História Riverdale. - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ficção, Mistério, Originais, Romance
Visualizações 3
Palavras 1.353
Terminada Não
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - Cuide bem dele.


Fanfic / Fanfiction Riverdale. - Capítulo 2 - Cuide bem dele.

POV: Lucas.

Tomei um demorado banho e aproveitei para lavar meus cabelos, me vesti e coloquei a roupa suja no cesto de roupas sujas do banheiro e sai do mesmo, e fui diretamente para o quarto onde agora eu estou hospedado.

Entrei timidamente no mesmo e percebi que só Sky estava dentro do quarto, ela estava com outras roupas e o cabelo um pouco molhado, o que me fez concluir que ela tomou banho também.

— Oi, está sentindo-se melhor? — Ela me questionou e eu assenti, então fui até ela e sentei na beirada de sua cama.

POV: Sky.

Lucas assentiu com a cabeça e se aproximou enquanto eu analisava a sua beleza e, involuntariamente, meu coração acelerou. Lucas sentou-se na beirada de minha cama e olhou-me atentamente.

— Então, Lucas... — Comecei a puxar assunto para quebrar o silêncio. — Qual a sua história?

— Bom, desde pequeno eu sempre vivi com meus pais e meus dois irmãos mais velhos, Cole e Dylan. Para falar a verdade, apesar de minha família ser muito bem-sucedida, eu tive até que uma infância bem normal, como uma criança de classe média. Sem muitas mordomias. Aos 12 eu comecei a fazer aula de canto, já que eu sempre tive talento, então por que não aproveitar? Mas, em compensação, sempre fui um dançarino desastroso. Aos 15, comecei a ir ao escritório de meu pai para aprender a gerenciar a empresa, sempre fui a festas dos amigos da família, mas sendo sempre obrigado, tive uma namoradinha, fiquei com outras meninas. Fiz curso de culinária, aulas de canto e administração. E a sua?

— Vivi até os sete anos com os meus pais, mas então eles se separam, então minha irmã gêmea e eu fomos viver com a nossa mãe, mas passávamos os verões com o nosso pai. Aos 15 houve o teste para que soubéssemos, ou pelo menos uma base, para aonde iriamos. Logo em seguida houve a escolha, e eu fui mandada para cá, enquanto minha irmã para os anjos do dia. Então, eu vivo aqui desde então.

Um silêncio, então, reinou durante os minutos que se arrastavam entre nós. Porém, Lucas não se levantou de minha cama e nenhum de nós conseguia desviar o olhar um do outro, deixando um clima estranho e tenso entre a gente.

A porta foi aberta e Joaquim entrou no quarto acompanhado de Lili, ambos nos encararam por breves segundos sentindo o clima tenso. Joaquim deu de ombros e se jogou em sua cama, começando a ler um livro. Lili arqueou a sobrancelha para nós e depois fez o mesmo que Joaquim. Então, repentinamente, levanto-me da cama e puxo Lucas comigo.

— Para aonde nós vamos, Sky?

— Fazer um tour pela sede antes do jantar, se importaria se eu lhe mostrasse o lugar, Lucas? — Respondo-o fazendo uma pergunta em continuação, com receio de que o menino quisesse, somente, ficar sozinho.

— É claro — Ele me responde e sorri calmamente.

Eu apresento todo a sede à Lucas e durante o percurso chego até mesmo a apresentar-lhe algumas pessoas. Logo quando terminei, era hora do jantar, o sino tocou e nós corremos para o refeitório. Em meio às conversas com outros anjos de asas negras, nós comemos e rimos.

Após o jantar, segurei na mão de Lucas e o puxei para o telhado da sede, de onde nós temos vista para a cidade inteira. Assim que nos sentamos no telhado, começamos a conversar, então, decidi que iria ficar de pé.

— Veja, Lucas — Apontei para o horizonte e, antes que ele pudesse dizer algo, eu continuei a dizer: — Até onde você enxerga? Até o horizonte, certo? Aquele não é o limite. It’s not limit! (esse não é o limite!).

— Céus, você não é normal, Sky! — Lucas comentou, rindo, enquanto se levantava também.

— E quem é? — Eu o questionei, abrindo meus braços e virando-me em sua direção, um sorriso se abrindo nos nossos rostos.

— Eu não sei — Ele comentou e parecia estar se divertindo com a situação, então se virou para voltar à olhar o horizonte novamente. — Eu não sei, mas sei que eu não quero ser.

— Então, vamos voar, Lucas — Eu o proporcionei e ele me olhou, espantado. — Vamos, vamos ampliar o seu horizonte! Ou esse é o seu limite?

— Vamos — Ele decidiu e eu abri minhas asas, o abracei pela cintura e o mesmo repetiu o ato abraçando-me pela cintura, e assim nós começamos a nos elevar. — Esse não é o meu limite!

{...}

A noite passou rapidamente, e de uma forma totalmente impudente eu não faço a menor ideia de como eu fui parar no quarto — possivelmente, Lucas me levara.

— Bom dia, bela adormecida — Joaquim desejou enquanto eu me sento em minha cama e prendo meu cabelo em um coque bagunçado.

— Joaquim, que horas são? — Eu questionei-o e percebi que só estávamos nós dois no quarto, e o Joaquim amarrava o cadarço de seus All-Star de cano alto avermelhados.

— São, exatamente... — Joaquim começou e olhou para o relógio na parede atrás de mim. — Quatro e meia, Sky.

— Obrigada, Joaquim — Agradeci e me levantei e fui em direção ao meu quarta-roupa. — Onde Lili e Luke estão?

— Primeiramente: Lucas, se eu bem entendi quando ele avisou, foi correr, e Lili está ajudando a apagar um incêndio. — Joaquim comentou e se levantou, aproximando-se de mim. — Segundamente: já estão tão próximos assim, Sky?

— Hãm, bem, um pouco — Eu comentei, incomodada. — E você e Lili, como estão?

— Estamos bem — Joaquim comentou e então apontou para a porta com a cabeça. — Se me permite, S., irei tomar café da manhã.

Assenti com a cabeça e, segundos depois, sai do quarto afim de tomar banho.

Durante o percurso, encontrei alguns dos anjos e um deles me entregou um envelope marrom e, minutos depois, eu já estava no banheiro feminino. Tomei um longo banho e aproveitei para lavar meus cabelos.

Sai vestida em roupão e fui diretamente para o quarto e entrei no vestuário feminino do quarto, coloquei minha roupa e calcei meu All-Star, depois abri o envelope e dentro haviam algumas fotos e uma carta. Analisei as fotos primeiro.

Eram de minha irmã gêmea, Summer, em um longo vestido branco, seus pés estavam descalços e seu longo cabelo ruivo caia pelas costas, as asas enormes e majestosas de cor branca estavam abertas, ela estava com um garoto.

Eu o reconheço: é Lucas.

Nas outras fotos, são decorrentes das aventuras percorridas de minha irmã.

Abro a carta e suspiro, começando ler a mesma, passando meus dedos pelas letras em um traço imaginário:

‘’Sky, não fiquei brava com o anjo que lhe entregou a carta: eu o forcei a isso.

Mas Lucas já sabia de nossa existência, e de nossa história. Mesmo assim, ele me odeia e odeia os anjos da luz. Eu não sei o que você fez, mas chamou a atenção dele quando o salvou, e eu sinto muito por isso. Vocês dois juntos são uma confusão, vocês se merecem, irmã. Espero que seja feliz. Amo-te. — Summer.’’

Abro a boca, surpresa, e me forço a sair do vestiário e a arrumar minha cama, desço até o refeitório e tomo meu café da manhã, depois volto ao quarto. Quando chego lá, Lucas já se localiza no recinto.

— Luke? — Chamei o garoto que olhou para mim e sentei-me na ponta de sua cama. — Você já sabia sobre nós?

— Já — Ele confessou rapidamente e arqueou seus ombros, achando que eu iria brigar com o mesmo, porém meu bracelete vibrou e eu passei o dedo sob o mesmo, aparecendo a tela e a mensagem:

Alarme>Anjos do dia>Confusão!

Logo em seguida, o endereço. Isso me fez suspirar, derrotada.

— Eu já volto, Lucas.

— Cuide dele por mim, por favor — Summer me pediu, falando rapidamente, depois que a confusão estava toda resolvida, ela havia pedido para que nós duas conversássemos a sós.

— Ele não é um simples objeto para ficar no meio dos seus joguinhos, Summer — Respondi-a, mal-humorada.

— Eu sei, ele realmente não é — Minha irmã concorda e então suspira. — Mas, por favor...

— Eu irei cuidar bem dele, Summer.

— Obrigada, Skyller — Minha irmã agradece, abre as asas e vai embora. Suspiro e me aproximo dos meus, e assim, minutos mais tarde, nós vamos embora.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...