História Rockstars Teens - Capítulo 50


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Amor, Comedia, High School, Musical, Romance
Visualizações 22
Palavras 1.940
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Saudações, pudinzinhos!
Era para ter saído na semana passada, massss...
Está aqui hehe.
Sem mais delongas...
Boa leitura!

Capítulo 50 - Remember...?


Pov’s Zoe:

Depois da nossa conversa no The Shake, Nick lembra-se –depois de Dry e Bella terminarem de brigar– que tinha um tal livro de Sherlock Holmes que emprestaria do Dry e foi até a casa dos Swan buscá-lo. Sendo assim, eu fui sozinha para casa.

Chegando lá, tive a maior das surpresas.

Zoe: Justin, já cheguei!!! – gritei assim que entrei em casa.

Ando do hall de entrada até a bancada e ali larguei minhas chaves e minha bolsa. Foi quando ouvi alguém dizendo “oi, ruivinha linda!” e me viro em um espanto.

Zoe: MEU DEUS!!! – falei pondo a mão no peito e arregalando os olhos – Que droga, Greg! – digo um pouco irritada. Havia visto Greg sentando no sofá da minha sala.

Greg: Desculpa, ruivinha – falou tentando com todas as forças conter uma risada.

Zoe: O-o que você e-está fazendo aqui? – pergunto piscando os olhos rapidamente.

Greg: Vim fazer uma visitinha surpresa – ah, jura?! Nem percebi a parte da surpressa – E aliás, foi o seu irmão que pediu para te esperar aqui – acrescentou rapidamente.

Assenti com a cabeça com um sorriso sem graça. Vou em sua direção me sentando ao seu lado no sofá, ainda envergonhada pelo gritinho que dei na hora do susto. Demos um selinho bem breve.

Greg: Oi, ruivinha – me lançou um sorriso doce.

Zoe: Oi... – e enfim, nos cumprimentarmos devidamente.

Greg: Aonde está o Nick?

Zoe: Ah, ele teve que ir à casa dos Swan – ele assentiu após eu explicar.

Após conversarmos um pouco sobre nós, o colégio e ele então tocou no lance da banda.

Greg: Nossa... Vão entrar nessa de verdade?

Zoe: Pois é. É loucura, né? – falei juntando as mãos.

Greg: É um pouco, mas é ótimo, Zoe. Você tem muito talento... Vocês todos são. Sem falar que é seu sonho, é o seu momento – pôs a mão no meu ombro me encorajando.

Zoe: Sim, eu vou nessa. Ao menos tentar, não é?

Greg: Isso, mas você vai conseguir, Zoe. Eu acredito nisso.

E ele me olhou daquele jeito doce e protetor. De vez em quando, começo a pensar no dia em que ele me pediu em namoro...

*Flashback ON*

Mais um dia em casa, lendo um livro, assistindo alguma coisa ou escutando uma música. Isto é, quando eu estava livre dos deveres de casa que os meus amigos me passavam. Já estava bem melhor do resfriado, quase recuperada. Nick sempre cuidava de mim e me fazia companhia. Eu estava acabando algumas anotações nos assuntos que tiveram naquele dia, quando eu ouço passos em direção ao meu quatro.

Nick: Trouxe água pra você, maninha! – chegou saltitando no quarto com um copo d’água nas mãos e tive até receio de que ele deixaria cair, mas não ocorreu. Eu agradeci ao pegar o copo de suas mãos – Você está bem menos abatida – comentou contente.

Zoe: É, não é ótimo?

Nick: Sim, sim! Já na segunda pode voltar para a escola! – falou fazendo uma dancinha. Típico – Sinto que estou esquecendo de alguma coisa... – comentou parando aos poucos de dançar.

Zoe: Não se preocupe. Logo, logo lembrará – falei tranquilizando-o.

Nick: Está bem... – ouvimos a campainha tocar – Humm, vou lá ver – e saiu correndo descendo as escadas, mesmo eu falando para ele ter cuidado ao descer.

Volto a me concentrar nas minhas últimas anotações dos meus estudos e acabo rapidamente. E ao começar a arrumar as minhas coisas novamente, meu irmão voltou em passos apresados para o meu quarto.

Nick: Hey, meio que tem visita pra você – ele falou meio receoso.

Zoe: Ah, já vai logo dizendo pra Bella que não estou no clima pra sessão de maquiagem – digo bebendo mais um pouco d’agua.

Nick: Que mané Bella! É o Greg que está aqui – e neste momento cuspi água com o espanto.

Quê?! Como assim o Greg está aqui?! E logo hoje que estou com um blusão ridículo do Mickey Mouse?! Ao me virar para o Nick, Greg já estava ao lado dele e os dois me olhavam de olhos arregalados e tentando conter um riso.

Greg: Não avisou à ela que eu viria? – perguntou ao Nick, que pareceu pensar – Eu disse pra você falar para ela de manhã.

Nick: Hããã, então... Eu meio que esqueci – respondeu sem graça e coçando a nuca. E eu meio que iria mata-lo – É melhor eu ir, pessoal. Até! Fui! – e saiu correndo para o seu quarto.

Greg e eu nos olhamos, ele estava um tanto sem graça e coçando a nuca. E eu estava completamente envergonhada e desejando sumir. Com isso, obviamente, eu corei e ele deu uma leve risadinha.

Greg: E-eu posso entrar? – eu assenti que sim e tentei me recompor.

Ele entrou bem devagarinho e dando uma olhada em volta, parecia ter gostado. Ele se aproximou de mim e me olhou como se pedisse permissão para se sentar no banco, ao meu lado, e indiquei para ele fazê-lo.

Greg: Como você está, ruivinha?

Zoe: Bem melhor agora – respondo e em seguida veio uma breve tosse, ele me olhou preocupado – Tudo bem, com certeza na segunda já estou melhor – dou um leve sorriso para tranquiliza-lo.

E de fato, não havia mais porque se preocupar tanto, já não estava mais com febre. Realmente bem melhor do que no início da semana.

Greg: Que bom! Engraçado, eu meio que me sinto culpado...

Zoe: Quê? Não foi culpa sua, Greg – digo pegando em sua mão.

Greg: Já esqueceu de quem te chamou pra dançar quando estávamos lá fora, em plena noite fria? Na chuva?

Zoe: Já esqueceu de quem armou para nos encontrarmos justo lá? – ele assentiu concordando comigo.

Greg: Tem razão... Você mata a Bella e eu o Ed por ser cumplice – comentou me fazendo rir. Em seguida me olhou parecendo pensativo e um tanto receoso – Zoe, o que você... Achou?

Cerrei os olhos e lhe lancei um olhar confuso e ele me olhou como se fosse obvio. E era, ô sua tonta!

Zoe: AH... Do b-beijo?! – ele assentiu. E eu envermelheci novamente – B-bem eu... – suspirei antes de prosseguir – E-eu achei... Que foi bom... – completo a frase com um sorriso tímido.

Pude perceber que ele me olhou surpreso e pareceu contente pela resposta. Ele deu um longo suspiro e coçou a nunca, parecia tentar criar coragem para algo. E acertei. Ele pegou na minha mão acariciando-a, se inclinou na minha direção e me beijou.

Aquilo ainda era estranho para mim. Ser beijada. Mas ainda era bom. Bom, mas ao mesmo tempo estranho... Não queria que acabasse, mas meus irmãos poderiam chegar a qualquer momento...

Me afastei um pouco quando isso passou pela minha cabeça e ele me olhou preocupado.

Zoe: Er... Não tem... Medo de pegar resfriado? – menti.

Greg: Eu sou imune – respondeu com um sorriso de lado e revirei os olhos.

Zoe: Ah, sim. Claro... – ele me interrompeu com mais um beijo.

Mas nem este durou tanto tempo, já que ouvimos alguém vindo do corredor e me afastei novamente e tento ao máximo me recompor. Era o Justin chegando para ver como eu estava.

Justin: Oi, mana... Ah, Greg. Oi – sorriu brevemente para o garoto, que acenou para ele – Está se sentindo melhor? – perguntou pegando no meu ombro e checando pela milésima vez só hoje se a febre voltou.

Zoe: Sim, Justin. Estou bem melhor.

Justin: Que bom! Mais tarde vou preparar uma sopa, okay? – eu assenti com um leve sorriso.

Para falar a verdade, eu já estava enjoada de sopa, mas era uma das poucas coisas que eu conseguia engolir e Justin se achava o maior Master Chef preparando-a – Justin cozinha muito bem, porém sopa não é bem sua especialidade.

Justin: Ótimo, eu volto depois. Legal ter vindo aqui, Greg – e saiu do quarto deixando-nos a sós de novo.

Me virei para Greg de novo, este parecia um tanto sem graça, mas ainda mantinha seu doce sorriso. Tornou a pegar a minha mão, desta vez a levou aos lábios e beijou como um cavalheiro. Sorri com aquele gesto. Ele levou a outra mão na mina nuca, fazendo menção de que me beijaria, mas não o fez. Talvez porque me espantei e hesitei. Aff. Santa timidez! Ele apenas ficou me fitando. Tento dizer alguma coisa, mas ele me cortou com um “Você quer namorar comigo?” me fazendo pular no banquinho.

Greg: Tá tudo bem? – perguntou aflito e assenti.

Eu não conseguia dizer absolutamente nada e estava quase que catatônica. Depois que me acalmei mais, ele perguntou novamente:

Greg: Zoe, você quer namorar comigo?

Zoe: Er... E-eu... – gaguejo e coro novamente.

Nossa, eu queria muito dizer ‘sim’, mas minha voz simplesmente falhava. E corei novamente e ele deu uma leve risada disso.

Greg: Já sei. Como não pensei nisso antes... Eu deveria pedir a permissão do seu irmão – falou tranquilamente.

Zoe: Sério?! – ele assentiu que sim e dando de ombros.

Greg: Sim. Por que?

Zoe: P-por nada, é que... Faria isso mesmo? – ele assentiu novamente – Já fez isso antes?

Greg: Hãã, não! – disse com uma leve risada em seguida – Mas faria por você. Você é especial, Zoe.

Ele pegou no meu rosto e fez carinho nas minhas bochechas me deixando completamente desarmada.

Greg: Mas o que me diz? Aceitaria? – perguntou esperançoso.

Após reunir forças, consegui responder um:

Zoe: Claro que sim.

Com isso ele abriu um sorriso de orelha a orelha, o que me contagiou e me fez sorrir também.

Não sabia como é que iria ser, mas confiava no Greg. Eu gosto dele. Estou apaixonada por ele...

*Flashback OFF*

Greg: Pra ser honesto, eu achava que o seu irmão ia me matar – comentou e nós dois rimos – Bem, foi melhor do que esperava.

Zoe: Acho que o fato de Justin estar muito romântico ultimamente ajudou...

Ele concordou dando de ombros. Em seguida, sua mão foi até o meu rosto delicadamente fazendo-me olhar em seus olhos, aproximou seu rosto ao meu e me beijou. É anormal eu ainda me sentir receosa quando ele se me beija? É um nervosismo estranho. Mesmo que ao mesmo tempo seja bom. Muito bom.

Quando nos separamos, seu celular vibrou e ele tirou de seu bolso para ver o que era.

Greg: Ah, é a minha irmã novamente... – revirou os olhos em tom de brincadeira – Mais uma vez dizendo “Quando eu for para Nova York, quero saber quem é essa tal de Zoe!”.

Leu forçando uma voz feminina para imitar a irmã e rimos disso. Greg comentou comigo uma vez que tem uma irmã que mora em Vancouver, no Canadá, e que desde que falou de mim ela não para com os interrogatórios, seja em mensagem ou via Skype.

Zoe: Hey, ela parece legal... – ri de nervoso, mas tentei disfarçar. Pensando na possibilidade de eu conhecer a família dele e com receio do que eles achariam de mim.

Greg: É... Quando ela quer, é claro – rimos com seu comentário. Depois ele olha novamente no celular – Caramba!

Zoe: O que foi?

Greg: Às horas... Eu preciso ir, ruivinha...

Zoe: Tudo bem – sorri compreensiva e ele me deu um selinho bem breve – Nos vemos no colégio...

Nos levantamos do sofá e eu o acompanho até a porta da frente.

Greg: Nos vemos no colégio – ele estava prestes a me beijar novamente.

Porém, por algum motivo, sem uma explicação lógica, a porta se abriu em um estrondo que me fez dar um pulinho de espanto. Quando eu e Greg nos viramos para olhar, encontramos um Nick desesperado. Parecia ter vindo correndo até aqui. Sua expressão era uma mistura de desespero, mas ao mesmo tempo ele parecia feliz. Aquilo estava me deixando aflita.

Zoe: Nick, o aconteceu!?

Ele se encosta na porta como se procurasse algum apoio.

Nick: Aconteceu tudo... – respondeu com um breve sorriso no final.

CONTINUA NO PRÓXIMO CAPÍTULO>>>


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Tenho novidades, este mês terá mais um capítulo!!!
Fiquem atentos, até o fim do mês sairá mais um :D
"Mal-feito, feito" e "Que a Força esteja com vocês"
Até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...