História Riverdale High - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Riverdale
Tags Drama, Mistério, Romance, Universo Alternativo
Visualizações 35
Palavras 1.906
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente, eu percebi que eu sou horrível em títulos kkkkkk

Capítulo 15 - O trabalho está sendo feito?


Archie ON:

            A Betty já estava praticamente surtando com o barulhinho que ouvimos, mas eu tinha quase certeza de que era apenas um esquilo ou um cachorro.

            -Archie! É melhor sairmos daqui...

            -Calma Betty, é só um animal. –disse sem parar de limpar a cadeira

            -Eu não acho que seja apenas um animalzinho. Parece bem maior.

            -Betty, relaxa. Não deve ser nada. –tentei deixa-la mais calma. Foi quando eu vi uma sombra grande, de um homem vindo em nossa direção.

            -É ele!!! O cara que me machucou!

Ela começou a tremer de medo e a primeira coisa que eu fiz foi gritar.

            -CORRE! –abri a porta e corremos para o lado que o homem estava. Nos separamos quando chegamos perto dele, ela foi para o lado esquerdo e eu para o direito, o cara não sabia quem seguiria então demos a volta nele e nos juntamos ás suas costas, sem parar de correr.

            Quando ele percebeu que tinha sido deixado para traz veio correndo. Estávamos bem na frente, mas para nossa sorte, a casinha era longe de onde as pessoas faziam exercícios. Não paramos de correr. Em um certo momento, a Betty tropeçou e caiu, então voltei e a ajudei a levantar. Ela tinha torcido o pé o que me fez ter que carrega-la, pois não ia deixa-la com aquele louco. Não para ela se machucar mais uma vez.

            Chegamos perto da área onde as pessoas corriam e, graças a Deus, o Xerife Keller estava passando correndo neste exato momento.

            -Xerife! Xerife! O cara... ele está vindo!

            -Como assim? Que cara?

            -O que me machucou! –Betty

            -Onde? -Xerife

            -Aqui atrás. –disse

            O Xerife o viu, mas quando o homem percebeu que estávamos pedindo ajuda, ele deu meia volta e correu para a multidão que estava lá para curtir a música e sumiu. Xerife Keller tentou correr atrás dele, enquanto ele perseguia o louco, coloquei a Betty sentada no chão, que não parava de reclamar da dor na perna. O Sr. Keller voltou e disse ter perdido ele de vista. Pegou a Betty no colo e a levou para o hospital. Fui no banco de trás do meu carro, com a Betty deitada com a cabeça na minha perna e o Xerife dirigindo.

            Chegando lá mandei uma mensagem para o Jug, Veronica, Toni, Cheryl e Kevin e liguei para a Sra. Cooper. Não demoraram muito para chegar.

            -Archie... O que aconteceu? –Jughead –Cadê a Betty?

            -Ela está fazendo um raio-x. Parece que ela quebrou a perna.

            -Como? –Kevin

            -Estávamos procurando um outro lugar para ficar, explico isso melhor depois, mas um homem veio vindo. No começo achei que era um guarda do parque dizendo que não poderíamos ficar ali, mas ela o reconheceu.

            -Quem era? –Toni

            -O homem que foi atrás de vocês no Pop’s, Jughead!

            -De novo? –Kevin- Esse cara não cansa?

            -Pois é... saímos correndo mas ela caiu e se machucou, então carreguei ela até que achei o Xerife, que foi atrás mas perdeu o cara de vista.

            -E a minha tia já sabe disso? -Cheryl

            -Sabe... é por isso que não podemos entrar ainda. Só podem dois visitantes por vez, quando não é uma coisa muito grave. A Sra. Cooper e a Polly estão lá.

            -Então o que nos resta é esperar... –Jug- Eu deveria estar lá pra protege-la.

            -Você não tem culpa de nada... você estava resolvendo as coisas com a sua irmã, e com seu novo cunhado. Aliás, nenhum de nós tem culpa. Não sabíamos o que estava acontecendo e o Archie fez tudo que pode.

            *Jughead me abraçou*

            -Obrigado por proteger a mulher que eu amo. –Jughead

            -De nada cara. Isso não é só seu dever. Eu a amo também.

            Todos me abraçaram e me agradeceram, mas não senti que merecia todos os agradecimentos. Eu mereceria se não tivesse deixado ela se machucar e se eu mesmo, tivesse pego o cara.

            A Sra. Cooper saiu do quarto com a Polly e veio falar comigo.

            -Archie. Eu sei que já fui contra sua amizade com a Betty mas hoje me arrependo de ter feito. Parece que todos que eu tento manter distância da minha filha, provam que merecem a Betty. Muito obrigada! Se não fosse por você, a Betty poderia estar morta. Vai saber o que esse homem quer de vocês.

            -Eu não fiz mais do que minha obrigação como irmão. Eu cresci com ela. Ela me ajudou quando eu precisei, por que eu não ajudaria ela quando ela precisava?

            -Então isso faz de mim sua segunda mãe... –ela disse rindo

            -Acho que sim “mamãe”. –disse rindo também –Acho que vou ir ver ela então...

            -Filhinho, você demorou muito. A minha norinha e o meu genrinho já entraram. –Alice falou sobre o Jughead e a Veronica.

            -Acho que vou ter que esperar.

            Nessa hora o Xerife chegou, pedindo para eu explicar com detalhes o que aconteceu. Mas eu sabia que não foi o melhor momento, porque a Sra. Cooper não gosta muito do Xerife. Ela acha que ele não faz o seu trabalho direito e eu estava começando a pensar do mesmo jeito. A Betty já foi atacada por ele 2 vezes e o cara não foi preso. Quem ameaçou a Veronica também sumiu. Só dois dos homens que sequestraram elas foram presos, eram pelo menos 5. Mas a Alice estava bem mais inconformada que eu.

            -Como você consegue? Como você consegue dormir, sabendo que não faz seu trabalho direito e colocando a vida de crianças em risco? Você é um monstro, você sabe disso né?

            -Sra. Cooper você tem que se acalmar... –Xerife

            -Não! Eu não vou me acalmar enquanto você estiver com o cargo de Xerife de Riverdale. Você não merece esse distintivo.

            -Eu sei que o ocorrido te abalou, mas você não pode falar esse tipo de coisa para mim. Eu não tenho culpa do que aconteceu...

            -Você não tem culpa? Você não tem culpa? –Alice

            -Xerife, eu não quero faltar com respeito, mas é a segunda vez que esse cara faz a Betty se machucar. A Veronica já foi ameaçada e até agora você não fez nada a respeito. Nós estamos esperando para ver as pessoas que nos fizeram passar por essas coisas irem para a cadeia. –disse tentando falar a verdade de uma forma mais leve.

            Ele só olhou para mim, depois para a Alice e por último para o Kevin, fez um sinal com a cabeça para irem embora e quando eu olhei para o Kevin, ele parecia muito bravo comigo. Mas não tinha motivo, porque eu apenas disse a verdade.

            -Archie, pode entrar. Já conversamos com ela. –Veronica

            -Eu vou levar as coisas dela para o carro da Sra. Cooper, ela já pode ir para casa. -Jughead

            -Quer ajuda? –me ofereci

            -Não precisa, vai ver ela. –Jug

            *No quarto em que ela estava*

            Ela estava juntando o resto das coisas dela, com dificuldade por conta do gesso.

            -Deixa que eu faço isso... –disse enquanto pegava as coisas para ela 

            -Acho que vocês estão fazendo uma tempestade em copo d’água. Eu quebrei a perna, não levei um tiro. Eu posso fazer algumas coisas.

            -Mas eu quero fazer as coisas para você... Não deveríamos ter ido naquela casinha. Desculpa.

            -A culpa não foi sua Arch, se não fosse por você eu poderia estar morta. Você e o Jug não cansam de me salvar não?

            -É um pouco cansativo sim. –disse rindo

            -Vamos? –Betty

            -Vamos.

            Na sala de espera ainda estavam a Toni, Cheryl, Veronica, Polly, Sra. Cooper e o Jug, que já tinha guardado as coisas no carro. A Betty se sentou na poltrona para não sobrecarregar a perna quebrada. A cercamos para conversarmos.

            -Por que esse homem quer tanto perseguir a minha priminha? –Cheryl

            -Eu também queria saber prima. –Betty

            -Acho mais importante descobrir quem, porque preso ele pode responder o porquê mas não pode fazer mais. –Toni

            -Como eu e seus pais vamos fazer para proteger vocês sem a polícia? –Alice

            -Você não pode contar com os meus pais...-Toni

            -Nem com os meus. –Cheryl

            -Nem com o meu pai. –Betty e Veronica disseram juntas

            -Nem com a minha mãe. –eu e Jughead dissemos juntos

            *Rimos*

            -Eu acho que a minha mãe tem um amigo policial, mas tenho que ver se ele consegue vir para cá. –V

            -Que bom! Eu ligo para sua mãe e pergunto. –Alice- Mas acho melhor nós três irmos antes que escureça. –ela disse se direcionando para a Polly e a Betty- Essa cidade está um perigo. É melhor vocês irem também.

            -Então já que vocês vão eu não tenho mais motivos para ficar aqui. –Toni

            -Vou indo também. –disse

            Fui para o estacionamento com a Veronica.

            -Arch... eu sei que você vai falar que vai me proteger e tal, mas eu estou com medo de verdade.

            -Do que exatamente?

            -Desse louco que está sempre atrás da Betty e do meu pai. Os advogados disseram que ele já foi liberado e que vendeu mais da metade das propriedades no seu nome.

            -Para que?

            -Para ter dinheiro... para “repor” o que eu e minha mãe pegamos.’’

            -Você acha que ele vai vir atrás de vocês?

            -Não sei, talvez. Mas o conhecendo, ele está com raiva.

            -Você devia ligar para esse policial amigo, para ele vir para a cidade. Ele poderia proteger vocês.

            -Pode ser.

            -Eu só quero ter certeza de que você está segura. Quero ter certeza de que está feliz.

            -Só poderia ficar triste, se estivesse longe de você. Eu te amo Arch!

            -Eu também te amo Ronnie! Quer ir para minha casa? Meu pai está em Greendale a trabalho...Você pode dormir lá.

            -Eu gostei da ideia. Vou falar com a minha mãe...

            Ela ligou para sua mãe, encostou em uma árvore enquanto falava no telefone. Quando voltou disse que estava autorizada a dormir comigo.

            Chegamos na minha casa. Começamos a nos beijar, mas dessa vez ao invés de irmos para o meu quarto, fomos para a sala. Deitei ela no sofá. Já estava tarde então dormimos, ali mesmo.

            *De manhã*

            Acordei, mas ela não estava mais deitada comigo. Ouvi um barulho na cozinha. Fui até lá.

            -Bom dia dorminhoco! –ela disse me dando um beijo.

            -Bom dia! O que você está fazendo?

            -Panquecas... quer uma?

            -Quero sim, obrigado. Eaí? Dormiu bem?

            -Dormi bem sim, mas pouco. Alguém me deixou acordada a maior parte do tempo. –ela disse com um sorrisinho de canto de boca.

            -Queria ter dormido mais?

            -Nem pensar! Ontem foi perfeito. Não quero mudar nem um segundo.

            Comemos e nos sentamos no sofá para assistir tv.

            -O que você quer assistir? Filme ou série?

            -Não sei... Você já assistiu “Shadowhunters”? Dizem que é boa mas ainda não parei para ver...

            -Ainda não, vamos ver agora?

            -Por mim...

            Fizemos uma maratona, e quando percebemos já tínhamos acabado a primeira temporada e já estava na hora do almoço.

            -Você quer fazer uma comida aqui mesmo, ou quer comer fora? –V

            -Podemos comer aqui...você se importa?

            -Não. O que vamos cozinhar? -V

            -Strogonoff!

            -Huuuuuum! Minha comida favorita! -V

            -E por que você acha que eu escolhi?

            -Então você cuida do strogonoff e eu cuido da sobremesa.

            -Qual você vai fazer?

            -Pavê de limão. -V

            -Huuuuuum! Minha sobremesa favorita!

            - “E por que você acha que eu escolhi?”

            Rimos. Foi um tempo muito bom. Passamos um tempo juntos, como um casal normal. Sem preocupações, sem problemas. Só nós dois. Um completando o outro! Não poderia amar alguém mais do que ela!

            Archie OFF


Notas Finais


Favoritem e comentem, por favor. Isso ajuda muito!
Muito obrigada, até a próxima :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...