1. Spirit Fanfics >
  2. Rey Adam além da ascensão Skywalker >
  3. Capítulo cinco-Despedida

História Rey Adam além da ascensão Skywalker - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Esse vai ser o último capítulo da primeira fase de Tatooine. As coisas vão ficar mais claras, alegres entre outros momentos repentinos dignos de uma boa despedida. Não vou repostar fotinha de capa do capitulo por enquanto devido a um bug no meu celular, mas assim que puder irei postar da próxima fase em Naboo que explorará novos personagens.

Capítulo 5 - Capítulo cinco-Despedida


Depois de deixar o local Rey ficou em seu lugar de costume de meditação admirando a vista dos sóis que muito em breve iriam se pôr como uma despedida. Pela primeira vez em tanto tempo ela pensou em Adam. Pensou que ela estaria errada em julgar sua profissão considerando ser inútil e seus ideais de vida. Talvez não tivesse nada de errado em querer ter uma vida normal, formar uma família, mas Natasha teria sido a egoísta na história que resolver deixar pra trás e seguir um sonho de ser uma heroína por que não compartilhava o mesmo sonho de Adam? Tudo agora parecia meio confuso, mas tudo era um mistério que nunca saberia ou cada um teve seus erros e ambos tiveram que concertar da sua própria forma. 

Rey percebeu passos se aproximando familiar e se sentar ao seu lado. 

-Olá Rey.-disse Adam.-Eu sinto muito sobre as coisas que eu disse. Eu não sei o que me deu, mas existem coisas que não gosto de lembrar do meu passado, mas...

-Eu é que te peço desculpas.-Rey o interrompeu. -Não devia julgar seu trabalho e suas escolhas. Só agora percebo isso.

Adam deu um sorriso e se aproximou, mas deixando a cabeça cair no ombro dela de forma amigável. 

-Eu soube que você vai partir de Tatooine.

-Nesse mundo se sabe de qualquer coisa, com todos aqui não se pode esconder nada. 

Adam riu.

-Admirando a vista antes da despedida? 

-Sim. Me ajuda a pensar e meditar. Vou viajar brevemente pra Naboo. A Senadora parece gostar muito de lá e das culturas históricas dos antigos líderes. E sei bem como ela detesta o calor do planeta nessa época do ano também, fugiria com qualquer desculpa inclusive por um possível interesse em alguém. -Rey agora sorria e falava de uma forma meio risonha. Adam ria de boca fechada. 

-Talvez seu trabalho não seja tão chato quanto eu pensei, deve ter sido engraçado. 

-Eu tava com fome e de cabeça quente eu queria que ela calasse a boca, mas depois eu até me surpreendi com tantas teorias e até ri com algumas coisas no caminho pra cá.

-Que bom. Sabe Rey. Eu não te contei tudo sobre meu passado. É doloroso e difícil, mas sinto que estou pronto, tenho confiança de te contar talvez você entenda melhor o meu lado.

-Pode me contar.

-Bom. Eu conheci a Natasha Nicole por volta de uns 10 anos na época eu tinha 20 anos, ela gostava de ir comigo nas viagens em que eu me apresentava nos teatros. Pelo menos era o que eu pensava, ela deixou claro que eu idealizei meus pontos de vista sem ter certeza. Ela sempre teve um passado de que fez coisas erradas ela não era perfeita,  mas buscava um dia se redimir e ela começou a ter esse desejo intenso de se alistar para 

a Aliança Rebelde. Mas o problema não foi só esse. Na época tivemos um filho. 

Rey se surpreendeu com a declaração. E a curiosidade despertou a mil.

-Um filho? E cadê? O que aconteceu? 

-Bom esse é o problema. Ele morreu, mas a Natasha nunca acreditou totalmente que isso de fato aconteceu. Deixamos com uma babá durante uma das nossas viagens e quando voltamos a nossa pousada havia sido invadida por gangue de milicianos e destruída e muitos mortos inclusive a babá. Ela tinha uma pulseira de herança da mãe dela que estilizou e dividiu em duas partes e deu pro nosso filho e a outra me deu quando nos separamos, ela acreditava ser um símbolo de esperança em momentos difíceis, coragem e boa sorte. Ela não encontrou no local e acreditava que havia uma chance de estar vivo, mas eu a convenci que não, depois disso aí que o casamento foi pra valer de mal a pior eu queria esquecer tudo aquilo e me afundar no trabalho pra esquecer tudo isso e ela ficou obcecada em ir pra Aliança Rebelde. Mas eu não aceitava a idéia de perder um filho e ainda a esposa, queria recomeçar de novo, mas ela ja estava certa e não voltaria atrás. E aí uns cinco anos depois aconteceu o acidente. As vezes eu fico imaginando se ele estivesse vivo um dia desses nem iria me reconhecer passaria por mim sem se importar. É como se nunca tivesse vivido nada disso, como mais uma de minhas histórias que interpreto ou uma lembrança distante que prefiro as vezes esquecer,  mas tirar apenas os momentos bons como coisas que 

fazemos na infância que fica pra trás, mas não esquecemos pq faz parte de nós sabe, mas seguimos em frente pra criarmos outras memórias e momentos divertidos e inesperados.

Nessa hora Rey lembrou das palavras de Ben em seu sonho.

-Como por exemplo conhecer alguém tão legal como você, pena que teve o desprazer de conhecer alguém tão chato e chorão como eu.-ele brincou, apesar de ser algo sofrido, botar pra fora pareceu lhe fazer muito bem.

-Não tive desprazer algum. Gosto como conseguimos  entender a dor um do outro e estou aprendendo muitas coisas ultimamente e ver várias coisas em outros ângulos. Não se pode ter um futuro sem ser guiado pelo passado e história de outras pessoas, sem elas não existe nada e não podemos nos guiar para podermos aprender com os erros ou buscar inspiração e coragem. Pena não ter percebido isso antes.

-Antes tarde do que nunca, mas é bom você ver assim, mas enfim, eu vou deixar com você isso pra te dar boa sorte. Você vai precisar muito mais do que eu. - ele falou pondo em seu pulso a pulseira. 

-Não posso aceitar. 

-Eu acredito que você seja a pessoa certa de receber e também ela iria gostar que eu te entregasse, alguém que luta pelo que é certo e a justiça merece ter algo pra dar boa sorte. Eu já tenho a tanto tempo ta na hora de passar a tradição a diante. 

Rey o abraçou agradecendo. 

-Obrigada. Vou usar com muito carinho. Espero que possamos nos rever algum dia novamente. 

-Também espero. E... -Adam pareceu mudar seu tom de despedida. 

- Sobre o beijo nem se importe que ja até esqueci! Sei que a intenção não era pra mim.

-Você tinha que acabar com o clima de despedida! -Rey revirou os olhos deixando escapar um riso envergonhado e abafado.

-É apenas pra não deixar nenhum desconforto e ressentimento.

-Se você tivesse esquecido, não iria nem mencionar. -ela falou de uma forma descontraída. 

-Você tava sonhando com ele né? Ele se parecia comigo?

-Nem um pouco. Você é muito chato e se veste muito estranho.

-Gosto de me vestir como se eu fosse de outra galáxia, também me ajuda a me inspirar pros meus papéis. Pode parecer estranho ou irônico, mas me sinto mais eu mesmo vestido assim e também me ajuda a não ter timidez. 

-Então é tipo um hobby de se fantasiar?

-Bom... entenda como quiser. -Ele disse rindo. 

Se a história fosse na Terra ele seria um cosplayer ou se vestiria de forma geek, mas no caso original pra Terra ele se vestiria de uma forma padrão, mas elegante.

-E com quem eu sonho ou deixe de sonhar não é problema seu!

-Ai! Essa doeu,  mas eu mereci. -brincou.-Mas sobre ele quem sabe um dia eu não o interpreto! Daria uma ótima história! Cheio de ação, lutas, sentimentos intensos, o despertar da Força e reviravoltas, algo com um título de "guerra nas estrelas".

Rey ficou de boca aberta. Sua história sendo contada para vários mundos poderia ser bom, mas também assustava um pouco, mas não era algo de se importar no momento até porque não se sabia quando Adam falava sério ou tava de zoeira e não seria algo da noite pro dia. 

-Ja to tendo dúvidas de quem é mais tagarela, você ou a Senadora, vocês fariam um par perfeito. 

-Quem sabe, se ela desistir do suposto interesse. Mas ela teria que te superar se destacando com beijos surpresas. 

Rey nesse instante estendeu a mão na direção dele cansada de ouvir besteiras da parte dele p jogar um truque.

-Você vai parar de falar besteira e só falar coisas sérias.

-Que? 

-Você vai falar apenas coisas sérias, parar com essas besteiras. -ela continuou vom mais intensidade. 

-Eu vou parar, vou parar de falar.

Por um instante Adam parecia perder os sentidos como se sua mente ficasse distante por um instante, ele continuou a tentar buscar palavras, mas era como se não conseguisse lembrar como se falar o próprio idioma. O efeito do truque fazia, mas também nem tanto, ele parecia lutar pra ter consciência das coisas, mas estava meio fora do ar.

-Eu não,  eu não lembro o que eu queria dizer, você fez algo? Eu to confuso me sinto como se estivesse bebido algo muito forte.

Rey riu.

-Fiz um truque pra você parar de encher o saco com suas piadinhas. 

- Eu não, eu não queria, mas eu me surpreendi com aquele beijo, foi algo que... faz anos que não acontecia de verdade, que, que eu até me, me deixei levar por uns instantes, mas compreendi que não deveria ter acontecido no exato momento, você não parecia consciente e nem bem, não queria me aproveitar. 

Rey ficou surpresa.

-E... o céus o que estou dizendo? Parece até que embaralharam meu cérebro. -Adam pareceu retornar os sentidos na hora, talvez houve um desligamento devido a surpresa de Rey.

-Desculpa, não vou fazer de novo.

-Bom, não leve a mal o que eu disse, você é muito bonita e de fato eu tenho quase uma década sem ninguém, mas nem por isso eu me aproveitaria. Mas é um fato que depois que te conheci pareceu que tudo ficou mais divertido e me senti menos vazio. 

-Que bom que pude te ajudar de alguma forma, mas se eu tivesse te conhecido antes eu poderia até te ver com outros olhos,  mas infelizmente não estou pronta pra isso e não acho que sou a pessoa certa. 

-Eu percebo um pouco de dúvida nos seus olhos, mas entendo sua decisão. Mas se eu te pedisse um beijo de despedida consciente você me daria?

-Você é ridículo! Nunca. 

-Eu sabia que você ia dizer isso.-ele riu

-E por que falou então? 

-Porque gosto de te chatear pra descontrair, há há. 

Rey o olhou por uns instantes pensando em se lhe jogava outro truque da mente ou fazia algo pior. Até que decidiu fazer outra coisa. 

-Quer saber de uma coisa?

-Sim?

Ela lhe surpreendeu dando um beijo nele que foi pego totalmente de surpresa novamente. Não beijo de amor, apenas de brincadeira. 

-A! Ué ?

-Só assim eu te faço calar a boca. 

-Esse dia foi bem louco.-ele parecia falar sozinho.- olha hora!  Já ta ficando de noite e a gente nem reparou. Vamos voltar pra pousada não confio na segurança da noite em Tatooine.

-Certo e preciso terminar de guardar umas coisas, se quiser pode me ajudar. 

-Seria um prazer. 

Rey e Adam voltaram juntos pra pousada, ele ajudou rápido até porque Rey só tinha coisas básicas pra guardar. Eles se olharam por uns instantes assim que terminaram de guardar o último item.

-Adeus Rey, eu irei em breve sair de Tatooine também, surgiu uma oportunidade importante pra mim e irei viajar pra realizar o papel por um tempo indeterminado. Mas espero que nossos caminhos se cruzem novamente por aqui ou em outro sistema. 

Ao dizer isso Rey sentiu um pesar que não veria mais seu amigo chato e tagarela. 

-Vou sentir sua falta. Aliás pensando melhor, não vou sentir nem um pouco.-brincou

Adam riu.

-Também vou sentir a sua. Obrigado por ter aparecido quando mais precisei de uma amiga.

-Não tem de quê.

-Ou poderia ser mais que uma! Se a senadora não preencher a vaga eu to disponível, o.k?

Rey riu.

-Você não existe! 

-Minha meta é te divertir, mas eu sei que você não vai resistir ao meu charme e vai me procurar.

-Ah tá!  Vai sonhado!

Adam sorriu maliciosamente passando a mão pelo cabelo devagar de forma atraente e se aproximou tocando seu queixo e aproximando o rosto dela ao dele. Por um momento Rey não pensou direito ao olhar seus olhos e seus lábios se abriram e tremeram

-Adam.

-Se desejar eu posso ser quem você quiser pelo tempo restante que for necessário, eu não me importo nenhum pouco. 

-Você lembra ele às vezes, mas também é tão diferente. 

-Eu sei que você ama essa parte de mim única e diferente, tanto quanto a outra, mas eu adoro atuar e não teria problema de te fazer voltar ao passado ao mesmo tempo que vive no futuro, mas só se você quiser. -ele terminou estendendo a mão, golpe bem baixo. Rey sabia que não estava pronta pra um relacionamento e nem muito menos ir além de um beijo, mas a oportunidade de aproveitar o momento falou mais alto e acabou beijando-o pra valer o que de alguma forma foi bom, bom até demais de uma forma que ela nem imaginou. Sentia a sensação da sua língua na dele e seus lábios se moverem com intensidade. Rey, mas por um instante ela lembrou de seu sonho beijando Ben o que fez trazer o rosto e corpo de Adam para mais perto. Adam acabou não resistindo, ele se segurava no intuito de não agir de alguma forma que poderia ser considerada inadequada por ela e achava melhor apenas deixa-la curtir o momento enquanto também "dançava conforme a música", mas começou a ter alguma atitude. Ele tirou a camisa deixando revelar um corpo forte e atraente tanto como o de Ben ja fora, seria maluquice? Coincidência demais? Naquele momento nada fazia sentido, mas também ninguém ligava.

Ela alisou suas costas enquanto  beijava seu pescoço e puxava seu cabelo pela nuca, e logo em seguida ele a encostou na parede e também beijou seu pescoço, Rey percebeu o suor que ja escorria do corpo dele o que acabava dando mais desejo apesar que também um certo medo de fazer algo que se arrependesse depois, mas seria errado se acontecesse?

Adam continuou beijando-a enquanto alisava e apertava sua coxa até subir a mão pra barriga, mas parou num instante em que ela pensou que iria subir bem mais. 

-Acho que já tá bom por hoje, se for mais além você não vai sentir minha falta.

Rey apenas sorrio meio sem jeito. 

Ele vestiu a camisa. 

-Essa foi a melhor despedida que eu já tive na vida, há, há, que bom que conseguimos aproveitar, que dia louco!

Rey ficou sem palavras apenas sorrindo de cabeça baixa tímida. Adam percebeu algo em si mesmo que o deixou meio constrangido cortando a reação de animação que estava. Tentou disfarçar, mas era praticamente impossível de não perceber. 

-Ah... tenho que ir! -Disse lhe dando um beijo rápido. -Tenha uma boa noite.

-Adeus Adam.

Adam saiu do quarto puxando sua camisa pra baixo o suficiente pra disfarçar o quanto estava dando pra perceber sua "empolgação".

Rey deu uma risada sozinha enquanto se jogava na cama confusa como tudo havia acontecido de repente e de forma tão inexplicável.


Notas Finais


Final bem do babadooo só digo isso hehe.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...