História Ron em 100 capítulos (Romione) - Capítulo 39


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Ronald Weasley
Visualizações 224
Palavras 2.422
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 39 - O julgamento


Fanfic / Fanfiction Ron em 100 capítulos (Romione) - Capítulo 39 - O julgamento

POV Hermione

 

Voltei para casa com Rose tarde, o casamento foi animado e durou até o anoitecer mesmo os noivos partindo, Ron nos levou até a porta de casa, mas achei melhor entrar apenas depois dele partir, papai andava muito irritado e queria evitar uma discussão entre os dois. Meu coração se aqueceu ao saber que Gina esperava mais uma criança e agora a menina que eles tanto desejavam, Harry tinha convicção que teriam uma, mesmo que para isso viesse mais seis garotos antes, como ocorreu com os pais de Ron e tinham conseguido, eles mais que ninguém mereciam.

- Oi querida, como foi o casamento? Queria tanto ir, Molly é sempre muito gentil em nos convidar para todos os eventos da família, mas infelizmente seu pai está sendo muito duro – Mamãe me falou assim que entrei.

- Foi maravilhoso mãe, Ron é... – Suspirei apaixonada.

- Nem precisa dizer, sua expressão já deixou tudo claro – Ela sorriu.

- E papai? – Perguntei.

- Foi dormir, estava insuportável e precisei colocar um calmante no leite dele – Ela deu de ombros.

- Sem ele saber? – Perguntei rindo e ela confirmou.

- Não me julgue, quando se casar vai ver que nem todos os momentos você é obrigada a aguentar um turrão, deixe que cuido de Rose, vá tomar um banho – Ela a segurou – Vovó estava com saudades dessa princesa – Mamãe falava com Rose carinhosamente – Pode se deitar filha eu vou dar um banho nela e a coloco para dormir – Agradeci e subi.

Chegando em meu quarto encontrei uma carta de Ron.

Mione,

Simas acabou de me avisar que amanhã será o julgamento do divorcio, sei que é pedir muito, mas gostaria muito que estivesse lá. Será antes do almoço na sala 16 de justiça do ministério.

Com amor,

Ron

Fiquei instantaneamente nervosa, aquela era a chance de ter Ron comigo novamente, mas sabia que tinha uma chance de ele não conseguir se livrar de Lilá. Precisei pegar o famoso calmante de mamãe para conseguir dormir naquela noite, por sorte ela me acordou no dia seguinte, tinha escrito para o meu chefe pedindo a manhã livre e confirmado para Ron que iria, tomei café com Rose e mamãe, por sorte papai já tinha ido trabalhar e não precisei dar maiores explicações sobre a festa e minha meia folga. Me arrumei e partimos, mamãe fez questão de ir e levamos Rose.

- É filha dele e ela não vai entender nada mesmo, Ron vai precisar de todo apoio – Ela disse quando tentei argumentar.

Usamos a lareira, consegui uma autorização de ultima hora para ela ir a sessão, por sorte o ministro atual era Kim, um grande amigo e também membro da ordem da fênix.

- Que lugar espetacular, olhe Rose – Mamãe apontava para a grande estatua que agora mostrava um bruxo segurando a mão de uma trouxa e uma criança de uns 6 anos mestiça entre as pernas dos dois, ao lado deles tinha um elfo, uma veela, um anão, um lobisomem e outras criaturas representando a igualdade entre as espécies.

Quando chegamos ao pequeno tribunal  Ron e Simas já estavam lá, assim como toda grande família Weasley, com exceção de Carlinhos e Alex que estavam em lua de mel.

- Que bom que chegaram! – A Sra. Weasley veio nos cumprimentar com os demais, Ron me olhou apaixonadamente, sabia que ali naquele momento não podíamos fazer grandes  demonstrações de afetos, mas discretamente sussurrei “eu te amo” quando todos estavam distraídos e seu rosto se iluminou em um grande sorriso de compreensão.

- Muito bem! Vamos iniciar o julgamento, sentem-se todos, por favor – O ministro anunciou, nem tinha percebido sua chegada, me sentei entre Harry e Gina, mamãe ficou com os pais de Ron e Rose, as crianças estavam no colo dos pais observando tudo com atenção, eles eram tão inocentes que pareciam alheios a importância da situação.

- Desculpa o atraso! – Goyle entrou de forma arrogante, seguido por Lilá que usava uma roupa com grande destaque para sua barriga.

- Por favor, senhores sentem-se!  - O ministro indicou lugares na mesa no centro onde já estavam Ron e Simas – Estamos aqui hoje por um pedido do Sr. Weasley que deseja desfazer sua união com sua esposa a senhora Lilá Weasley, que atendia pelo nome de solteira como Lilá Brown e passará a ter esse mesmo nome caso o casamento seja hoje dissolvido – Ele falou sério – As duas partes estão de acordo com a dissolução desse casamento? – O ministro perguntou.

- Não senhor, minha cliente foi abandonada grávida devido seu marido manter uma amante, a mesma se encontra nessa sala e é funcionária do ministério, a Srta. Hermione Granger – Goyle apontou pra mim, senti meu rosto queimar – O Sr. Weasley manteve diversas amantes no decorrer de todo casamento, mas apenas após a Srta. Granger retornar para o pais ele decidiu abandonar o lar com sua esposa carregando um filho dele – Ele finalizou de forma dramática.

- Senhor ministro, meu cliente soube da gravidez de sua esposa recentemente, podemos comprovar que isso ocorreu na sexta passada já que ela usou um feitiço de ilusão, acredito que com o intuito de nos pegar despreparado para esse recurso. Meu cliente percebeu que foi um erro esse casamento por serem muito diferentes, ele concorda que errou ao alimentar os sentimentos de sua esposa mesmo não a amando e que também foi incorreto ao procurar consolo em outras mulheres, mas indiferente de toda situação meu cliente tem o direito de ser um homem livre. Não podemos obrigar uma pessoa que está infeliz e não ama a esposa a continuar em um casamento falido, meu cliente está comprometido a dar todo apoio a essa criança – Simas disse em um tom profissional – Mas ressalto que a criança só será assumida por meu cliente após comprovação de sua paternidade.

- Isso é ofensivo, minha cliente foi fiel ao Sr. Weasley durante todo casamento, é humilhante ele lhe negar o mínimo – Goyle bateu na mesa.

- Sr. Goyle, por favor, se contenha, acho que a Sra. Weasley não terá problemas em comprovar a paternidade da criança já que foi uma esposa tão fiel e dedicada como o senhor defende – O ministro falou secamente.

- Acha que sou como aquela vagabunda que dormiu com você e com Krum? – Lilá gritou – Que teria um filho fora do casamento como você! – Ela acusava Ron que a olhava com frieza e se mantendo calado.

- Sra. Weasley, por favor, se contenha – O ministro disse com firmeza – As acusações são sérias a senhora tem como provar? – Ele perguntou e Lilá deu uma risada debochada.

- Vejam! – Ela jogou várias fotos na mesa – Meu advogado contratou um detetive de renome, o Sr. Zambini me trouxe todas essas provas.

- As ampliarei para o júri ver! – Kim disse e com um aceno se abriu um telão e lá vi Ron e eu em nossa recaída no apartamento e Lilá nos pegando em flagrante e depois várias de Ron com outras mulheres que não conhecia, senti um desconforto, papai parecia ter razão eu estava sendo mostrada como mais uma conquista entre tantas de Ron. Depois começou a mostrar muitas minhas na Bulgária, grávida e com Viktor e por fim as dos meus últimos encontros com Ron, minhas idas a toca, ele me acompanhando até em casa e até fotos da noite que dormi nos Potters.

- A infidelidade do Sr. Weasley foi comprovada, acredito que minha cliente tenha direito a uma indenização por danos morais – Goyle falou pomposo.

- Também contratamos um detetive senhor ministro, o Sr. Thomas é eficiente e ético, não tenho fotos em ambientes particulares, como o Sr. Goyle mostrou, mas felizmente a Sra. Weasley já cometeu infidelidade em ambientes públicos como em sua sala nesse departamento – Simas sorriu e mostrou um frasco com lembranças, o ministro desceu uma penseira que estava e um pequeno armário atrás de sua cadeira com a varinha, ela tinha um pequeno projetor acoplado e ampliou a memória.

- E como vai me pagar pelo trabalho sujo Brown? Não sou barato sei que não ganha tanto quanto seu marido e que nunca teve acesso as contas dele, andei pesquisando antes de vir pra cá – Goyle disse secamente.

- Posso pagar de outras formas – Lilá o puxou e deram um beijo acalorado, ele a ergueu em sua pequena mesa levantando sua saia.

- Tem sorte que é gostosinha, vou aceitar por hora, vai ter que ser muito boa de cama para me pagar e é bom ter disposição porque só uma não paga meus serviços – Ele sorriu malicioso – Acho que Zambini aceita esse tipo de moeda também, ainda mais que ele casou com Pansy, o coitado nem deve ter isso em casa, ela ainda é apaixonada por Malfoy – Goyle disse passando a mão por dentro da saia de Lilá.

- Diga a Zambini para vir amanhã – Lilá sussurrou. A cena foi cortada pelo ministro.

- É o suficiente, temos crianças aqui – Ele disse sério – Então autorizo o teste de paternidade.

- Eu me recuso – Lilá gritou – Não darei o divorcio – Ela se desesperava.

- Sem o teste meu cliente não assumirá a criança, o divorcio como a indenização são inegociáveis – Simas falou secamente – houve traições das duas partes então ninguém tem o direito a indenizações e acredito que os dois já estão formando família fora do casamento, não faz sentido a senhora protestar para manter meu cliente preso a esse casamento – Simas disse.

- Farei o teste – O ministro informou e Lilá tentou proteger a barriga, mas sabia que não adiantaria, Kim era um excelente bruxo e não seria um bloqueio físico que impediria o laço dos  progenitores de se efetivar, ele acenou com a varinha e um lindo laço dourado saiu do ventre de Lilá e outro de seu coração os unindo, uma terceira ponta flutuou até o coração de Goyle, era ele o pai – Comprovado que o Sr. Weasley não tem qualquer laço sanguíneo com essa criança e devido a todas as comprovações decreto a separação do casal nesse momento, a sessão está encerrada, todos dispensados – Kim anunciou e se retirou.

- Eu não vou assumir essa criança, está claro que cai em um golpe seu para prender o tonto do Weasley! – Goyle se levantou e se apressou em sair da sala.

- Volte aqui! – Lilá gritou – Conseguiu o divorcio não é Granger, sua vagabunda! Mas ele vai fazer com você o mesmo que fez comigo! Vai te abandonar grávida de novo – Ela riu.

- Ora sua! – Gina tentou avançar, mas segurei seu braço.

- Ela está grávida Gina – Disse preocupada.

- Eu também, então posso socar a cara dessa vaca! – Ela tentou, mas Harry a segurou – Me larga Potter! – Ele a manteve presa em seus braços.

- Cala a boca! – Ron disse pela primeira vez e Lilá que o olhou assustada.

- Srta. Brown por favor, venha está muito nervosa! – Simas a retirou do tribunal.

Ron se virou pra mim e não me importei com toda a plateia ali presente, corri para seus braços.

- Eu sabia que íamos conseguir amor! – Disse entre lágrimas.

- Eu nunca faria com você o que ela disse, indiferente do que acontecesse hoje – Ele falou emocionado.

- Eu sei! Eu confio em você e agora podemos ter nossa família unida de verdade – Falei entre soluços.

- É não tenho mais motivos para esperar – Ron falou sério e se ajoelhou, ele abriu uma caixinha com um anel com uma linda pedra quadrada e azul como seus olhos – Hermione Jean Granger aceita se casar comigo? – Ele perguntou esperançoso.

- Ron... Sim! – Pulei nele o derrubando no chão, ouvi aplausos.

- Acho bom que cumpra dessa vez rapaz ou já sabe! – Ouvi a voz grossa e séria de papai, ergui o rosto e ele me olhava com amor – O que não faço por você minha princesa! – Ele me ajudou a levantar e me abraçou – Esse rapaz é muito insistente, ficou a noite toda me convencendo a dar sua mão e aceitar estar aqui hoje – ele falou.

- Achei que mamãe tinha te dado um calmante – Disse rindo.

- Ela teve que dar quando me contou do pedido dele, sabe como é puxa saco desse garoto, mas acabei aceitando a conversa e ele entrou em casa logo depois que você adormeceu – Papai disse.

- Obrigada papai! – O apertei.

- Nada vai me impedir de casar com sua filha dessa vez senhor – Ron respondeu nervoso.

- Então vamos almoçar? Conheço um ótimo restaurante, afinal esse noivado merece pelo menos uma garrafa de champanhe – Mamãe sorriu.

Partimos todos para um charmoso restaurante espanhol perto do ministério, não conseguia parar de sorrir. Gina e as demais esposas já discutiam detalhes da festa e mamãe falava com a Sra. Weasley sobre um rodizio de quem ficaria com Rose durante nossa lua de mel. Papai e o Sr. Weasley com os demais homens davam conselhos estranhos a Ron que concordava com tudo.

- Filho ela sempre está certa, não discuta – Papai disse e mamãe o olhou com ironia, papai adorava uma discussão.

- E não quebre promessas! – O Sr. Weasley disse.

- Como não ter um carro trouxa Arthur? – A Sra. Weasley o contradisse e ele ficou vermelho como um tomate.

- Ron já foi casado pessoal, ele sabe como é – Gui disse.

- Aquilo nem podia ser considerada esposa, não queríamos que desse certo, com Mione é diferente – Jorge piscou.

Depois de um longo e animado almoço, com direito a bebidas e muitas risadas voltamos para o trabalho. Os demais voltaram para suas casas e serviços, mamãe foi para a toca com Rose, acompanhando a Sra. Weasley com todos os demais netos.

- Como vou dar um treinamento assim? Estou cheio, por sorte não bebo mais – Ron disse alegre e sorri, eu estava bem animada pela bebida ao contrário dele, faria um feitiço para desfazer aquilo assim que chegasse em minha sala – E você também não deveria ter bebido, tenho certeza que tem alguém ai dentro! – Ele acariciou minha barriga.

- Acho que você que quer muito outro! – Sorri – Temos muito o que conversar, que tal jantar em casa hoje? E quero saber dessa conversa com meu pai – Disse curiosa.

- Adoraria, vou apenas devolver o nosso antigo apartamento e as 8 estarei lá – Ele disse – Melhor começarmos do zero com uma casa com um grande quintal para Rose brincar e quando o Hugo vier teremos espaço – Ron me surpreendia.

- Hugo? – Perguntei perdida- Já escolheu um nome? – Ri.

- É o mais justo, você escolheu o de Rose – Ele sorriu.

- É um lindo nome – Concordei.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...