1. Spirit Fanfics >
  2. Romione - Uma Historia de Amor >
  3. Pétalas ao Chão

História Romione - Uma Historia de Amor - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


Olá queridas leitoras!

Criei uma conta no Instagram para poder divulgar minhas histórias, fics, poesias e livros.

Quem puder me seguir @lindaluafanfics

E vamos a mais um capítulo.

Apaixonem-se!

Capítulo 19 - Pétalas ao Chão


Fanfic / Fanfiction Romione - Uma Historia de Amor - Capítulo 19 - Pétalas ao Chão

O que fazer quando se acredita que o homem que ama traiu seu coração? Como ficar lúcida o suficiente para entender tudo que se passou usando a razão no lugar dos sentimentos feridos? No que se deve acreditar: em palavras ou em uma imagem que vale mais que milhares delas? E no final das contas, existe um antídoto para fazer cessar a dor causada por uma grande paixão?

Hermione entrou em seu apartamento carregando consigo toda a sua frustração e tristeza, Luna vinha logo atrás falando para a amiga algo que tentasse consola-la sem nenhum sucesso. A morena sentia-se sem chão, seca, sem vida e uma sensação de abandono sufocava sua alma com mãos grandes e frias. Fora enganada... Harry passou a vida inteira aconselhando a nunca dar credito as frases doces que um homem com fama de conquistador lhe sussurrava ao ouvido e fizera justamente ao contrário. Deixou-se sonhar com a fidelidade de Rony, com seus beijos, com o toque de suas mãos, o calor do corpo musculoso e, agora, estava pagando com a pior das dores por ter sido uma tola apaixonada que deu tudo de si.

Passou direto para o seu quarto e a primeira imagem que viu foram às rosas que o ruivo lhe dera depois da apresentação do recital. Já se passaram dois dias, mas as flores continuavam lindas e os botões tinham desabrochado. Tentando desesperadamente descontar a dor que lhe afligia, Hermione pegou uma rosa e puxou com todas as forças as pétalas amassando-as com as mãos. Da porta, Luna apenas observava sem saber o que fazer. Jogou o que restou da pobre flor no chão e começou a fazer isso com as demais, uma por uma. A ira era tão forte que a fazia arremessar as rosas como se esse gesto a livrasse do sofrimento, arrancando toda a decepção que latejava em seu peito, gritando tudo que a sufocava como se Rony estivesse presente para ouvir. Algumas das flores ainda continham espinhos, mas a morena ignorou as feridas físicas, o que mais machucava estava em sua alma.

Despertada com os berros de Hermione, Cho se uniu a Luna na porta, desesperada, sem saber o motivo do descontrole daquela garota sempre sensata, tranquila e dócil.

– O que está acontecendo com ela? - Perguntou Cho abismada.

– Decepção amorosa! - respondeu Luna em poucas palavras.

– O que vamos fazer?

– Nada. Temos que deixar a raiva passar. Depois ela vai começar a chorar feito uma criança desamparada, aí sim, vamos poder ajuda-la com nossos ombros de amigas.

A tortura as rosas continuou. Como um ritual, a morena arrancava as pétalas e amassava, jogando no chão para em seguida quebrar seus talos que teriam o mesmo destino.

– Vou tirar você do meu coração, Ronald Weasley, seu desgraçado! Maldito! - berrava Hermione.

Quando as flores acabaram ele pegou o vaso de vidro transparente que comportava o ramo e arremessou com todas as forças que lhe restavam na parede fazendo centenas de cacos se espalharem pelo quatro para em seguida se sentar em sua cama e se desmanchar em prantos.

Luna olhou para Cho como quem dissesse: “Agora e nossa hora de entrar em cena!”. E foi o que fizeram: a loira se pós ao lado da amiga segurando suas mãos, a oriental pegou um vassoura e silenciosamente e começou a limpar cacos de vidros, pétalas e folhas...

*************************************

Ficou algum tempo sentado no hall da entrada do prédio tentando digerir tudo que aconteceu há poucos minutos. Nunca tinha se importado com os sentimentos de mulher nenhuma até o dia em que conheceu Hermione na biblioteca da faculdade. Já passou pelo constrangimento de estar com duas garotas ao mesmo tempo e sair com uma para dar de cara com a outra. Sempre alguma saia chorando, mas ele não se importava com isso.

E por ironia do destino, a única garota que lhe despertara amor tinha ido embora por um motivo aparentemente desesperador: achou que ele estava com outra, que a enganara como sempre fez com suas amantes e não achava uma forma de explicar que com ela tudo era diferente. Sempre vira Draco sofrer por Gina ou Neville desesperado depois de brigar com Luna e chegava a ri de ambos. Achava que os amigos eram dois tolos que não conheciam nada da vida e agora estava arrependido desse pensamento. Era ele quem não compreendia sobre a vida e nem tinha amadurecido quando o assunto era amor.

O mundo dá voltas. E agora estava naquela mesma situação dos companheiros.

Hermione foi a melhor coisa que lhe aconteceu. A jovem despertou-lhe a essência verdadeira sobre simples fatos, sobre toques, sobre companheirismo, sobre desejo, e o mais notável, sobre o amor incondicional. Ele não poderia perdê-la, não via futuro sem ela.

Lembrou-se de Lilá... A loira ainda deveria estar em seu apartamento. Iria tirar satisfações e que Deus tivesse piedade dela porque Rony queria matá-la. Subiu pelas escadas rapidamente e ao entrar viu a garota já vestida e Neville sentado em outro ponto como se estivesse pastorando-a para que não fosse embora entes de falar com ele. Ao notar sua presença o amigo deixou a sala em direção ao quarto.

– Teve noção da confusão que me arrumou, sua desmiolada? Me dê apenas uma razão para que não arranque seus cabelos.

– Se fizer isso vai preso pela lei Maria da Penha! - respondeu a loira debochada.

– Não faça piada, Lilá! Como você entrou no apartamento? - estava nervoso e bravo.

– Usei a chave reserva.Aquela que vocês escondem no vasinho de planta. Vim porque estava com saudades das nossas “brincadeirinhas” ...

– Você arruinou a minha vida!

– Ora, Ronald, não tive culpa de tentar fazer uma surpresa pra você e dar de cara com uma de suas garotinhas mimadas. Na verdade, mimada e muito invocada pro meu gosto.

– Hermione não é uma de minhas garotinhas. É minha namorada! - disse mais sério do que nunca.

Lilá começou a gargalhar como se estivesse louca. O ruivo ficou vermelho de raiva.

– É piada, não é? - continuou rindo – O Rony que eu conheço não se prenderia a ninguém.

– Não sou mais quem imagina. Eu... Eu gosto muito dela e estávamos bem até você decidir aparecer, entrar na minha casa e deitar nua na minha cama. Hermione jamais vai acreditar em mim, está achando que temos um caso.

– E não temos? - ironizou ela.

– Não depois que comecei a namora-la. Agora me diga como vou explicar essa situação? Se não fosse pelo seu atrevimento e sua cara de pau....

– Vai começar a me ofender agora? - retrucou Lilá no mesmo tom – Por que não me ligou pra avisar? Fizemos um acordo de sempre satisfazer um ao outro até encontrarmos parceiros compatíveis. Não tenho bola de cristal para adivinhar que tinha se amarrado a alguém. Não venha me culpa, posso ter errado, mas não o fiz sozinha!

– Diga-me como explicarei a ela? Hermione já é cismada com essa minha fama de mulherengo e depois de tudo isso que aconteceu nunca mais vai olhar na minha cara. Tudo por culpa dessa sua estupida ideia!

– Mas se fosse a algum tempo atrás você teria adorado – falou a loira cinicamente.

– Droga, Lilá! Quer, por favor, levar o assunto a sério! Quando conheci Hermione não tinha outras intenções se não fosse curtir e depois cair fora. Só que acabei me apaixonando por ela de uma forma assustadora, pareço um cachorrinho obediente Só penso nela, não vejo mulher nenhuma com os mesmos olhos... Se fosse antes não estava nem aí, relaxaria e deixava que novas garotas viessem até mim. O que sinto é muito novo...

A jovem começou a entender que realmente a paixão do amante parecia real.

– Tentou falar com ela?

– Sim, mas não quis me ouvir...

– Sinto muito, mas eu no lugar dela teria agido da mesma maneira... - pensou um pouco antes de falar, a imagem do Rony safado e mulherengo tinha sumido da face dele – Nunca gostei de ninguém e confesso que estou sentindo inveja de você, queria eu ter encontrado um par perfeito, mas não tive sorte... Se gosta mesmo da garota, acho que ainda é tempo de correr e corrigir o prejuízo, ela vai entender, uma mulher apaixonada sempre entende. Só não espere que seja fácil, não será!

– Praticamente impossível...

– Não apareci de propósito pra estragar seu namoro. Bem sabe, que só me envolvo com solteiros.

– Sim, eu sei... - respondeu ele.

– Tenho que ir, caso precise de mim para explicar o que aconteceu é só me ligar - antes de sai ela virou-se novamente para ele e sorriu – Quando ficar solteiro novamente me avise. Adoro seu corpinho!

Rony apenas deu um sorriso triste.

– Sinto muito! - foi a última coisa que disse antes de ir embora.

*******************************

A noite fora um verdadeiro inferno para o ruivo. Não conseguiu pregar os olhos sequer por um minuto, pensara em Hermione e em como deveria estar sofrendo com o que viu e com as conclusões erradas que teve. Precisava falar com ela, explicar, tê-la novamente consigo...

O celular dela estava desligado.

Teve a ideia de pedir ajuda a Harry e Gina, mas iria acabar com a lua de mel do casal...

Ligou para seu chefe alegando que teria que resolver um problema pessoal. Foi direto até a faculdade para tentar falar com ela. Um dos amigos disse que Hermione não tinha ido para a aula, avisou que estava doente.

Correu em direção ao prédio onde ela morava. O porteiro não a deixou entrar, na certa tinha tido ordens para isso, já que o trabalhador o conhecia, e disse que aguardasse.

Nervoso, seu coração bombardeava dentro do peito. As palavras estavam sumindo de sua mente. Como convencer que a amava mais do que qualquer coisa no mundo? Para a sua decepção, não foi Hermione quem apareceu, e sim, Cho.

– O que quer aqui, Rony? - perguntou emburrada.

– Preciso falar com a Mione... - disse humilde.

– Esqueça, ela não quer falar com você e acho melhor ir embora. Já fez minha amiga sofrer demais.

– Cho, foi um mal-entendido! Deixe-me explicar a ela.

– Só nos seus sonhos! Tem noção de como Hermione está sofrendo por sua culpa? Você é um cretino insensível e já vi muitas meninas chorarem por sua causa. Agora, minha amiga, não merecia isso. Pisou nela como se fosse uma qualquer.

– Eu gosto de Hermione, não queria machuca-la. Me dê a chance de explicar – estava quase ajoelhado aos pés da oriental.

– Pra quê? Para mentir de novo, iludi-la e depois partir seu coração? Não vamos permitir que ria dela pelas costas. E ouça bem, se soubermos que se aproximou dela novamente ou a fez chorar é um homem morto!

Encerrou a conversa deixando o ruivo para trás, sozinho, angustiado em seus pensamentos...


Notas Finais


Não percam o prox. capítulo!

Vcs vão passar a amar a Lilá. tenho certeza!!!

Beijos no coração!

LindaLua


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...