1. Spirit Fanfics >
  2. Romeu e Julieta: Mundos Opostos >
  3. Dia 22

História Romeu e Julieta: Mundos Opostos - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Descrição das roupas porque na capa eu não consegui colocar.
Julieta: biquini amarelo tomara que caia amarelo com branco em volta e na parte superior alguns búzios. Após, usa uma calca jeans, tênis all star amarelo, um óculos de sol ( estilo, fazer o que ks ) e uma blusa escrita ´´ Little Things ´´.
Romeu: para a praia, um short azul marinho. A noite, um short cinza, tênis preto e blusa vermelha.

Capítulo 12 - Dia 22


Fanfic / Fanfiction Romeu e Julieta: Mundos Opostos - Capítulo 12 - Dia 22

 

´´ A vida imita o vídeo
Garotos inventam um novo inglês
Vivendo num país sedento
Um momento de embriaguez, nós

Somos quem podemos ser
Sonhos que podemos ter ´´

Julieta acaba de cantar a musica e tocar enquanto ele estava a olhando tão intensamente. Depois de ontem, as coisas só melhoraram entre ambos. Ficaram a noite inteira juntos e se divertindo com os  amigos, ele não pode  levar ela para casa pois já estava tarde e também porque o Paulinho a levou para que meus pais não soubessem de nada.

Isso não impediu deles ficarem na praia em um barco em uma distancia acessível da terra vista. Ela gosta de privacidade, acredita que Romeu também.

-Eu amo quando você canta. –abro um largo sorriso e puxo sua nuca para que nos beijasse novamente.

-Você é muito bobo quando fala isso. –rimos com nossos rostos próximos. –Gostei do barco.

-Sabia que iria gostar da minha ideia. Principalmente para aproveitar esses últimos dias de férias. –a deixou em seu peito enquanto brincava com o seu cabelo.

Daqui a dois dias o menino vai embora. E o que vai acontecer... bom, as suas aulas vão voltar algumas semanas depois, vai continuar falando com os meus amigos, seus pais... isso não vem ao caso. Agora eles, tipo, existia um ´´ eles ´´? Não sei se ela pode considerar o Romeu, seu ficante? Isso soa estranho, seu namorado ? Não, isso soa confuso.

-O que houve? –perguntou curioso achando estranho.

-Nossa, só agora que eu reparei que você vai ir embora daqui a alguns dias. –tentou disfarçar humorada. –Vai sentir falta daqui novaiorquino?

-Por incrível que pareça, vou sentir muita falta. –suspirou. –Desse mar que aprendi a amar, do pessoal e até dessas roupas. E claro, vou sentir sua falta. –beijou sua bochecha.

A menina não agüentou o clima estranho que ficou entre os dois e logo perguntou, se ajeitou saindo de perto dele e ficando frente a frente sentada no barco.

-E nós dois? Como vai ficar? –perguntou direta. O garoto demorou para responder a pergunta, estava perplexo.

-Eu não sei, Julieta. –abaixou o olhar. –Eu gosto de você, de verdade. È estranho e boa essa sensação de estar apaixonado. Só que... eu não sei, vamos estar bem longe um do outro.

-A gente pode manter contato, isso não impede nada. –disse de repente. –Eu posso usar meu celular que na maioria das vezes nem uso, mas eu usaria para a gente continuar se falando. Não tenho medo do que pode acontecer.

-Gosto da sua confiança. Uma das coisas que eu mais admiro em você. –acariciou suas bochechas. –Olha, sabemos que somos muito diferentes, e nossos pais são como dois times de futebol arqui inimigos.

Bom, as suas explicações já fez a jovem entender. Sua confiança e saber que pode enfrentar as coisas é totalmente diferente da de Romeu, uma diferença gritante. Estava percebendo isso depois que lembrou de todos esses dias.

-Você sempre coloca isso como se fosse um empecilho. Os nossos pais, as nossas diferenças, TUDO!

-Eu não coloco empecilho nenhum, eu apenas sei o que pode acontecer. As coisas não são como você quer e muito menos da sua imaginação de que tudo vai ser um final feliz.

Tá vendo só? Já começaram uma briguinha.

Desistindo daquele papo, sabendo que não iria finalizar e nada bom, saíram do barco, guardaram ele e foram andar de bicicleta até uma sorveteria perto.

Com o tempo, começaram a se soltar e fizeram as pazes que terminou em muita risada e piadas sem graça.

....

Romeu e Julieta descobriram uma costume que começaram a compartilhar juntos: a música. Claro, seus gostos musicais são super opostos, ela curte musicas mais calmas, acústicas e dançantes. Ele gosta mais de eletrônica, algo que faz seus pés criarem novos passos e não deixa de escutar clássicos do rock.

Nem por isso deixa se divertirem. Cada vez que uma musica acaba, coloca outra do gosto do outro/outra e ficam curtindo a companhia um do outro. As vezes ela encosta a cabeça em seu ombro quase dormindo com o seu abraço ou ele gosta de quanto ela faz carinho em seus cabelos ralos.

-Sabe, acho que Elvis Presley está virando nosso novo vicio. –ele fala humorado.

-Também acho. Uma coisa que temos em comum. –da um selinho no menino ambos rindo. –O que acha de convidarmos o pessoal para comermos algo de noite? Faz tempo que não fazemos isso.

-Gostei da ideia. Eu e o Kai estávamos pensando nisso também. Hoje não teria problema, é melhor chamar toda a galera.

-Até quem não gostamos, acho que vais e divertido. –a menina diz enquanto mandava uma mensagem para o grupo dos amigos.

De longe, uma pessoa estava comprando sorvete e vê o casal namorando. Não estava acreditando naquela cena e principalmente, ficou decepcionado pois a garota não ouviu o seu conselho. Enquanto avistou que o garoto saiu, provavelmente para ir ao banheiro, aproveitou o momento distraído da prima e foi ao seu encontro.

-Olá, prima. –falou e de repente, Julieta toma um susto com a surpresa de ver seu primo na sua frente.

-Matias? Você por aqui? –perguntou. –Não esperava você por aqui.

-Idem. Nem com o Montéquio. Imagino que sejam namorados. –ela se surpreendeu com a frase direta do primo e seu cérebro ´´ gelou ´´ por causa do sorvete.

-O quê? Você nos viu, nem vou perguntar isso. –falou. –Não somos namorados, apenas estamos juntos. Sei que vamos continuar assim após ele voltar a Nova York. –fala para ele, mas sentia que suas palavras não tinham confiança.

-Infelizmente, você não ouviu as minhas palavras. Sabemos que não vai acontecer isso, as nossa famílias não são amigas e nem vão aceitar isso, ele é um playboy que só pensa em si mesmo e depois que for embora, nem vai mais se lembrar de você.

-Não diz mentira, porque eu sei que não é verdade. Matias, você ta sendo bem desnecessário nesse momento. Olha, eu e o Romeu estamos muito bem e nem você, nem a nossa família e nem nossas diferenças vão nos deixar. Deve cuidar mais da sua vida. –altera sua voz querendo chorar.

-Tudo bem Julieta, se quer se iludir sabendo o que pode acontecer, vá! Se ilude e depois não sai por aí dizendo que todos estavam certos chorando porque é isso que você só faz, fala o que quer, escuta o que não quer e faz o que bem entende depois.

Os dois se olharam fixamente querendo que isso acabasse. No fundo, a menina sabia que ele estava certo. Não podia alimentar falsas esperanças em um cara e uma vida totalmente para que dê certo, o que tem 1% de chance para dar certo. Não queria admitir.

Matias sai da mesa onde estava e segue com o olhar até ele sair da sorveteria. Tentou tira essa conversa de lado e Romeu chega na hora.

-Tudo bem? Parece tensa.

-Ah? Não, Romeu. Ta tudo bem comigo. –diz sorrindo. –Que tal Tutti frutti ? –perguntou sobre a musica de Presley.

-Gosto dessa. Você poderia me ensinar a tocar.

-Seu abusado! Talvez até amanhã você saiba de cor.

Logo, apagaram os sorvetes e saíram andando de bicicleta.

(....)

Na casa dos Montéquios, Romeu e Kai estavam jogando vôlei de praia com as aulas do seu professor-amigo. Esporte nunca foi o seu forte. Daqui a 10 minutos iriam sair para encontrar os amigos na lanchonete. O moreno estava rindo pois tinha marcado oito pontos na área adversária do protagonista.

-Vampiro, você tem que treinar mais. Tá difícil a situação. –falou humorado.

-Vai se catar, seu charlatão. –Romeu levou na brincadeira.

-Como foi com a Ju hoje? – perguntou fazendo sinal de tempo e tomando água.

Ele saiu da área e se sentou com o amigo na areia. O amigo respondeu com um sorriso lindo.

-Foi... não sei explicar como foi, sabe. Estar com ela é tão imprevisível e tão bom. -confessou

-Quem diria, o galã de NY apaixonado pela garota do Havaí. –deu um soquinho em sue ombro. –Só espero que essa história termine bem.

-Eu também espero.

Por mais que doa em seu peito, Romeu sabia que provavelmente não iria mais ao Havaí, que seus pais nunca aprovaria, um relacionamento que em qualquer momento, pode machucá-los.

Diferente da menina, uma semana antes já estava com esse receio de prolongar esse sentimento, tentou de todas as formas dar um basta, mas sempre a magoava e se sentia horrível por saber o que falou. Ele não quer que ela crie falsas esperanças , sabe que ela tem aquela imagem de que ele é um cara super perfeito e esse relacionamento pode atravessar muitas barreiras. Romeu não acreditava em nada disso.

-Vamos jogar mais um pouco, dessa vez eu que ganho de lavada! –afirma Romeu.

-Só quero ver!

Os garotos, assim, continuaram jogando e finalmente, Romeu fez três pontos para sua felicidade e o orgulho de Kai.

...

Chegando na lanchonete, eles cumprimentaram os garotos e garotas da banda que foram convidados. As meninas não tinham chegando e faltou algumas pessoas para preencher aquela mesa grande.

-Aloha!! –o pessoal que faltava falam juntos.

´´ Ayla, os integrantes da banda Lana e Lali estavam vindo também e... Julieta e Will? ´´ o garoto pensou enciumado. Caros leitores, esse é um defeito bem complicado de Romeu: o ciúme.

-O que o Will está fazendo aqui? –pergunta frio.

O clima ficou tenso. Todos já estavam sentados na mesa conversando e a pergunta feita de uma maneira direta e desconfortável surpreende todo mundo.

-Eu também faço parte da galera, até onde sei. –Will diz quebrando o silencio.

-Não me falaram que você iria vir. –ele diz olhando diretamente para Will e Julieta que estava um do lado do outro.

-Romeu, o que deu em você? –Julieta diz não entendendo nada. –Vamos comer logo, não temos o dia todo.

-Concordo. –o loiro bufa pelo nariz ao ver o garoto concordando com a sua garota.

Enfim, todos estavam conversando em paz e parece que todos se esqueceram o que hoje a alguns minutos atrás. Na mesa, tinha muito hambúrguer, refrigerante, sucos e batata frita. Cada um tinha o seu grupinho, mas isso não impediu de todos se comunicarem.

O ´´ príncipe ´´ percebeu a proximidade entre Julieta e Will. No inícios, os dois garotos se davam bem até o dia da festa de trabalho.

 

´ FLASHBACK ON ´

Logo, uma terceira pessoa foi ao encontro dele já ouvindo a conversa, mas nenhum dos dois tinha percebido.

-Vocês se beijaram mesmo? –os dois se viraram e deram de cara com Will. –Eu falei que gostava dela e você estava mentindo para mim o tempo todo. –ele disse para Romeu fuzilando com o olhar.

-Espera, gostar? –Julieta já não estava entendendo mais nada.

-Em primeiro lugar, quem chamou você na conversa mesmo? –o garoto rebate. –Você não tem nada haver com isso.

As coisas só pioravam. Os garotos já começavam a discutir  e as pessoas já começavam a olhar com freqüência querendo saber da discussão.

´ FLASHBACK OFF ´

Claro que depois daquele dia, ele tentou se explicar, só que conseguiu ganhar um belo empurrão do garoto, fazendo nunca mais se verem. Quando se encontram, um dos dois estão indo embora.

Julieta não é a verdadeira razão de seus desentendimentos, na verdade ele já não gostava muito de Will, achava super egocêntrico e fazia de tudo para se aproximar das pessoas com benefícios. Ele mesmo passou por isso quando o garoto queria ser seu amigo, mas as vezes ficava querendo tirar vantagem da sua história para magoar a menina e isso ele não tinha deixado, era super imbecil. Não é a toa que é intimo dos Capuletos.

Ambos estavam conversando bastante do outro lado da mesa um pouco longe de Romeu.

-Bro, você ta parecendo um perseguidor nesse exato momento.

-Me deixa! –fala bravo.

-Romeu, o Kai ta certo. Que ciúme idiota foi esse? Eles são amigos, você não pode privar ela de conversar com eles. –fala Ayla e Romeu logo se reprime com essa voz mandona dela mesmo falando mais baixo. –Então fica quieto e depois vocês se falam.

-Você sabe que no fundo ele quer te provocar, não sabe? –ele concorda com o amigo.

´´ Ciúmes nunca leva a nada! Ciúmes nunca ceva a nada! ´´ repetia para si mesmo.

Depois de tudo isso, finalmente todos acabam de comer. Aos poucos cada um vai indo embora, alguns voltam de carro com os seus pais, outros vão com os amigos e também saem com os seus carros já sabendo dirigir.

Poucas pessoas ficaram, menos de meia dúzia. Ele viu uma silhueta e reconhecer os seus cabelos e a roupa que estava vestindo. Foi chegando perto aos poucos.

-Espero não estar atrapalhando. –falou e fez ela saltar de susto.

-Romeu, você aqui. –sorriu fazendo a cara de mau humorado do garoto se desfazer e virar um meio sorriso. –Nem conseguimos nos falar direito.

-È, eu percebi que você estava muito ocupada com o seu ´´ amiguinho ´´.

Julieta franziu a testa tentando entender aquele humor tão ´´ alto astral ´´ do Romeu.

-Sim, eu estava falando com o meu ´´ amiguinho ´´. Algum problema com isso?

-De jeito nenhum. Pode continuar com aquela sua super conversa. Talvez até se esqueça de mim mesmo, depois que eu for embora. –disse ríspido.

-Você está com ciúmes? –fez a pergunta para ambos, estava surpresa por ver esse lado ciumento dela. –Você está com ciúmes!

-Eu não tenho ciúmes de ninguém, muito menos de você. Olha, se quer continuar falando com aquele idiota, pode continuar falando! –se ele fosse um emoji, seria aquele que tem os ouvidos cheio de fumaça.

-Primeiro, o Will sempre foi o meu amigo e eu não vou deixar de falar com ele, porque deve ser essa a sua vontade. Eu deixei bem claro que eu não gostava del....

-Mas não tenho duvidas de que ele tentou se aproveitar disso para tentar te agarrar. E você com certeza.... –agora quem está brava era ela.

-Não aceitei! Olha só Romeu, abaixa a sua raiva que  essa coisa de ciúme barato não cai pra mim. –imediatamente, ele tomou um choque ao ouvir as palavras e o jeito de serem ditas para o mesmo. Julieta geralmente é tão calma e isso o assustou. –Eu posso falar com quem eu quiser, são meus amigos e eu não me privo disso. Ah, e eu fui bem clara quando disse ao Will que não gostava dele, que existia outra pessoa.

Por 15 segundos, o garoto ficou quieto sem dizer nada. Um lado de sua cabeça estava com aquele ciúme e ou outro lado, estava arrependido de ter falado aquelas coisas.

-Que droga! –coçou a cabeça de nervoso. –OK, eu fui super ciumento. Um ciumento babaca, não devia ter dito isso. Eu não agüento quando eu vejo esse Mané te olhando, te abraçando e ainda...

-Qual é a parte que você não entendeu que eu gosto de VOCÊ? –apontou seu dedo indicador no seu ombro. –Não gosto quando a gente briga, fica chato principalmente agora.

Ele suspira pesado e olha aqueles olhos castanhos intensos.

-Desculpa. –fala. –Na próxima vez eu vou controlar meu ciúme.

-Tudo bem. Aceito seu pedido. –diz sorrindo de lado. –Agora se me permite...

Ele não tinha entendido até ela levar sua mão direita ao seu rosto e se beijarem, com certeza era o melhor jeito de se reconciliar. Se abraçam com força como se não existisse amanhã.

De longe, Romeu percebeu que Will estava fuzilando eles com os olhos. Suspiros e continuou fazendo carinho no cabelo da menina, então cortando um dialogo com o olhar, eles saíram.

...

Chegando na casa dos Capuletos, o casal se despede com vários beijos e também com aquela promessa de dedinho, onde Romeu fala de novo que não tomar cuidado para não ser tão ciumento. Ele odeia esse juramento, mas com Julieta fica tudo mais fácil. Ela entra em casa e quando o garoto começa a caminhar...

-A gente precisa conversar!

Se assustou ouvindo essa voz. Logo se lembrou se quem era.

-Oi, Paulinho. –disse aliviado. –O que foi?

-A gente precisa conversar! Eu quero conversar com você.

-... Tudo bem. –respondeu engolindo seco.

Ambos foram cainhar e pararam em um banco de alguma praça.

-Você sabe que eu gosto muito da Julieta, não é? –o garoto concorda esperando o pior. –Ela é como a minha filha, só que sem a parte das fraudas trocadas e dos choros. Tirando isso, eu sei tudo o que se passa com ela só de olhar seu rosto. –até aquele humor do empregado foi embora.

-Ela gosta muito de você, de verdade. E eu não quero que saia machucada, eu já tentei falar sobre isso com os Capuletos e eles nem deixaram eu terminar a frase. –Romeu concordou, só de imaginar já dava calafrios. –Não quero que nenhum dos dois se machuquem, se vocês cortarem o mal pela raiz seria como tirar um peso de culpa nas costas..

-Não! –Romeu protesta negando sabendo o que viria depois. –Eu sei que é o melhor, mas eu não consigo Paulinho. Eu amo a Julieta! Não consigo fazer , me sinto péssimo se um de nós decidirmos fazer isso. Eu só queria que nada de ´´ duelo entre famílias ´´ acontecesse, que desde pequenos nunca perdêssemos o contato.

A partir disso, o ambiente ficou intenso e super estranho. Nenhum dos dois falou nada. Romeu ficou surpreso por ter percebido que falou que ama Julieta. Isso não o deixou com medo, pelo contrário, o deixou muito seguro do que quer.

Bom caro leitor, os próximos dias irão te surpreender muito. 

 

´´ No sé si pueda perdonar

No sé si deba regresar

Para perderte una vez más

Será que al fin me ames de verdad? ´´

´´Não sei se posso perdoar

Não sei se devo regressar

para te perder mais uma vez

Será que ao fim me amas de verdade.´´


Notas Finais


´´Duvida da luz dos astros
De que o sol tenha calor
Duvida até da verdade
Mas confia em meu amor ´´
William Shakespeare


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...