História Roleta-Russa - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Katy Perry, Taylor Swift
Tags Ciumes, Katy Perry, Kaylor, Swiftperry, Taylor Swift, Yuri
Visualizações 120
Palavras 2.823
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, LGBT, Luta, Musical (Songfic), Orange, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um capituluzinho pra vocês

Leiam as notas finais, por favoor

Capítulo 8 - Eu sou terrivelmente egoísta; seven


Fanfic / Fanfiction Roleta-Russa - Capítulo 8 - Eu sou terrivelmente egoísta; seven

NARRADOR 

 

Taylor balançou a cabeça lentamente ao som da melodia animada que tocava, ela balançava os pés juntos de sua cabeça e segurava um copo cheio do drink Sex on the beach, um de seus favoritos enquanto observava Katheryn dançar na pista de dança na companhia de Leslie e Penelope, as três mulheres balançavam o corpo de modo sensual e divertido. 

 

- Quer mais um? - Chelsea sentou-se ao lado de Taylor no bar, com William logo atrás dela. - Eu vou pedir uma Margarita. - acenou para o barman. - Quer uma? - a loira assentiu. 

 

- Por que não vai dançar um pouco? - Tay questionou a amiga. - Você adora dançar, aproveite que Katy está na pista, com ela não dar pra ficar parada. - sorriu, às vezes ela se perguntava em como Katheryn tinha tanta energia para nunca se cansar de nada. 

 

- William não quer que eu dance. - Chelsea respondeu e Taylor sentou-se ereta, surpresa com a revelação. - Ele está certo, meu vestido é realmente muito curto, vai chamar muita atenção. 

 

- Se seu vestido é curto, Katheryn está nua. - revidou, tentando não soar rude e finalizou seu drink assim que o barman chegou com sua Margarita. - Seu vestido é pelo menos um palmo maior do que o que ela está vestida. - rolou os olhos, sussurrando logo em seguida no ouvido de Chelsea: - Não deixe William controlar você. 

 

- Ele não me controla. - Chelsea respondeu baixo, para que William que estava sentado ao lado dela não a ouvisse. - Ele se preocupa comigo, tem ciúmes. É normal! - suspirou. - E você não pode falar nada. - Taylor a encarou sem entender onde ela queria chegar. - Você morre de ciúmes de Katy. 

 

- Sim, mas não tento controlar ela. - a loira defendeu-se, encolhendo os ombros. - Não desse jeito, regular o que ela veste e onde deve ou não dançar? Chelsea, pelo amor de Deus. - Taylor afirmou. - Você faz o que William quer, como se ele fosse seu pai e tivesse direitos sobre você. Um pai ruim e abusivo, aliás. - observou. - A relação de vocês é errada em tantos níveis que eu nem posso enumerar. 

 

- Você não tenta controlar Katheryn porque não consegue! - Chelsea revidou brava. - E quer saber? Meu relacionamento não está em pauta aqui, então por favor, cuide da sua vida. - bebeu sua Margarita em um único gole. 

 

- Eu só me preocupo com você. - Taylor a encarou, a voz da loira ainda soava calma. - Só quero que veja algo que todos nós já vimos. Isso não é saudável. - gesticulou na direção de William, que estava distraído com as luzes da boate. 

 

- Quer saber? - Chelsea a olhou. - Cuide de Katy, ok? Deixe que de mim, William e eu cuidamos. - levantou-se e levou o namorado para longe dali.

 

Taylor suspirou, exausta daquilo. Para Chelsea, o amor era realmente cego, não importava o que William fizesse ou os absurdos que costumava dizer, ela não via e não ouvia nada. Apenas o enxergava como um homem perfeito que ele não era nem de longe. 

Chelsea o enxergava como queria que ele fosse. A versão verdadeira de William, ela escolhia não ver. E Taylor tinha medo do que esse escolha causaria a ela num futuro próximo. 

 

A loira virou-se para a pista de dança novamente, procurando Katy com os olhos mas não a viu, encontrou apenas Leslie e Mia que ainda dançavam animadas. 

Katheryn e Penelope não estavam mais ali. 

 

Mas antes que a loira se levantasse para procurar por Katy, a viu se aproximar de outra direção com Penelope ao seu lado. 

 

- Hey, meu amor. - a morena posicionou as mãos em seus ombros, sorridente. - O que é isto? - apontou para o copo dela, e antes mesmo que Taylor pudesse responder, Katy tomou o copo de sua mão e o levou até a boca, tomando todo o líquido. - Margarita! Eu amo! - colocou o copo já vazio na mão da loira novamente. 

 

- Pode ficar. - Taylor sorriu, devolvendo o copo vazio para o balcão. - Onde vocês estavam? - olhou de Penelope para Katy. 

 

- No banheiro. - quem respondeu foi Penelope, logo ela esfregou o nariz e piscou diversas vezes, apertando as mãos uma na outra e coçou a nuca, completamente inquieta. - Eu vou dançar, você vem? - se aproximou de Katy que negou com a cabeça e ela caminhou para a pista novamente. 

 

- O que ela estava fazendo no banheiro? - Taylor observou Penelope na pista, balançando o corpo de modo desorientado, esbarrando em algumas pessoas. 

 

- Fomos fazer xixi. - Katy a olhou confusa. - O que foi? Acha que eu fui beijá-la escondida no banheiro de uma boate? - brincou. 

 

- O quê?! - Taylor gargalhou, aquilo nem havia passado por sua cabeça ciumenta. - Olha como ela está, inquieta. 

 

- Ela não estava se drogando se é isso que você está pensando. - Katy reclamou e suspirou fundo logo em seguida. - Tay, amor, dê um voto de confiança para a Penny, ela melhorou. - Taylor encarou Katy, sem ter certeza se queria fazer aquilo. - Se você não pode fazer isso por ela, faça por mim. - insistiu e Taylor suspirou, apertando mais suas mãos ao redor de Katy. 

 

Ela faria qualquer coisa pela morena, até acreditar em uma Penelope sóbria, mas ela poderia fingir se era isso que Katy queria. 

 

- Ok. - concordou e sentiu Katy se inclinar um pouco na direção dela, a beijando lentamente por alguns segundos. - Vamos embora? - pediu, já cansada de tanto barulho perturbando sua paz de espírito. 

 

- Vamos sim, minha menina. - Katy respondeu, se inclinando novamente para deixar um selinho nos lábios da esposa. - Meus pés estão doendo. - reclamou e Taylor passeou as mãos pelo corpo da morena, até chegar na barra do vestido curto e puxá-lo para baixo, na tentava de cobrir um pouco mais o corpo de Katheryn. - Você não tem jeito, é impressionante. - sorriu ao notar o que Taylor fez. 

 

- O quê? - Taylor sorriu envergonhada. - Você se inclinou, aposto que todos viram sua bunda. - murmurou, deixando uma de suas mãos na bunda da esposa. - Não quero ninguém vendo sua bunda. 

 

- Que pensamento egoísta. - Katy brincou. 

 

- Quando se trata de você, eu sou terrivelmente egoísta. - afirmou séria, soltando Katy de seus braços. - Vá se despedir de seus amigos, eu vou pagar a conta. 

 

Chamou o barman e precisou esperar alguns minutos para que ele viesse até ela, devido a super lotação da boate, a sensação que Taylor tinha era o que ar dentro daquele lugar estava ficando escasso. Mas quando ele veio, pagou a conta rapidamente e caminhou até Katheryn, que já a esperava pelo lado de fora, na companhia de Penelope que abraçava os próprios braços. 

 

- Vamos dar uma carona para a Penny, ela já quer ir também. - Katy avisou e ela não discordou, apenas a abraçou pela cintura e caminharam até o carro, que Taylor dirigiria, já que Katy tinha bebido mais do que ela. 

 

O caminho estava tranquilo e seria totalmente silencioso se não fosse por Katy que cantarolava uma música calma e romântica que tocava apenas em sua cabeça. 

 

- Você poderia ter sido cantora, você sabe, se quisesse. - Penelope comentou e Katy sorriu, um pouco tímida pela observação da amiga. - Você tem uma voz suave, gostosinha de ouvir. 

 

- Concordo! - Taylor se manifestou, sorrindo na direção de Katy por um minuto. - Hm, Penelope, você ainda está morando na casa de Mia ou se mudou? Para eu saber onde deixá-la. 

 

- Eu ainda estou morando com Mia. - ela respondeu do banco detrás. - Mas vou ficar na próxima esquina. - Katy se virou, encarando Penelope confusa. - Eu vou dormir na casa de uma amiga hoje. - coçou a nuca amostra pelo cabelo curtinho. - Você vai me emprestar aquele negócio, Katy? - Taylor prestou atenção na conversa, interessada. 

 

- Oh, sim! - Katy virou-se de frente novamente, ajeitando o cinto e abriu o porta-luvas, pegando sua carteira escondida ali e tirou 100 dólares para Penelope logo em seguida. - Aqui está, me devolva. 

 

- Pode deixar. - Penelope enrolou o dinheiro e os escondeu entre os seios pequenos e soltou-se do sinto. 

 

- Onde sua amiga mora? Podemos deixá-la na porta. - Katy sugeriu quando Taylor parou o carro na esquina. - É perigoso você ficar andando por aí sozinha, está tarde. 

 

- Aqui está ótimo, não precisa! - Penelope não disse mais nada, apenas abriu a porta do carro e saiu praticamente correndo para fora, até sumir na rua escura e deserta, Taylor arrancou com o carro. 

 

- Por que deu dinheiro pra ela? - questionou, um pouco irritada. - Uma coisa é Penelope ser viciada e você ser amiga dela, outra você coisa é você sustentar o vício dela, Katheryn. 

 

- O quê? - Katy a encarou. - O que aconteceu com o voto de confiança que eu pedi que desse para ela? Esse dinheiro não é para o vício dela, Penelope se recuperou. 

 

- Eu até acho bonitinho sua inocência, mas isso aí é estupidez. - resmungou. 

 

- Você vai se surpreender com Penelope, Taylor, vai ver, e quando acontecer você terá que pedi desculpas à ela e para mim. 

 

- Se você não se surpreender com ela antes de mim. - Taylor revidou e ouviu apenas Katy suspirar fundo ao seu lado, cruzando os braços. 

 

- Você não sabe o que diz. 

 

- E você acredita em qualquer coisa que te dizem. - respondeu e ligou o som do carro, para não precisa ouvir Katy resmungando palavras desconexas. 

 

(.....)

Dia seguinte // 14:52h. 

 

 

Todos aplaudiram de pé o pequeno discurso de Felícia, a ruiva estava dando um almoço em sua casa apenas para amigos próximos para comemorar a abertura de mais um escritório de psicologia. Felícia tinha dinheiro e tempo livre, de todos os amigos de Katy, a ruiva era sem dúvidas nenhuma a mais ajuizada e também a favorita de Taylor. 

E Felícia tinha humildade, mesmo nascendo em família rica e nunca tendo experimentado o lado difícil da vida, ela não gostava de ostentar seu dinheiro ou suas posses. Mais do que uma boa mulher, Felícia era uma boa pessoa e Taylor tinha até faltado o trabalho para que pudesse prestigiar o almoço da amiga. 

 

Peter poderia cuidar da delegacia um dia sem ela, eles sobreviveriam. 

 

- Agora, vamos todos comer porque eu não posso ser a única que está com fome aqui! - Felícia desceu da pequena estrutura montada em seu jardim e todos a aplaudiram com risadas pela piada. 

 

- Quer que eu coloque comida pra você? - Taylor ofereceu, cheirando o cabelo de Katy e beijou a testa dela, devido a diferença de altura entre as duas.- Ok, volto logo. - ela se afastou depois de Katy afirmar que queria a comida.  

 

Tinha muitas pessoas que Taylor não conhecia ali, Felícia era próxima de muitas pessoas, talvez pela profissão que exercia ou apenas porque a ruiva era extremamente carismática e amigável. Mas também tinha muitos rostos conhecidos pela loira. 

 

Já no jardim, Katy se aproximou de Mia, que não havia soltado o celular desde que tinha chegado, nem havia prestado atenção nas palavras motivadoras de Felícia. 

 

- Qual o problema? - se aproximou de Mia que sorriu ao olhar a figura de Katy, a pele brilhava pelo sol, o cabelo solto, usando um vestido longo com abertura na perna e floral. Estava casual, mas ainda muito bonita. 

 

- Penelope dormiu na sua casa noite passada? - perguntou direta. - Ela não voltou pra casa e ela ontem foi embora com minha carteira, meu cartões estavam todos lá. - coçou a cabeça. - Meu dinheiro também. Eu pedi pra que ela segurasse e esqueci de pedir de volta. 

 

- Como assim? - Katy ficou confusa. - Eu emprestei a dinheiro porque ela me disse que estava quebrada e eu a deixei numa rua, ela disse que dormiria numa amiga. 

 

- Quebrada? - Mia riu. - Os pais dela depositaram dinheiro pra ela. - colocou as mãos na cintura. - Ontem antes de irmos pra boate, ela me ajudou com as contas lá de casa, ela está morando lá, estamos dividindo tudo. - Katheryn ficou em silêncio, tentando processar a informação e viu Felícia se aproximar, acompanhada de Penelope. 

 

- Olha quem chegou, achei que ela não viria me prestigiar. - a ruiva sorriu, beijando o rosto de Penelope, em um gesto de puro carinho. - Vocês gostaram do meu discurso? 

 

- Foi lindo! - Mia e Katy falaram juntas, sorrindo um pouco. 

 

- Obrigada, meninas. É importante que estejam aqui. - sorriu. - Eu vou falar com as outras pessoas, quero cumprimentar todos antes de me sentar pra comer, se afastou sorrindo com o cabelo brilho na luz do sol. 

 

- Onde você dormiu? - Mia perguntou. - Seus únicos amigos aqui, somos nós. - referiu-se ao grupo. 

 

- Eu conheço outras pessoas também, Mia. - Penelope balançou os ombros, fazendo com que a manga se sua blusa branca subisse um pouco, revelando o hematoma em seu braço. 

 

- O que é isto? - Katy tentou tocar, mas levou apenas um tapa na mão, dado por Penelope. 

 

- Aqui está. - entregou os 100 dólares de Katy e a carteira de Mia em seguida. - Eu esqueci de devolver pra você ontem. - encarou Moretti, que pegou a carteira ainda tensa. - E pare de me ligar, por Deus. - se afastou, coçando a nuca. 

 

- Quem você acha que fez? - Mia perguntou, referindo-se ao hematoma no braço fino de Penelope. 

 

- Acho que Taylor está certa. - Katy comentou, observando de longe Penelope entrar sorridente na casa de Felícia. - Ela não está bem. - Mia soltou um resmungo, inconformada. - O que foi?

 

- Você sempre ouvindo tudo que Taylor diz. - colocou as mãos na cintura. - Pense por si própria, garota. 

 

- Eu penso! - Katheryn defendeu-se. - Mas viu o braço de Penelope? Quem quer eu tenha feito aquilo com ela, precisa ser afastado dela o mais rápido possível. - argumentou, encarando Mia descrente. - Por que implica com Taylor? Você podia ser como Leslie, Chelsea e Felícia, podia gostar dela. 

 

-  Acontece que eu sou Mia Moretti. - retrucou. - Não posso ser como outra pessoa. - engoliu um seco. 

 

- Ela me ama muito, como minha amiga você deveria ficar feliz por eu estar casada com alguém que me ama e principalmente, me tolera, porque eu não sou fácil. - Katy voltou a falar calmamente, encarando Mia com um olhar que a fazia querer se desculpar ali mesmo. 

 

- Inúmeras pessoas amam muito você. - Mia cruzou os braços, deixando a frase para que Katy interpretasse da própria maneira. - Você quer o quê? Que eu dê um prémio para Taylor apenas por que ela a ama? - sorriu com deboche. - Qualquer um faria isso, qualquer um. - enfatizou antes de sair pisando firme. 

 

Katy nem teve tempo de pensar sobre o que acabara de ouvir pois Taylor já voltava com dois pratos em mãos. 

 

- Quer comer aqui fora ou lá dentro? - entregou um para Katy, que sorriu, tentando soar normal. - As gêmeas estão comendo lá dentro, Chelsea está chamando você pra lá. 

 

- Vamos pra lá. - Katy pediu, caminhando ao lado da esposa. 

 

Quando chegaram a sala, não estava tão cheia, Leslie estava ali comendo e Chelsea também, sentada no sofá entre a irmã e William, que parecia irritado com algo. Havia outras pessoas também, mas Katy e Taylor não as conhecia. As duas sentaram-se juntas no mesmo sofá que os amigos, Leslie comentou algo sobre o gosto delicioso da comida com Katy e seguiram conversando baixo, até a calmaria se interrompida por William. 

 

- Chelsea, o que eu falei pra você?! - falou alto, chamando atenção de algumas pessoas ali na sala. - Você não me escuta, ex-namorado em redes sociais? - sorriu irritado. - No meu mundo isso não existe! - pegou o celular de Chelsea, mexendo nele e ela deixou o prato na mesa de centro. - Nós vamos embora! - ele levantou-se, pegando Chelsea pela mão e Leslie até tentou dizer algo, mas calou-se. Não queria causar um mal-estar ainda maior no almoço tranquilo de Felícia. 

 

- Vocês viram? Eu o odeio, ele não a respeita. - Leslie reclamou, cruzando os braços. - Agora ela vai pra casa e volta à noite chorando e não me diz o que houve. - passou as mãos pelo cabelo. - Eu não sei mais como ajudar a minha irmã. - encarou Katy e Taylor, que também não sabiam o que fazer. 


Notas Finais


Eu vou colocar o nome e sobrenome dos personagens que mais aparecerão nessa história, porque às vezes vai acontecer de eu colocar só o sobrenome do personagem e não quero que fiquem confusxs, mas não se preocupe que eu sempre vou dar uma pista de quem é. Mas aqui vai:

Katheryn Hudson // Peter Colemam
Taylor Swift // Mia Moretti
Penelope Reed // Felícia Sanchez
Violet Turner // William Brooks
Chelsea Murphy // Leslie Murphy
Franklin Clark

Eu preciso saber: O que vocês estão achando de cada personagem até agora? É importante que eu saiba pra eu ver se vocês estão certos ou vão ter uma surpresa KKKKKKK

PS: O que vocês gostariam de ver nessa fic? Deixem sugestão que talvez eu inclua aqui, comentem e até logo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...