História Road To Love - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias Guns N' Roses
Personagens Axl Rose, Duff Mckagan, Izzy Stradlin, Slash, Steven Adler
Tags Aria, Guns´n´roses, Rachelweisz
Visualizações 10
Palavras 1.170
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


já expliquei no cap anterior sobre ter alguns erros.

Capítulo 23 - .passado a tona


Fanfic / Fanfiction Road To Love - Capítulo 23 - .passado a tona


            – Aria?! — Nicolas pareceu surpreso. — Eu não sabia que estava aqui — explicou-se e deu um sorriso fraco.
     – Eu também não sabia que você trabalhava aqui...
    
      Dei espaço para ele entrar com o carrinho. Ele colocou a bandeja em cima de uma mesa que ficava bem perto de uma grande janela.

    – Posso ficar um pouco? — pediu.
Uma parte de mim estava receosa quanto a isso, mas aceitei.
              – Claro. 

Fechei a porta e me sentei na mesa, logo a frente de Nicolas. Por uns segundos, observei-o. Ele estava bem diferente, um tanto mais bonito. Seus cabelos estavam curtos e seus olhos mais claros, além das suas roupas sociais bem passadas. Tirando aquela imagem rebelde que tinha quando namoravámos.

 – Então você está de volta? — perguntou.
      – Não, é só por uns dias. — falei pausadamente enquanto comia — ou meses. Eu não sei.
         – Você parece triste, confusa, aconteceu algo?
       – Sim. — apesar de tudo que aconteceu entre Nicolas e eu, nós sempre fomos melhores amigos e ele sempre foi confiável. Compartilhávamos tudo. — minha avó morreu. — falei rápido.

  Sua expressão foi nítida. Ele estava em choque, sem acreditar.

 – Aria...
        – Por favor, não me faça chorar — falei meio grossa — hoje já foram 5 litros de lágrimas — sorri pra quebrar o gelo.
       – Eu sinto muito por você. — sorriu sincero — você está morando onde?
        – Eu estou morando em Los Angeles — pausei para beber o suco — eu tenho um apartamento da minha tia lá. — Nicolas estava atento a tudo que eu falava e as vezes olhava de relance para minha boca.
         – Los Angeles é um sonho. — disse — eu gostaria muito de conhecer, mas tenho que cuidar da minha irmã. Nicolas tinha uma irmã de 12 anos com autismo.
         
                             •••

    – Você é um idiota! — eu ria sem parar.
        – Para que você também gostou da piada. — Nicolas dizia enquanto bebia uma taça de vinho.

 Havia se passado duas horas e, Nicolas e eu, estávamos bem altos. Ele havia pego 4 garrafas de vinho por conta dele para nós. E já estávamos na terceira garrafa. Nos divertíamos na varanda do quarto zoando as pessoas que passavam na rua. Éramos duas crianças. Ele sorria mostrando todos os seus lindos dentes branquinhos com seus lábios rosas. Nicolas olhava para frente bebendo sua décima quarta taça de vinho enquanto eu ao seu lado, o admirava. Me peguei sorrindo ao ver sua alegria.

   Ele percebendo olhou para mim e desceu seus olhos para minha boca.

      – O que houve? — perguntei

 Nicolas não respondeu nada, apenas ergueu seu corpo pra frente depositando sua taça na mesinha de vidro em nossa frente, e voltou a olhar pra mim. Dessa vez levou sua mão ao meu rosto, especificamente na minha bochecha. Meu corpo se arrepiou ao relembrar seu toque. Meus olhos rondavam seu rosto inteiro e mostrava insegurança e dúvida se aquilo devia realmente acontecer.

– Você quer me beijar? — sussurrou bem próximo do meu rosto e olhando para minha boca.
         – Eu tenho namorado. — minha voz saiu falha e meus olhos expressavam o rosto de uma inocente criança prestes a fazer besteira.

 Ele não ligou pelo o que eu disse e continuou a ficar bem próximo de mim, dessa vez beijou de leve o meu pescoço, arrepiando o meu corpo inteiro. Nicolas continuou com seus beijos lentos em meu pescoço e foi subindo para meu rosto e quando ele foi em direção a minha boca, com nossas respirações descompassadas, eu o afastei.
       – Me desculpa, eu tenho namorado. E eu o amo. — falei
       – E por que ele não está aqui com você? — perguntou  

 Aquela era uma pergunta que eu também me fazia. Fiquei irritada com ele. 

 – Acho que já está na hora de você ir embora. — falei com desdém e me levantando indo em direção a porta. 

  – Certo. — ele concordou e me seguiu.

 Abri a porta e ele saiu com o carrinho pois eu já tinha terminado o meu jantar.

 – Obrigada Nicolas.
           – De nada, Senhorita Rundgren. — disse e foi embora.

Fechei a porta e me encostei nela suspirando fundo. Eu jamais trairia Izzy. A saudade que eu sentia dele era imensa e o que eu mais queria era ter ele perto de mim e senti-lo. Mas, meu foco era em Alan, em minha mãe, naquele documento, e em tudo relacionado aquela caixa. Eu precisava pensar no que eu faria assim que voltasse para Los Angeles.

*IZZY*

   
       – Que filme! — Duff, Axl e Steven diziam juntos ao olhar para a televisão. Eles estavam assistindo "As Tartarugas Ninjas". Slash e eu bufavámos irritados pois tínhamos um show para fazer e aquele trio só iria sair daquele sofá depois que o filme terminasse. Certo, lá se foram umas duas horas de atraso...

 – Vamos porra! — Slash dizia irritado entrando dentro do carro.
  
     Eu fui no volante enquanto Slash ia ao meu lado. Steven, Duff e Axl iam no banco de trás. Em 15 minutos chegamos no local do show, Alan e Julia estavam nos esperando super estressados.

 – Se vocês continuarem assim, tomarei medidas drásticas. — Alan disse assim que saímos do carro.
         – É você que trabalha para nós. Shut up! — Axl bateu de frente.

 Dei uma leve risada. Alan sabe que não pode com o furacão ruivo. Assim que entramos no palco, começamos com Welcome To The Jungle. E como sempre a plateia foi ao delírio com o inoxidável Axl Rose.

                              ••• 

1hora e meia depois acabou o show. Terminamos com Paradise City em chave de ouro! Como sempre esta música sendo minha favorita... Após o término do show, Duff, Steven, Axl e Slash foram beber em algum bar. Eu iria acompanha-los, mas passei na Hell House para ligar pra Aria.

       Na ligação:
          – Aria?
       – Meu amor, que saudades suas... — ela assoou o nariz e sua voz saiu falha.
          – Você estava chorando? — perguntei
       – Oh não, é... — Aria parecia perdida. Se embolando em suas frases. — na verdade, eu tenho que falar com você.
          – É muito importante?
       – Sim. É super importante. — respondeu rápido.
        – Quer que eu vá pra aí? Eu posso pegar um avião amanhã mesmo. — falei
       – Não. Quando eu voltar nós conversamos. — disse
        – Ok. Eu te amo Aria... — fechei meus olhos e suspirei.
            – Eu também te amo. — sorri — demais.

       Ligação desligada*

                             •••
 
            – Daqui a 2 semanas teremos a festa do aniversário de 20 anos do Sebastian. — Axl dizia
       – Vodka, amigos, mulheres, vodka, mulheres, mais vodka e muitas mulheres... — Duff sorria como um apaixonado.
              – Mal posso esperar — Slash disse ao beber um gole do seu Jack.
         – Loirinho aqui, vai ser a atração da festa. – Steven disse apontando para si.
         – Espero que até lá Aria já tenha voltado. — falei
         – Verdade. — Slash concordou — ela é minha companheira de Jack.
         – Izzy, também estamos com saudade da nossa gatinha. — Duff disse e eu revirei os olhos — mas foi o melhor pra ela. Certeza que vai voltar melhor.
         – Realmente, agora trata de relaxar. — Axl falou.

      Meus amigos são incríveis.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...