1. Spirit Fanfics >
  2. Rocker Boi >
  3. Complicado

História Rocker Boi - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


one shot de presente baseada na icônica música da Avril Lavigne - sk8r boi!!!! espero que gostem!!

feliz aniversário brenda~

Capítulo 1 - Complicado


 

Era complicado manter um emprego enquanto estudava e mantinha uma banda nas horas vagas, mas Sanemi segurava as pontas. Ninguém sabia como ele conseguia encontrar tempo para fazer tudo aquilo, nem ele mesmo, mas precisava ajudar a manter a casa e colocar comida na mesa para ele e para seu único irmão sobrevivente que ainda era criança e precisava dele para sobreviver. E ainda se divertia, apesar de tudo, encontrando refúgio na música que fazia com seus amigos na banda que haviam fundado no final de seu primeiro ano no colegial, agora começaria o último e começavam a pensar em um futuro que estava se aproximando cada vez mais rápido e de forma assustadora.

A primavera sempre o lembrava do que havia perdido, das pessoas que haviam lhe deixado para trás - e eram muitas. Mas naquele primeiro dia de aula de seu último ano no colegial, a garota mais bonita e popular do colégio o chamou para conversar atrás do prédio escolar durante um dos intervalos. Ficou surpreso ao ouvir as palavras que nunca imaginou ouvindo sair dos lábios finos e rosados da garota a sua frente.

“Eu gosto de você, Shinazugawa.”

Ficou confuso por um momento e depois feliz, afinal, quem não ficaria ao menos contente ao receber uma confissão amorosa de alguém com um rosto tão agradável? E Sanemi pensou - por que não?

“Se você estiver livre, nós podemos sair para comer alguma coisa depois da aula…” comentou, sentindo o rosto ficar mais quente, era a primeira vez que chamava alguém para sair.

A garota, Kocho Kanae, sorriu alegremente, marcando um horário e um ponto de encontro antes de voltar para a sua sala de aula, que era do lado da do garoto, antes que o sinal do fim do intervalo tocasse sinalizando que estariam atrasados para a próxima aula. Sanemi olhou para o chão e levou uma de suas mãos até o rosto, cobrindo sua boca enquanto tentava acalmar seu coração acelerado.

Não sabia o que estava fazendo, mas queria poder aproveitar sua juventude o máximo que pudesse.




 

Era verão agora, as últimas semanas da estação mais quente do ano, e Sanemi estava ocupado trabalhando meio expediente em dois locais diferentes e se apresentando com sua banda em locais públicos e pequenos bares que aceitavam contratar adolescentes para tocar por um tempo em seus palcos. Deixava Genya na casa dos vizinhos, brincando com seus coleguinhas que tinham a mesma idade e iam para o mesmo colégio, o buscando de noite quando já estava sonolento e com a barriga cheia de comida, agradecendo o senhor Urokodaki por cuidar de seu irmãozinho.

Kanae estava fora da cidade, viajando com a família, e eles quase não se falavam por causa disso - ironicamente, Sanemi não sentia tanta falta assim das mensagens de sua namorada, sua cabeça ocupada demais com outras coisas que para si eram mais importantes e precisavam de sua total atenção. A morena reclamava um pouco da “falta de compromisso” que o namorado demonstrava no relacionamento, mas o garoto de cabelo naturalmente branco sempre tentava mostrar que não era isso, que precisava cuidar de sua família, que precisava batalhar por sua sobrevivência, mas isso acabava quase sempre em brigas entre os dois, a jovem não entendo a situação do outro.

Foi durante um anoitecer quente que Sanemi conheceu um garoto de olhos azuis cansados e cabelo escuro bagunçado que mantinha amarrado em um rabo de cavalo baixo e frouxo. Ele estava no parquinho na esquina do minúsculo apartamento dos irmãos Shinazugawa, brincando silenciosamente com as crianças que Urokodaki havia adotado, Genya e outras crianças da vizinhança. O jovem estava deitado na grama com várias crianças em sua costa gritando vitória, um sorriso em seu rosto avermelhado por causa da queda que havia levado.

“Genya.” chamou um pouco afastado, seu irmão, o mais alto de todas as crianças ali presente, levantou o olhar rapidamente, um sorriso gigante em seus lábios machucados (ele havia caído do escorregador alguns dias atrás depois de uma pequena briga com um garoto mais novo) e saiu correndo em direção ao adolescente.

Sanemi se abaixou e pegou o irmão no colo, o levantando com mais força do que era necessário, como sempre fazia, o menor rindo alegremente antes de se aconchegar contra o corpo do mais velho contentemente.

“Você é o irmão do Genya?” veio a pergunta em um tom de voz baixo e sereno.

“Sim, sou Shinazugawa Sanemi.” assentiu na direção do outro jovem “Você é conhecido das crianças?”

“Sou amigo do Urokodaki.” deu de ombros “Me chamo Tomioka Giyuu.”

“Prazer. Eu nunca lhe vi antes por aqui.” o olhou desconfiado por um momento “Você se mudou recentemente?”

“Algo assim.” deu de ombros “Eu estava morando na capital com a minha irmã, mas voltamos. Estamos alugando um apartamento acima da loja de Urokodaki.”

Desviaram o olhar por um momento enquanto um clima estranho se instalava entre eles - eram dois estranhos conversando e não sabiam muita coisa um sobre o outro.

“Giyuu é legal, eu gosto dele.” Genya comentou em tom manhoso contra seu pescoço “Ele brincou com a gente depois que o Tanjirou pediu. Vocês deviam ser amigos.”

Os jovens riram do pedido inocente.

“Tanjirou, Nezuko, vamos voltar? Está ficando tarde.” chamou calmamente, as crianças correndo em sua direção e oferecendo as mãos para serem seguradas pelo mais velho “Vamos?”

“Vamos.” Sanemi assentiu, ajeitando Genya em seus braços antes de começarem a caminhar de volta para seus determinados apartamentos, primeiro deixando os filhos de Urokodaki na casa do senhor de meia idade.




 

As aulas recomeçaram mais rápido do que esperava, o tempo parecendo voar enquanto curtia sua vida e trabalhava duro. Sanemi e seu mais novo vizinho se aproximaram mais nas poucas semanas que tiveram antes de começarem uma nova rotina, o moreno ironicamente sendo colocado na mesma sala que o outro garoto, para a surpresa e felicidade dos dois.

E para a infelicidade de Kanae, que ficou em outra sala novamente.

O casal não se vira ao menos um dia durante suas férias de verão, a garota se sentindo deixada de lado instantaneamente ao ver o namorado com o novo amigo, preferindo almoçar com ele para mostrar a escola do que ficar com ela. Seus amigos comentavam coisas desagradáveis em seu ouvido, tentando fazê-la enxergar que o jovem trabalhador não merecia ela, que Kanae era muito mais bonita e madura para ele. Sua própria irmã não gostava de Sanemi, reclamando sempre que podia da personalidade forte que ele possuía e nunca se dando bem quando se encontravam por algum acaso nas raras oportunidades em que ia deixar Kanae em casa.

Não tinha mais como negar o que sentia, mas não queria parecer imatura na frente do namorado, então preferiu ficar em silêncio. Talvez seus amigos estivessem certos, afinal.

Talvez devesse escutar sua irmã.




 

Sabia que seu novo amigo não gostava de sua namorada, apesar de não falar nada sobre o relacionamento ou sobre a garota. Giyuu apenas observava e revirava os olhos em alguns momentos, preferindo não se intrometer onde sabia que não seria bem vindo e Sanemi ficava ao mesmo tempo agradecido e desconfortável. Queria perguntar a opinião do moreno, saber o que ele pensava e o que ele não gostava, mas tinha medo do que poderia ouvir, afinal, Giyuu era um forasteiro sem qualquer laço com nenhum dos dois lados do casal e poderia enxergar coisas que ninguém tinha coragem de apontar ou era parcial demais para perceber.

Tinha medo de ver os erros em seu relacionamentos abertos como uma ferida e não queria isso. Gostava do jeito que as coisas estavam e queria se segurar nisso enquanto pudesse. Amava Kanae e não queria perdê-la.

Ou pelo menos era o que achava.

Seu coração adolescente, entretanto, batia por outra pessoa sem que Sanemi ao menos percebesse.

E assim os dias, semanas e meses foram passando lentamente, o inverno estava frio naquele ano, mais do que no anterior, e logo começariam as provas de entrada em universidades e todos os terceiro anistas estavam nervosos pensando em seus futuros. Não tinha mais como fugir do que era inevitável e acabaram se esforçando um pouco mais em seus estudos, mas isso significava que não tinham mais tempo para muita coisa além dos livros, provas e notas, se alimentar e dormir.

Sanemi quase não via sua namorada, os dois estudando em grupos diferentes e almejando faculdades diferentes. Mas ainda se encontrava com Giyuu, os dois decidindo estudar juntos já que moravam perto um do outro e não atrapalhariam ninguém. O moreno não trabalhava, ocupado demais estudando quase além de seu limite para entrar no curso que queria na faculdade onde era melhor - e se conseguisse uma bolsa com sua pontuação, melhor ainda.

Natal veio e passou quase tão silenciosamente quanto seu aniversário, Sanemi tirando metade do dia de folga em seu trabalho para poder sair com sua namorada em um jantar simples e que cabia em seu bolso, fazendo a morena sorrir mais naquela noite do que nos últimos meses. Se sentiu levemente culpado ao perceber isso, os dois agindo quase como estranhos ao lado um do outro enquanto continuavam seu encontro de natal.

Parecia errado estar ali, caminhando de mãos dadas com Kanae debaixo das árvores cheias de luzes coloridas e decorações natalinas.

Apertou a mão de Kanae e sorriu para a garota.

O que estava pensando? Kanae era sua namorada e a amava. Claro que estava no lugar certo e com a pessoa certa. Certo?

Não é...?

Com um suspiro, enterrou todas as suas dúvidas e sentimentos negativos no fundo de sua mente, não poderia focar neles agora, queria poder aproveitar seu encontro e sua namorada. E com esse pensamento, perguntou timidamente se Kanae queria entrar em um hotel consigo, recebendo uma resposta positiva, a garota com o rosto tão vermelho quanto o seu.




 

“Eu acho que seria melhor se a gente terminasse esse relacionamento.”

O pedido foi feito em um baixo tom de voz, a garota segurando a manga da jaqueta de seu uniforme, o cabelo quase escondendo completamente seu rosto que estava voltado para os próprios pés. Sanemi queria ter sentido surpresa naquele momento, mas apenas sorriu tristemente. Não tinha mais como negar que o relacionamento dos dois não era como imaginavam que devia ser, ficou frio como a temperatura e não era tão recente como gostariam que fosse.

Era como as pétalas de cerejeira que começavam a brotar nas árvores - bonita, delicada e voando com o vento para longe da árvores. Temporário.

Teria ao menos sido amor de verdade…?

“Tudo bem.” respondeu no mesmo tom de voz “Se isso é o que você acha que é o melhor.”

“Eu não aguento mais sentir isso…” Kanae murmurou ainda segurando forte a manga de Sanemi “Você não me ama como eu amo você e isso é óbvio, você me trata bem, mas…. Do que adianta ficarmos juntos se estamos vivendo uma mentira?” levantou o rosto, os olhos vermelhos tentando conter as lágrimas.

“Me perdoa.” a abraçou delicadamente “Eu não queria te fazer sofrer.”

“Você ao menos me amou em algum momento?”

Silêncio.

E então um suspiro.

“Eu não sei.”

Ficaram assim por longos momentos, abraçados em silêncio, o som alegre e alto de seus colegas chegando até a sala vazia onde estavam. Seria a última vez que se veriam, o último dia dentro de uma sala de aula de colégio. Seus diplomas estavam largados em mesas diferentes, seus futuros já definidos.

Sanemi beijou a testa de Kanae uma última vez, tentando colocar todos os seus sentimentos naquele pequeno gesto, a morena sorrindo enquanto limpava o rosto.

“Obrigada por tudo.”




 

O ar estava quente novamente, mais um verão com a agenda cheia havia chegado. Mas dessa vez tudo era diferente, mas ao mesmo tempo igual. Sanemi ainda continuava na banda com seus amigos, podendo tocar em mais locais agora que tinham idade o suficiente para entrar em alguns lugares, e não usava mais uniforme escolar, agora podia usar as roupas que mais gostava para ir a universidade. Estava cursando música, algo que gostava de fazer e que poderia ajudar o futuro de sua banda - tirando o baixista, o resto dos integrantes também estavam matriculados no mesmo curso.

Giyuu continuava o mesmo, usando seu cabelo bagunçado em um rabo de cavalo baixo, estava na mesma universidade que a sua, mas em curso diferente - o moreno seria um médico quando se formasse. Seu rosto parecia ficar ainda mais bonito com o tempo passando e Sanemi não podia deixar de notar, ficando irritado ao ver mais alguém se declarando para o amigo.

No momento estava no palco tocando e cantando com toda a vontade que possuía em seu corpo. Era um pequeno festival alternativo com vários artistas independentes e comidas diferentes. Haviam sido convidados para tocar de graça por uma das namoradas do baterista, que era uma das organizadoras do evento, e eles aceitaram com animação - não era todo dia que sua banda era chamada para algo e isso poderia ser muito bom para a publicidade ou algo assim.

Giyuu estava com as crianças sentado na grama enquanto ouviam a música e cantava junto, mostrando que havia decorado todas as letras depois de acompanhar Sanemi em quase todos os seus ensaios. Genya estava ajoelhado mais a frente, seus olhos brilhando de um jeito tão inocente e cheio de orgulho de seu irmão mais velho que o deixava levemente envergonhado.

Sem perceber, acabou por tocar uma música que ele mesmo havia escrito e com um teor um tanto romântico, olhando diretamente para o amigo. Sorriu ao perceber suas bochechas ficarem rosas, os olhos azuis se desviando e suas mãos mexendo nervosamente nos fios negros do longo cabelo de Nezuko. Era bom saber que podia arrancar uma reação assim do moreno. Voltou sua atenção para as outras pessoas que estavam acompanhando o show, não percebendo o sorriso em seus lábios.

“Ótimo jeito de dizer que já é comprometido, Shinazugawa.” o baterista comentou com um grande sorriso ao saírem do palco, cruzando os braços atrás de sua cabeça.

“Hã? Como assim?” o olhou confuso.

“Não me diga que…” começou, antes de começar a rir alto “Eu não acredito!”

Continuou olhando confuso para o homem a sua frente.

“É isso mesmo, Uzui.” o baixista concordou ao passar por eles.

“Vocês estão falando sobre o Sanemi ser lento?” a guitarrista perguntou de forma animada, rindo atrás de sua mão por um momento com o rosto vermelho pelo esforço que fizera no palco “É muito engraçado de ver.” assentiu “Mas fico com pena do Giyuu também… Imagina ter que conviver com alguém como o Sanemi?” riu novamente.

“Ei Kanroji.” usou um tom ameaçador, mas estava confuso demais para sair do jeito que queria.

“Dá um pouco de pena, mesmo.” Uzui comentou com um sorriso zombeteiro.

“Do que diabos vocês estão falando?” Sanemi quase gritou.

“Será que devemos desenhar para ele entender?” o baixista zombou.

“Obanai! Sua língua é tão afiada.” Kanroji riu.

“Eu espero que alguém comece a falar logo ou eu vou matar cada um de vocês da pior forma que conseguem imaginar.”

Os três riram novamente da expressão furiosa do vocalista.

“Shinazugawa, meu amigo.” Uzui começou, colocando suas mãos nos ombros largos do mais baixo “Você é apaixonado pelo Giyuu desde o ensino médio e ele também é apaixonado por você.”

Olhou atônito para o baterista “O quê?”




 

Negou a princípio. Tentou ignorar as reações frustradas dos amigos e seguir com sua vida normalmente, mas parecia que havia uma voz no fundo de sua mente que ficava lhe lembrando do que ouvira e do que poderia estar sentido. Mas não podia ser verdade, poderia? Giyuu era seu melhor amigo, como poderia estar apaixonado por ele? E como ele poderia estar apaixonado por si?

Deixou seus sentimentos sangrarem no papel, criando uma nova música para a banda, colocando todas as suas frustrações e dúvidas em uma melodia animada. Mas não sabia como terminar. Acabou pedindo ajuda de seus colegas de banda, perguntando sobre alguma ideia que poderiam ter para ser usada, mas não conseguia encaixar nenhuma de uma forma que o deixasse satisfeito.

Talvez devesse conversar com Giyuu para ter inspiração.

O que estava pensando?

Idiota.

“Ei, o que você acha de ir em um encontro?” acabou perguntando em um impulso durante uma tarde de domingo enquanto estavam sentados no banco da praça observando as crianças brincarem no parquinho, genya empurrando Tanjirou no balanço enquanto ria alto, seu pequeno rosto começando a ficar vermelho com o esforço que estava fazendo. O mesmo tom de rosa que agora adornava as bochechas cheias de cicatrizes de seu irmão mais velho.

O que estava fazendo?!

Giyuu parecia surpreso, o olhando com olhos arregalados e a boca entreaberta. Teria feito uma besteira? Devia ter controlado a sua boca e não ter dito nada, agora a sua amizade com o moreno acabaria com uma besteira só porque resolveu ouvir seus amigos, por causa de um comentário idiota.

“Ok.” Giyuu assentiu, desviando o olhar.

Claro que ele não ia aceitar, ele….

“Ok?”

Giyuu assentiu de novo “Se você está me chamando para um encontro é porque gosta de mim romanticamente, não é? Eu também gosto de você.” deu de ombros, como se não fosse nada de mais, mas as pontas de suas orelhas estavam vermelhas.

“Ah… Sim. Sim. É. Eu gosto de você. E você gosta de mim. É isso. É.” respondeu, seu rosto ficando ainda mais vermelho.

“Que tal no próximo domingo?” era óbvio que Giyuu estava segurando a risada.

“Perfeito.”




 

Kanae estava sentada em sua sala de estar tomando chá enquanto lia um livro para a sua próxima aula, a televisão ligada em um canal de música com um volume baixo o suficiente para ser som de fundo, mas não para atrapalhar seus estudos. Enquanto virava uma página levantou o olhar cansado para a tela e se surpreendeu ao perceber que conhecia o rosto da pessoa que estava cantando.

“Sanemi?!”

Fechou o livro depois dobrar a ponta marcando a página onde havia parado, dando sua total atenção para o vídeo que passava na televisão. Era a banda de seu ex namorado ali, vestidos com roupas bonitas e com maquiagem nos rostos, cantando sobre estarem apaixonados e como aquilo era um sentimento confuso e frustrante. Kanae não conseguia acreditar.

Esperou o vídeo acabar para ver o nome da banda e da música, imediatamente pegando o seu celular para pesquisar e achando as redes sociais da banda recém lançada no mercado musical. Clicou na foto individual de seu ex namorado e suspirou, sentindo um sorriso brotar em seus lábios. Ele havia conseguido, depois de anos.

Levou o celular até o peito e fechou os olhos “Parabéns.” murmurou para o nada.




 

O estúdio estava quase completamente silencioso se não fossem os sons baixos e suaves de um violão. Era tarde da noite e quase todos haviam voltado para suas casas para dormir e continuar trabalhando no dia seguinte, mas Sanemi preferiu ficar, sendo acompanhado por Giyuu, enquanto tentavam escrever o último single que a banda lançaria antes do álbum completo.

“Isso é sobre a Kanae?” Giyuu perguntou de seu lugar no sofá depois de ler o que o outro havia escrito no papel, um esboço da letra da música.

“Sim.” comentou sem parar os dedos nas cordas de seu violão “O que acha?”

“Parece que você está indo em uma direção boa.” deu de ombros “Eu não entendo muito bem disso e você sabe.” resmungou com um suspiro “Kanroji deve ajudar melhor já que ela também namorou alguém na escola antes do Iguro se declarar, finalmente.”

“Boa ideia.” sorriu.

Ficaram em silêncio por um momento, Sanemi girando levemente na cadeira que ficava em frente a cabine de gravação e Giyuu sentado confortavelmente no pequeno sofá de couro.

“Você não acha estranho ter que ouvir seu namorado cantar sobre a ex dele?” Sanemi perguntou, parando de girar e de tocar violão.

“Você está perguntando se eu não sinto ciúmes?”

Sanemi deu de ombros, colocando o violão no chão apoiado na mesa de centro.

“Eu não vou ficar com raiva por causa de um detalhe insignificante. Kanae faz parte do seu passado e eu sou o seu presente. E talvez o futuro.” sorriu “Eu te amo, você sabe disso. Não sinto a necessidade de ficar enciumado porque eu sei que você me ama de volta.”

Sanemi sorriu, se levantando da cadeira e andando até o sofá, se ajoelhando no estofado ao lado do namorado e segurando seu rosto entre suas mãos, sentindo seu coração bater mais forte ao ver o moreno sorrir e fechar os olhos.

“Eu realmente te amo muito.” concordou antes de curvar e tocar os lábios róseos de Giyuu com os seus em um beijo delicado e cheio de amor.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...