1. Spirit Fanfics >
  2. Rivalidade >
  3. Capítulo 5: Vamos jogar

História Rivalidade - Capítulo 5


Escrita por: e Itachi_Uchiha__


Capítulo 5 - Capítulo 5: Vamos jogar



•Itachi•


Eu não acredito! É sério isso que ele me pediu? Se esse for um de seus desejos sobre mim , ele é realmente um babaca. Eu quase não consigo acreditar que no meio de tantas hipóteses, ele me pediu algo tão... Inesperado, nunca imaginei escutar isso dos lábios dele. Mas enfim, depois de escutar isso eu acabei por indo embora sozinho, pensando em tudo e ao mesmo tempo não conseguindo organizar meus próprio sentimentos. Cheguei em casa acabado, parecia ter corrido uma maratona e meu coração disparava, mas estava claro que meu desconforto vinha por culpa de uma única e específica pessoa. 

- Itachi? Chegou, querido? - Que ótimo, para melhorar o meu dia mamãe está em casa, o mundo está conspirando contra mim ou algo do tipo?

- Olá, Aka-san - Sorri para ela, tentando deixar escondida a minha vontade de chorar e socar tudo e todos pela frente. 

- Você não parece bem, hm? -

- Ah, n-não é nada, eu apenas... Estou cansado e cheio de matérias que preciso estudar - Ela olhou-me desconfiada de relance, porém não contráriou as palavras ditas por mim, e apenas voltou a direcionar sua atenção ao que fazia anteriormente: Cortava tomates para preparar a refeição. 

- Ótimo. E Shisui? Ele ainda não voltou? - Eu desejo que morra pelo caminho. 

- Mãe? Você sabe que os assuntos dele não me diz respeito -

- Ah, é. Vocês e essas discussões infantis - Riu anasalado, batendo a faca sob a pia e de efeito uma fatia de tomate foi cortada - Eu suspeito muito de que vocês se amam, sabia? - A mas nem fodendo. 

- Eu odeio ele, mãe. Acho que já disse isso para a senhora - Eu não sei porque todos acham que tenho interesse nesse canalha? Tudo bem que eu até tinha decidido diminuir as discussões internas com ele, mas oras! Ele não ajuda e vem com gracinhas me pedir indecências. 

Mas eu já sei muito bem como lidar com as jogadas dele, e apesar da concorrência, eu o conheço melhor do que ninguém, infelizmente convivo diariamente com esse... Gostoso miserável, é realmente um desperdício de receptáculo, o que o estraga é a forma infatil que lida com basicamente tudo. 

Minha mãe não proferiu mais nenhuma palavra e cortou o assunto por ali mesmo, ela acha que não percebido o sorrisinho de lado que soltou nos lábios. Isso porque minha querida mãe pensa que eu quero algo com Shisui. Eu não fiz nada para merecer isso, ou será que fiz? 

Subi para o meu quarto, desejando mentalmente que aquele dia passasse e que Shisui fosse cruelmente atropelado no caminho. 

... Bem, ta, talvez não precise sofrer danos, mas pelo menos algo para o impossibilitar de lembrar dessa droga de aposta! Eu não sei onde estava com a cabeça quando pensei que jogar com um delinquente fosse uma boa idéia, droga. Deitei -- ou melhor, me joguei -- exausto na minha humilde cama, esperando por algo que eu não queria que ocorresse. Aliás... Ele já deveria estár aqui, hm? Já passou da hora, mas quanto mais ele demorar melhor eu penso em uma estratégia de fugir dessa. Eu só sei que sai correndo e ele ficou parado me olhando até que estivesse consideravelmente longe. Depois disso, já não sei se ele realmente tomou o rumo de casa ou foi se drogar, matar alguém ou se prostituir. Eu realmente não me importo. 

- Que droga... - Falei a mim mesmo, virando-me na cama para encarar o teto, e me perder em pensamentos vagos. 

Mas... Tudo que é bom, dura pouco, né? Assim como a minha paz que se foi quando escutei o barulho da porta se abrindo, e em seguida um "plack" Dela se fechando vagarosamente. Mesmo aqui do segundo andar é possível ouvir certas coisas em certos pontos da casa, e é daí que vem minha primeira estratégia: ele não pode me obrigar a fazer nada se mamãe e papai estiverem na casa, afinal, ou eu grito por ajuda ou papai escuta algo e arranca nosso coro. Segunda opção: Eu posso simplesmente, não fazer. Ele não tem autoridade e muito menos controle suficiente sobre mim para me dizer o que fazer ou não, e mesmo eu sendo um campeão nato em apostas que odeia desistir, é melhor não acabar com minha reputação, hm. 

Mais uma vez eu desejei morrer ao escutar passos em direção a escada, e sucessivamente alguém, vulgo o que eu penso ser Shisui ia subindo bem lentamente os degraus da escada que dava com o corredor para os quartos. Ou ele está quebrando o chão com os pés, ou eu realmente tenho uma ótima audição. Até que já cansei de ouvir "Naruto" De forma manhosa vindo da boca do meu otouto punheteiro. Sério, eu não sei por quê eles não se comem logo. 

Os passos foram aos poucos ficando mais altos e a aproximação ia aumentando, meu coração começou a acelerar e eu me sentei subitamente na cama vendo o barulho se tornar mais alto. Até que, meu coração quase pulou do peito quando a porta do meu dormitório se abriu lentamente, sem revelar a pessoa. Nessa hora meu cu já estava na mão. 

- Puta que pariu! - Dei um sobressalto, e quando a porta se abriu por completo, foi revelado ninguém mais e ninguém menos que Sasuke. Que linda vontade de te socar, otouto, eu quase tive um ataque. 

- Hmm? Nii-san? Parece que viu um monstro - Essa sua cara de bunda

- Que susto, Sasuke! Eu já disse para bater antes de entrar, eu poderia estar nú, sabia? -

Sasuke me olhou com tédio, desinteressado no meu desespero. 

- Eu só vim avisar que o Sui ligou, e disse que é para você olhar as mensagens que ele enviou - O que? Então quer dizer que ele ainda não veio pra casa? 

- E desde quando ele possuí meu número? -

- Desde que eu passei pra ele - Mais uma vez o mundo conspira contra mim. 

- Eu acho que odeio você também - Ele riu anasalado

- Hum, também te amo - Eu não tenho como negar que sou alguém facilmente influenciado por meus sentimentos, não consigo odiar meu irmãozinho - Mas sério, mande mensagem para ele logo. Se ele me ligar de novo eu juro que cometo um crime - Por favor faça isso por mim. 

- Ta ta - Revirei os olhos vendo ele retirar-se do cômodo, e fechar a porta. 

Então quer dizer que ele tava me mandando mensagens, uh? Interessantíssimo. Peguei o celular do meu bolso, anteriormente se encontrava desligado para justamente ninguém me importunar, mas acho que já disse que o azar sorri para mim. Após ligar, verifiquei a caixa de mensagens, e puta merda! 27 mensagens não lidas, Shisui não deve ter mais o que fazer da vida. 

Ao verificar melhor, pela sorte de Jashin apenas 2 eram do Sui, o resto são de grupos irrelevantes e 2 são do Dei, que surpresa mais agradável. 

3 mensagens não lidas

Dei: Itachi? Sério, você saiu correndo e nem ao menos avisou, foi pra casa sozinho ou com o tal de Shisui, certo? 

Dei: Está tudo bem? 

Itachi: Ah, tudo bem sim, me desculpa eu tive um ataque e me deu vontade de mijar, sabe. Não queria atrasar vocês e fui sozinho - Eu sou um tremendo babaca. 

Dei: Bela desculpa, Itachi Uchiha. É sério isso? Achei que você fosse mais inteligente 

Itachi: Me desculpe, hm? Eu não quero falar agora, mas eu explico tudo depois, ta bem? 

Dei: Okay okay, mas não pense que escapou

Itachi: Até mais

Me desculpe, Deidara, mas não estou com paciência para falar nem mesmo com você. Certo agora vamos ver o que esse meu.... Querido... Primo quer. 

Shisui: Itachi, você é bem virjão, né? Saiu correndo e eu fiquei sozinho :( - Morra seu filho da puta

Shisui: Eu estava brincando com você, eu não vou te obrigar a fazer nada, então não precisa ter medo e me considerar um tarado destruidor de reputações - Incrível que ele adivinhou o apelido que eu mentalizava.

Itachi: Shisui, não me venha com essa porque pelo que eu saiba você nunca pegou ninguém meu caro

Itachi: E sobre isso, não se preocupe, eu não tenho, e nunca vou ter medo de você. Passar bem

Shisui: Ótimo. Mas você ainda me deve um... E talvez dois favores, eu ganhei a aposta, não pense que pode fugir. Uma vez que se inicia um jogo, vá até o game over, qual a graça se não haverem perdedores? 

Itachi: Foda-se, você e esse jogo de merda. Você diz como se essa aposta estivesse totalmente honesta, tsc. Me esqueça

Você bloqueou esse contato


Estou me sentindo horrível, mas, eu não sei porquê, apenas sei que continuar uma conversa com ele não me traria benefícios. Eu odeio ter assuntos inacabados, mas fazer o que, né? Na vida existem altos e baixos. Eu iria tomar um banho para esfriar a cabeça, mas fui interrompido pelos gritos de dona Mikoto me chamando para a refeição. Tudo que pude fazer foi descer livremente despreocupado e muito mais aliviado, agora só queria me satisfazer comendo e descansar. Isso era bem o que eu queria, mas parece impossível a palavra descansar estár presente em minha vida. Logo que desci todos os degraus, encontrando meus pés com o chão, pude ver parado a alguns centímetros de distância, o causador dos meus desejos suicidas. Eu não vejo porque não cair aqui mesmo e desmaiar, que droga! 

Se já era muito ruim olhar para ele antes, agora está pior ainda. 

Ainda estávamos perto da escada, e nossa distância um do outro era consideravelmente de mais ou menos uma pessoa. Ao nosso redor parecia tudo quieto, um silêncio irritante, e era impossível ver a cozinha dali naquele ângulo, por isso acredito que mamãe não esteja nos vendo. Quase que derrepente ele se aproximou de forma preocupante, e quando eu achei que deveria reagir, ele simplesmente, me abraçou... Isso foi tão inesperado e novo, que eu não sabia como lidar. 

Então permaneci parado recebendo seus braços envolta de mim, suas mãos tocaram minhas costas por cima da roupa, e ele apoiou a cabeça em meu ombro. Eu me mantive parado , estável, e não pretendia me mover. Na verdade, nem conseguia retribuir o abraço ou me afastar, pois algo percorreu meu corpo, uma nova sensação que fez meu coração acelerar. 

- S-shisui, o que você... - Fui cortado por uma falsa tosse vinda de Aka-san, que nos observava parada em frente a passagem de ligação entre a cozinha e o corredor. Sério, quando ela apareceu ali? Eu pensei ter verificado. 

As habilidades de uma mãe precisam ser estudadas. 

- Vocês estão bonitinhos se abraçando, não queria atrapalhar... O momento, mas a comida vai esfriar - Ela quase não conseguia conter suas risadas abafadas, e seu semblante animado denunciava o quanto ela deve ter imaginado algo que eu nem quero saber. 

Shisui se afastou de mim rapidamente, sem dizer uma única palavra. A 'qualé? Ele simplesmente aparece, e me abraça sem mais nem menos? Quem ele pensa que é? Eu nem sei quando foi que ele chegou, já que a poucos minutos estávamos conversando por mensagens. Isso deveria ser preocupante para mim, mas não sei no que pensar, e pior, não sei mais no que ele está pensando. 

- Eu fiz repolho, tomates e fora os pratos típicos, fiz para a sobremesa seu doce favorito, Tachi - Mamãe é sempre tão gentil com todos nós, eu quase não sei como ela pariu Sasuke. Claro que é de se esperar isso apenas do meu otouto, já que eu sou a gentileza em pessoa, heh. 

Todos, incluindo Shisui nos sentamos no chão sob o tapete fino para comer, 'geral da casa está presente, menos papai que deve, hm, estar trabalhando ou sei lá o que ele faz da vida. 

Eu posso ser alguém que odeia barulho, e prefiro lugares calmos e silencioso, mas sério, esse tipo de silêncio desconfortante me da nos nervos. Eu nunca sei como iniciar uma conversa em família, parece que todos os assuntos são tão restritos aqui. 

- Então, Aka-san... - Eu te amo, Sasuke. Por me livrar dessa - Você permite que eu vá a casa do Naruto amanhã? Sabe, você já conhece o Dobe, ele é irritante quando quer algo - Eu não sou burro suficiente para cair nessa desculpinha de merda, Otouto. 

- Ah, claro! Eu adoro aquele Uzumaki, confio muito nele e na família que estiveram sempre nos apoiando - Disse animada, entretida na conversa - Além do mais, quero saber quando será seu casamento com ele - Sasuke engasgou, Shisui riu e minha mãe quase teve um ataque com a reação do filho. Eu.. Claro permaneci quieto, não estava entendendo absolutamente nada. 

- M-mãe! Eu já disse que somos só amigos, humph - Uhum, sabemos Sasuke, sabemos. 

- Sei... Mas então meninos, para aproveitar que o pai de vocês não está aqui, vamos falar de um assunto sério, quero a atenção de todos - Eu que estava mongando olhando para o prato, direcionei minha atenção direto para ela com total foco assim como os outros dois fizeram. Pude ver que ela parecia determinada e séria, o que será que era tão importante? Me deixou preocupado. 

Eu ia questionar e perguntar o que houve, mas ela iniciou totalmente confiante. 

- A homossexualidade - Ah sério, todo dia isso

- Aaah, mãe, esse assunto de novoo? - Resmungou o mais novo feito uma criança mimada com a voz arrastada. 

- Sim sim, esse assunto é de extrema importância - Aka-san tem conceitos estranhos do que é importante. 

O que me incomoda é que Shisui está quieto até agora, depois de me dar aquele abraço do nada eu estou muito desconfiado desse ser. 

O resto foi comum, minha mãe perguntava do jeito que ela sempre faz, tentando adiquirir informações sobre nossos relacionamentos por puro entretenimento, a maior parte do tempo ela dedicou a falar com Sasuke e já que não me diz respeito, prefiro não interferir. O dito miserável passou a refeição inteira em silêncio, calado sem dizer uma única palavra, será que ficou mudo? Hm , não importa. 

Após terminar de comer subi para o meu quarto, meus pensamentos focados em tomar um lindo banho e usufruir de uma leitura agradável para tentar alegrar minimamente meu dia. Na trajetória para ir ao meu quarto, acabei passando pela porta do dormitório de Shisui que era encostado ao lado do meu. Como ele terminou de comer primeiro, já estava lá, e vi uma cena hm.. Divina? Puta merda. 

A porta estava escancarada porque eu acho que ele não tem um pingo de vergonha, e manter-se sem camisa a vista de qualquer um. Ta, talvez eu esteja exagerando, todos nessa casa já viram ele assim, mas isso ainda me incomoda. Eu poderia ficar ali o dia todo admirando esse corpo escultural, posso elogiar o quanto quiser mentalmente, meu orgulho não será quebrado se eu apenas observar hehe. Fiquei observando, ele estava virado de costas para mim, com uma toalha branca em sua cintura e sua atenção focada no celular, por isso acho que não percebeu minha presença. Suas costas eram bem definidas e ele não chega a ter músculos exagerados, mas era bem estruturado e possuí um porte Atlético dos bons. Mudei a direção de meus olhos para suas pernas , que estavam parcialmente nuas, afinal da coxa para cima tinha um maldito tecido atrapalhando minha visão. E puta merda, que bunda meus amigos, a toalha marcava bem possibilitando uma melhor visão de sua raba, e seria satisfatório morder e meu Deus no que eu estou pensando. Só queria ver a parte da frente também, poxa vida, eu não tenho sorte. 

- Vai ficar me observando até quando, Itachi? - Puta que pariu? Eu não acredito que ele sabia que eu estava aqui! 

Seu tom de voz era totalmente calmo e ele só olhou de canto sem virar-se. Eu na hora engoli em seco, o que poderia dizer? "Eu só estava babando no seu corpo, nada demais", isso Soa ridículo se tratando de eu estar secando meu inimigo, humph. 

- E-eu só estava passando, e vi você assim! Sabe, não deveria deixar a porta aberta em quanto se troca Shisui, Hum! - Tentei demonstrar um tom irritado mais minha voz saiu trêmula e era visível que eu estou envergonhado. 

Ele finalmente se virou, revelando seu peitoral. Vou tentar me controlar, certo, é só o Shisui, né? Ele nem é tão bonito assim. Ta bom a quem estou querendo enganar, eu o acho um puta gostoso e ele tem o mesmo pensamento sobre mim. Mas isso não significa que eu não o odeio! Apenas tenho admiração por esse trabalho de Deus tão bem feito. Tive uma visão privilegiada de seu tórax e abdômen, eu só queria ter tempo para apreciar e analisar a " Paisagem" , porra Shisui é um chato! Não posso nem mais observar seu corpo? Humph! Ele se aproximou cada vez mais de mim, eu não sei mais se tenho vontade de matar ele, comer ele ou dar pra ele, eu desisto de tentar ser orgulhoso. 

Quando ele se aproximou consideravelmente de mim, tentei me afastar dando passos para recuar mas em um único impulso ele me puxou para seu corpo apenas para prosseguir fechando a porta atrás de mim, e... Puta merda ele trancou. Quando voltei a encara-lo, ele me olhava obcecado e possivelmente obsessivo, encarando-me com os olhos cemicerrados, ele parecia irritado ou... Possessivo? 

Meu braço foi levemente apertado, não com tanta força, mas o suficiente para me puxar e manusear-me jogando meu corpo contra sua cama. Eu nem conseguia falar, minha voz ficou presa junto a todas as palavras perdidas em minha garganta, nenhum som era proferido. 

- Eu... Mudei de idéia, acho que quero que você cumpra seu castigo por perder a aposta - Arregalei meus olhos surpreso, estou me sentindo abusado. Seu olhar sobre mim nao desviava mesmo que eu o fizesse virando meu rosto, e como a porta estava trancada, eu correr até ela e abrir daria tempo suficiente para ele me cercar novamente. 

Shisui se aproximou, subindo por cima de mim na cama, e eu fiquei imóvel, não por ser submisso! Mas eu não sabia como reagir a algo assim. 

- Vamos, Itachi, não tenho o dia todo - Sorriu malicioso colocando as mãos uma de cada lado de minha cabeça, para me deixar impossibilitado de levantar. 

E é agora que eu preciso provar que sou tão provocador e dominante quanto ele! Podemos ser rivais, mas temos personalidades parecidas, não vou deixar que ele pense que pode controlar e manipular a situação. Abri em meus lábios um sorriso tão desafiador quanto o seu, e me ajeitei na cama, sem me importar na posição. Na verdade ele que deveria tomar cuidado estando apenas de toalha. 

- Ahn? Como deseja que eu faça isso? - Ele levantou uma sombrancelha, em dúvida - Não é óbvio? Eu não estou excitado, não tem como - Falei sorrindo, totalmente despreocupado - Sabe, não vai dar

Ele devolveu um sorriso, menosprezando minha fala anterior. 

- Isso é um problema seu, apenas faça - Quer jogar, né? Vamos jogar. 

- Talvez se você ficar de quatro eu posso me masturbar imaginando como seria foder voc-- Não consegui terminar de falar porque ele segurou minhas mãos -- Especificamente os pulsos - acima de minha cabeça e se aproximou consideravelmente, respirando sob meu lóbulo. 

O ar que emanava dele era quente, e te-lo respirando tão próximo me fez ficar em êxtase por alguns segundos. Eu não esperava essa reviravolta, mas quando dei por conta, era ele quem estava no comando, e sussurrou com um tom sexy em meu ouvido

- Vamos jogar....-



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...