1. Spirit Fanfics >
  2. Ridin (Jaemin-NCT) >
  3. Vida dupla

História Ridin (Jaemin-NCT) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite, bom dia, boa tarde como vocês estão? É bom me responder se não puxarei os pés de vocês durante a madrugada :)

Esses dias eu estava vendo Velozes e Furiosos e pensei porque não criar uma fanfic com esse tema? Eu também li uma aqui no Spirit e pensa em uma fanfic boa, tem a mesma pegada que VF então super recomendo ela o nome é RUN OR DIE da @picxin.
Sem enrolação, boa leitura meu povo.

Capítulo 1 - Vida dupla


Fanfic / Fanfiction Ridin (Jaemin-NCT) - Capítulo 1 - Vida dupla

Narradora On

Bae S/n era uma jovem que acabara de completar 18 anos, morava na Coréia desde os seus 10 anos, seu pai era coreano e sua mãe sul americana o que resultou na jovem ter pequenos traços asiáticos.

Ela estava frequentando o último ano do ensino médio na escola French School of Seoul, seu avô por parte de pai era o diretor e fundador da escola a qual a mesma frequentava, sua família era bem prestigiada por conta da riqueza de seu avô. Mas a garota não era mimada e nariz empinado por conta disso, pelo contrario ela era uma garota calma a maioria das vezes, adorava ler, ouvir músicas, fazer companhia para seus amigos.

Depois que entrou para o último ano, seu pai começou a cobra-la demais para que conseguisse manter notas altas para conseguir entrar na Universidade de Seul, isso acabou mexendo com o psicológico da jovem, ela não podia mais sair de casa sem antes ter estudado por pelo menos quatro horas seguidas.

Para aliviar todo o estresse e raiva que sentia, a jovem moça começou a participar de rachas ou melhor corridas ilegais. Em apenas dois meses ela se tornou a melhor de todos do seu grupinho, ninguém conseguia ganhar da garota, com as vitorias ela também conseguia um bom dinheiro e foi com esse dinheiro que ela comprou sua BMW i8 vermelha, agora não precisaria usar o carro de sua nova amiga: Nini.

Narradora Off           Bae S/n On

Estávamos na última aula, faltavam apenas uns 20 minutos para acabar e conseguir sair daquela sala. Meu celular vibra no bolso da jaqueta pego o mesmo vendo a mensagem do grupo.

Neocity

 

Nini: Aí seus imundos consegui uma corrida para essa noite.

 

Lucas: Sua namorada sempre foi fofa assim @Jaehyun?

 

Jaehyun: Você não viu nada ...

 

Me: Que horas amiga?

 

Nini: Meia-noite em ponto, é bom chegar antes ouvi dizer que terá alguém novo e que ele é muito bom na pista.

 

Me: Duvido muito, ninguém ira nos superar. 

Mark: Não vamos subestima-lo. Nem o conhecemos ainda.

 

Jisung: Não vou poder ir hoje, minha mãe descobriu minhas notas baixas da faculdade e estou de castigo.

 

Nini: Problemas com matemática novamente? Oppa você tem 21 anos e ainda não sabe o básico do básico?

 

Jaehyun: Amor do que você esta falando? Você é pior do que ele, até rodou o último ano por causa disso. 

 

Me: Menos Jae, pelo menos não é ela que esta em terceiro lugar no nosso ranking.

 

Mark: Essa machucou. Nós vemos mais tarde, lembrem que sábado terá almoço na minha casa.

 

Jisung: Vou tentar ir pelo menos no almoço.

 

Jaehyun, Nini, Lucas, Me: Okay.

 

Guardo o celular ouvindo a campainha indicando que a aula havia acabado, guardo meus materiais na mochila e sigo em direção ao corredor. Sinto meu braço ser puxado e alguém se pendurar nele, já até imaginava quem era.

-Estava indo embora sem nem me esperar? –Me encarou como se eu tivesse cometido um crime.

-O motorista do meu pai esta me esperando e você já sabe como ele é não é mesmo? –Nini bufou ainda com o braço preso ao meu, continuamos nosso caminho até a saída.

-Seu pai é um mala. Como vai fazer para ir à corrida de hoje? –Sussurrou a ultima frase para que somente eu pudesse ouvir.

-Vou dizer que tenho um trabalho em dupla.

-Essa é a garotinha da unnie. –Riu convencida me fazendo rir. 

Nini era a única na escola que sabia sobre minhas corridas, até porque ela também participava. Mantínhamos isso em segredo, pois o que as pessoas pensariam se descobrissem que a neta do diretor da maior escola de Seul e a filha do Prefeito estava praticando corridas ilegais. Com certeza não ia ser nada bom, poderíamos arruinar as vidas dos nossos pais e até mesmo as nossas, mas gostávamos de sentir aquela adrenalina e paz que somente o asfalto nos trazia.

Nossa conversa foi interrompida pela buzina de um carro, era Jaehyun em sua bugatti veyron preta, cumprimentei o mesmo com um sorrio. Minha amiga me deu um abraço e logo entrou no carro, fui direto para o carro do meu motorista, entrei no mesmo e seguimos para casa.

Quebra de tempo

Sai de casa as pressas, peguei meu carro no estacionamento particular que havia comprado, pois não poderia deixa-lo em minha casa meus pais com certeza desconfiariam.

 Assim que cheguei no endereço marcado percebi que estava 10 minutos atrasada, deixei o carro ao lado do carro dos meus amigos e fui em direção deles.

-Esta atrasada bonitinha. –Lucas sorriu me dando um abraço que logo foi retribuído por mim.

-Me desculpem tive que convencer o patrão a me deixar sair.

-Tudo bem, a corrida principal começara daqui a pouco. –Mark falou com o dinheiro das apostas em mãos. –Será três mil cada corredor. O que chegar em primeiro leva dez mil e o segundo dois mil.

Concordei com a cabeça e peguei o dinheiro do meu bolso entregando para ele, aquela corrida já estava ganha mesmo não precisava nem me preocupar.

Estávamos na linha de largada, eram quatro competidores, dois deles eu já havia visto por aqui mas o outro corredor eu nunca vi, mas admito que era um pouco familiar. Ele tinha cabelos pretos, a mandíbula bem marcada, a pele de porcelana se duvidar era melhor que a minha e olha que faço skincare todos os dias.

Ele vira o rosto em minha direção, aposto que percebeu que eu o encarava igual doida, ele estava sério. Uma mulher aparece na frente dos carros e começa a contar, quando ela da à largada acelero e saio cantando pneu assumindo a liderança.

Faltavam apenas 500 metros para que eu finalmente chegasse na linha de chegada, sorri vitoriosa apesar de ainda não ter ganhado, eu era a melhor ninguém iria me superar tão cedo. Meu sorriso desapareceu quando o corredor novo me ultrapassou com seu koenigsegg Agera, acionei o nitro e eu praticamente voei pelo asfalto, olhei para o lado sorrindo para o moreno e o ultrapassei assumindo a liderança novamente.

Agora faltavam apenas 100 metros para chegar, eu estava quase lá quando sinto algo bater na traseira do meu carro me fazendo perder o controle devido à alta velocidade e começar a girar na pista. Olhei de relance e vi um carro todo preto me atingir novamente fazendo meu carro cair do viaduto e atingir a outra pista que ficava embaixo.

O carro caiu de cabeça para baixo, minha cabeça estava latejando e minha visão estava ficando embaçada. Tentei me movimentar, mas minhas pernas estavam presas e doloridas, senti algo quente escorrer pela minha testa coloquei a mão e logo senti uma pontada de dor, havia muito sangue.

Ouvi o barulho de um carro freando perto do meu rezei mentalmente para que não fossem as mesmas pessoas que me atingiram antes.

-Você esta bem? Esta machucada? –Era o corredor novo, ele me olhava com um olhar preocupado.

-E-eu n-não consigo me mexer. –Comecei a chorar desesperada. –M-minhas pernas estão doendo.

-Vou te tirar daí. –Ele estava de joelhos no chão, pegou algo em sua calça e vi que era uma faca. Olhei para ele nervosa. –Calma, eu vou cortar o cinto apenas isso. –Concordei. –Coloca as mãos no teto do carro.

Fiz o que ele me mandou e logo o mesmo cortou o cinto me fazendo cair no teto, soltei um gemido de dor eu havia batido as costas nos vidros quebrados. Assim que ele consegue me tirar do carro, me pega no colo e me leva para longe do meu que estava completamente destruído.

Ele me coloca no chão, ainda me segurando em seus braços. Escuto a voz dos meus amigos gritando pelo meu nome antes de apagar por completo.

Pov Jaemin

Passo as mãos pelos cabelos da garota em meus braços, havia muito sangue saindo de sua cabeça. Sinto uma pontada de preocupação ao vê-la ali nesse estado, quem ousaria fazer mal a uma pessoa como ela? Tão indefesa.

-Meu deus amiga! –Uma garota aparece se jogando no chão ao lado da amiga, era a mesma que vi outro dia fazendo apostas com os outros corredores.

-Ela precisa de um médico, o estado parece ser grave. –Disse pegando ela novamente no colo.

-Aonde esta indo? –Meu primo pergunta.

-Para uma clinica de um amigo, creio que ninguém pode saber que a neta do cara mais rico de Seul acabou de sofrer um acidente por participar de corridas ilegais. –Coloquei a jovem no banco de trás do carro.

-Eu vou com você, ela precisa de mim pra quando acordar. –A namorada do meu primo entra no carro e apenas concordo fechando a porta.

Demorou mais ou menos quinze minutos para chegarmos, Doyoung coloca o corpo da garota na maca e a leva para a sala de cirurgia. Ela precisaria de pontos na cabeça devido ao corte profundo.

Sentei-me na poltrona fechando os olhos e voltando a cena, onde S/n foi atacada bem na minha frente juro que irei até o inferno para saber quem fez isso com ela. Sorri ao lembrar-se da nossa troca de olhares na linha de largada, com certeza aquela tonta não havia me reconhecido, não julgo faz anos que não nos vemos.

Meus pensamentos são interrompidos por alguém chutando a ponta do meu pé de leve, abro os olhos vendo Nini, ela me entrega uma xicara de café e senta na poltrona que estava na minha frente.

-Posso te perguntar algo? –Fiz que sim com a cabeça. –Mais cedo você disse que a s/n era neta do homem mais rico de Seul, como sabe disso? Somente nosso grupo de amigos sabe da “outra vida” dela. –Fez aspas com os dedos.

Suspirei fundo. –Eu a conheço desde quando tínhamos cinco anos. Eu fui para o Brasil com a minha família aproveitar as férias de verão nas praias do Rio de Janeiro, acabei me hospedando no mesmo hotel em que ela estava. –Sorri ao lembrar da primeira vez que a vi com seu maio amarelo chamativo. –Como éramos duas crianças nós aproximamos e brincávamos todos os dias juntos, por conta disso nossa família também se aproximou. Eu tinha oito anos na época e eu já entendia muito bem das coisas e dos meus sentimentos, eu estava a amando. –Sorri novamente. –Ela foi meu primeiro amor, mas como todo bom romance uma hora tem que chegar ao fim. Eu tive que voltar para a Coréia, mas ela me fez prometer que iria visita-la quando crescesse e que casaria com ela.

Ouvi a risada da mais nova a minha frente. –Uma bela historia de amor.

-Sim, mas ela não me reconheceu hoje. –Sinto uma pontada de tristeza. –Talvez ela nem se lembre dessa parte da sua infância.

-É possível, no primeiro ano do ensino médio estávamos em um passeio nas montanhas. Ela acabou escorregando e caindo de uma altura um tanto que alta e acabou batendo a cabeça, o médico disse que isso poderia afetar as memorias dela, mas que com o tempo ela iria se recuperar. –A garota disse me fazendo ficar surpreso. –Não se preocupe, não afetou completamente só um pouco, sabe...

A encarei por um tempo, ela era um pouco velha e usava uniforme escolar.

-Você tem quantos anos?

-19.

-Esta no ensino médio ainda?

-Algum problema? –Disse incrédula. –Eu rodei apenas em uma matéria. –Falou baixo revirando os olhos.

Dodo saiu da sala e veio em nossa direção, levanto rapidamente esperando que ele me dê boas noticias.

-Ela levou dois pontos na cabeça e alguns arranhões pelo corpo. Com certeza esta fora de perigo, mas ela precisa descansar.

-Posso vê-la? –Perguntei e ele concordou com a cabeça.

-Aí eu sou a amiga dela eu quem deveria ir vê-la primeiro! –A garota gritou, mas não dei atenção e apenas segui em direção à sala.

Assim que entrei na sala a vi deitada na cama, havia alguns arranhões em seu belo rosto e um curativo na testa bem perto do cabelo. Sentei-me na cama e peguei sua mão.

-Porque participar de algo tão perigoso? –Olhei para ela que permanecia com os olhos fechados. –Eu fiquei com medo de te perder.


Notas Finais


Vocês já assistiram Velozes e Furiosos? Qual dos 8 é o favorito de vocês?
Eu amo todos, mas admito gostar mais do 5,7 e 8.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...