1. Spirit Fanfics >
  2. Richie, Charlie e Eddie - reddie >
  3. .parte seis

História Richie, Charlie e Eddie - reddie - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


⚠️⚠️LEIAM AS NOTAS FINAIS TAMBÉM⚠️⚠️

Voltei, como prometido, aqui está o capítulo, eu adorei escrevê-lo e peço a vocês que leiam os avisos, tanto iniciais como finais 🌼✨



⚠️ AVISO: 

Desta vez o aviso é mais uma notificação, como disse no capítulo anterior vou estar postando apenas um capítulo por mês porque vou começar no meu curso. Estou muito feliz e só queria compartilhar essa parte da minha vida com vocês 💖 

Bom, eu também estou estudando inglês em casa, minhas aulas ainda não começaram mas podem ficar tranquilos que eu fiz um cronograma que vai me ajudar a otimizar meu tempo para ser possível trazer os capítulos mensais 😉 

Aproveitem a leitura.

Capítulo 6 - .parte seis


Fanfic / Fanfiction Richie, Charlie e Eddie - reddie - Capítulo 6 - .parte seis


“Não consigo parar de pensar na sua boca”


Richie deixou um sorriso escapar ao ler a mensagem de texto que havia acabado de receber. Tem sido assim desde a noite em que Eddie permitiu-se por uma hora deixar para trás todas as sua restrições e agora o professor de Charlie não vê a hora de ter uma nova chance de sentir a boca de Richie na sua de novo, Tozier sente que vai perder a sua cabeça toda vez que o celular vibra e lê as mensagens de Kaspbrak. 


Era um sentimento estranho e excitante, ter Eddie apenas por uma hora não foi o suficiente e nunca seria, Richie queria mais e sabia que ele queria também e graças a Charlie, tinham a oportunidade perfeita. 


— Você está lindo papai — Charlie Tozier gritou ao ver o pai, rindo com a careta do mesmo ao se olhar no espelho, se sentia apertado e desconfortável na fantasia conjunto que a filha havia escolhido para aquele halloween. 

Charlie e Richie tinham uma tradição de se fantasiaram em conjunto, no ano anterior ela havia sido o ketchup e ele maionese, no anterior uma abelhinha e ele uma flor, mas neste halloween ele havia cometido o erro de deixá-la escolher e teve que descobrir da pior maneira que perucas sintéticas coçam, muito


— Você me paga garotinha — disse após ela o ajudar com os tênis, fez dois nós nos cadarços e sorriu orgulhosa para seu feito. Richie a esperou se virar para arrumar os tênis devidamente e pegou sua mão assim que saiu da casa, Charlie já o aguardava eufórica do lado de fora, com a cesta em mãos e um sorriso banguela animado, era a única época do ano onde o pai permitia que ela comesse quantos doces pudesse dar conta, após checar todos é claro. 


Richie e Charlie andaram de mãos dadas pela vizinhança arrancando sorriso e até risos divertidos de mães solteiras que por alguma razão que ele desconhece ainda insistiam em flertar com ele. A vizinhança era tranquila, nunca achou que algum dia se preocupar em se mudar para um lugar onde se sentiria seguro em permitir que a filha saísse de casa para dar algumas voltas de bicicleta até o fim do quarteirão mas quando Charlie começou a andar ele sabia que precisaria de um lugar maior que um apartamento de solteiro onde viviam e a casa foi a compra mais inconsequente e boa que ele fez na vida, além de transar com uma mulher, é claro. 

Seus vizinhos eram agradáveis, Richie era o morador mais recente dali, mesmo que tenha se mudado há quase dois anos e meio era engraçado como todos ainda o tratavam como se ele houvesse se mudado há uma semana. Havia feito amizade com o casal que morava ao lado de sua casa, Bill, um escritor que tinha alguns livros publicados cujo Stan advertiu para que não lesse o final. Os dois eram os únicos gays em um raio de cem quilômetros e ficaram felizes em conhecer Richie, eles sempre o chamavam para festas, aniversários ou apenas para beberem na varanda após Charlie dormir, os dois trocaram um sorriso cúmplice, aquele que todo casal tem após se comunicar por olhar quando Richie os contou sobre Eddie e estavam animados para conhecê-lo. Tozier por sua vez ficou pela primeira vez incomodado com a ideia, ele não sabia o que eram e havia Charlie, ele não podia estragar as coisas porque ela amava Eddie, seria injusto mas só agora que as coisas estavam encaminhadas para um talvez desfecho, seja lá qual fosse, que realmente pareciam reais. Sendo assim ele não sabia dizer se gostava ou não do rumo que estavam tomando. 


— Olha papai, o Noah — Charlie gritou animada ao ver o amigo, Rosa estava o acompanhando, ele estava fantasiado de Jedi, com um sabre de luz verde nas mãos e a mulher vestia roupas normais, só havia adicionado um arco de cabelo com orelhas da Minnie, segurava a mão do garoto mas este fugiu assim que viu a pequena Tozier, eles correram em direção ao outro para se abraçarem e logo estavam andando juntos em direção às casas. 


Rosa riu de Richie, diferente dos outros adultos que o viam ela era sincera e ele gostava disso nela, por mais que tenha dito aos risos com seu sotaque colombiano que ele estava ridículo.


 — O que um pai não faz pelo filho? — ele riu e ela assentiu. 


— Meu Andreas costumava implorar para que eu dançasse com ele nas festas de aniversário, eu sou um desastre e certa vez quebrei a perna dançando, ele por outro lado não herdou isso, é um dançarino e tanto — disse orgulhosa, na primeira vez que se viram a mulher havia contado sobre o filho, que era um dançarino talentoso que trabalhava na melhor escolas de artes do Texas, era visível como ela sentia falta do filho. 


— Hey, tudo bem, que tal alguns doces? — Richie mudou de assunto e a mulher sorriu agradecida, assentindo por mais que nenhum dos dois realmente quisessem doces.


Assim que a tarde passou e o céu começou a ficar escuro Richie insistiu para que Rosa e Noah ficassem mais um pouco, já haviam alguns amigos na casa, Stan e Bill foram os primeiros a chegar, estavam fantasiados de fantasmas, Bill com o seu rosto pintado de branco e círculos negros em volta dos seus olhos, pintados horrivelmente mal e Stanley apenas com um lençol no corpo que retirou meia hora depois, provavelmente uma das piores fantasias da festa, mas rendeu boas risadas pela falta de criatividade. 

Logo entraram em uma conversa animada com Rosa sobre o Texas e sua terra natal.

O casal adorava viajar, como não tinham filhos sempre faziam viagens anualmente. 


Às seis horas a casa já estava cheia, Noah e Charlie brincavam com outras crianças e aquilo parecia um avanço gigantesco para ambos, já que Charlie nunca teve coragem de se aproximar mas agora parecia emanar confiança e assim inconscientemente ela ajudava Noah a se sentir confortável também. Eles corriam por toda a casa, hora ou outra esbarrando nos convidados. Ben e Beverly haviam chegado pouco depois de Stanley e Bill e se voluntariaram a ajudar com os hambúrgueres e bebidas, Ben e Bev usavam fantasias ridículas de casal, ela era Wendy e ele o Buzz Lightyear, todo ano os dois tentavam competir com os Tozier mas nunca eram páreo para dulpa, apesar dos esforços Richie e Charlie permaneceram invictos e vitoriosos, não por opção do Tozier mais velho, que teve vontade de se esconder em um buraco quando viu Eddie passar pela porta de sua casa, o viu parar no meio do caminho e prender o riso, a sua cabeça pendeu para o lado e o que deveria ser uma gargalhada se tornou um sorriso singelo de "você é um idiota Richie Tozier", o tipo de idiota que Eddie gostaria de beijar, por mais que estivesse com aquela peruca loira ridícula e o vestido azul amassado e obviamente desproporcional para o seu tamanho.


— Princesa Elsa, hum? — Kaspbrak disse assim que se aproximou o suficiente para ver Richie bufar e sorrir. — Charlie me deve três pratas, apostamos que você não iria aceitar e eu ganhei — Eddie disse vitorioso e riu quando Richie abriu a boca surpreso. — Eu sabia que não iria dizer não a ela, e se ajuda em alguma coisa, você fica muito bonito de azul — Tozier revirou os olhos. 


— Eu sei — disse convencido e olhou em volta, ninguém a vista então se aproximou do ouvido do professor — Mais tarde eu te pago. — disse malicioso e sorriu ao ver que suas palavras tiveram um efeito satisfatório no homem. Richie deixou um beijo no lóbulo da orelha de Eddie e logo se afastou, voltando para os fundos da casa.


Richie e Ed se mantiveram o mais distante que puderam um do outro durante a festa, seus olhares entretanto não fizeram o mesmo por eles. Era difícil manter as mãos para si quando elas pareciam queimar, pareciam criar vida própria e Richie às sentia clamando pelo corpo de Eddie, que não era diferente, cada olhar que trocava com Tozier se assemelhava a uma avalanche dentro de si, ele estava tão longe e mesmo assim Ed podia sentir tudo desmoronar dentro de si.

Todos aqueles sentimentos se alojando bem em seu estômago, em seu peito, em seu ser, consumindo-o da mesma forma que ele desejava ser consumido. 


A festa se estendeu de forma lenta para os dois, cada minuto parecendo uma eternidade quando estes eram o que impedia às bocas alheias de sentirem uma a outra, quando Rosa e Noah foram para casa, após todos os outros convidados, Ed se aproximou mais de Richie e aceitou uma cerveja, se sentando junto ao seu grupo de amigos. Tozier já havia se trocado e agora vestia apenas uma camisa básica cinza e jeans, que ainda conseguiam deixá-lo atraente, por mais simples que fossem. Ele tinha alguns resquícios de glitter da roupa em seu rosto e por um segundo Eddie viu sua mão seguindo o caminho até o rosto do homem para tocar ali e afastar o brilho, ao menos fora a desculpa que o subconsciente arranjou para fazê-lo apesar de que Eddie sabia bem que só queria tocá-lo.


— E então Eddie, o Richie disse que você é professor? — Bill perguntou curioso após o assunto sobre as cervejas artesanais de Ben serem horríveis acabar. Denbrough já havia dado aulas de inglês para crianças e após ter seu primeiro livro publicado jurou nunca mais pôr os pés numa sala de aula.


— Sim, eu gosto de crianças — Ed disse e Richie revirou os olhos ao que Stan e Beverly o olharam sugestivamente.  


— Rich falou que você é novo aqui, o que está achando da cidade? — dessa vez foi Ben que perguntou, ele entregou mais uma cerveja a Richie que aceitou de bom grado.


— Estou gostando, vim para cá em busca de um recomeço e bem… As coisas tem se desenrolado de maneiras inusitadas mas a vida não poderia estar melhor  — Kaspbrak olhou para Tozier de relance, este sorria para ele. Havia um clima ali, era notável para os dois casais que ambos estavam flertando, muitos olhares, poucas palavras mas estas tinham grande significado.


Eles estiveram trocando olhares durante a noite toda mas foi aquele último que os entregou. Ambos perderam a noção do tempo e enquanto isso os dois casais de amigos trocaram seus próprios olhares, uma conversa silenciosa, um acordo mudo.


— Então, a festa está ótima mas amanhã tenho uma conferência na cidade vizinha e é uma longa viagem — Stanley se levantou e estendeu a mão para ajudar um Bill meio zonzo a se levantar. A fala despertou Eddie e Richie, que voltaram a olhar os amigos.


— Mas já? — Tozier perguntou por educação, amava muito seus amigos mas naquele momento amava mais a ideia de transar com Eddie Kaspbrak.


— É, acho que já deu para nós também — Bev disse e Ben franziu o cenho.


— Mas já? — perguntou e a mulher o olhou feio e ele finalmente notou o'que estavam fazendo — Ah, sim. Claro, é está tarde demais — explicou em um só fôlego enquanto se levantava.


— Charlie vai dormir conosco hoje — Bev anunciou e foi procurar a garotinha, apesar de ter brincado muito durante toda a festa Charlie ainda estava acordada comendo os doces que havia ganhado e assistindo um programa infantil, ficou feliz quando a ruiva disse que fariam uma festa do pijama e não demorou para correr até seu quarto e pegar tudo que precisava para noite das garotas e tio Ben — como elas chamavam — afinal não seria uma noite do pijama comum se elas não tivessem uma cobaia para maquiar ou uma pessoa a mais para pintar suas unhas dos pés enquanto faziam tranças no cabelo uma da outra. 


E então Charlie se foi com os tios postiços, acenando para o pai e Eddie, que estavam lado a lado na varanda da casa. A mesma ficou silenciosa quando a menina e todos os convidados se foram, ou era apenas a mente dos dois que estava tão barulhenta que não conseguiam ouvir nem os seus próprios pensamentos. 


O barulho cessou quando os olhares se encontraram e naquele momento mais nada precisou ser dito. Eddie se aproximou e levou a mão até a nuca de Richie, puxando sua boca com certa pressa até a dele, beijando ele com necessidade, a vontade de satisfazer um desejo que vinha sentindo durante toda a semana, a língua quente na sua, se arrastando de forma lenta fazendo  seu corpo estremecer, Richie segurando o seu quadril com força e unindo-o ao seu, sua mão quente ali, a outra em suas costas dentro de sua blusa, percorrendo as omoplatas e os suspiros baixos de prazer ao que seus quadris se chocavam.


— Vamos subir. — Tozier sentenciou e Ed apenas assentiu, Richie pegou sua mão e o guiou até seu quarto organizado e muito parecido com o do professor, escuro e sem graça, nenhum vestígios de que uma outra pessoa esteve ali algum dia o'que fez Ed pensar que isso estava prestes a mudar, ele estava pronto para deixar a sua marca ali naqueles lençóis. 


Dessa vez foi ele quem foi atacado por um Richie faminto que o deitou na cama e se deitou por cima dele, as mãos em todas as partes de seu corpo enquanto Eddie sentia o peso do corpo de Tozier pressionando o seu de forma excitante, a ereção dele em sua coxa, a mão dele na sua própria junto a boca do mesmo em seu pescoço, sugando um ponto pulsante ali, o fazendo gemer em desejo e investir seu corpo ao do homem sem nenhum pudor em busca de algum alívio. 


— Richie — gemeu, segurando a nuca do mesmo, puxando com delicadeza para que o mesmo voltasse a olhar seu rosto, má ideia. Tozier com o cabelo desgrenhado, os lábios vermelhos e bochechas rosadas era algo com o qual Eddie descobriu tarde demais que não sabia lidar. — Me chupa — pediu sem nenhum pudor, sentindo o corpo tremer ao ver o sorriso malicioso de Richie mas não se importou, não estava em sã consciência e agora tudo que importava era aquele momento. Tozier deu um selinho em Eddie antes de levantar e ficar de pé na borda da cama, as pernas de Kaspbrak estavam para fora da mesma então facilitou o processo de despi-lo, a camisa foi a última peça e após tirá-la Richie observou por um breve momento o corpo nu do homem em sua cama.


— Richie — Eddie reclamou sem jeito, direcionado seu olhar ao teto branco e Tozier riu e debruçou seu corpo em cima do dele, Ed o olhou nos olhos.


— Você é gostoso pra caralho — disse com sinceridade. Apesar da escolha de palavras a fala soou mais como uma tentativa de um elogio modesto do que um comentário de cunho sexual, o que fez Ed rir e o beijar, os dois se beijaram por alguns minutos e logo os beijos de Richie fizeram um caminho até o pescoço de Kaspbrak, lambendo a área e sugando, trilhando caminho até o abdômen do mesmo e sorrindo no processo ao que o outro o guiava ansioso até onde ele queria. 

Richie não se fez de rogado e segurou o membro latejante e carente na mão, sorriu ao ouvir o suspiro de alívio de Eddie e deu um selinho na coxa do mesmo para logo em seguida percorrer a extensão do pênis com a língua, ouvindo finalmente os gemidos nada contidos de Kaspbrak ao ser sugado, chupado e estimulado ao mesmo tempo. Tozier não se contentou apenas em dar prazer a Ed, ele queria levá-lo até o seu limite então com a mão que estava em sua coxa, o homem a segurou por baixo para que pudesse a posicionar em cima de seu ombro e ter acesso a todo o corpo de Ed.

Este fechou os olhos e se permitiu relaxar ao sentir a mão de Richie acariciar a sua bunda, logo em seguida apertando-a para sentir a carne firme e o fazendo ficar mais excitado com o toque. O toque cessou ali e antes que pudesse reclamar ou sentir falta as mãos voltaram, dedos úmidos em sua pele quente e cheia de desejo, entrando dentro dele enquanto a boca de Rich o fazia sentir coisas incríveis. Fazia tempo, muito tempo desde que Eddie não sentia prazer mas ele não transava de verdade desse jeito há muito mais tempo, a entrega e tudo que ela podia significar era arrebatador, fazer com Richie era e ele queria prolongar aquilo, ele queria que a noite não tivesse fim.


— Você é incrível — Tozier disse, sua voz distante porém ainda atingível, Ed estava alheio a tudo, mas ele podia ouvir Richie de longe, dizendo todas aquelas coisas fofas e sujas. E ele não resistiu, e foi assim que ele sentiu um prazer inigualável chamando alto o nome de Tozier e o puxando para beijá-lo enquanto seu corpo tremia embaixo dele, o homem beijava-o com calma, como se ele tivesse todo o tempo do mundo enquanto o outro descia de seu ormasmo ofegante, ainda não satisfeito. 


— Nossa — Kaspbrak disse baixo e riu, Tozier acariciou o rosto vermelho e suado tirando o cabelo de Ed de sua testa. Eles se beijaram novamente e Eddie ajudou o homem com sua calça, terminando de  despi-lo. 


Os dois rolaram na cama, Eddie ficando por cima e depositando beijos no pescoço de Richie enquanto tocava a ereção do mesmo e todas as partes que podia de seu corpo com sua outra mão, sentindo a pele macia e quente e constatando que era bem melhor do que todas as sua fantasias, ter Richie ali suado, ofegante e entregue havia se tornado um marco em sua vida sexual e ele tinha certeza que o homem se sentia da mesma forma, eles não esqueceriam desta noite nem se quisessem e era apavorante o quanto tudo o que estavam proporcionando um ao outro podia destruí-los, Richie sabia que não podia mais negar, o que sentia por Eddie estava ali antes mesmo de beijá-lo e Ed… Bom, com Kaspbrak a história era um pouco diferente.


— Tudo bem se eu… — Ed ficou sem jeito e Richie riu, ele logo entendeu e assentiu, o homem uniu seus corpos e sugou o lóbulo da orelha de Kaspbrak enquanto moía seus quadris de forma preguiçosa e aproveitava mais dos espasmos que o contato íntimo dos corpos juntos provocava. Ele segurou a ereção do homem e a guiou até si mesmo, Eddie o olhando nos olhos ao que o corpo vibrou com a penetração, Richie gemendo baixo e rindo abafado ao que a repentina dor o atingiu, ele mordeu o lábio e o outro o esperou acenar positivamente, Kaspbrak o deu um beijo carinhoso na ponte do nariz e prosseguiu com as estocadas.


Nenhum dos dois estava acostumado com a inversão de papéis, era excitante e uma experiência completamente inesperada, Ed não esperava, muito menos Richie mas ele não se importava, ele só queria ter Ed, fosse como fosse entretanto, Kaspbrak se importava, e muito. Gostava de pensar que assim, estava no controle da situação, ele queria Richie mas talvez tê-lo daquela maneira fosse demais, ele já tinha Ed de todas as outras maneiras…


Os movimentos se intensificaram, as mãos de Richie estavam hora em sua nuca ou descendo e subindo em suas costas e nádegas, o fazendo se afundar mais dentro de si, tudo os levando para o ponto em que buscavam e tanto temiam afinal, eles não queriam que aquela noite acabasse. 


Eddie abraçou o corpo de Richie ao que ele segurou seu membro o deixando saber que estava tão perto quanto ele, Kaspbrak pôs a sua mão em cima da de Tozier, seu corpo sendo tomado por espasmos mais uma vez  enquanto sua coluna ondulava e ele buscava mais o contato do corpo do outro homem, juntando o copo o máximo que podia, os fundindo juntos enquanto sentia finalmente o alívio do prazer. Richie o puxou pela nuca para um beijo preguiçoso enquanto suas pernas se enrolavam e o lençol era arrastado para o chão pela movimentação não calculada. Richie abraçou Eddie, que deitou a cabeça em seu peito e deixou alguns selinhos ali, o corpo suado era Incrivelmente convidativo e ele sentia que poderia dormir ali todos os dias, e mais uma vez havia aquela parte sua que não queria admitir que ele não só sentia, como também desejava aquilo..


— Sim? — perguntou baixo ao que o nome foi chamado, sua atenção direcionada ao dedo de Tozier que fazia desenhos aleatórios em sua coxa, que repousava em cima do quadril do mesmo. 


— O que acha da gente usar aquela fantasia da Elsa? — perguntou divertido e Kaspbrak gargalhou alto, a risada reverberou no peito de Richie e este sentiu os efeitos da mesma crescerem em seu estômago e voltarem direto para o coração, se sentindo como se fosse um adolescente apaixonado. Ele nunca iria se acostumar com o desejo idiota que tinha de fazer Ed rir o tempo todo. 


— Por mais que eu adore tentar coisas novas, não acho que seria interessante te ver de peruca — Ed brincou e logo os dois ficaram em silêncio mais uma vez, Kaspbrak mordeu o lábio inferior — Isso foi… Muito bom. — Tozier sorriu de lado e assentiu.


— Foi bom pra caralho — Eddie revirou os olhos para o palavrão e deixou um beijo na boca do homem antes de se levantar — Já vai? — Tozier perguntou despreocupado, por mas que dentro de si a situação não fosse bem diferente. Ele não queria que Ed fosse embora.

 

Eddie olhou para Richie, estava perto de suas roupas e o certo seria ir embora após conseguir oque queria, mas porque era tão difícil? 


— Não antes de um banho — disse e Rich apontou para a porta anexa ao cômodo e o homem sorriu de lado. — Não vem? — ele estendeu a mão para Tozier e este aceitou a mesma.


Tudo o que tinham feito aquela noite havia sido íntimo em todos os sentidos, não fora só sexo, eles sabiam mas enquanto não admitissem em voz alta, estava tudo bem. Então estava tudo bem tomar banho juntos e se beijarem minutos a fio debaixo da água, tudo bem Richie dar banho em Eddie e beijar todo seu corpo mesmo que ele não houvesse nenhuma intenção sexual no ato e aquilo aqueceu Ed de uma maneira sem precedentes, se sentiu adorado, amado e por mais que pudessem ter parado ali, eles já haviam ultrapassado muitos limites, o'que seria mais um?

Então naquela noite Eddie dormiu nos braços de Richie após admitir a si mesmo que estava completamente apaixonado por ele. 


Notas Finais


Gente, admito que colocar o Richie de bottom foi inusitado e pura curiosidade minha haha
eu estava incomodada de não ter escrito isso até agora e tipo, porque não?
Eu sei que tem gente que não gosta e entendo, mas podem ficar tranquilas porque realmente quis tirar algo da situação e pode ser que logo ela mude 👁️👁️ estão me entendendo ne? Kk


Mas me digam, gostaram? 

⚠️⚠️⚠️⚠️ E uma pergunta com a resposta valendo um milhão, quem tá desenvolvendo mais uma história reddie?  ⚠️⚠️⚠️⚠️⚠️

Gente sério vocês já devem estar cansados de mim né? 😅 Se vocês continuarem lendo eu vou continuar postando, só quero um sinal verde.

Até o próximo capítulo.
Muito obrigada pelos 100+ favoritos!
Amo vocês 💖✨ 


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...