durante um mês inteiro, planejamos tudo que iríamos querer mudar e fizemos tudo certo, falamos com nossos amigo e pessoas que merecem uma segunda chance e então marcamos a vinda, e no teste também descobri meu companheiros de alma, mas isso não vem ao caso agora, na sala dos fundadores continham sete livros sobre mim e sobre o que aconteceu no meu tempo no mundo mágico mas eu resumi os pontos mais importantes em dois livros, no primeiro serão meus primeiros 3 anos aqui, que são os mais tranquilos - percebo a troca de olhares do trio e engulo em seco. - Já o segundo irá focar do meu quarto ano até o ano de 1998 que foi o ano da batalha final mas, eu decidi mudar esse rumo. Em 1980 foi feito uma profecia sobre mim, mas Dumbledore mentiu, essa profecia foi manipulada e nunca existiu fazendo muitos morrerem por uma farsa e eu também vim para mudar isso, nesse tempo Voldemort é um sádico mas o Sr. Abraxas Malfoy pode confirmar que o intuito dele antes de fazer as horcruxes era somente separar o mundo trouxa do nosso, iniciar os mestiços e nascidos trouxa no mundo da magia desde cedo com escolas primárias e orfanatos e para que assim nossa cultura bruxa não morra, mas após ele fazer as horcruxes ele acabou perdendo a sanidade e distorcendo os seus ideais, fazendo assim ele se tornar esse monstro que todos tem medo. Eu vim mudar isso tudo, vou reunir a alma dele para devolver sua sanidade de volta e após isso vamos dar um jeito de expor as verdades de Dumbledore, se tiverem dúvidas podem ler meu teste de herança - Ele finaliza me deixando estático e me entregando o pergaminho e Lílian se aproxima para ler, ao finalizar a leitura as luzes começam a piscar, as janelas quebram e o ar fica totalmente gelado pois notei tudo de ruim que fizeram ao meu filhote, nem notei a face vermelha de Lílian ou os olharem amedrontadores dos meus pais, só sei que meus amigos e o pessoal do passado se afastaram de mim com medo pois minha aura assassina sufocava todos que se aproximavam, sinto dois baques em meu corpo e noto Lílian e Harry me abraçando apertado e me fazendo voltar ao normal, respiro fundo algumas vezes e quando falo minha voz sai grossa e rouca em tom alto.

– Quando sairmos daqui eu vou matar Albus Percival Wulfric Brian Dumbledore, pois ninguém mexe com minha família e sai ileso.

– Calma papai, eu já fui curado pelos Goblins, estou bem, se acalme por favor - diz Harry me olhando nos olhos e suspiro, dando um sorriso fraco ao ver de quem ele herdou os olhos e o jeito de falar.

– Se acalma James, por favor - viro meu olhar para meu lírio que tenta me acalmar e se acalmar também e sorrio calmo voltando a olhar para Harry.

– Você é parecido comigo, mas tem os olhos de sua mãe - digo e observo ele sorrir e corar e seus amigos dão risadas e fico sem entender então a moça de cabelos negros me esclarece.

– Acho que isso é o que ele mais ouviu toda a vida dele - diz ela controlando a risada e eu rio fraco vendo Lily corada.

– Isso é verdade filho? - pergunto calmo e sorridente.

– É sim papai, sempre dizem que sou muito parecido com você mas que tenho os olhos da mamãe, mesmo após a retirada do glamour de sangue eu ainda sou parecido, é o que dizem pelo menos - vejo ele sorrir feliz demais e sinto algo aquecer meu peito ao ouvir ele me chamar de papai.

– Harry, você é muito lindo meu filho, não sei pelo que você passou mas saiba que eu amo você e que estou orgulhosa de quem você está se tornando e fazendo para melhorar nosso mundo - diz Lily arqueio uma sobrancelha e sorrio maroto para ela que não entende então Pads explica.

– Você chamou Harry de lindo e tá na cara que ele é a fotocópia do Prongs, então você chamou o Prongs de lindo automaticamente - diz ele e vejo ela corar às risadas de nossos amigos.

– E quando foi que eu disse que ele é feio? - perguntou ela de cabeça erguida encarando meu melhor amigo e engulo em seco.

– Parem, informações demais mamãe e padrinho - diz Harry tapando os ouvidos e com o rosto vermelho, dou uma risada alta e bagunço mais seus cabelos.

– Tá tudo bem filho, se eles falarem algo eu silencio o Pads, e vejo que a genética Potter nunca falha.

– Por que só o padrinho e não a mamãe? - ele pergunta confuso.

– Porque eu quero que você nasça filho, e se eu silenciar sua mãe ela vai me matar e você não vai nascer - digo brincalhão e pisco para uma Lily vermelha.

– Tá bem, vamos começar a ler logo para podermos mudar tudo o quanto antes - diz meu pai e sorrio para ele me sentando ao lado de Harry com Lílian do outro lado deixando ele no meio.

– Quem começa? - pergunta Remus e Regulus levanta a mão, o livro se abre e ele pigarreia e começa.

Harry Potter e a Pedra Filosofal, Capítulo Um, O menino-que-sobreviveu

– Odeio esse nome - Harry resmunga baixinho mas eu ouço e seguro sua mão e passo um braço por seus ombros para sinalizar que estou bem e ao seu lado.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...