1. Spirit Fanfics >
  2. Riviéri city >
  3. Riviéri city cap-10 Alice

História Riviéri city - Capítulo 10


Escrita por:


Capítulo 10 - Riviéri city cap-10 Alice


Fanfic / Fanfiction Riviéri city - Capítulo 10 - Riviéri city cap-10 Alice

Consigo entrar no quarto do meu vô enquanto as enfermeiras saem pra fazer alguma coisa eu vou na pontinha dos pés observando pra ver se não tem ninguém atrás de mim e consigo entrar,Maurice fica na porta de vigia

-Qualquer coisa você grita

-Pode deixar

Ele está dormindo mas acho que já está consciente,porque quando sento do lado dele vejo ele abrindo os olhos de mansinho pra falar comigo

-Alice-ele começa a tossir 

-Calma vô não fala nada

-Eu só queria ter mais tempo pra proteger você arfh arfh arfh-ele continua tossindo

-Vô calma eu vou chamar uma enfermeira

-Não,não precisa arfh arfh,eu só quero te dizer que seja lá de onde eu estiver vou sempre estar olhando pra você 

-Vô para por favor,você não vai pra lugar nenhum tá,agente vai continuar aqui juntos

-Alice,eu só quero que você me prometa que aconteça o que acontecer você vai se lembrar que eu te amei muito,e que você é muito especial minha neta,você é como um raio de sol arfh arfh nunca deixe sua luz se apagar-*Piiii*ele fecha os olhos e seu batimento cardíaco cai de repente não nãoo

-Efermeira enfermeira-me esguelo na porta Maurice tenta me acalmar mas eu não consigo,eu não vou me acalmar agora,os médico entram no quarto e começam a tentar reviver meu vô com aquelas maquininhas de apertar começo a chorar tudo em volta começa a embaçar

-Vooo não-minhas lágrimas ficam mais pesadas enquanto Maurice me abraça,percebo que ele também começa a chorar suas lágrimas escorrendo pelo meu cabelo,eu não consegui eu falhei eu não consegui proteger o homem que me cuidou praticamente a vida inteira e isso dói mais do que uma facada no peito,os médicos trocam meu vô de maca e começam a levar ele para outro lugar praquele lugar que os pacientes vão quando...

-Eu preciso que você seja forte-a enfermeira vem me avisar o óbvio 

-Infelizmente o seu Plínio não resistiu e acabou falecendo-desabo no chão e não enxergo mais nada na minha frente,me sinto tonta não inconsciente,mas tonta eu infelizmente ainda estou aqui mas não queria mais estar queria fechar os olhos e quando abrisse tudo isso ter sido apenas um sonho,e meu vô estar do meu lado pra me consolar mas ele não está ele não estaaaaa ahhhhhhh,Maurice senta no chão ao meu lado abraçado a mim ele também chora muito,suas lágrimas agora mais pesadas e mais fortes nada mais faz sentido,nada mais vale a pena é a mesma sensação do dia em que meus pais morreram,tudo em volta parece um choque ambulante tudo em volta parece ter sido feito pra me machucar as cadeiras,as paredes tudo tudo não é mais nada




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...