1. Spirit Fanfics >
  2. Rivais na vida, companheiros no amor >
  3. Único

História Rivais na vida, companheiros no amor - Capítulo 1


Escrita por: e Imperio_Hime


Notas do Autor


Oi!

Queria agradecer a @Lightie_ por me ajudar com essa história, a @Hyugahina__ pela betagem e a @lancereja pela capa incrível♡♡♡♡

Essa história é baseada no anime Kishuku Gakkou no Juliet

Espero que gostem e boa leitura!

Capítulo 1 - Único


As aulas nem haviam começado direito e os alunos dos dois dormitórios já estavam brigando. Por algum motivo, tanto os alunos do lado A quanto os do B encaravam-se de um jeito mortal.

— Uchiha, foi estabelecido que nós iríamos primeiro para as salas! — Sakura gritou, como líder do grupo.

— E deixar vocês saberem os resultados das provas primeiro? — Sasuke devolveu, liderando o seu lado. — Jamais! Pessoal, entrem agora! — O garoto deu as costas para a Haruno e gritou para os colegas.

Hinata ficou feliz por não ter que se envolver em uma discussão às sete da manhã, mesmo não sendo uma das maiores fãs dos alunos do dormitório B. Mas quando viu Sakura batendo o pé após a saída de Sasuke, soube que aquela briga iria ser prolongada até o final do dia.

Desde que entrou no melhor internato de Konoha, a Hyuga, às vezes, se envolvia em algumas brigas, embora fosse pequena demais. A rivalidade entre os dormitórios era uma coisa passada de geração a geração, os novatos sempre eram incentivados a ter ódio dos outros colegas por causa dos veteranos.

Por ser uma criança quando entrou no colégio, o máximo de brigas que Hinata se envolvia era sobre um colega ter pegado suas coisas. Jamais levava a um nível extremo, como Sakura, que adorava aprontar com Sasuke e revidar depois. Talvez, por esse motivo, ela tivesse assumido a liderança do dormitório A no quesito discussões. 

Contudo, ao ingressar no ensino médio e ser melhor amiga e colega de quarto da “chefona” dos Deuses — era a forma dos colegas do lado A se chamarem, enquanto os do B eram os Demônios —, a garota teve que se ver envolvida nas discussões também. 

O normal naquela escola era a líder ter um rival fixo; quem liderava o outro grupo. Entretanto, Hinata teve o dom de conseguir ter um inimigo apenas seu também. Kiba Inuzuka começou a pegar em seu pé no penúltimo ano do fundamental e a garota nunca entendeu o motivo. Afinal, ela nunca o afrontou.

Sakura tirou a amiga de seus pensamentos, tentando controlar a fila que se formava para entrar na escola e ir para o corredor em que as notas eram divulgadas. Hinata não estava muito ansiosa para saber seus resultados, visto que ela havia se saído muito bem em todas as provas. 

— Incrível, Hina! — Sakura disse após olhar o quadro. — Você ficou na frente do Kiba de novo! Infelizmente, aquele desgraçado do Uchiha pegou o primeiro lugar e me deixou em segundo. Mas o que é dele está guardado!

A multidão que se formava no corredor começou a separar-se. A dupla de amigas ficou atenta. Kiba abria espaço entre os colegas ao passar.

— Hinata, eu quero uma revanche — ele falou, parando em frente à Hyuga.

— É só estudar — Sakura respondeu por Hinata. — Mas acho que, mesmo assim, é muito difícil para vocês, diabinhos, nos superarem. Poxa, três dos nossos ficaram nos cinco primeiros lugares.

— Acho que ele não falou com você, Haruno. — Sasuke riu de um jeito debochado. — Por que não resolvemos as nossas desavenças de hoje com uma partida de xadrez? Nós dois no refeitório principal às três da tarde.

Hinata não entendeu o motivo de uma questão de notas ser substituída por um jogo de tabuleiro, mas achou melhor não discutir, já que a Haruno concordou com a ideia do garoto.

— Kiba, a questão das notas nós resolveremos durante o bimestre — a Hyuga se dirigiu ao colega. — Não tem como pedir para os professores corrigirem a prova de novo porque você quer passar na minha frente.

— Eu quero te encontrar hoje, às sete da noite, na biblioteca, para a minha vingança. Passar bem.

A garota ficou chocada com aquele comportamento. E o que ele iria querer fazer? Uma partida de xadrez como Sasuke e Sakura fariam? Não, se fosse o caso, Kiba marcaria o “embate” em frente aos dormitórios para todos assistirem, já que, provavelmente, poucos alunos iriam querer sair de suas camas para ver uma briga que acontecia todos os dias.

O dia passou com Hinata tentando descobrir o motivo de Kiba querer aquela revanche. Todos resolviam o problema das notas nos bimestres seguintes, então por que resolver aquilo em outro lugar?

Após o jantar, a Hyuga avisou para Sakura que ela precisaria de cobertura caso não voltasse até o toque de recolher — que era às nove. A Haruno concordou alegremente. Hinata sabia que a amiga estava de bom humor por ter ganhado o jogo que teve durante a tarde.

Quando entrou no local do encontro, a porta principal foi fechada, se igualando às outras que estavam do mesmo jeito, o que deixou a garota assustada.

— Kiba? — perguntou, tentando o achar na imensidão que era aquela biblioteca.

O garoto apareceu atrás da porta. Ele se aproximou de forma dramática e parou em frente a morena.

— Hinata Hyuga, por sua causa eu cometi o crime mais grave que alguém do meu lado poderia ter feito — o Inuzuka disse, baixo.

Hinata o encarou confusa. Sobre o que ele estava falando?

Kiba aproximou-se um pouco mais e a garota recuou.

— Eu estou apaixonado por você — o rapaz disse de uma só vez. — Por favor, saía comigo!

O susto foi tão grande que Hinata quase tropeçou nos próprios pés. 

Nunca imaginou que alguém do lado inimigo fosse revelar que estava gostando dela. E o mais chocante era ouvir aquela revelação vinda de Kiba, o garoto que ela discutia constantemente por dois anos seguidos.

Mas ela não podia ignorar o frio na barriga e a aceleração do coração toda vez que o Inuzuka estava por perto. Porque, bom, ela também podia estar escondendo de seus amigos uma paixão secreta.

— Isso é sério? — ela questionou. — Não é alguma pegadinha?

Kiba pareceu ter ficado ofendido, mas respondeu:

— É claro que não. Eu realmente gosto de você, Hinata.

A Hyuga pensou, em seu interior, ela realmente queria sair e dar uma chance para o que sentia. Porém, ela poderia até ser expulsa do dormitório por ter ido para o lado inimigo. Ou não, talvez Sakura tivesse pena dela.

Hinata não deveria se importar com a reação dos colegas. Ser enxotada do dormitório por aquilo era impossível. Imperdoável seria se Sakura acabasse tendo um caso com Sasuke ou qualquer outra pessoa do dormitório B.

— Talvez eu goste de você também — ela disse depois de respirar fundo. — Sábado poderemos sair e andar pela cidade. Vamos nos separar do pessoal e marcamos um local para um encontro! — Terminou animada.

Kiba tinha um sorriso bobo no rosto, o que fez Hinata ficar envergonhada.

— Vai ser difícil tirar o Naruto da minha cola, mas irei conseguir!

Foi a vez da Hyuga sorrir. Ela deu um beijo na bochecha do rapaz e abriu a porta da biblioteca.

— Marcamos o local do nosso encontro durante a semana!

Saltitante, Hinata voltou para o dormitório. Ela estava tão feliz que nem se incomodou com Naruto e Ino discutindo um em frente a janela do outro.

Rindo como uma boba, já contava as horas para seu encontro.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...