1. Spirit Fanfics >
  2. Romance Proibido >
  3. Capitulo 1

História Romance Proibido - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Capitulo 1


Fanfic / Fanfiction Romance Proibido - Capítulo 1 - Capitulo 1

Flashback

Lucas: Vitor, você está me parecendo cansado deixa que eu dirijo. 

Quando Lucas assumiu a direção nenhum dos dois esperava que um acidente fosse acontecer. Helena estava no banco de trás do carro durmindo quando tudo aconteceu. 

Lucas acabou batendo o carro contra um caminhão, Helena saiu pra fora do carro assim como Lucas. Já Vitor infelizmente ficou preso nas ferragens, Helena ficou durante anos sendo a culpada do acidente mesmo sem se lembrar o que ocorreu naquele dia. 

Anos depois

Depois de um certo tempo do acidente, Vitor se afastou de todos e somente 10 anos depois o mesmo conseguiu voltar a falar com Helena, quando o mesmo teve chance de encontrar a mesma contou toda a verdade sobre o acidente. 

Depois de tudo isso ambos resolveram voltar a namorar, porém como suas famílias se odiavam concordaram em manterem um relacionamento escondido. 

Quando todos começaram a desconfiar que ambos poderiam ter alguma coisa, Helena junto com Bia tiveram a ideia de marca um encontro poderem as duas sairiam juntos e Vitor também faria isso com o seu irmão. 

Bia: Nossos irmãos parecem estar tão felizes. 

Naquele dia Manuel e Bia se conhecerem e desde então se tornaram melhores amigos e sempre que possivelmente acobertavam os irmãos. 

Pv Manuel

Um faz exatamente um ano que eu conheci a Bia, ela nesse meio tempo acabou se tornado a minha melhor amiga. Nossos irmãos Vitor e Helena tem vivido um relacionamento escondido por causa das nossas famílias, talvez seja por isso que eu tenha medo de contar para a Bia que eu gosto dela. 

Eu vivo junto com o meu irmão Vitor que e super gente boa e sempre que eu estou mal ele me aconselha. Meu outro irmão Alex e o completo oposto, ele sempre faz questão de dizer que os pais dele vivem brigando por minha culpa. 

Resumindo eu e ele vivemos em um pé de guerra, assim, como eu e minha Tia Paula esposa do meu pai. Meu pai Antônio nunca demostrou que gosta de mim, parece que realmente não se importa comigo. 

Um dia minha Tia Paula de chamou de mostro da família, meu pai viu tudo e não me defendeu em nenhum momento o que me deixa muito triste. 

Como sempre pela tarde quando eu chego da faculdade eu pego meu celular e mando mensagem para a Bia ( mesmo tenho que esconder o contato dela). 

Mensagem onl

Manuel: Princesa, como você está?? Chegou bem da escola? 

Um certo tempo eu comecei a chamar a Bia por princesa e logo ela depois ela passou me chamar de príncipe, esse foi o apelido carinhoso que nos escolhermos. 

Ela demora um pouco pra me responder o que e bem estranho. 

Bia: Príncipe, estou bem e você? 

Sabe quando você recebe uma mensagem de alguém e acha estranho o jeito que a mesma esta escrevendo? Pois bem isso acabou de acontecer comigo, não sei o porquê mais tenho a sensação que algum esta errado. 

Manuel: Estou bem, a Helena e o Vitor vão sair juntos hoje o que acha de nos encontramos? 

Novamente ela demora pra me responder. 

Bia: Manuel, hoje eu não vou poder o meu pai esta mal, alguém ligou pra ele hoje e nos ameaçou. 

Manuel: De novo? 

Ao mesmo tempo que eu conheci a Bia, também descobri que uma pessoa de fora vem tendo a qualquer custo fazer mal pra eles. Até hoje não conseguimos descobrir quem e. 

Bia: Sim, Príncipe eu estou bastante assustada com isso. 

Manuel: Tenho certeza que tudo irá dar certo, em breve essa pessoa vai estar atrás das grandes. 

Logo a mesma se despede de mim, como eu não tenho nada pra mim fazer eu resolvo sair pra dar uma volta. Porém, quando eu chego na porta da cozinha eu escutou meu pai falando alguma coisa com Paula e por um motivo que eu não entendo eu me escondi e fiquei escutando o que os mesmo conversavam. 

Paula: Eu quero esse garoto longe daqui, Antonio. 

Provavelmente esse garoto que ela está falando e eu, desde que eu cheguei aqui a mesma tem demostrando que não gosta de mim de maneira alguma. 

Antônio: E você quer que eu simplesmente entregue ele pro Julio e diga que eu não sou o pai de verdade dele. 

Isso não pode ser real, a pessoa que eu sempre acreditei que era meu pai na realidade não e nada meu. 

Quem e esse Julio? Será que e alguém pode me explicar que e ele? 

Sinceramente a essa altura eu não tenho cabeça para perguntar nada pra eles. A única coisa que eu consigo fazer e sair correndo daquela casa que eu sempre pensei que fosse minha. 

Passei anos sendo odiado e acreditando que meu pai era uma pessoa quando na realidade ele não era ninguém. Como eu vou saber quem está mentido pra mim, se durante muitos anos eu fui enganado como o que eu vou saber o que e verdade e o que e mentira. 

Correndo pela rua eu acabo sentido o alguma coisa batendo em mim e um nome vem na minha mente novamente Julio, depois disso simplesmente apago e não vejo mais nada. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...