1. Spirit Fanfics >
  2. Rewriting Fate >
  3. Capítulo 11

História Rewriting Fate - Capítulo 11


Escrita por: _Hope_Mikaelson

Capítulo 11 - Capítulo 11


Fanfic / Fanfiction Rewriting Fate - Capítulo 11 - Capítulo 11

       Reino de Monteriggioni
                    (Corte de Florença)


Assim que o jantar acabou cada casal foibpara um lado.
Vincenzo levou Camille para a biblioteca da casa.

- É lindo!

A biblioteca tinha séculos de existência, mas ainda estava preservada, as estantes com livros iam do chão ao teto, no mesmo cômodo havia outros moveis de madeira, poltronas e sofás.

- Aqui é como um esconderijo!

Ele ainda não sabia como ia fazer, mas queria provoca- la, algo o dizia que ela ela era mais interessante com raiva.

- Posso pegar qualquer livro?

- É claro que pode. Você pode usufruir de tudo aqui, começando por mim. - Ele deu um sorriso sexy.

Mal sabia ele que esse jogo era pra dois. Ela não iria enaltecer o ego dele.

- Vocês reles mortais não conseguem se concentrar com facilidade.

- Por que diz isso?

- Como consegue ler um livro de cabeça para baixo?

Ela verificou o livro mas estava tudo certo.

- Ele não estáde cabeça para baixo.

- Mas você parou para ter certeza. Acho que não está conseguindo se concentrar com a minha presença.

- Convencido.

- Prefiro que me chame de realista.

- Acho que é você que não consegue se concentrar com a minha presença - Ela fou se aproximando.

- Talvez você tenha razão.

- Tenho é?!- Ela estava perto demais.

- Tem. - Ele confirmou segurando a cintura da mesma.

Mas foi ela que tomou a iniciativa, o beijou, mas não foi qualquer beijo, foi um beijo feroz, nescessitado. Ele retribuiu o beijo e apertou mais a cintura dela contra o corpo.

Eles pararam para tomar fôlego, em um momento de distração ela se soltou do aperto e saiu andando.

- Acho que o senhor das sombras não consegue se concentrar com uma mulher por perto.- Ela fou antes de frechar a porta.

Ambos pensaram no beijo sobre o beijo dirante anoite, mas Vincenzo foi mais além na imaginação.

No jardim, Matteo amostrava a Elena as flores da estação.

- São lindas- Disse Elena recebendo uma rosa de Matteo.

- Que bom que gosta, o que mais a senhorita Elena Lombardi gosta?- Disse enquanto andavam.

- Gosto de flores, minha cor preferida é rosa, domino o elemento da água, e as minhas amigas dizem que sou a dramática do grupo. A minha resposta está de acordo, Sir. Matteo Balestrini? - Ela falou dando um sorriso.

- Não sei da resposta, mas consegui um sorriso seu.- Ela rapidamente corou.

- O senhor é sempre assim? Quero dizer, cavalheiro? - Ela adoraria tê-lo conhecido antes de guarda o coração a sete chaves.

- Eu tento. Poderia me fazer o favor de me chamar por você, e por senhor?!

- É claro senh... Você.- Ela gaguejou- Está ficando tarde devo ir.

- É claro, quer que eu a acompanhe até seu quarto?

- Não, obrigada! Irei a procura de Alexia.

Ela partiu em disparada, não sabia o porquê de estar tão nervosa. Enquanto ele pensava em como iria se aproximar dela.

Lorenzo de Luca tinha levado Alexia Müller para ver onds ele afiava as adagas e as vezes até praticava tiro ao alvo. O lugar era praticamente feito para ele. Afiar a adaga na frente de alguém é sinal de confiança, já que essa outra pessoa saberá onde está mais afiado.

- Gosto dessas aqui, elas tem o peso ideal, leve de segurar e pesada no golpe.- Disse Lorenzo enquanto amostrava o seu arsenal das mais variadas armas.

- Você já está aqui a um bom tempo me amostrando facas de caça, adagas, rifles... Eu gosto disso tudo também, mas não foi por isso que me chamou, ou foi? - Alexia normalmente é descida.

- Na verda eu só queria te agradar. - Ele não sabia o que fazer ou falar.

- Se quer me agradar é porque tem algum interesse em mim, então por que não vamos direto ao ponto?- Ela falou se aproximando.

- Não nego o meu interesse, mas e você o que quer?

- Eu quero o mesmo que você, diversão. Podemos nos divertir sem compromisso.- Ela estava acariciando o rosto macio do mesmo.

- É claro, é isso mesmo que eu quero.- Não era isso que ele queria, ele queria um compromisso, algo sério, mas ao mesmo tempo não queria rejeita-la. Sabe se lá se teria uma nova chance.

Ela ia o beijando quando Elena chegou.

-Desculpe, eu não aueria interromper.


- Não interrompeu nada vamos dormir Elena

E as duas saíram rumo aos respectivos quartos.







Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...