1. Spirit Fanfics >
  2. Rival de Mentirinha >
  3. Part. 2 A queda da armadura

História Rival de Mentirinha - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Part. 2 A queda da armadura


- Estou implorando Jin hyung. - Jungkook juntou as mãos e se curvou em súplica. Se por acaso seu irmão descobrisse sobre aquilo... não conseguia nem mesmo imaginar o que ele faria.

Seokjin olhou para o acastanhado deitado na cama. - Não vamos nos exaltar, sentem-se aqui. - chamou batendo ao seu lado na cama. Ele sabia que o loiro contaria o que viu para o namorado.

- E-eu não vou mentir para o Namjoon, então não me peçam isso. - avisou de antemão sentando ao lado de Tae na cama. Jungkook fez o mesmo ficando do outro lado de Tae.

- Você não precisa mentir para ele, jamais pediria isso de você hyung. - começou usando seu tom calmo. - Apenas não conte o que viu aqui.

- Omitir também é mentira. - Taehyung respirou fundo se perguntando como iria fazer para não ter seu belo rosto desfigurado. Agora era conseguir convencer Seokjin. - O que pensa que está fazendo com Jeon? Ele tem apenas dezenove anos. - ralhou o loiro.

Tae não entendia o motivo de Seokjin estar defendendo Jungkook. O garoto sabia o que queria e foi atrás. Ninguém deveria dar ordens ou impor limites para ele. Onde estava a liberdade? Para ser sincero, Taehyung sempre foi alguém calmo. Pessoas que mentiam como ele para tudo, tinham certo controle com suas próprias emoções, mas começava a se irritar ao ver como Jin queria colocar Jeon em uma gaiola de ouro naquele instante.

- O que tem a ver ele ter dezenove? É maior de idade e sabe muito bem o que quer. Não trate ele como uma criança Seokjin. - talvez aquela fosse a primeira vez que Tae estava sendo sério. Jin ficou surpreso com aquela reprimenda vinda de alguém como seu chefe.

- E você? Não acredito que de uma hora para outra tenha se apaixonado por Jungkook.

- Digamos que os opostos se atraem. - deu de ombros abraçando Jeon. O garoto corou ao concordar. "Tão fofo." - Para ser sincero, não estamos namorando, apenas nos conhecendo. Gostaria da sua discrição para ver no que isso vai dar.

- Mas...

- Você me deve uma Seokjin. - ao interromper o loiro, Tae lhe deu uma mirada significativa que o fez entender. Mesmo depois de três meses, Taehyung ainda encobria o relacionamento de Seokjin com Namjoon, já que isso é proibido no trabalho.

Eles ficaram em silêncio por alguns minutos enquanto o mais velho pensava. Foi um tempo tão longo e tenso, que Tae achou que teria que usar ameaças. Não importava seu status ou dinheiro, Namjoon iria lhe partir os ovos se descobrisse que Tae estava saindo com seu irmão caçula.

- Tudo bem. Vou fingir que não vi nada. Mas não quero realmente ver vocês assim. E já pode ir descendo Kookie, seu irmão estava chamando por você. - avisou passando aos mãos pelo cabelo de forma nervosa.

- Obrigado hyung. - agradeceu Jeon feliz. O acastanhado deixou um beijo na bochecha do menor antes que o mesmo saísse para ver o irmão.

- Nunca vi você tão sério. Isso entre vocês, me diga que também é. - era palpável a a tensão do loiro. Ele nem mesmo sabia para onde olhar e ficava apertando suas mãos juntas.

- Não sei ao certo. Jungkook é fofo, inocente e ingênuo. Tudo que eu não sou. - confessou se jogando na cama. Estava se sentindo triste com a ausência do menor, depois daquele beijo tão feroz, seu corpo queria um pouco mais.

- Não vou contar ao Namjoon. Mas eu peço que tomem cuidado, também não quero ver vocês juntos para continuar encobrindo.

- Tudo bem, não se preocupe. - Taehyung entendia a posição do loiro e não queria prejudica-lo. A vida é feita de escolhas, e ele como um belo idiota que era, escolheu se envolver com Jungkook sabendo dos riscos.

- Eu vou descer e ajudar a preparar o almoço, tente dormir um pouco. Vou deixar que Jungkook traga um pouco para você. - explicou ao ficar de pé. O acastanhado sorriu, pois Seokjin já estava ajudando mesmo dizendo que não queria se envolver.

- Obrigado Jin, você é um anjo.


⊱┉⊗┉⊰

Taehyung fez exatamente o que Seokjin aconselhou. Agora Jungkook visitava seu quarto somente durante as refeições, quando Namjoon não estava, ou quando Tae ia nas termas durantes a noite. Em todos esses cinco dias eles não trocaram mais que beijos, carícias e histórias. Mas o acastanhado não contou que era chefe de Nam, nem mesmo quem realmente era. Uma coisa justificava a a outra, então não contou.

- Hyung, se sente melhor hoje? - indagou Jungkook entrando no quarto com a bandeja de comida. A tigela fumegava com a sopa feita pela Sra. Jeon. Tae estava usando o casaco de inferno ainda dentro de casa, estava enrolado no cobertor também, tudo para afastar o frio. O moreno apoiou a bandeja sobre a cômoda e entregou a tigela de sopa para Tae com um pano debaixo, o menor pegou outra com arroz e sorriu meigo.

- Só de ver você estou ótimo. - falou gentil. O sorriso doce logo se abriu no rosto ruborizado, assim era impossível não se apaixonar por aquele garoto.

- Não diga essas coisas. - ele observou como seu namorafo estava pálido, suas mãos tremiam ao segurar a tigela. - Quando foi que suas bebidas acabaram? - perguntou olhando para o canto do quarto onde sabia que o mais velho guardava as garrafas.

- Ontem de manhã. - respondeu deixando a tigela de volta na bandeja. Não conseguia mais segurar, estava com frio até os ossos.

- Por que não contou? Eu poderia ter ido comprar mais. Como foi que conseguiu dormir a noite? - o moreno parecia chateado.

Mas Taehyung não queria preocupar o menor, e sabia que alguém o veria com as bebidas e perguntariam, não queria que soubesse sobre sua condição anormal.

- Eu não dormi. Fiquei a noite em claro tremendo de frio. - respondeu como se aquilo não fosse nada. Como sentia falta do mês de junho onde podia dormir em paz. O calor agradável dos dias ensolarados.

- Eu vou comprar mais, coma tudo enquanto vou lá. - Jungkook deixou a tigela com arroz sobre a bandeja e levantou. O acastanhado o segurou pelo pulso o puxando de volta.

- Não, eu não quero que eles saibam disso. - pediu. Jungkook sentiu sua pele arrepiar com aquela mão gelada. Era como tocar na neve lá fora sem luvas. Como podia alguém ficar assim tão frio?

- Hyung, você está congelando. Precisa se esquentar rápido. Vamos ficar lá embaixo, a lareira está acessa.

- Não preciso, vou ficar bem. Todo inverno é a mesma coisa. - falou tentando sorrir calmo. Mas seus lábios começaram a tremer.

Taehyung soltou o moreno quando sentiu o frio aumentar.

- Droga! É uma tempestade. - eles olharam pela janela vendo tudo branco devido a neve. Não podiam sequer ver a montanha de tão intensa que era a tempestade.

Tae sentiu o corpo fraco e caiu de lado na cama. Ele começou a acreditar que talvez estivesse chegando em um estado crítico. No entanto, tudo o que não queria naquele momento, era que todos soubessem suas condições.

- Hyung!! Você está bem? - aquelas mãos pequenas e macias tocaram sua pele do rosto e do pescoço, o calor que emanava delas era tudo que precisava.

- Jungkook, deite-se aqui. - pediu baixinho. O moreno franziu o cenho confuso. - Eu avisei que quando estivesse muito frio, iria agarrar você. - explicou tirando o coberto de cima do corpo.

- Eu não tenho como sair mesmo. - Jeon usava apenas um conjunto de moletom e meias fofas. Ele deitou na cama aconchegado em seu hyung favorito. Tae abriu o zíper do casaco para que sentisse ainda mais do calor de Jungkook, assim poderia se aquecer melhor. - Está melhor hyung?

- Sim, eu só preciso de você. - com aquelas palavras, o moreno sentiu o coração transbordar amor e carinho.

Ninguém nunca precisou de Jeon, pois sua timidez era escondida por baixo de uma carranca enorme, os demais se assustavam e iam embora. E Taehyung era a primeira pessoa a lhe incentivar, sempre dizendo que não deveria deixar ou outros lhe diminuírem e imporem limites. Jungkook notou que nessa semana que passou, começou a ter mais confiança em si mesmo, algo muito difícil, mas com Tae sempre elogiando e mimando se tornou mais fácil. Ao lado do acastanhado, Jeon se sentia o mais lindo, o mais inteligente, o mais perfeito ser do mundo. Como podia não se apaixonar?

- Parece até mentira que eu tenho um namorado. Semana passada parecia um sonho distante. - comentou afundando o rosto no pescoço do maior. Ele cheirava tão bem.

- Eu sei que sou lindo, inteligente, charmoso e mil e uma coisas maravilhosas, agora que sou o homem dos seus sonhos. É demais, pare de me bajular tanto. - Jungkook não aguentou toda aquela autoestima e caiu na gargalhada. - Seokjin acha que fui eu quem te seduziu, ele está redondamente enganado. - continuou. Agora o moreno estava envergonhado, Tae sempre dizia essas coisas, mas não entendia como alguém tão sem graça como ele poderia ter seduzido um homem tão sensacional.

- É impossível imaginar que alguém como eu seduziu você. - esclareceu baixinho. Sentiu o namorado se afastar um pouco e logo seus dedo agarraram seu queixo o fazendo levantar a cabeça. Seu olhar era zangado, e ele olhava cada centímetro do rosto alheio com muita atenção. Jungkook engoliu em seca sobre aquele olhar penetrante.

- Me diga uma coisa Jungkook, o que tem em você que me impeça... não, que impeça qualquer um de te amar? Não deixe ninguém te colocar para baixo, eu acho você magnífico e as vezes tenho inveja. - desabafou. Ao perceber o olhar do menor, que dizia claramente que não acreditava, Tae continuou. - Sim, inveja por seu espírito alegre e livre. Meus próprios pais me colocaram em um colégio interno aos nove anos, eles achavam que eu estava doente quando disse que gostava de garotos. Depois disso, quando atingi a idade ideal, fui para o colégio militar. Eles nem imaginam que foi lá que consegui meu primeiro namorado. Fiquei nove anos sem ver minha família. Foi quando comecei a mentir, eles jamais me aceitariam do jeito que sou, então fingia ser outra pessoa para agrada-los. Me reprimi por anos, saia com desconhecidos em bares para uma transa de uma noite. Minhas amizades foram forjadas através de mentiras e sorrisos falsos. Ninguém nunca me quis pelo que eu sou de verdade, pois nunca me permiti ser verdadeiro por medo. Mas com você... eu não posso simplesmente mentir, é doloroso imaginar alguém te enganando, mesmo que seja eu. Acho que entendo Seokjin nesse ponto.

Tae sabia que Jeon queria dizer algo, mas não estava a fim de ouvir nada, nada além de seus suspiros. Então se inclinou para beija-lo, de forma lenta e sensual. Moveu sua coxa para ficar entre as pernas do moreno, suas mãos adentraram a camisa de moletom arrepiando a pele macia e quente. Jungkook suspirou com o toque gelado que por ironia só o deixou mais quente.

- Hyung, eu quero fazer. - sua voz saiu um pouco abafado devido ao beijo. Tae se afastou ao ouvir aquilo e parou até mesmo as suas mãos.

- Não. É melhor não. - falou retirando suas mãos da camisa do menor.

- Por que todas as vezes que digo isso você se afasta? - perguntou bravo. Era a segunda vez que Taehyung lhe recusava, era tão estranho que o maior lhe deixasse quente e necessitado, então ia embora.

- Vai por mim, não quer ter sua primeira vez comigo. Estou te salvando. - explicou virando o rosto. Mas Jeon não estava convencido. Levantou de onde estava e sentou a cavalo no colo de Tae assustando o mais velho. - O que está fazendo.

- Não diga o que acha que eu quero. - falou firme surpreendendo Tae e a si mesmo. Pegou na barra de seu moletom e o tirou jogando longe. Podia ver nos olhos castanhos o desejo ao mirar sua pele nua. - Vamos transar Taehyung. - ordenou sentindo o rosto esquentar.

- Jungkook, você não pode pedir algo assim. Esse quarto nem é a prova de som. - tentou de novo. Mas suas mãos já apertavam a cintura delgada. O menor começou a rebolar sobre seu pau lentamente o fazendo duvidar de sua sanidade.

- Prometo não gritar. - insistiu. Aquilo foi o estopim para o acastanhado.

- Ah, mas você vai gritar, porque eu não sei como ser gentil. - sua voz se tornou grave e sedutora, seu sorriso e olhar lembrava a Jeon os de um lobo mirando sua presa. Tae sentou puxando o pequeno e delicado corpo contra o seu, os lábios roçavam um no outro, mas sem se tocar de verdade. - Você conseguiu Jeon e quando eu começar, vai pedir para que eu pare. Espero que não se arrependa da sua decisão.

- Não vou pedir que pare. - afirmou. Mesmo sobre aquela aura dominante.

- Que bom, pois eu não iria parar mesmo que seu querido irmão abrisse aquela porta. - cada palavra daquela frase fora sussurrada de um jeito erótico em seu ouvido. Jungkook suspirou afetado com o corpo vibrando em ansiedade. Finalmente teria seu hyung como vinha sonhando aqueles últimos dias. - Tire a roupa querido. - mandou Tae soltando o menor.

Há alguns minutos nem conseguia ficar sentado, mas por Jeon Jungkook sempre daria um jeito. O moreno obedeceu ficando de pé e tirando sua calça moletom junto a box. De propósito Jeon jogou a roupa no rosto de Tae antes de sentar. Seu rosto e até mesmo as orelhas estavam vermelhas feito tomate, e nem por isso desviou o olhar do de Taehyung.

- Muito bom querido. Agora... - Taehyung segurou o menor antes de girar na cama ficando por cima. - Fique de quatro.

Jeon estava tão surpreso, o homem a sua frente de um ar tão dominador que não deixava espaço para hesitação. O menor ficou como lhe foi ordenado querendo algo para esconder seu rosto, aquela posição era tão vulgar e constrangedora. Mãos fortes e grandes agarraram suas nádegas massageando-as com força, aquilo era tão bom, Jungkook sentia borboletas no estômago.

- Hmm, parece que você se limpou muito bem para mim. - comentou o acastanhado passando a língua pela entrada virgem do namorado. - Quem te ensinou isso? - perguntou fazendo seu hálito bater contra o ânus agora úmido.

- E-eu vi na Internet, ah! - Tae inseriu a língua na entrada do menor. Jeon apertou os lençóis estremecendo com aquela estranha e excitante sensação. Uma das mãos do maior agarrou o membro ereto de Jungkook apertando o polegar sobre a glande o impedindo de gozar quando quisesse. - Hyung! - suplicou sentindo a língua ser substituída por um dedo. Jeon abriu ainda mais suas coxas em um convite mudo para que continuasse.

- Você disse que não iria gritar. Lembre-se que seus pais estão em casa hoje. - avisou inserindo o segundo dedo.

Para supresa de Tae, o namorado estava relaxado e muito excitado com aquelas poucas preliminares, estava sendo fácil lhe preparar. Jungkook rebolou contra os dedos ágeis do maior gemendo enlouquecido. Mas Taehyung ainda não tinha mostrado o que era prazer para seu inocente e fofo namorado. Quando inseriu o terceiro dedo, encontrou a próstata do menor, Tae passou a massagea-la com força e rapidez. Continuou apertando o membro do moreno querendo saber quanto tempo aguentaria naquela doce tortura.

- Hyung... por favor... deixa sair... - ele parecia prestes a chorar.

- Peça direito querido. O que você quer? - atiçou adorando ver como ele reagia aos seus toques. Toda aquela fofura e inocência o estavam excitando.

- Por favor. Deixa eu gozar hyung. - implorou baixinho com lágrimas nos olhos.

"Eu não resisto a essa carinha." Taehyung tirou seu polegar da glande vermelha e passou a masturba-lo rapidamente. Em questão de segundos Jungkook abafou o grito nos lençóis ao gozar. O maior se encheu de um sentimento possessivo. Jeon era seu namorado, e proporcionaria todos os seus primeiros momentos. Aquele anjo era todinho seu.

- Hyung.isso foi.incrível. - falou com a respiração fraca.

O acastanhado tirou seu casaco e camisa, enquanto isso o moreno virou na cama com um sorriso enorme no rosto. Tae não entendia o motivo daquele sorriso, mas sabia que o namorado iria gritar nos próximos minutos. Por isso pegou o travesseiro retirando sua capa.

- Vou amordaçar você, não queremos assustar todo mundo. - alertou enrolando a fronha do travesseiro. Jungkook concordou já ansioso pelo que viria a seguir.

Taehyung não resistiu a vontade de mordiscar os mamilos escuros do menor, que por sinal se mexia na cama com todos aqueles toques quentes. Tae desceu pelo corpo delicado deixando mordidas e chupões como podia, quando alcançou o membro outra vez rijo, não perdeu tempo em lhe dar a devida atenção. Começando com lambidas lentas por toda a extensão, terminou o engolindo inteiro. A cada subida e descida de sua cabeça, Jungkook arqueava a coluna em prazer. Sua língua se movia habilmente enquanto o chupava da base até a ponta, se demorando propositalmente na glande. Os gemidos abafados arrepiavam sua pele atiçando sua mente. Quando achou que era suficiente, parou o que fazia para levantar.

- Agora sim você pode gritar. - falou com um sorriso safado.

Taehyung baixou sua calça até o meio da coxa libertando seu pau que gotejava pre-gozo. Agarrou as coxas macias levantando as pernas do menor e as empurrando em direção ao peito do mesmo, seus músculos se moviam de um jeito sensual a cada movimento deixando o mais novo louco , sua entrada piscava como se o chamasse. O acastanhado se posicionou sabendo que o tinha preparado bem, então sem se conter investiu penetrando de uma só vez Jungkook. Ambos jogaram a cabeça para trás gemendo pelo prazer indescritível por estarem conectados. Tae já havia esperado demais, então começou as estocadas lentas e fortes. Ainda agarrando as coxas de Jeon, ele separou as pernas do menor o máximo que podia aumentando a velocidade gradativamente sem desviar o olhar do rosto alheio. O moreno chorava com a voz abafada, suas mãos estavam agarrando firmemente a cabeceira de madeira. So olhar o rosto cheio de prazer de Jungkook não era o suficiente para Tae. Então moveu suas mãos para agarrar os quadris de Jeon, retirou a amordaçar improvisada e o beijou de um jeito agressivo que o menor prontamente retribuiu. O quarto parecia pegar fogo deixando os dois como o centro daquele incêndio. Jungkook soltou a cabeceira se agarrando ao maior gemendo alto em sua boca. As estocadas brutas eram implacáveis e incessantes. E tudo que conseguiam pensar afundados naquele mar de luxúria eram em ter ainda mais um do outro, parecia que nunca seria o suficiente.

- Não me deixe. - pediu Taehyung em um sussurro que talvez Jeon não tivesse ouvido com toda aquela agitação.

- Hyung! - clamou ao ser despedaçado pelo segundo orgasmo. Tae o estocou mais duas vezes antes de encher o menor com seu sêmen.

Taehyung sentiu que sua armadura de mentiras desmoronar diante de Jungkook, aquele lhe deu medo, e misturado ao prazer do momento rezou para que o moreno não o abandonasse como todos fizeram.


⊱┉⊗┉⊰

Namjoon estava ajudando sua mãe Jeon Sohui a lavar os pratos, enquanto Jin e Jeon Youngsoo preparavam chocolate quente e biscoitos.

- Onde está Jungkook? - indagou Nam sentindo a ausência de seu irmãozinho. Pela janela da cozinha podiam ver a tempestade que havia começado de repente.

- Eu mandei que levasse a comida para TaeTae no quarto. Aquele homem desse várias vezes no dia, dessa maneira não irá melhorar. - respondeu Sohui secando as mãos. Namjoon fez o mesmo logo em seguida não gostando daquela resposta. - É bom que eles sejam tão próximos. Nunca vi Jungkook gostar tanto de alguém quanto de Taehyung.

Nam olhou para Seokjin com uma pergunta no olhar. "Você sabe algo sobre isso?" E o loiro nervoso deixou que o prato com biscoitos caísse da sua mão.

- Seokjin, cuidado. - alertou Youngsoo correndo para pegar a pá e vassoura.

- Desculpe, eu me distraí. - Jin desviou o olhar do namorado correndo para ajudar o sogro a limpar os cacos de porcelana no chão.

Mais Namjoon percebeu e aquilo o deixou desconfiado, quando terminaram de limpar tudo, o moreno puxou o namorado até a sala para conversarem a sós.

- Como assim o Kookie está próximo de Taehyung? Você sabe de algo? - estava nervoso. Seu irmãozinho não sabia como aquele homem era mentiroso e aproveitador.

- Jonnie, você tem que parar com isso, Jungkook não é uma criancinha. - ralhou o loiro batendo no braço do namorado para que o soltasse. - Tae não é o mostro que você acredita que é.

- Seokjin, ele é um mentiroso de primeira, só quero proteger meu irmão de se machucar ao lado dele. Eu não sou o vilão aqui. - teimou ficando irritado.

Namjoon nem acreditava que estava brigando com Jin por causa de Tae. Aquele homem até mesmo indiretamente interfiria na sua vida pessoal. Era melhor tê-lo deixado no metrô para que seguisse seu caminho.

- O que está acontecendo? Estão brigando? - Sohui se aproximou deles carregando uma bandeja com quatro canecas de chocolate quente, Youngsoo vinha logo atrás com os biscoitos. Nam olhou para sua mãe tentando controlar sua expressão, a mulher era alguém com pouca paciência e não queria estressa-la. - Eu fiz uma pergunta. - tornou a insistir erguendo uma de suas sobrancelhas.

- Não é nada. Vou subir e chamar Jungkook. - o moreno e afastou apressado subindo as escadas.

- Jonnie, eu tenho que te falar uma coisa importante. - Seokjin correu atrás do namorado e parecia apreensivo com algo. Namjoon parou na porta do quarto do irmão se preparando para entrar. - Espera. - pediu.

- Eu sabia, está me escondendo algo não é mesmo? - ele abriu a porta olhando o quarto de cima a baixo. Nem sinal de Jungkook ali dentro. Não podia ser, estava Taehyung com certeza. Namjoon fechou as mãos em punhos e foi até a porta pisando duro, pediu várias vezes para que Jeon não se aproximasse de Tae.

- Para com isso agora. Esse não é você. - Jin ficou na frente da porta impedindo que o moreno saísse. - Eu sei que Taehyung nos enganou e brincou com nossos sentimentos, ele foi chato de início, mas ele é uma boa pessoa.

- Onde está Jungkook? - perguntou tentando ignorar o namorado.

- Fazendo companhia para Tae. O que acha que estão fazendo?

- Para o bem estar de Kim Taehyung, espero que estejam apenas conversando.

Eles se encararam por alguns instantes antes de Seokjin suspirar cansado.

- Não vou mais te avisar, você vai perder Jungkook assim e não poderá culpar ninguém além de si mesmo. - o loiro se virou saindo do quarto e desceu as escadas.

Namjoon não gostou nem um pouco daquilo, Seokjin havia lhe deixado ali como se fosse um tolo. Defendeu Taehyung e por um momento se sentiu horrível. Tudo bem que tinha suas desavenças com seu chefe, mas quem não tinha? O problema era apenas sua proteção para com seu irmão. Para ele ninguém seria bom o suficiente para o menor. Ele saiu do quarto e andou até o final do corredor. Iria apenas chamar Jungkook para tomar um pouco de chocolate quente. Com a mão na maçaneta ele respirou fundo antes de entrar.

- Jungkook? - chamou.

Por um momento se perguntou onde estava Taehyung, e por que seu irmão estava dormindo na cama do acastanhado? Ele se aproximou um pouco mais e seu queixo caiu. Taehyung estava dormindo abraçado ao menor, seu rosto estava afundando no pescoço de Jeon e a ausência de camisa não passou despercebida. Jungkook também tinha os braços ao redor do acastanhado e dormia sereno. Puxou a coberta que os cobria até o ombro acordando seu irmão.

- Pode me explicar? - perguntou Namjoon trincando o maxilar. Pelo menos Jungkook usava a mesma roupa de antes e Tae estava usando uma calça de inverno.

- O que veio fazer aqui? - o menor levantou com cuidado não querendo acordar Taehyung.

- Chamar você para descer. Por que está dormindo aqui com ele? Não me diga que estão saindo.

- Não estamos saindo. - respondeu Tae ainda sonolento assustando os dois. Ele puxou Jungkook o abraçando pela cintura. - Estamos namorando.

Namjoon soltou a coberta de suas mãos e sua primeira reação foi ficar parado em choque. Taehyung era um belo mentiroso, sempre procurava lhe provocar de todas as maneiras.

- É mentira. - falou finalmente quebrando aquele silêncio estranho.

- Por que eu mentiria? Faz uns cinco dias eu acho. - continuou levantando devagar. Com um sorriso malandro, Tae puxou o rosto do namorado e o beijou.

Jungkook foi pego de surpresa com aquele beijo. Não era assim que contaria ao seu irmão, mas já que estava acontecendo. O beijo acabou em instantes, Namjoon puxou Tae pelo ombro e o socou no rosto assustando Jeon. Seu irmão levantou o punho para dar outro soco, mas o menor se jogou entre eles.

-  QUE MERDA VOCÊ ESTÁ FAZENDO?! - berrou irritado. Olhou para traz e se sobresaltou ao ver o sangue escorrer pelos lábios do acastanhado. - Hyung, você está bem? - indagou levantando o rosto do namorado para ver melhor.

- Eu vou matar você. - rosnou Nam tentando afastar seu irmão.

- Seu animal, não sabe conversar como um homem civilizado? - perguntou Tae o encarando com um olhar quase sombrio.

- Conversar? Me diga, o que deu em você para querer enganar meu irmão?

- Ele não está me enganando, Taehyung gosta de mim. - interveio Jungkook. O acastanhado balançou a cabeça concordando, ele ficou de pé com as mãos levantadas em rendição.

- E você acreditou? Acha mesmo que Taehyung ficaria sério com você Jungkook? Ele não é quem diz ser, ele é um mentiroso. - ele agarrou o irmão pelos ombros o balançando com força para fazê-lo entender. Lágrimas surgiram nos olhos de Jeon ao ouvir aquilo. - Taehyung é rico, ele é meu chefe e deve ter mil outros caras famosos ao seu dispor, você acha que teria chance contra essas outras pessoas?

- Para! Cala a boca Namjoon! - se enfureceu Tae empurrando o moreno para longe do menor. Jeon o abraçou afundando o rosto em sua costa. - Eu não sou tão superficial assim. Jungkook é uma pessoa maravilhosa e não merece ouvir nada disso. Então cale a porra da sua boca.

- Que gritaria é essa?! - Sohui entrou no quarto batendo a porta com força ao abri-la. Jungkook chorava abraçado a Tae, enquanto Namjoon encarava o acastanhado como se quisesse surra-lo. - Namjoon?

- Me desculpe mãe. - falou se afastando. Taehyung o segurou com firmeza pelo braço o fazendo parar.

- Peça desculpas a ele. - mandou com a voz grossa e um olhar enraivecido. Apenas sentir as lágrimas do menor em suas costas o fazia tremer querendo socar Namjoon.

- Pelo quê, eu só disse a verdade.

Pela segunda vez naquele dia, Taehyung perdeu a cabeça. Todos se surpreenderam quando o acastanhado levantou o punho e acertou Nam. Seokjin que havia ido chamar a Sra. Jeon e a acompanhou até ali, correu até o namorado que tentou revidar.

- Já chega vocês dois. - pediu o loiro segurando Namjoon.

Sohui viu como Jungkook se agarrava ao acastanhado chorando afetado. Ela se aproxinou deles e soube exatamente o que estava acontecendo.

- Namjoon. - chamou calma. O filho mais velho ficou quieto a encarando confuso. Ela o estapeou com tamanha força que seu rosto virou. - Esse seu ciúmes e super proteção com Jungkook o fizeram agir como alguém que não é. Pare por um minuto e veja o que suas ações estão fazendo com aqueles ao seu redor.

Taehyung virou puxando Jeon contra seu peito e o abraçando com carinho. Vê-lo chorar assim era como ter cacos de vidro em seu peito. Por que ninguém entendia o quão perfeito aquele garoto era? Jungkook se afastou limpando as lágrimas de seu rosto que insistiam em continuar caindo.

- Você pode não acreditar que alguém tão incrível quanto o hyung possa ter se apaixonado por mim. Mas não importa, por que eu prometi a mim mesmo que não iria deixa-lo passar frio nunca mais. Eu sou o único que pode aquece-lo de verdade. - ao dizer aquilo, foi a vez de Taehyung querer chorar. Aquele garoto tão fofo, inocente e tímido estava enfrentando seu próprio irmão para defender seu racionamento com o acastanhado. Foi naquele momento que sua armadura terminou de se despedaçar e caiu. Ah, como queria beijar seu valente Jeon Jungkook.

- O que você tem a dizer Kim Namjoon? - indagou Sohui com as mãos na cintura.

- Desculpe. - falou com a cabeça baixa em vergonha. - Eu não deveria ter dito o que disse, ou feito o que fiz. Me perdoa Jungkook?

Nam foi até o irmão com o rosto tomado pela culpa e arrependimento.

- Tudo bem hyung, mesmo agindo assim eu ainda amo você. - falou antes de pular no irmão e abraça-lo.

- Eu também mereço um pedido de desculpas seu ogro. - interveio Tae apontando para seu lábio cortado. Com uma careta de desgosto, Nam o encarou.

- Desculpe também por socar você. - todos encaram Namjoon esperando por mais. O moreno suspirou derrotado soltando seu irmão. - Vocês querem que me desculpe por acusa-lo de enganar Jungkook, mas ainda não esrou convencido do contrário. É tudo que tenho a dizer.

- É o suficiente para mim. Não preciso das suas desculpas, só preciso do meu querido Jeon. - respondeu puxando o namorado para um abraço possessivo.

- Não abusa.

- Okay, tudo resolvido. Vamos tomar chocolate quente. - a Sra. Jeon bateu palmas expulsando os demais do quarto.

- Eu não me sinto bem. - avisou Tae caindo sentado na cama. Seu rosto estava muito pálido e assustou a todos.

- Ah não. Ele não come nada deste ontem, e não dormiu a noite por conta do frio. Essa agitação toda acabou com suas forças. - explicou Jungkook acariciando o rosto gelado do maior.

- Nós dois sabemos que a culpa é sua querido. Se não tivesse insistido para...

- Mãe, temos que alimenta-lo, tem alguma coisa que ele possa comer? - interrompeu o acastanhado antes que outra briga desse início.


⊱┉⊗┉⊰

3 semanas depois...

Taehyung olhava tristemente para a tela do seu computador, lá passava várias imagens de Jungkook que havia tirado antes de voltar. Sentia saudades do seu pedaço do ceu. Queria ligar e falar com ele para ouvir sua voz doce, mas sabia que o menor deveria estar ocupado no momento. Lembrava ainda de como foi doloroso se despedir dele e como dormia mal aqueles dias. Graças a Jeon, havia se acostumado a dormir de conchinha. O menor prometeu que logo iria visita-lo, e que passaria um tempo com o mesmo, mas esse dia nunca chegava. Quando falava com ele por ligação, Jungkook confirmava alegre que iria sim. Mas quando esse dia chegaria? Não sabia até quando aquentaria toda aquela solidão. Era como viver acostumado a fria solidão, então de repente descobriu o prazer e o amor em uma pessoa alegre e quente. Quando se volta para a solidão fria, já sabe que aquilo não lhe pertence mais por ter conhecido a felicidade. Como podia não sofrer na ausência de Jungkook.

- Taehyung. - chamou alguém ao entrar na sala. Ele olhou para cima antes de ignorar totalmente o moreno. - Preciso que veja esses relatórios.

- Peça ao Pd Nim. - falou continuando a admirar seu amado pela tela do computador.

- Eu sei que você tem mais conhecimento sobre investimentos do que ele. Pare de fingir ser um imprestável e comece a trabalhar. - disse firme jogando a pasta sobre a mesa.

- Não abuse só porquê é meu cunhado. Tenho que agradar Jungkook e não você. - revidou mal humorado.

- Você está horrível. Sempre se arrumava para vir trabalhar, ultimamente vem todo amassado e com olheiras. - Taehyung continuou a ignora-lo. Não era obrigado a nada. - Eu seu que sente falta dele, e Jungkook já me ligou dizendo que também sente saudades suas, mas ele precisa resolver umas coisas para poder viajar. - explicou tentando anima-lo. Namjoon nunca imaginou que sentiria a ausência do debochado, irritante e mentiroso Kim Taehyung. O homem estava um trapo, até mesmo sua barba estava por fazer.

- Eu só não fui vê-lo por um motivo, prometi que deixaria ele tomar a iniciativa. Estou me arrependendo amargamente disso. Eu nem consigo dormir a noite. - desabafou descansando o rosto em suas mãos.

- Sabe, depois do trabalho podemos ir tomar algo. Quem sabe conversar sobre isso te ajude. - se ofereceu gentil.

- Você, querendo me consolar? É algum plano maléfico para me matar? - brincou sem levantar o rosto. Estava sentindo dor de cabeça com a falta de sono.

- Se você morrer, meu irmãozinho vai sofrer. É melhor te manter vivo... por enquanto.

Taehyung riu daquela piada e finalmente olhou para Namjoon. Teria que se esforçar um pouquinho para não pensarem que estava querendo se matar.

- Tenho um presente para você de Jungkook. Ele queria poder dar pessoalmente, mas me pediu para te entregar.

- Tomare que seja algo que justifique sua demora, ou amanhã mesmo eu vou fugir outra vez para vê-lo. - avisou seriamente.

- Tudo bem. Se arrume ao menos, não quero sair com você ao meu lado com as pessoas achando que é um sem teto.

- Sempre um ogro insensível. - reclamou. Namjoon saiu de sua sala deixando os relatórios na mesa. - Aquele filho da mãe. - resmungou pegando a pasta para dar uma olhada.


...

Tae pensou que seria no mesmo bar de sempre. Mas Namjoon dirigia por outro caminho.

- Aonde vamos? - indagou olhando pela janela sem qualquer empolgação.

- Pegar seu presente primeiro. - respondeu Seokjin olhando o acastanhado pelo retrovisor.

- Por que temos que ir tão longe? Sinto que fui enganado. - Taehyung suspirou triste fechando os olhos. Estava com sono, mas não conseguia dormir.

Depois de mais alguns minutos o carro parou perto de uma estação de ônibus. O lugar estava um pouco cheio devido a neve, as pessoas ficavam do lado de dentro que era mais quente. Seokjin e Namjoon saíram do carro chamando Tae.

- Não quero ir. Peguem o que tiverem que pegar e voltem.

- Venha logo ou irá se arrepender. - falou Jin abrindo a porta traseira.

Taehyung saiu do carro com raiva, será que eles não entendiam que não queria socializar, ou fazer qualquer outra coisa que exigisse um pouco mais de energia? Enquanto iam até os Correios dentro da estação Central, Namjoon abriu um sorriso enorme. Tae seguiu seu olhar que ia para as escadas que levavam até as plataformas.

Seu olhar cruzou com olhos negros e grandes. Um sorriso lindo e meigo se abriu nos lábios de Jungkook. Naquele momento Taehyung jurou que estava tendo uma alucinação. Ele parou de andar e ficou encarando Jeon que andava até ele puxando uma mala grande. O menor usava roupas de inverno negras e botas marrons. Olhou para os dois ao seu lado que também sorriam para Jungkook. Quando ele estava finamente na sua frente a pouco centímetros, Tae o abraçou sentindo os olhos queimarem com lágrimas.

- É mesmo você? - perguntou ainda desacreditado.

- Sim. Sentiu minha falta?

Em resposta Taehyung o beijou. Um beijo profundo e desesperado para mostrar como estava de verdade. Não se importou com os olhares de nojo que lhe lançaram, o que importava mesmo era Jungkook bem ali em carne e osso. Ele se afastou quando ficaram com falta de ar.

- Espero que tenha resolvido tudo, por que nunca mais vai ficar tão longe de mim. - avisou o acastanhado agarrando a mala do menor. - Vamos embora, quero ir para casa.

- Ei! Iríamos todos beber um pouco. - interveio Namjoon.

- Pode ir com seu namorado. Eu vou sair com o meu, até a próxima gente.

Jungkook riu da cena e apenas seguiu Taehyung até o lado de fora. Não demorou para que pegassem um táxi, mesmo naquela noite fria. Jeon virou para o maior e apertou sua mão sorrindo feliz.

- Eu demorei por conta da minha Universidade. Estava fazendo algumas provas de última hora. Passei em uma que fica aqui mesmo, assim não preciso ficar longe de você. - explicou.

Taehyung puxou sua mão pequena e a beijou demoradamente.

- Parece que essa demora valeu a pena.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...