História Riverdale - Capítulo 27


Escrita por:

Postado
Categorias Riverdale
Personagens Alice Cooper, Antoinette "Toni" Topaz, Archibald "Archie" Andrews, Cheryl Blossom, Chuck Clayton, Clifford "Cliff" Blossom, Dilton Doiley, Elizabeth "Betty" Cooper, Ethel Muggs, Forsythe Pendleton "FP" Jones II, Forsythe Pendleton "Jughead" Jones III, Frederick "Fred" Andrews, Ginger Lopez, Hal Cooper, Hermione Lodge, Jason Blossom, Joaquin, Josephine "Josie" McCoy, Kevin Keller, Marmaduke "Moose" Mason, Mary Andrews, Melody Valentine, Penelope Blossom, Personagens Originais, Polly Cooper, Pop Tate, Reginald "Reggie" Mantle, Smithers, Treinador Clayton, Veronica "Ronnie" Lodge, Xerife Keller
Tags Amor, Assassinato, Colegial, Escola, Híbrido, Lobisomem, Mistério, Riverdale, Romance, Sobrenatural, Suspense, Terror, Vampiro
Visualizações 79
Palavras 1.677
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 27 - 2 Temporada : Joguinhos


VERÔNICA LODGE

Eu preciso achar ela. Procurei pela casa inteira, só falta procurar no porão, e tenho certeza que ela não tá. Fui até a cozinha, preciso comer. Lá tinha uma garrafa com sangue, e tinha escrito meu nome na mesma. Todos nós temos uma, com nossos nomes, pra deixar claro que ninguém pode beber o seu tipo sanguíneo favorito, e o meu é O+. Ela estava pela metade, então peguei a mesma e coloquei em um copo, comecei a beber o mesmo. Estava gelado, além de ser uma delícia no momento eu quero um quente, um que seja da hora. Dá pra sentir o gosto do medo da vítima, meus pensamentos estão realmente me dando mais fome. Veias surgiram no meu rosto enquanto tomava o resto do sangue. Não posso exagerar, além do mais temos um acordo, mas enquanto bebo eu penso. "Eu não bebi a outra metade, eu enchi hoje cedo de manhã, quem bebeu?". Valerie apareceu e eu disfarcei colocando a mão no rosto, logo as vias sumiram. 

- Sabe, não entendo porque vocês gostam disso? Esse suco é muito ruim, tem um gosto de sangue, é meio gosmento demais, como vocês bebem isso?

- Você bebeu? - Minha raiva aumentou.

- É, eu tava com sede.

- Porque não bebeu água?

- Achei que era suco de groselha.. Aliás o que é isso? - Ela me olhou com expressão confusa.

Aquela expressão dela parecia deboche. Parecia que ela sabia que era sangue. Que ela sabe quem somos. Ela está escondendo algo, e é algo que vou descobrir agora. Em super velocidade fui até a mesma segurando ela pelo pescoço. Encarei seus olhos por uns segundos, ela estava séria. Não demonstrou medo, ela sabe quem somos. Ela sorriu e de repente me deu uma forte dor de cabeça, soltei ela e levei minhas mãos pra minha cabeça que estava explodindo de dor. Ela sorriu me olhando. Bruxas. Sempre odiei essa espécie. Sangue saia do meu nariz, dos meus olhos e dos meus ouvidos. Cheryl apareceu com a Toni e ao vê a cena se assustou. Quem iria adivinhar? 

- Eu demorei, bastante, mas encontrei esse grupo mais temido de Riverdale. Finalmente. - Valerie sorriu. 

- Esse é o seu joguinho? Nos matar? Pode tentar.. - Cheryl sorriu.

Cheryl em super velocidade foi até a mesma e quebrou seu braço, o qual estava me causando dor. Ela sorriu enquanto Valerie gritava de dor. Os ossos dela quebrando era música para os meus ouvidos. Toni estava paralisada na porta, não tinha reação. Valerie estava com o braço torto, estava realmente muito quebrado, vê alguém com braço assim me dava agonia, pois eu sabia que não voltaria ao normal, porém eu tava feliz, odeio a Valerie, isso é um fato e vê ela no chão, chorando de dor com o pulso torto e os ossos quebrados é uma ação de paz em meu coração, mas tenho que ser esperta. Preciso levar ela pro médico. 

- Cheryl, precisamos levar ela pro médico.

- Essa bruxa se cura sozinha.

- Não é assim, você sabe.. Não posso ter outra discussão com o Archie, vem, vamos eu e você. 

Cheryl revirou os olhos e vestiu uma camisa de "S" do Jughead que estava no sofá. Ela tinha acabado de vim da praia e estava apenas de biquíni, a camisa parecia um vestido nela. Antes de sair ela deu um beijo breve na Toni e saímos até a garagem com a Valerie chorando de dor no nosso ouvido. 

- Se continuar chorando assim vamos ter que cortar sua língua, coisa chata. - Cheryl falou enquanto tirava o alarme do carro. - Aliás, você sem língua resolveria todos os problemas. - Cheryl olhou pra ela com uma expressão irônica e logo sorriu.

Sim, Cheryl era a pessoa na qual estava procurando. Entramos no carro e ela dirigiu até algum hospital próximo. O caminho inteiro tivemos que aturar a Valerie reclamando de dor, sua voz me irritava de uma maneira surreal. Chegamos, finalmente em uma emergência e entramos com ela. Resolvemos a papelada de antes e ela logo entrou na sala. Eu e Cheryl estávamos na sala de espera, tivemos uma bela noticia que precisa operar, então iria demorar. Pegamos uma comida em uma máquina que tinha e começamos a comer a mesma, apesar daquilo não passar a fome. 

- Cheryl, eu queria conversar com você.. Pedi um favor.

- Qual Lodge? - Cheryl me respondeu comendo seu salgadinho de salsa, tinha um cheiro bom, deveria ter pego um desse.

- A Valerie, eu não posso aceitar ela lá fingindo ser amiga de todo mundo, fingindo ser amiga do Archie e querendo acabar com nosso namoro, além do mais ela é uma bruxa. 

- Porque não mata ela? Ou hipnotiza?

- Ela deve usar verbena, e eu não quero matar, quero que ela sinta a dor de um fora, que o Archie tenha repulsa dela, e fale na cara dela o quanto ele despreza ela, o quanto ele tem nojo dela, quero que ela tome na cara o quanto é ruim levar um fora assim.. Hipnose não tem graça.

- Isso é verdade..

- A gente abusa demais dos nossos poderes e esquece o quanto é bom as consequências humanas, aquele frio na barriga esperando uma resposta, ou até mesmo a dor de não conseguir o que quer, e depois se esforçar mais.. Isso faz falta, isso nos torna humanos, temos tudo que queremos e não tem graça depois, não conquistamos, não merecemos, apenas tomamos.

- Isso é verdade.. Mas o que quer de mim?

- Você era uma Valerie antes, era uma vadia sem coração, tão rancorosa quanto ela, tão sem coração, então sabe como ela pensa.. Eu quero saber disso, o que ela pensa, e ficar um passo a frente. - Sorri de maneira diabolica.

- Pensei que era você a rainha do gelo. - Cheryl sorriu. - Mas ajudo sim, mas é obvio o que ela quer, ela quer o Archie e vai fazer de tudo.

- Tudo o que?

- Provavelmente ela vai dizer que você quebrou o braço dela, ele vai acreditar, então ele vai discutir com você, e depois vai dizer que não quer atrapalhar nada e vai embora, e ele vai atras de quem? Dela. Querendo ou não, você precisa jogar sujo morena. - Ela me encarou séria. 

Cheryl tem razão. Jogos humanos depende do que vai acontecer. E provavelmente, na situação em que estamos ela vai ganhar, e não é isso que eu quero. Eu posso mudar o caminho, então eu preciso usar todas as cartas na mesa. Tudo que posso fazer essa vagabunda aprender que não deve se mexer comigo, nem com meu namorado, muito menos com minha nova família. 

- No que tá pensando? - Cheryl mexia no celular, mas logo me deu atenção.

- No que fazer. - Menti, mas quero idéias dela. - Tem algo em mente?

- Sim, hipnotiza ela, diz que foi um acidente inocente e você trouxe ela no médico, e faz ela esquecer que eu quebrei o braço dela, então quando o Archie perguntar ela vai contar isso, logo ele vai vim falar com você, vocês vão transar porque é só isso que sabem fazer, então ela vai sentir raiva e vai pensar no que aprontar, ela logo vai tentar mexer com algo pra te afetar, alguma mentira, então você vai tá um passo a frente, pois Toni vai aproveitar a situação pra ficar do lado dela, logo quando o Archie vim perguntar algo, você tem um álibi, ele logo vai ficar pensando o porque dela mentir, então ela vai se afundar sozinha. - Cheryl sorriu.

- Você realmente é a pessoa certa.

- Ainda fico chateada por pensar isso de mim, mas que bom que ajudei. - Ela sorriu.

- Você mudou, o que é que importa. - Sorri de volta.

Já tinha se passado uma hora, eu não aguentava mais. Aproveitei pra roubar umas bolsas de sangue desse hospital que estava em falta, e curei algumas pessoas, preciso equilibrar minha maldade, e a Cheryl principalmente, se ela voltar a ser mal, ai sim temos um problema. O médico veio nos informar o estado dela, o braço dela quebrou rompendo uns ligamentos, então ele teve que abrir, pra juntar tudo, colocar os ossos no lugar, colocar pontos e o gesso. Realmente foi feio, eu até pensei em curar ela, mas ele comentou que ela vai sentir muitas dores, então isso me deixa feliz. Ele receitou alguns remédios, e passou ela pra casa, dirigimos de volta, o que foi um silêncio matador. Cheryl ouvia aquela música chata no rádio do carro. Valerie estava calada, e eu também. O caminho de volta demorou mais que a ida, mas assim que chegamos, já de noite, foi uma benção. Finalmente estamos em casa. Archie estava na sala, e logo se levantou preocupado. Ele foi até ela e esperou ela contar toda a historia que fiz ela se lembrar, por minha sorte ela não usava verbena, ela é muito burra. Acho que é uma recém bruxa, não sabe muito das coisas e não tem controle de nada. Vê ele indo cuidar dela me deu um ódio imenso. Mas tenho que admitir, ele não gosta dele, ele é apenas gentil, ele é um ser humano maravilhoso, se preocupa com os outros, e isso faz vadias como ela achar que tem chance, mas é apenas gentileza. Eu confio totalmente nele, estou calma, mas ela, ela sorrindo pra mim pensando que ganhou me dava um ódio. Mas a parte boa é que quem vai dormi com ele sou eu, não ela. Sorri pra ela ao pensar nisso, e Archie logo veio até meu encontro.

- Obrigado por ir lá e ficar até agora com ela. - Ele me deu um beijo na testa.

- Ela estava machucada, eu precisava cuidar dela, mesmo não gostando dela. - Sorri abraçando sua cintura. 

Ele sorriu e segurou minha mão entrelaçando nossos dedos. Ele fez um sinal com a cabeça. E eu já sei como termina. Todos sabem. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...