História Revivendo o amor - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Sailor Moon
Personagens Ami "Amy" Mizuno / Sailor Mercury, Ártemis, Jadeite, Kunzite "Malachite", Luna "Lua", Makoto "Lita" Kino / Sailor Jupiter, Mamoru "Darien" Chiba / Tuxedo Mask, Minako "Mina" Aino / Sailor Venus / Sailor V, Nephrite, Rei "Raye" Hino / Sailor Mars, Usagi "Serena" Tsukino / Sailor Moon, Zoisite
Tags Amor, Kunzite, Mina, Minako, Sailor Moon, Sailor Venus
Visualizações 37
Palavras 1.249
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Bishoujo, Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa tarde, meus amores!

Em primeiro lugar, quero pedir imensas desculpas pela minha demora em atualizar essa fic, mas aqui estou postando o último capítulo dessa short, que amei escrever.
Em segundo lugar, quero muitíssimo agradecer todo o apoio que recebi de vocês.

Espero que curtam o fim dessa história.
Beijos Escarlates!

Capítulo 4 - Realizando sonhos


Fanfic / Fanfiction Revivendo o amor - Capítulo 4 - Realizando sonhos

As cores no céu já anunciavam a chegada da noite quando os quatro homens, Usagi e Luna pararam em frente ao templo Hikawa onde Artemis, Rei, Minako, Makoto e Ami esperavam, já que Moon havia pedido para elas esperarem lá. 


Usagi olhou para os homens, depois suspirou fundo como se quisesse tomar coragem e começou a caminhar em direção ao templo.


Minako que estava nas escadarias conversando com as demais, com seu jeito habitual de sempre viu no momento que Rei arregalou seus olhos e ergueu o corpo num rompante. Sem entender a reação da amiga, a loira olhou em direção à entrada do Templo e foi sua vez de arregalar seus olhos, incrédula por ver Kunzite parado bem próximo de si. Ao mesmo tempo que se erguia, seus olhos começaram a marejar, era surreal demais o que estava acontecendo. 


Quando conseguiu controlar os tremores, que se espalhavam pelo seu corpo, caminhou lentamente até o homem que era dono de seu coração. Quando ficou diante dele, começou a passar as mãos por seu corpo, como que para constatar que era ele mesmo ali. 


— C-como você está aqui? — perguntou num sussurro — Eu mesma vi você morrer naquele dia…


O líder dos generais nada respondeu, a emoção de Minako era a mesma sua, apenas a abraçou forte, de uma maneira que se pudesse não a largaria mais. 


— Sou eu, meu amor! — depois de minutos, onde as lágrimas de ambos se misturavam, ele conseguiu responder. 


A emoção dos outros casais era a mesma, e isso fez com que Usagi também se emocionasse, e isso, trouxesse alento para seu coração ao ter certeza que fez a coisa certa. Mas ainda sim, precisaria explicar para as amigas como seus amados estavam ali. Então, esperando que a emoção dos casais passasse, ela foi em direção às escadas, sentou-se esperando a hora que pudesse explicar. Percebeu o olhar de Ártemis sobre si, Luna conversava com ele, com certeza estava explicando o que tinha acontecido. 


Os minutos passaram, aos poucos os casais foram se acalmando e agora iam em direção de onde estava, era chegada hora de enfrentar as amigas. Quando todos sentaram próximo de si, Usagi ergueu-se ficando de frente para eles, e começou a explicar que graças a ela os generais estavam de volta à vida. Explicou também que mesmo sabendo que sua atitude poderia trazer consequências graves, fez isso por elas, por suas amigas. Principalmente, porque soube do sofrimento de Minako. Ao ouvir as palavras da amiga, a líder das sailors olhou para Ártemis, que abaixou o olhar. Não estava brava com seu fiel amigo, pois entendia que ele havia feito por estar preocupado consigo e de certa forma até agradeceu por ter um amigo tão especial assim. 


Depois voltou seu olhar para Kunzite e por fim, para Usagi. Como odiar sua amiga se ela fez tudo para ajudá-la? E agora poderia estar com seu amado e, por fim, viver todo o amor que lhes era tirado desde o Milênio de Prata! Não, tinha que agradecer por ter uma amiga que se preocupava com os outros, que não olhava apenas para seu próprio umbigo. Então com esse pensamento, ergueu-se e caminhou em direção a Usagi que, por sua vez, ficou apreensiva. No entanto, para a surpresa de todos, Vênus abraçou Moon. 


— Obrigada, minha amiga! Eu sei que você fez isso pensando em nós.


As outras guerreiras juntaram-se ao abraço e choraram juntas, fazendo todo o resto se emocionar. Quando o abraço se findou, Usagi olhou para cada uma das amigas e disse:


— Eu quero que vocês sejam felizes, que vocês vivam esse amor assim como eu e Mamo-Chan estamos fazendo. Agora nada nos impede! 


— Iremos sim! Tentaremos aproveitar cada segundo dessa oportunidade que recebemos. 


— Princesa. — Kunzite as interrompeu, segurando a mão de Minako — Eu também quero te agradecer por essa chance que nos proporcionou. Eu farei o possível e o impossível para fazer Vênus feliz. 


— Nós também! — os outros generais responderam em uníssono, também se colocando ao lado de suas amadas. 


Aquela noite emocionante terminou com um jantar especial no templo Hikawa, onde Makoto, com a ajuda de Rei, fez o jantar para comemorar toda a alegria daquele dia. Mamoru quando chegou ao local e constatou o que Usagi lhe dissera no telefone, mal pôde acreditar, correu até os amigos e os abraçou efusivamente. Seus valorosos guerreiro receberam uma nova oportunidade e isso o deixava muito feliz. 


x.x.x.x.x


Os dias foram passando, e os generais reaprendendo a viver graças ao apoio dos amigos e das amadas. Minako e Kunzite estavam cada vez mais unidos e vivendo um dia de cada vez, o que trouxe de volta toda a alegria da Sailor e do general, que apesar de seu jeito frio, fazia questão de ver a amada sorrindo. Ele era extremamente grato a Usagi por estar podendo viver essa oportunidade. 


Um mês após a volta dos generais à vida, Minako resolveu preparar uma surpresa para seu amado, ela estava em frente a um espelho terminando de se arrumar. A loira havia optado por um vestido azul, justo até a cintura e com a saia rodada, uma maquiagem leve apenas para realçar ainda mais a sua beleza. Quando a campainha tocou, seu coração acelerou, respirou fundo e caminhou até a porta. Ao abri-la sentiu o coração acelerar mais ainda porque o amado usava uma calça e camisa branca e em uma das mãos carregava um belo buquê de rosas vermelhas que entregou para ela. 


— Você está linda! — ele disse, o que fez que ela alargasse o sorriso em seu rosto.


— Você também está! 


Após um selinho trocado pelo casal, ambos se dirigiram até o restaurante onde a sailor havia feito a reserva, ele ficava no alto de um prédio, e de lá era possível ver toda cidade. Minako e Kunzite apreciaram a refeição acompanhado de um bom vinho, dançaram, depois foram até o apartamento em que o general morava com seus amigos, mas naquela noite, eles estavam com suas amadas também.


Após entrarem, sentaram-se no sofá. Kunzite pegou uma das mãos delicadas da Sailor, beijou o dorso e depois a levou até seu peito, onde ficava o coração.


— Minako, sente isso? — referia-se às batidas, no qual ela anuiu em concordância. — Essa é a maior prova do meu amor por você, agradeço aos céus todos os dias por poder realizar tudo o que sempre quis ao seu lado. — selou seus lábios nos dela. — te beijar — sussurrou no ouvido, depois desceu até a curva do pescoço. — sentir teu perfume — a abraçou. — sentir teu corpo junto ao meu — Eu te amo, Minako Aino. Por isso — ele retirou de dentro do bolso da calça, uma caixinha de veludo a abriu e nele tinha um anel solitário com uma pedra branca. — Gostaria que você fosse minha esposa. Aceita? 


Minako que já estava chorando por causa da declaração, deixou que as lágrimas caíssem com mais abundância. — É claro que eu aceito, meu amor! — jogou-se nos braços dele. — Eu sonhei tanto com esse momento! — sussurrou entre seu pranto. 


— Eu também! Agora podemos realizar todos os sonhos que sempre tivemos. 


Após as juras de amor, nada mais foi dito, o casal apenas deixou que os seus corações os guiassem, e naquela noite sob a luz prateada da lua, Minako e Kunzite entregaram-se de corpo e alma ao amor que sentiam.  



Notas Finais


Então era isso. Pra mim é uma alegria e orgulho terminar essa primeira fic de Sailor moon. Logo virão outras.

Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...