História Rin, a garota do bairro - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Ayame, Bankotsu, Hakudoushi, Inu no Taishou, Inuyasha, Izayoi, Kaede, Kagome Higurashi, Kagura, Kikyou, Kohaku, Kouga, Miroku, Naraku, Rin, Sango, Sara Asano, Sesshoumaru, Youkai Satori
Visualizações 48
Palavras 1.500
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa noite... Como prometido segue a parte final do capítulo... Boa leitura à todos 😘

Capítulo 21 - Confusão no teatro - Parte final


Fanfic / Fanfiction Rin, a garota do bairro - Capítulo 21 - Confusão no teatro - Parte final

A peça para e Inuyasha tenta retirar a jovem que estava em uma mureta que dava acesso ao palco, assim colocando-a sentada novamente.

-   Rin, é só uma peça é tudo de mentira.

-   Não, isso não é. Diz tristonha.

Sesshoumaru ria de Rin, enquanto Sara estava espumando pela boca de raiva a cena rolava, logo a jovem tenta novamente pular o camarote e consegue, Inuyasha ao ver Rin entre o palco e o camarote pula também e a pega.

-   Sesshoumaru me ajuda a colocá-la para dentro do camarote. Dizia entredentes.

-    Sim. O jovem ria da atitude da morena, mas ajuda seu irmão a colocar a jovem para dentro.

-   Manda essa infeliz se falar. Diz Sara.

-   Cala a boca nojenta eu não tô falando com você. - Olha gente eles estão apanhando, Sesshoumaru você não vê. Dizia com seu desespero.

O jovem não conseguia conter o riso, logo Inuyasha segura a mão de Rin e diz:

-   É encenação Rin, isso é uma representação somente.

-   Lógico que não, eu estou vendo com meus próprios olhos aqui, eles estão amarrados e apanhando e ninguém vai ajudar.

De imediato a jovem levanta de seu lugar novamente e grita para a platéia:

-  Anda gente, levantem-se e ajudem os coitadinhos, não tem macho aí?

  Sara já muito irritada se levanta e logo pega o braço de Rin.

-   Senta aí sua marginal.

-   Olha aqui, não toque em mim. Rin berra ao se desvencilhar da morena. - Você vai ver o que vou fazer.

A jovem parte para cima de Sara e dá uns tapas, a megera somente se defende dos tapas de Rin.

Sesshoumaru não se contém e começa a gargalhar da situação.

Inuyasha logo separa as duas e olha com reprovação para seu irmão.

-   Rin fique quieta tudo bem?

-   Sim, mas não me conformo com isso e ninguém faz nada. Infla as bochechas e se senta.

Sara puxa o braço de Sesshoumaru bruscamente e diz:

-   É sua culpa por trazer essa ridícula.

-   Eu ia saber que ela era tão ignorante de não saber o que está acontecendo.

-  Ela é uma idiota isso sim.

-  Idiota é você sua nojenta e quem está do seu lado. Retrucou Rin irritada se levantando.

-   Bom se vocês dois não vierem comigo eu vou embora sozinha. Sara diz se levantando e seguindo para fora do camarote.

-   Calma gente vamos ficar um pouco mais. Diz o platinado aos risos.

-   Chega irmão vamos embora imediatamente. Inuyasha diz enfurecido.

-   Está bem, vai atrás de Sara eu levo a Rin. O Taisho mais velho diz ao mais novo.

-   Certo. Inuyasha sai atrás de Sara deixando os dois sozinhos.

Sesshoumaru não parava de rir da jovem, logo a morena o encara.

-  Qual é o problema hein?

-  Vamos embora Rin. Diz pegando em sua mão.

-  Calma aí meu sapato. Diz a jovem apontando para o objeto que estava sendo deixado aí.

O jovem a puxa fazendo sair do local deixando o sapato no camarote.

No lado de fora Sara estava com Inuyasha junto com Yasmin uma jovem da alta sociedade, logo a jovem ao ver Rin e o Taisho se aproximando diz:

-   Que foi aquele escândalo Sesshoumaru e quem é esta?

-   Bom, esta é Rin minha prima, ela morou muito tempo na fazenda sozinha e é muito excêntrica sabe, nunca havia visto uma ópera, peço desculpas pelo ocorrido Yasmin e peça em nome da minha família para os demais conhecidos por favor. Diz piscando para a jovem.

Sara ao escutar tal afronta simplesmente sai, Inuyasha a segue até o estacionamento.

-  Você deveria ter dito que ela era uma empregada Sesshoumaru. Diz aos berros ao ver ambos se aproximando.

-   O que tem em ser uma empregada, que eu saiba é muito digno do que ser uma malcriada como você.

-   Essa noite vai ser inesquecível. Sesshoumaru diz.

-   Você mesmo diz inesquecível hein, eu jamais pensei que iria me expor a tanto. Dizia a morena com lágrimas em seus olhos.

-  Calma Sara, você irá se esquecer eu te garanto. Sorrir ao falar.

-  Não, jamais me esquecerei desta humilhação e tudo por trazer essa marginal para se divertir. Inuyasha a segura para não avançar em Rin.

-  Olha querida não fala de mim não.  Diz a morena sendo segurada por Sesshoumaru.

-  Me solta Inuyasha. Berra com o platinado que a obedece. - É melhor eu não dizer mais nada.

-  Não agora fala o que deseja. Retruca a jovem morena.

-  Pois bem, você é uma esfarrapada, porca, suja e morta de fome. Diz indo até Rin e tirando seu casaco que estava consigo.

-  Que saber,vai pro inferno. Rin fala ao jogar a caixa de bombons no chão e partindo para cima de Sara.

As duas rolam no chão do estacionamento, Rin dá várias bofetadas na cara da morena e ainda rasga seu vestido, Sara não fica atrás, porém somente puxa os cabelos da jovem.

Sesshoumaru estava encostado no carro gargalhava da situação das duas se agarrando como feras no chão.

-  Me ajuda a separá-las, é verdade que Sara disse que você a trouxe de propósito somente para se divertir.

O jovem ria, mas ao ver a cara de seu irmão mais novo decide ajudar tirando Rin de cima de Sara.

-  Não me separa dessa vaca não, ela tem que apanhar mais. Rin gritava com um pedaço do vestido da outra morena em suas mãos. - Ela fica me tratando desse jeito. Diz se limpando.

-  Chega Rin! Inuyasha diz.

-  Me solta. Grita Sara para Inuyasha. - Não acredito que estou passando por esse papelão.

-  Vamos as duas entram no carro. Sesshoumaru falou autoritário. - Vamos levar Sara primeiro. Diz desativando o alarme.

-  Não vou a lugar nenhum com essa daí. Sara retruca.

-  Olha aí, ela me ofendendo novamente. Rin fala tentando pegar Sara novamente, mas é contida por Sesshoumaru.

- Rin tem que ir com a gente Sara. Fala debochando da morena.

-  Então eu vou sozinha, se quiser que eu vá com vocês bote ela num táxi ou quem vai sou eu. Irritada intimida o platinado.

- Aí primo, diz para ela. Rin retrucava enquanto estava sendo abraçada por Sesshoumaru. - Os incomodados que se mudem ou vai sozinha. Ria da cara da morena que a fuzilava com os olhos.

- Arggg… vocês vão me pagar estão me ouvindo. Diz Sara saindo batendo o pé.

- Tô morrendo de medo. Rin retruca.

-  Irmãozinho acompanhe Sara, por favor.

- Mas… Antes de Inuyasha contestar o jovem passa a mãos pelos cabelos e segue a jovem.

Ao ver seu irmão e Sara saindo se separa da morena e começa a gargalhar.

-  Olha aqui, para de rir. Infla as bochechas de raiva, pega o pano que está em suas mãos e diz. - Entrega para ela isso aqui tô.

Sesshoumaru ainda ria da cara da jovem.

Rin começa a ficar com olhos marejados e sente as lágrimas caírem em sua face.

-  Pare de debochar de mim, acho que você fez isso de propósito não foi, se você vivesse o que eu vivi aqui nesse mundo sozinha quando minha mãe morreu iria ver, você tem sorte que sua mãe nunca entregou os pontos sempre lutou por você.

Ao escutar essas palavras o jovem muda sua expressão de debochado para de arrependido, pois aquelas palavras havia lhe tocado, pois mesmo que sua mãe biológica o tivesse abandonado quando criança ele tinha Izayoi que era sua mãe desde que a conheceu e lembrou de momentos que a jovem morena sempre fazia de tudo para que ele pudesse sorrir até seus mais escrúpulos caprichos eram atendidos. Sorriu para jovem arrependido do que havia feito com ela. A observou a pobre chorando desprotegida ali em meio da confusão que ele mesmo havia causado para ferir seu pai, mas ao vê-la chorar sentiu um nó em sua garganta.

-  Você não entende não é, sempre teve tudo. Falava entre os soluços e colocando suas mãos em seu peito.

No táxi voltando para sua residência Sara chorava nos braços de Inuyasha.

-   Que humilhação meu Kami.

-   Prima você sabe quando meu irmão bebe, ele simplesmente perde toda a compostura e esta noite Rin foi vítima dele.

-  Ela de vítima não tem nada Inuyasha, ela faz todos os caprichos dele, pois é conveniente com que ele faz.

-  É uma pobre coitada Sara.

-  É uma intrusa que se faz de idiota, mas ela e ele vão me pagar ou não me chamo Sara Asano. Diz aos berros.

Ainda no estacionamento do teatro Sesshoumaru e Rin estavam ali conversando.

-       Sabe eu sei que sou meio burra e que não tenho educação, mas não é minha culpa. Rin falava com Sesshoumaru no carro aos prantos.

-  Claro que não, nós que somos o culpados e eu sou o pior de todos. Dizia sem graça encarando as orbes castanhas da morena. - Vai me dizer que mudou de opinião.

-  Não, sabe que é você pensa só porque tem grana pode tudo e que todas as suas vontades devem ser feitas, inclusive pisar em nós pobres.

-  É Rin, agora te escutando assim vejo que você me ensinou algo, mas acho que é tarde demais para eu. Suspira.

-  Tarde demais para que cara?

-  Nada não, vamos indo então. Sorri e logo dá partida no automóvel.

  



Notas Finais


Espero que tenham gostado desse capítulo... Até o próximo 😘😊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...