História Romance vagabundo L.S - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Visualizações 7
Palavras 1.221
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Slash, Violência

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hii amores.... Mais um capítulo quentinho.. Avisoooo!! vai ter Narry.. haha.. Adoruuu..😎
Espero que estejam gostando, não deixem de votar e comentar.
Amo vocês 💙💚

Capítulo 2 - Capítulo 2


Depois de duas semanas, continuei voltando da faculdade de ônibus. Eu estava cursando Publicidade há pouco mais de um mês e estava me sentindo realizado.

     Niall estava falando sobre seu ex-namorado enquanto estávamos no intervalo. Ele estava no curso de Ciências Contábeis.

     - Aquele garoto está na minha sala. Ele é novo - disse Niall, começando outro assunto.

    Eu segui seu olhar e vi Harry sentado numa mesa mais à frente. Meu coração quase parou.

     Era dele mesmo que Niall estava falando? Desde quando Harry estudava aqui?

     - Quem? Aquele ali? - Eu apontei com o rosto.

     - É. Acho que o nome dele é Harry. Ele não é um gato? - Ele sorriu, olhando para o garoto novo.

     - Não pode ser - falei para mim mesmo em um sussurro.

     - O que foi? - Ele me perguntou, curioso.    

     - Foi ele quem me salvou aquele dia - respondi.

     - Não... - Niall deixou a palavra suspensa no ar.

     - É sério, Nialle. Foi ele - falei.

     Ele riu e disse:

     - Então vai lá falar com ele, seu louco. Está esperando o quê?

     - Sai fora. Eu não vou falar com ninguém - me recusei.

      - Por quê?

      - Porque não - respondi, sendo breve.

      - Se fosse eu nem tinha pensado duas vezes - Niall disse, voltando a olhar para Harry.     

[***]

     Na noite seguinte, fui no banheiro antes de entrar na sala de aula. Eu estava com dor de cabeça e joguei um pouco de água no rosto. Ao sair de lá, dei de cara com Harry. Ele me olhou por poucos instantes e continuou a andar.

     - Ei, dá para me esperar?! - Chamei, chegando ao lado dele.

     - Eu já falei que quero distância entre a gente. Ou será que você não entendeu?! - Sua voz mais uma vez soou ríspida.

      - Não. Não entendi. Qual é o problema? Por que eu não posso ficar perto de você? Você tem alguma namorada ciumenta, é isso? - Disparei, no mesmo tom.

     - Mesmo que eu tivesse, isso não é da sua conta. Me deixa, porra!

    - Ei, calma aí! Não precisa falar assim comigo. Eu não sou nenhum dos seus amiguinhos não - falei, indignado.

     - Você é um idiota, menino.

     Ele só podia estar brincando.

     - Ah, idiota, é?! - Não pensei duas vezes e rapidamente meti um tapa na cara dele. - Otário.

      Harry me puxou pelo braço e me imprensou na parede com brutalidade, segurando meus pulsos um a cada lado da minha cabeça.

     - Se você se atrever a fazer isso de novo, eu vou...

    - Vai o quê?! - Eu o interrompi. - Vai me bater, é isso?! Anda, me bate para você ver!

     Ele me olhou, furioso. Seus olhos verdes estavam ainda mais claros e seu rosto estava a poucos centímetros do meu. Pude sentir sua respiração na minha pele. Mas então, de repente, ele abaixou o olhar e soltou meus pulsos.

     Eu o empurrei e saí dali.

    Como eu estava com a cabeça cheia, acabei nem indo para aula.

.

  Saí da faculdade e fui direto para uma lanchonete, logo na esquina da rua. Tinha até alguns alunos por lá. Me sentei na mesa dos fundos e pedi um copo de suco de maracujá, eu precisava me acalmar e tirar aquele estúpido da minha mente. E para piorar, a dor de cabeça estava me matando.

    Fechei os olhos por uns instantes e quando os abri, tomei um baita susto. Harry estava sentado de frente para mim, me observando.

     - O que você está fazendo aqui? - Perguntei, exaltado.

     - Eu só vim pedir desculpas -ele estava calmo.

    Desculpas? Me poupe.

     - Eu não vou aceitar nenhuma desculpa sua, pode sumir da minha frente - falei, esperando que ele sentisse o peso das minhas palavras.

     - Como quiser - disse.

     Ele se levantou, pegou um guardanapo da mesa, tirou uma caneta do bolso, escreveu alguma coisa no papel, me entregou e por fim, disse:

     - Me liga para a gente conversar - e saiu tranquilamente com as mãos nos bolsos do jeans.

    - Idiota - murmurei.

    Peguei o guardanapo e o número dele estava ali. Eu podia muito bem jogar no lixo, mas isso não estava nos meus planos. Guardei o papel no bolso e tentei manter o foco em outras coisas. 

     Quando cheguei em casa, minha mãe estava na sala.

     - Louis, chegou cedo hoje.

     - É - dei um beijo em sua bochecha. - Resolvi sair mais cedo, estou com dor de cabeça.

    - Nossa, meu amor. Toma um comprimido, você vai melhorar -ela acariciou meu cabelo.

     - Já tomei, agora vou para o quarto deitar um pouco. Boa noite, mãe.

     - Boa noite querido.

     Me enfiei no quarto e tirei minha roupa na cama mesmo e, foi então, que eu lembrei do número de Harry. Me levantei, peguei o papel do bolso da calça e o deixei em cima da cômoda.

     - Vou pensar muito bem se ligo para você, cretino.

[***]

    Acordei bem melhor. Fiz todas as coisas que eu tinha de fazer e lembrei de ligar para Harry. Não sei o que me deu, mas alguma coisa me incomodava para eu ligar. Digitei seu número no celular e ele me atendeu no segundo toque.

     - Alô - disse aquela voz rouca e até sexy do outro lado da linha.

     - Oi, sou eu, Louis - falei.

    - Hum. O que foi? - Disse, com desinteresse.

    - Como assim o que foi? Você falou para ligar.

    - Ah, é mesmo. Acabei de lembrar.

    Mas que idiota.

    - Imbecil.

    Ele riu e disse:

    - Vou ficar te esperando hoje no bar perto da facul, beleza?

    - Ah, beleza. Me espere sentado, porque eu não vou aparecer - falei, irritado.

    - Eu sei que você vai, teimoso do jeito que você é - disse, convicto. - Te vejo lá às onze.

    - Eu n... - ele desligou o telefone na minha cara. - Maldito, imprestável! - Gritei.

     - Filho, está tudo bem aí? -Minha mãe gritou lá de baixo.

    - Está sim, mãe! - Respondi.

***                    

    Eu já estava na última aula que estava preste a acabar. Faltavam apenas três minutos. Assim que acabou, peguei minha bolsa e fui em direção à saída. Mandei uma mensagem para Niall, dizendo para ela não me esperar.

     Quando cheguei, o bar estava cheio, a maioria eram estudantes. Eu fui mais para a frente, próxima as mesas e o avistei.

   Harry estava jogando baralho com mais quatro caras e uma garota morena estava sentada em seu colo. Mas era um otário mesmo. Fui até ele e o chamei:

    - Ei!

    Ele e a garota em seu colo olharam para mim.

    - Espera um pouco aí - disse ele.

     Ah, claro.

    - Eu não vou esperar, ou você vem, ou eu vou embora - falei, começando a ficar irritado.

     - Harry, fica aqui comigo - a garota falou, acariciando o rosto dele e fazendo biquinho.

    De repente, Harry abriu as pernas e deixou a garota cair no chão. Meia dúzia de olhos pararam nos dois.
   
     Eu fiquei de boca aberta, aquilo era muita grosseiria. Com quem eu estava me metendo?

    - Vai ficar aí parado? - Ele perguntou, já ao meu lado.

     - Desculpa, mas eu vou voltar para casa - falei, saindo de perto dele.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...