1. Spirit Fanfics >
  2. Rey Adam - Além da Ascenção Skywalker - Livro 2 >
  3. Partida

História Rey Adam - Além da Ascenção Skywalker - Livro 2 - Capítulo 34


Escrita por:


Notas do Autor


As coisas a partir de agora vão ficar tensas, mas infelizmente é assim que tem que ser, vamos nessa!

Capítulo 34 - Partida


Fanfic / Fanfiction Rey Adam - Além da Ascenção Skywalker - Livro 2 - Capítulo 34 - Partida

Fase: Contra a parede


Darien estava se sentindo sem chão com o que aconteceu, um enorme aperto e nó na garganta, nunca fora sua intenção se meter numa situação tão delicada e pôr em risco seu casamento, era verdade o fato que gostava de Maulva Astra e tinha uma certa admiração pelo jeito da mesma, mas não era sua intenção estar com ela num jeito de homem e mulher.

Ainda por cima falando coisas que não paravam de fazer sua cabeça girar, ela dizia que percebeu coisas que ele tinha certeza ser um tipo de engano por carência da mesma e ainda jogou na sua cara que sua esposa não o tratava como merecia e de fato Demetria andava um tanto distante por um bom tempo, mas não sabia como ela percebeu isso, ou melhor, será que isso estava tão óbvio a vários olhos e só ele não havia percebido?!

A única coisa que lhe veio em mente era beber um pouco e tentar esquecer tudo aquilo e tirar esses pensamentos absurdos da sua cabeça.

Mais tarde, Demetria entrou no quarto, tinha ficado até tarde brincando com a filha e distraída ouvindo as histórias de aventuras de Chewbacca e ao entrar no ambiente, ela percebeu de imediato algo estranho no ar, seu marido estava muito quieto em sua cama, também com aparência estranha e um forte cheiro de álcool impregnado no ambiente.

-Darien? O que aconteceu? -perguntou num tom preocupado sentando ao seu lado.

-Não é nada. -disse num tom meio grogue e melancólico.

-Como "não é nada"? Você não parece bem, aconteceu alguma coisa?

Ele saiu correndo de repente até o banheiro botar o mundo pra fora.

Ela foi até lá.

-Amor, está me deixando assustada, você não é de agir assim. Aconteceu algo com Raj?

Ele lavou o rosto, boca e respondeu depois de poucos instantes:

-Não aconteceu nada com ele, eu só quero esquecer alguns problemas, não tem porque eu lembrar disso.

Voltou pra cama, embora ficasse sentado na mesma, ela foi em seguida lhe fazendo coisas companhia.

-Darien, eu percebo algo errado com você, você bebeu mais do que o normal e está estranho, por que não se abre?

-E desde quando você se importa com alguma coisa em relação a mim?

-O quê?! Como assim Darien?! Mas que raio de pergunta! É claro que eu me importo com você! Eu sou sua esposa! -disse num tom indignado e perplexa.

-As pessoas percebem que estamos distantes, você começou se afastar simplesmente do nada e eu realmente não compreendo.

-As pessoas? Sério? Eu apostaria todas as minhas fichas que isso é coisa da sua amiguinha! Está colocando coisas na sua cabeça! Aquela mulher me detesta!

Ele abaixou a cabeça tampando os olhos com a mão os esfregando de forma lenta.

-Por favor não me fale nela.

-Claro! Nunca pode tocar nesse assunto! -disse irritada sem incara-lo. -Vou deixar que veja com seus próprios olhos, só espero que esse dia não seja tarde!

-Não se preocupe, eu vou me afastar dela, se quiser, voltaremos pra Naboo, só quero que me deixe em paz com esse assunto. -disse de cabeça baixa num tom melancólico e irritado.

-Darien, se estou sendo irritante não é por maldade, mas nem tudo é flor que se cheire, eu percebo coisas, eu não estou maluca! Está claro como a luz do dia, mas você é incapaz de perceber.

-Eu já percebi, não se preocupe.

-Percebeu? Sério que está concordando comigo? Agora me surpreendeu! O que te fez mudar de idéia? -disse num tom surpreso e sarcástico. -Aliás, por acaso isso não tem haver com esse seu comportamento esquisito né?

Ele a encarou em silêncio.

-Não precisa responder, está explícito nos seus olhos. -disse num tom tenso. -O que aconteceu com vocês?

Ele olhou pra baixo.

-O que você fez Darien?! Responde! -Demétria gritou.

-Não foi nada. Eu não fiz nada.

-Eu sei que aconteceu alguma coisa! Pra que omitir isso? Se não fosse nada não estaria desse jeito! Responde caramba!

Ele a encarou angustiado e estressado com os gritos da mesma.

-Foi só... só um beijo, mas foi rápido, eu não correspondi porque fui pego de surpresa.

-Ah! Eu sabia! Sabia que desde o início era isso! Ela queria você! Isso estava bem óbvio e eu sempre conseguia perceber algo de errado com aquele cinismo dela. -disse num tom frio e perplexo. -Ela não sussegou até ter o que queria e você pior ainda! Cego como uma porta! Ou se fez de cego!

-O que está falando Demétria?! Eu não tive culpa de nada. -disse tentando tocar nela, tentar.

-Não encoste em mim! -disse saindo do seu lado.

-Demétria!

-Como você lidaria se a situação fosse ao contrário? Eu chegar aqui te dizendo que beijei outro homem, e pior ainda, alguém que desde o início sabia que não tinha empatia por você... vou pra Tatooine ficar com Dalilah, preciso de um tempo pra tudo isso.

-O quê?! Você não vai! -disse levantando num salto da cama.

-Eu vou sim! Eu vou e você não vai me impedir! -disse furiosa.

Começou de forma muito rápida arrumar suas coisas, roupas mais importantes, ele tentou desesperadamente impedir:

-Não, por favor não faz isso Demétria! Eu nunca te traí! Por favor não me deixe!

Ela forçou a mão dele pra soltar seu braço passando de imediato e saindo do quarto e o desespero lhe caindo, não conseguia acreditar que sua esposa estava prestes a partir!

-Demétria! Demétria! Que inferno! Volte aqui! -ele gritou enquanto ia atrás dela.

-Mamãe? -disse Dália confusa indo até a mesma que já vinha em direção do seu quarto. -O que está acontecendo? -perguntou num tom melancólico.

Darien ficou paralisado, sem reação, não conseguia fazer nada que não fosse assistir como um telespectador.

-Meu amor... -Demétria tentou forçar um sorriso e voz delicada, mas saiu chorosa e algumas lágrimas caíram. -A mamãe vai passar um tempo com a sua tia, mas não se preocupe, sempre que precisar você pode me visitar meu amor.

-Você... você vai me abandonar?! Se separar do papai?! -disse a pequena começando chorar.

Darien não deixou de chorar igualmente, lhe partia o coração ver a pequena de coração partido lhe causando um enorme sentimento de culpa, nunca desejou morrer como naquele momento.

-Minha princesinha, eu nunca te abandonaria! Mas a mamãe está tendo problema delicado de gente grande e precisa de um tempo porque estou muito triste.

-Você brigou com o papai? Faz as pazes com ele! Aí não precisa ir embora.

Demetria pegou algo da sua bolsa e entregou na mão da pequena.

-Quando sentir saudades ou tiver qualquer problema pode falar comigo toda hora tudo bem? Não se preocupe, eu vou voltar sempre pra te ver, mas agora preciso passear, a mamãe vai tirar umas férias pra poder ficar feliz, não é o que você deseja? Me ver feliz?

A pequena balançou a cabeça concordando ainda em lágrimas, Demétria a abraçou com força e angustia e saiu em seguida, Darien correu até a mesma quando sumiu do seu campo de visão.

-Demétria! Nem por cima do meu cadáver! Desista dessa loucura! -ele gritou correndo até ela sem se importar que qualquer um escutasse e ao encontrar a mesma na nave bateu no vidro. -Demétria! Demétria!!! -disse batendo forte no mesmo.

Ela o olhou com angustia e decepção brevemente, uma troca de olhares muito profunda e em seguida partiu.

-Não. -ele chorou contemplando o céu estrelado onde a mesma estava antes de desaparecer em velocidade da luz.



Um mês atrás, Coruscant


Adam se preparou pra ir ao grande quintal de sua casa pra sabe se lá o que estivesse lhe esperando de sua família, ficou um tempo em seu quarto aguardando o momento anteriormente.

Rey tampou os olhos dele enquanto caminhava e ao revelar viu um enorme painel com um "parabéns vencedor" ao lado algumas bexigas flutuantes penduradas e Temiri e Ben-Han que estavam animados jogando pétalas de flores nele em seguida. Pra sua surpresa Gui e Rose também fizeram uma aparição, ambos seguravam Datapads que revelava o rosto dos seus outros companheiros de trabalho e até mesmo de trabalhos mais antigos que lhe enviaram comentários e vídeos lhe desejando parabéns pelo tão sonhado prêmio e toda sua carreira.

Finn e Poe vieram logo em seguida trazendo um delicioso bolo.

-Muito obrigado pessoal! Obrigado rapazes, obrigado Gui e Rose por terem tido um tempinho de nos visitar! E adorei o painel. -disse tocando o mesmo reparando os traços que pareciam feitos a mão.

-Eu desenhei as letras e Temiri me ajudou pintar e pendurar, foi um tempo curto, mas conseguimos! -disse Ban.

-E eu ajudei com as bexigas. -disse tio Kin. -E também peguei umas flores do jardim, se não se importa.

-Já fez mesmo, não adiantaria chorar pelo leite de Bantha derramado! -disse Adam risonho.

Tio Kin deu de ombros.

-E falando nisso, eu tô vendo coisas ou seu cabelo está preto filho? -disse ele arqueando a sombrancelha pro mais velho.

-Bom, eu quiz mudar, ficar mais parecido com o senhor, eu fiquei muito entusiasmado com todo esse lance seu do Oscar, foi uma pequena homenagem!

Ele sorriu balançando a cabeça negativamente.

-Bom, sem conversa, agora vamos comemorar! -disse Rey animada.

BB-8 ativou um som animado enquanto comiam, conversavam, davam risadas, tudo ia tranquilo e prazeroso.

Pra surpresa de todos, Ben-Han havia sumido um pouco de vista, Rose comentou com Rey que olhou pra vários cantos, apenas viu seus Droids, Millicent perseguindo com o olhar um inseto e tentando pegá-lo em seguida com sua pata, Moose descansando tranquilo e acordado, mas nada do pequeno.


E então pra surpresa de todos ele apareceu, e não de qualquer jeito, veio com seu novo capacete, roupas pretas e um lençol preto amarrado como capa.

-Mas o quê? -disse Finn num tom baixo e perplexo.

Adam sorriu surpreso pro pequeno que logo em seguida retirou seu capacete olhando brevemente sério, por um momento Rey sentiu inexplicavelmente seu estômago cair.

Aquele tipo de olhar, sua expressão, embora jovial e agelical, mas aquilo trouxe um tipo de nostalgia negativa, ela viu o filho de uma forma que nunca tinha visto antes, de um jeito sombrio.

Ele em seguida deu um fofo sorriso e falou:

-Eu quiz me produzir como você pai, porque pra mim você é um vencedor e tudo de bom! Adoro o seu estilo e quando eu crescer quero ser igual a você! -disse olhando pro capacete enquanto levemente o acariciava e depois olhou pra ele.

Adam cerrou os dentes no sorriso ficando um pouco amarelo, como uma picada de consciência lá no fundo, Rey ficou em silêncio, assim como os demais, embora eles mantiveram um sorriso surpreso e sem muita reação.

-Bom meu amorzinho. -começou ele. -Eu adorei sua surpresa! Mas acredito que você adoraria ser como eu em relação ao meu jeito de contar histórias, mas não como certos personagens meus. -disse num tom delicado e calmo.

-Por que papai?

-Um dia te explico. -disse indo até o mesmo e lhe dando um beijo na sua cabeça.

-Porque não fala logo pra ele? -disse Temiri. -Ele já está grandinho pra entender que Kylo Ren era um cara muito mal, como um dia foi Darth Vader, todos os temiam e ele era real!

-Temiri, já chega! -Adam o repreendeu lhe dando um olhar severo, com o mais novo nos braços.

-Por que o senhor é assim? Não entendo, qual problema de falar sobre esse tipo de coisa? Ele não se redimiu dos seus pecados? Mas é apenas um fato.

Como se Rey lesse os pensamentos de Adam ela foi até Temiri.

-Filho poderia vir comigo um minuto?

Ele não respondeu, apenas a acompanhou.



-Não entendo o papai, ele protege demais Ban, não é a toa que se tornou mimadinho. -disse enquanto caminhava.

-Querido, ele só não quer deixar o mesmo assustado, existem certos lados do seu pai que desejam evitar problemas futuros ou certos traumas. -disse Rey.

-Eu realmente não entendo isso mãe, quando era mais novo eu sempre soube que existiam pessoas más assim como perigos.

-Mas nada disso era seu pai, quer dizer, ele... não tem idade pra entender direito e teve uma criação diferente, ele não é como você. -Rey tentou explicar. -Deixa isso pra um momento mais adequado.

-Tá bom, tá bom, que seja, já que preferem que ele viva num mundo encantado tudo bem, eu não sou pai pra entender esses lances.

-Hora e quem disse que você não vive em um mundo encantado também? As nossas brincadeiras e todo resto? E não adianta dizer que só seu irmão é mimado porque seu pai e eu paparicamos muito você também! -disse Rey num tom risonho e animado. -Vive agora numa casa linda e confortável, bem diferente da dura realidade da sua infância, com um quartinho tão bonito com suas coisinhas divertidas.

-Sim, isso eu devo concordar mãe. -ele disse sorridente.

-Bom, vamos voltar?

Ele fez um sinal de joinha com a mão.

-Não sei se vou me acostumar com esse cabelo, a cor original era linda filho, mas também não ficou nada mal assim, tá uma versão mirim do seu pai. -disse risonha tocando no cabelo dele.

Ele riu sem jeito e envolveu o braço nela ficando carinhosamente meio abraçado enquanto voltavam.



-Vem cá bebezão respondão! -disse Adam abrindo os braços pro mais velho lhe envolvendo num abraço. -Desculpe se fui meio grosso com você, mas quando te pedir pra não fazer uma coisa é porque tenho minhas razões.

-Tudo bem pai, compreendo que o senhor sempre tem as melhores das boas intenções com todos nós.

-Sim bebezão. -disse beijando sua cabeça, fazendo Temiri rir e revirar os olhos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...