História Rome In 365 Days - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Il Volo
Personagens Gianluca Ginoble, Ignazio Boschetto, Personagens Originais, Piero Barone
Tags Gianlucaginoble, Ignazioboschetto, Ilvolo, Pierobarone, Roma, Romance
Visualizações 9
Palavras 2.250
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Capítulo 3,pessoinhas!
Espero que gostem, talvez eu não atualize tao rápido essa fanfic,ainda não sei.

Capítulo 3 - Where's my phone?


Fanfic / Fanfiction Rome In 365 Days - Capítulo 3 - Where's my phone?

Capítulo 3

'Where's my phone?'

ALISSA'S Point Of View 

Roma é linda,sem sombra de dúvidas! Do pouco que caminhei,deixando o loft e me 'perdendo' um pouco durante o caminho pude ver os detalhes através das lentes de minha câmera,uma forma minha de montar meu álbum de recordações,a cada ano,costumo ter um álbum ou diário onde guardo lembranças,em minha defesa,faço isso para que num futuro não fique como a Allie de Diário de uma Paixão,esquecendo tudo a vida e tendo que ter alguém para ler meu diário para mim. Ok,talvez eu tenha exagerado mas sempre é bom ter lembranças ,seja por diário ou album de fotos,eu tomei café em um café muito bonitinho não tão distante do loft, fiquei confusa na escolha do café mas quis experimentar o famoso expresso e descobri que era forte mesmo,comi um pãozinho doce com nutella,quase infartei de tão bom que era,tirei fotos disso apenas para me lembrar que havia comido aquela maravilha em forma de pãozinho.

Segui explorando com minha câmera,algumas pessoas paravam e sorriam quando eu a erguia,outras abaixavam a cabeça timidamente,tirei fotos boas,andei mais para baixo e virei uma rua encontrando um aglomerado de gente,parei uns passos atrás e tirei uma foto. Eu queria que Kat estivesse aqui,ela é que é a melhor fotografa da família,era o que cursaria na universidade,me lembro de ter dito a ela que poderia muito bem estudar e ter Theo mas como ela havia dito,suas prioridades haviam mudado,me parte o coração ouvi-l-a falar isso,quer dizer,sua vida não vai acabar por causa do bebê,mulheres podem muito bem ter filhos e  continuar suas vidas,elas não vivem apenas para serem mães,é uma pena que minha irmã não pense dessa forma! Caminho passando pelo monte de gente,turistas de certo,era a Fontana Di Trevi, segurei minha bolsa na frente do corpo,uma reflexo de quem já andou pela Times Square lotada,me esquivo das pessoas para me aproximar da famosa fonte com um enorme Netuno.

-  Esta é a Fontana Di Trevi,é provavelmente  um crime vir a Roma e não a conhecer,é um dos pontos turísticos mais famosos assim como o Coliseu,diz a lenda que se jogar uma moeda por cima do ombro dentro da fonte,você voltara à Roma! - o guia turístico com um sotaque forte de algum lugar do mundo,não consegui identificar,diz em inglês ao grupo de turistas,todos tiram fotos de seus celulares,olho para a fonte e dou de ombros enfiando a mão dentro da minha bolsa procurando uma moeda,pego e me posiciono de costas para o monumento,olhando por cima do ombro apenas para confirmar que cairia dentro da água,fecho os olhos e atiro a moeda por cima do meu ombro direito.

Abro os olhos e me viro para a fonte olhando para a água cristalina,com várias moedinhas dentro,me pergunto se alguém rouba essas moedas todas,deve ter milhões de euros ali ou até mais,isso daria uma boa foto para o álbum,quem sabe eu voltaria á Roma,seguro a câmera e tiro a foto,com outras mais da estátua magnífica de Netuno,a água caindo,ficaram lindas. Me viro para olhá-las melhor pelo visor,ando desviando de algumas pessoas,saindo de perto do monumento,eu quase não percebi o quanto caminhei,estava encantada com cada detalhe da cidade e achando maravilhoso ouvir o idioma por todos os lados,quando comecei a estudar a língua,lá aos quinze anos de idade,por motivos de nada em particular,na verdade era por uma leve influência de  ser fa na música e adorar também atores,como por exemplo Roberto Benigni. Ando mais um pouco até sentir meu estômago reclamar de fome,não era para menos,já era quase onze horas.Hora de experimentar comida italiana de verdade!

Procuro um restaurante,coisa que não problema visto que aqui tem vários,o problema é escolher um,vou na fé e acabo entrando em um bem adorável com mesinhas do lado de fora,que foi onde me sentei,me sentia dentro do filme Comer,Rezar e Amar,se bem que o filme foi levemente,ou muito depende do ponto de vista,pela mídia italiana por mostrar esteriótipos daqui,faço meu pedido com calma escolhendo o mais clássico impossível,Spaghetti Al Pomodoro. Agora sim eu estava sendo a própria Julia Roberts,só que ao invés de estar aprendendo palavras novas,estou fotografando enquanto como,se minha mãe visse isso iria me dar o maior esporro. ''Não tire fotos ou leia na mesa,Alissa,a hora de comer é sagrada!" e com um prato desse é mesmo sagrada! Terminei de comer e é claro que recebi a visita do chef em minha mesa,fiquei surpresa por ele ser tão jovem.

- O que a senhorita achou,estava do seu agrado? - me pergunta assim que levanto para ir embora,sorrio ajeitando a câmera no pescoço.

- Estava maravilhoso,senhor chef,o melhor spaghetti que já comi! - ele sorriu,o sorriso até chegou aos seus olhos,acho que todo chef de cozinha é assim,adora quando as pessoas elogiam sua comida.- Com certeza irei voltar aqui.

- Sì,sÌ,claro,volte sempre,senhorita! - antes dele ir,eu o chamo mais uma vez.- Sì?

- Será que eu poderia tirar uma foto sua e do restaurante para o meu álbum de lembranças? - ele sorriu mais uma vez,assentiu e sugeriu para que tirássemos a foto dentro do local,ficaria mais bonito,o segui para dentro do lindo e adorável restaurante,tirei fotos dos garçons,tirei fotos das mesas e da cozinha com o chef segurando um dos pratos que havia feito.Lindo! - Ficaram ótimas,olhe só! 

Todos se aproximaram para olhar as fotos,achei graça disso.

- É uma ótima fotografa! 

- Não,o crédito é todos de vocês,são bem fotogênicos.Bem,obrigada mais uma vez e até uma outra vez! - me despedi de todos que surgiram na fotos,com beijinhos no rosto e risadas,que foram da minha parte,acenei e levei comigo um cartão de visitas  do restaurante,insistência do chef cujo o nome é Francesco. 

Andei por um longo tempo,tirei vários fotos e parei apenas para comprar outro cartão de memória para a câmera,ao lado de uma loja de discos,Cd's e posteres,parte de mim queria entrar ali e dar uma olhadinha,quem sabe eu não encontro os outros Cd's do grupo que Kat e eu curtimos? Agradeci a vendedora quando sai da loja de tecnológicos e entrei na loja de CD's,havia um grupo de meninas do lado esquerdo da loja e algumas pessoas olhando uma prateleira com vinis, procurei uma placa indicando que não podia tirar fotos,não a encontrei e apenas tirei algumas fotos,com o cartão de memória novo posto,claro. Havia discos de artistas internacionais ali,capas icônicas dos anos 50,60 e até 80,meu pai surtaria aqui!

Estico minha mão para pegar o disco do Sinatra,papai é colecionador e não tinha esse ainda,pelo o que me lembre,alguém o pega ao mesmo tempo que eu.Mas quê?!  

- Eu já peguei! - digo puxando para mim o disco,a pessoa puxa para ela.

- Eu vi primeiro! - puxa para ele,eu solto minha câmera,ao redor do pescoço e seguro o vinil puxando-o.

- Não viu nada,eu que vi! - rebato,ele segura com força o vinil o puxando-o.- Dá para soltar?

- Solta você,eu peguei primeiro! - Aquilo era sério? Eu puxo o vinil,ele era o único na prateleira.- Olha,por favor,esse vinil é para o meu avô! - ele suaviza o tom,olho para ele com ironicamente.

- Ah é, esse vinil é para o meu pai,ele é colecionador!

- Isso quer dizer que seu pai tem outros discos! - ele puxa com um pouco mais de força e eu dou dois passos para frente com isso,o olho incrédula e puxo o vinil com foça também,ele anda para frente um passo e esbarrar numa pilha de cassetes. Existia isso ainda?! O barulho das fitas caindo faz com que todos nos olhem,ele encolhe um pouco os ombros e abaixa levemente a cabeça.- Droga,olha o que você fez? - ele sussurra.

- Isso não aconteceria se me entrega-se o vinil.O que é aquilo? - aponto para o alto,ele se vira e eu puxo  vinil indo até o balcão.- Oi,eu gostaria de comprar esse vinil,por favor,quanto é? - falo rápido para o balconista,ele pega o vinil checando o preço.

- 25£ . - eu abro a bolsa tirando a carteira de dentro.

- Dou 30£ por ele! - o idiota de óculos escuros surge ao meu lado,o balconista o olha com as sobrancelhas arqueadas,ele pega a carteira do bolso.É sério mesmo?

- Não mesmo,eu dou 35£, olha aqui! - tiro o dinheiro da carteira,o senhor nos olha surpreso,coloca o vinil numa sacola e me estende,sorrio vencedora.

- Dou 50£ por ele,por favor,eu já procurei por dez lojas diferentes esse vinil e só o encontrei aqui,é um presente para o meu avô! - ele vai apelar mesmo para o avô? 

- Ah,mas eu peguei primeiro o vinil,meu pai é colecionador,ele não tem esse vinil,senhor,ele vai adorar ganhar de presente! 

- Ah,por favor,seu pai tem vários discos,esse será o primeiro do meu nonno. Vamos,senhor,por 50£! - vi nos olhos do balconista a tentação e lá se ia o vinil,sabe-se lá se esse avô existe e se irei encontrar outro desse. O idiota do otário de óculos sorri pegando a sacola. Grazie,signore! 

- A senhorita pode escolher outro? - o senhor sugeri,eu nego,batendo os pés pra fora da loja,mas que droga! 

Respiro fundo tentando deixar a irritação de lado e seguir com minha exploração,esse e apenas o primeiro dia oficial em Roma e já estou arrumando confusão numa loja de vinis?Por favor,Alissa,você é mais madura que isso!

- Ei,olha,desculpe mas o meu avô vai gostar e ...- ouço a voz do ridículo e me viro bruscamente.

- Sabe quem usa óculos escuros em lugares fechados? Cegos e gente idiota,duvido muito que seja cego já que pegou o disco da minha mão! - cruzo os braços,ele abre e fecha a boca por um tempo,além de estar de óculos escuros e palhaço usava boné,o sol nem estava tão forte pra usar aquela merda.

- Para que isso? Eu estava me desculpando.- diz,sua voz não me é estranha mas pouco me importa.- Qual é o seu nome?

- Não é da sua conta! - me afasto começando a andar,ignorando o que ele estava dizendo.

...

- E ai um idiota usando um boné escuro e óculos escuros pegou o vinil raríssimo que eu iria comprar para o papai! - cruzo minhas pernas enquanto coloco o macbook sobre elas,Katrina ri do outro lado da tela,até joga a cabeça para trás.Cheguei no loft faz uma hora,tomei banho e peguei o macbook para falar com Kat,tínhamos combinado de nos falar via chamada de vídeo que era melhor que ligação,ela me perguntou como foi meu dia e contei sobre o começo ótimo até o primeiro stress.

- Não precisava ter feito esse temporal todo,Alli,sabe bem que papai não ligaria de ficar sem o vinil.Como você é encrenqueira! - reviro os olhos ouvindo sua risada.- Ele era bonito pelo menos?

- Não vi direito a cara dele,estava com a porcaria do boné e com um óculos de sol enormes mas a voz dele não me era estranha,só não lembro onde a escutei antes.- digo me ajeitando no sofá,tinha tomado um  banho e lavado os cabelos,me vesti e fiquei com a toalha enrolada na cabeça,preguiça de secar os cabelos e de penteá-los.

- Tem um pessoal que tem vozes parecidas,acho que apenas se confundiu.Essa aí é sua sala? - assinto me levantando do sofá com o laptop nos braços.- Precisa de uma corzinha,hein!

-Sim,precisa,se estivéssemos juntas aqui a casa estaria como um arco-íris! - sorri,ela assentiu se ajeitando na poltrona.- E papai e mamãe?

- Mãe está no culto e pai está trabalhando.- assinto,ando até a cozinha,coloco o laptop no balcão e abro a geladeira pegando uma garrafa de água,meio que é a única coisa que tem ali,eu tinha sair para fazer compras amanhã,pego um copo no armário e o encho,coloco de volta a garrafa na geladeira.

- Você não foi com a mãe por...? - me sento numa das cadeiras bebendo um pouco d'água.

-Estava me sentindo enjoada e você sabe que o pessoal não me olha de um jeito ...muito legal,além de que a mãe dele está frequentando novamente lá e sei lá.- balanço a cabeça.

- Não pode deixar de frequentar a igreja por causa do babaca do James,Kat,e dane-se que a mãe dele está lá,você pode ir aos cultos como qualquer outra pessoa!

Minha família mantém uma relação particular com a igreja,minha mãe é devotada e ensinou suas filhas a frequentar uma vez por semana ou mais vezes a igreja,Katrina é mais apegada com isso do que eu,sou do time daquelas pessoas que acreditam que um lugar física não afeta minha fé,papai também pensa assim  e só frequentava porque mamãe se sente bem com isso.

- Eu sei mas não me sinto a vontade com gente me olhando e cochichando...- um barulho,Kat se vira e sorri.- A mãe chegou.MÃE,VEM CÁ!

Deixo o copo na pia,pego o macbook e volto para o sofá e espero minha mãe,logo ela surge na tela ao lado de Kat sorrindo.

- Alissa,minha filha,aí na Itália não tem sinal de celular,não? - franzo o cenho.- Eu liguei para você faz uma hora e nada de você atender!

- Não escutei ele,mãe,desculpe,andei pela cidade hoje! - após um leve esporro,leve mesmo,já que minha mãe já começou a fazer as mesmas perguntas que Kat ''Como foi seu dia? O que você fez?" Conversamos por volta de umas duas horas,não vi meu pai,ele trabalha sempre até tarde,me despedi quando comecei a sentir sono.Não escutei mesmo meu celular,então fui procurá-lo,deixo o macbook na escrivaninha e vou até a bolsa,vasculhando seu interior. Lá estava a minha carteira,as chaves,um chilete e até o cartão de memória da câmera mas meu celular,não estava lá!

Cadê meu celular?


Notas Finais


Baci


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...