1. Spirit Fanfics >
  2. Ron e Mione ( Songfic Eduardo e Mônica) >
  3. Compreensão e paixão

História Ron e Mione ( Songfic Eduardo e Mônica) - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Voltei amores! Saudade de escrever pra vocês!
Espero que gostem
Boa leitura!

Capítulo 11 - Compreensão e paixão


R&M cap 11- Compreensão e paixão

Mione acordou com o telefone tocando aquela manhã de sábado.

Sonolenta, procurou o telefone na mesinha de cabeceira, e atendeu. Era a mãe. 

— Bom dia mãe, tudo bem? 

— Bom dia querida! Vozinha de sono, te acordei? 

— Uhum. 

— Não é típico da senhora estar dormindo até mais de 9h… 

— Estudei até tarde ontem. Tá perto do final do período, aí você sabe…

— Sei. Vai sair com o namorado hoje?

— Não. 

A mãe de Mione desconfiou do tom de voz da filha. 

— Tá tudo bem com vocês dois? 

— Não sei. 

— Hermione, converse com sua mãe. O que aconteceu? 

Mione sentiu os olhos arderem e um nó apertar a garganta. Mas respirou fundo antes de responder. 

— Ah, mãe, ele foi muito grosso comigo ontem. Liguei pra ele desabafando, contando a ele da confusão que tive que resolver na faculdade, com todos querendo mudar data de prova, e ele me disse que não tinha tempo de me consolar, que tinha mais o que fazer. Fiquei muito chateada. 

— Humm, e sabe se tem algo deixando ele estressado? 

— Ah, tem uai. A prova dele é esse domingo, ou seja, amanhã. 

— Então, meu amor. Dá um desconto a ele. Ele vai te procurar e pedir desculpas. Ele só está cansado e nervoso. Esse é o momento de você demonstrar apoio, mesmo que esteja magoada.

— Eu sei mãe. É que não é só isso. A gente quase não se vê mais, e acabamos de começar a namorar. Parece um namoro a distância, mesmo a gente estando na mesma cidade… por sorte uns dias atrás resolvemos dar uma pausa nos estudos e sair um pouco. 

— Hermione, você também não saia de casa nem pra respirar quando fazia o cursinho. Se você namorasse naquela época ia dar atenção pro namorado ou continuar estudando feito maluca? 

Mione riu e suspirou fundo. 

— Eu sei, mãe. Você tem razão. Mas acha que eu devo procurar ele? Ou esperar ele me falar alguma coisa? 

— Bem, orgulho não ajuda em nada, mocinha. Se você acha que deve desculpas a ele por ter ligado pra ele quando estava ocupado e cobrando uma atenção que você sabia que ele não podia te dar, peça desculpas. Mas acho que antes disso ele deve te procurar, ele parece ser um bom rapaz pelo pouco que sei dele… 

— Tá bem mãe.

Mione enxugou uma lágrima teimosa que descia pela bochecha. Quanta saudade sentia da mãe… 

— Tô com saudade… 

— Eu também, querida. Daqui a pouco seu semestre acaba e vem pra casa. 

Mione sorriu. 

— Quero aquele cuscuz que só você faz…

— Tá bom meu amor. Tchau

— Tchau, te amo. 

Mione desligou, e seu coração disparou ao perceber mensagens de Ronald no telefone. 

Ron(9:00)- Oi

Ron(9:00)- Sei que fui um idiota ontem. 

Ron(9:00)- Tô muito nervoso com tudo que tá acontecendo. Essa prova amanhã...

Ron(9:01)- E ainda tem essa visita na produtora de games na segunda 

Ron(9:02)- tenho medo de fazer ou dizer algo errado e acharem que não tenho capacidade pra fazer isso

Ron(9:02)- mas você precisava de mim ontem, e eu te tratei mal. Estava irritado com as questões de física que tava errando. Me perdoa por ser babaca? 

 

Mione suspirou. Sua mãe havia acertado mais uma vez. Ele estava online. 

Posso ligar dessa vez? 

 

A resposta foi imediata. 

Ron(9:20): Pode, amor. 

Ron(9:21): Não vou desligar na sua cara dessa vez

Em casa, Ron balançava a cabeça, decepcionado consigo mesmo pela forma grosseira que tratara Mione na tarde anterior. 

Do outro lado da cidade, a morena colocou pra chamar, e Ron atendeu no primeiro toque. 

— Ron, não precisa pedir desculpas

— Preciso, Mione, não tinha o direito de te tratar daquele jeito. 

— Você tava nervoso, estudando, eu sabia que estava ocupada. Mas naquela hora só pensei em mim, queria desabafar…

— Tudo bem, namorados servem pra escutar um ao outro. E não cumpri meu dever ontem…

— Ron, tudo bem, acabou o assunto. Vamos deixar isso no passado, ok?

— Ok, Obrigada por entender. Bem, você que já passou por isso, o que eu faço hoje?Estudo mais ou relaxo? 

— Isso é com você. Acha que vai aprender mais alguma coisa de hoje até amanhã?

— Tô com medo é de esquecer o que já aprendi… 

— Então descanse hoje.

— Preciso sair de casa, Mione. Posso ir pra sua casa? 

— Pode. Vou baixar filmes pra gente ver. 

— Não sendo filmes do Godard… estou indo agora mesmo. 

Mione riu e desligou o telefone.  

 

[...]

 

Ron andava de um lado pro outro no quarto, esperando o telefone tocar em breve. Mione estaria chegando em alguns minutos pra fazer companhia a ele. 

— Hey, pronto, demorei mas cheguei! O trânsito estava horrível e..

Ron a interrompeu com um beijo rápido. 

— Obrigada. Tô mais nervoso do que estava com a prova domingo… 

Ron finalmente havia prestado o vestibular no domingo anterior, e visitado a indústria de games na segunda-feira.

Passou um dia incrível conhecendo cada canto da fábrica, apresentada pelo próprio dono, que disse a ele que não precisava de teste pra saber que Ron tinha condições de ser desenvolvedor dos jogos. Mas que por questões de formalidade, não poderia afirmar ainda que estava contratado, pedindo que Ron aguardasse a ligação.

Claro, ainda era terça feira. Talvez fosse um pouco cedo demais pro ruivo esperar uma resposta, fato que Hermione lembrou a Ron ao ver que ele olhava pro celular pela trigésima vez em meia hora. 

O ruivo suspirou fundo. 

— Tem razão. Vou apenas manter o meu celular carregado e torcer…

— Isso. O que tiver de acontecer, vai acontecer.- Mione disse, acaraciando os cabelos flamejantes de Ronald. 

— Vem cá… a senhora não devia estar na faculdade uma hora dessas?

— Não, fomos dispensados de ir. O professor já acabou a matéria. Agora só esperar a prova semana que vem…

Ron suspirou. 

—Ou seja, nada de sairmos esse fim de semana, na véspera da semana de provas…

—Hey, desculpe amor… mas são dias impossíveis pr..

Ron a interrompeu com um selar de lábios pela segunda vez naquela noite. 

— Tem um namorado mega compreensivo Mione, a única coisa que não gosto é de mentiras. 

— Digo o mesmo em relação a você, Ron. 

Olharam com admiração um pro outro, se perdendo nos olhares um do outro até que...

Enfim o telefone toca. 

Ron com o coração aos pulos dá uma respirada antes de atender. 

O ruivo reconhece o número na tela. É realmente a ligação que estava esperando. 

Tentando conter o nervosismo na voz, ele atende: 

— Pois não… 

" Sr Ronald Castro?" 

— Sim…

" Você fez uma visita às nossas instalações e nós ficaríamos mais do que satisfeitos em te dar uma chance de trabalhar conosco…" 

Ron segurava para não sorrir. Queria dar um pouco mais de ansiedade à namorada, que o olhava de um jeito desesperado.

— Certo…

" Aceitando, você estaria de acordo com todas as normas e políticas da empresa que te foram apresentadas naquela ocasião" 

— Tudo bem, tudo bem. 

Mione mordia os dedos de ansiedade, e o olhar sério de Rony no telefone não ajudava em nada. 

A morena se sentou na cama do namorado, cruzando as pernas enquanto observava ele atendar pra todos os lados, falando: "Humm...certo...ok". 

Enfim ele desligou, e ela não poderia estar mais ansiosa pela resposta. Era difícil interpretar o olhar dele. 

Até que Ron correu até a morena e a erguendo no colo a girou, gritando: 

— EU CONSEGUI O EMPREGO DA MINHA VIDA HERMIONE, GRAÇAS A VOCÊ! 

— Na verdade é graças a você que mostrou competência no lugar certo e na hora certa, mas vou deixar eu levar o crédito dessa vez. 

Ron não esperou nem mais um segundo, beijando a morena com uma intensidade que há semanas não fazia. 

— Sua aula não podia ter sido cancelada num dia melhor. Precisamos comemorar…- o ruivo olhou pra morena com as pupilas dilatadas. 

— E como pretende comemorar, Ronald? - Mione ergueu as sobrancelhas fingindo inocência. 

— Posso pensar em algumas coisas.- deu uma mordida na orelha dela, sentindo-a estremecer em seu colo. 

— Gosta disso?- soprou após passar a língua pelo lóbulo da orelha dela. 

Ron sorriu satisfeito ao ver o efeito que o gesto havia causado em Hermione, que apenas arfava, fazendo que sim com a cabeça. 

A beijou novamente, sentindo as unhas dela arrancar suas costas na tentativa de tirar sua camiseta. 

— Ron… a porta- conseguiu dizer com alguma dificuldade pela falta de fôlego. 

Deixou Hermione na cama, trancou a porta e tirou a própria camisa, babando ao ver Hermione, ajoelhada na cama, desabotoar lentamente a blusa de seda que usava,vendo o tecido escorregar pelos ombros. Foi até ela, e a beijou lentamente, deixando que uma de suas mãos ficasse na cintura enquanto a outra tentava abrir o sutiã às costas dela. 

— Você é perfeita, Hermione- sussurou no ouvido dela, a voz rouca de desejo fazendo que a morena se sentisse encharcada naquele momento. 

Mione tomou o rosto dele em suas mãos e mordeu os lábios dele, enquanto seus dedos passeavam pelo pescoço do ruivo, que enfim abrira o sutiã e o arrancava naquele momento. 

Deu uma volta e subiu na cama atrás de Hermione, essa totalmente entregue a ele enquanto  o namorado massageava os ombros, as costas e os seios dela, enlouquecendo ao sentir o nariz dele fazendo cócegas em seu pescoço.  

Mione resmungava, ofegante, sentindo a ereção do ruivo a pressionando por trás. 

Ron então a deitou na cama, rapidamente arrancando o restante da roupa dela, brincando com a língua nos seios dela e deixando chupões dos ombros à barriga, sentindo a morena enlouquecer abaixo dele. 

— Por Deus, Ron, logo com isso, não vou aguentar mto mais- Mione disse enquanto tentava arrancar a calça dele. 

— Você quem manda!

Rapidamente, o ruivo tirou a roupa e se juntou a ela, penetrando-a de surpresa. Em minutos, os dois mergulharam num orgasmo intenso, os corpos ainda unidos quando adormeceram, ambos exaustos das suas pesadas rotinas nas últimas semanas. 

— Ronald, meu filho, está tudo bem?

Acordaram já de noite com a avó de Ronald batendo na porta. 

— Essa não! Nós apagamos.- sussurou baixinho, enquanto se vestia o mais rápido possível, enquanto gritava pra avó: 

— Tudo bem, vó, já vou! 

— Oh, Deus, que vergonha. Sua vó nem sabe que eu vim, seu vô que abriu a porta… o que ela vai pensar de mim?- Mione murmurou desesperada enquanto se vestia. 

— Não vai pensar nada. Ela sabe que é minha namorada, Mione…

E assim dizendo puxou a morena pra um beijo, e foram juntos até a porta. 

— Santo Deus, estava preocupada Ronald! Cheguei da rua há algum tempo e nada de você sair desse quarto!- a senhora disse de costas, e ao se virar, sorriu ao ver que ele estava acompanhado. 

— Ah, querida, você estava aí! Agora entendo a demora…- disse sorrindo, deixando Hermione púrpura de vergonha. 

— É.. nós estávamos… conversando e...hmm..cochilamos- a morena tentou mentir, mas uma risada da avó de Ronald a fez ter certeza que a história não colara… 

— Ah, esses jovens… meus amores, já tive a idade de vocês. Não precisam dar nenhuma desculpa pra essa velha, são maiores de idade… 

Ron, mais vermelho que seus cabelos, apenas abraçava Hermione pela cintura. 

— Então, o que vão querer comer?- a senhora perguntou bondosamente, Mione suspirando aliviada com a mudança de assunto. 

— Pra mim qualquer coisa está bom, obrigada- ela disse timidamente. 

— Na verdade, vó, antes de comer queria dar uma notícia. Cadê vovô?

— Está no quarto.- a idosa respondeu enrugando a testa. 

— Vou chamá-lo. 

Mione sorriu pra mulher mais velha. 

— É uma boa notícia, não se preocupe. 

— Que bom. 

Dois minutos mais tarde, Ron vinha bem humorado, conversando com o avô. 

— Olá, Hermione. 

— Olá! 

Os três conversaram aguardando o jantar ficar pronto. 

— Pronto, tá na mesa. Agora diga querido, qual notícia precisa nos dar- a avó de Ronald o olhou sorrindo. 

— Fui chamado pra ser programador numa grande indústria de Games aqui de São Paulo! 

Os avós de Ron o cumprimentaram. 

— Excelente! Esse é meu garoto!- o avô comemorou, orgulhoso. 

— Enfim vai trabalhar com o que mais gosta de fazer nessa vida!- a avó brincou. 

— Verdade vó! E tudo graças a Hermione!

E então, enquanto Mione corava, Ron contava tudo sobre como tinha aparecido a proposta. Os avós se entreolharam sorrindo. 

— Ah, querida, algum dia vou conseguir te agradecer o suficiente tudo que você faz por nosso neto? E por nós?- a idosa perguntou, os olhos marejados de felicidade, tal como a morena. 

— Não precisa agradecer. 

Os quatro devoraram a comida deliciosa e Mione disse que precisava ir. 

— Eu te acompanho até à moto. 

— Obrigada. 

Caminharam em silêncio até o outro lado da rua, onde Mione havia deixado o veículo. 

— Mione, sei que você está doida pra entrar de férias, mas eu não… vou sentir tanto sua falta…

— Não precisamos ficar as férias todas longe um do outro. Estava pensando outro dia- disse olhando para o ruivo, que tinha o nariz colado à sua testa. 

— E a que conclusão chegou, doutora? 

— Meus pais ainda não te conhecem… 

Ron se afastou um passo e suspirou. 

— Tem certeza que vão gostar de me conhecer? 

— Como não vão gostar de quem me faz tão feliz? 

Ron a beijou com paixão. 

— Então tá, Hermione. No réveillon então, pode ser?

A morena estampou aquele sorriso que derretia o coração do ruivo. 

— Pode. Agora tenho que ir. 

Os dois deram mais um selinho de despedida, e a morena se foi, deixando Ron com o mesmo sorriso bobo de quando haviam se beijado pela primeira vez. 

 


Notas Finais


Bem, espero que tenham ficado felizes com o Ron no emprego dos sonhos de qualquer nerd.
Até a próxima ( que será em breve)
Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...