História Ron em 100 capítulos (Romione) - Capítulo 40


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Ronald Weasley
Visualizações 131
Palavras 2.546
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 40 - Sogro


Fanfic / Fanfiction Ron em 100 capítulos (Romione) - Capítulo 40 - Sogro

POV Rony

 

Simas tinha me explicado todos os detalhes do julgamento do dia seguinte no próprio casamento aos cochichos enquanto Hermione dançava lindamente com Rose na pista, tinha grandes esperanças que o filho fosse de Goyle ou Zambini após ser atualizado das aventuras de Lilá, tinha que me apegar aquela pequena chance e me arriscar pediria a mão de Hermione ao seu pai não podia mais perder tempo.

Quando a festa acabou acompanhei minhas duas princesas até em casa, tinha receio da doida da minha futura ex mulher fazer algo e precisava conversar com o pai de Mione. Assim que Hermione entrou observei ela pela janela falando com a Sra. Granger que segurava Rose, bati discretamente na janela e ela se virou e sorriu ao me ver, sinalizei para fazer silêncio e ela compreendeu que não era para avisar a filha. Ela me deixou entrar depois que Hermione subiu.

- Boa noite querido, aconteceu alguma coisa? – A Sra. Granger perguntou preocupada.

- Eu vim pedir a mão de sua filha Sra. Granger, me desculpe pela hora, mas farei o pedido na segunda e tinha que ser em uma hora sem que ela desconfiasse – Disse sincero.

- Já não era sem tempo, entre! Fique a vontade na sala querido, eu vou só colocar Rose para dormir, minha filha está no banho e sei que vai dormir em seguida, já voltou – Ela se retirou e voltou depois de vinte minutos – Verifiquei e as duas já estão dormindo – Ela sorriu bondosamente.

- O Sr. Granger? – Perguntei.

- Ah querido eu dei um calmantezinho para Roberto! – Ela suspirou e torceu a boca – Não imaginei que viria, acho que ele só vai acordar amanhã depois do meio dia – A Sra. Granger informou preocupada.

- Ah... Eu poderia fazer um feitiço para acordá-lo se a senhora permitir – Disse esperançoso.

- Acho que dada à situação ele não vai se importar, é uma excelente ideia, venha comigo querido só tente ser silencioso. Hermione depois que virou mãe tem um sono de uma pena – Ela informou, concordei, agradeci mentalmente meu treinamento de auror que acabou com minha falta de habilidade para ser silencioso, era grande e atrapalhado e costumava esbarrar em tudo antes.

Caminhamos silenciosamente passando por algumas portas, uma tinha uma linda rosa dourada e imaginei ser o quarto de Rose ao lado outra com um H dourado, provavelmente o de Hermione.

- Esse aqui estou guardando para o próximo neto, hoje é o de hospedes, quando Hermione se for usarei o dela como o de hospedes já que é a segunda suíte da casa – A Sra. Granger apontou para uma porta ao lado do quarto de Hermione, sorri para ela, imaginar que minha família estava se formando me fazia sentir borboletas no estomago como quando meu olhar cruzava com o de Hermione há anos atrás na sala comunal – É aqui querido! – Ela abiu uma porta dupla no final do corredor, pedi licença e adentrei um espaçoso quarto em tons verdes claros, o Sr. Granger roncava sonoramente e fiquei impressionado do som não sair pelo corredor a fora – Minha filha fez um feitiço para abafar o som no quarto, Rose sempre acordava com o ronco do avô – Ela riu discretamente ao explicar. Me aproximei dele, o pai de Hermione me assustava um pouco, mas precisava fazer aquilo, respirei fundo e pensei  no feitiço, o ronco foi silenciado.

- Amélia onde estão as meninas? – Ele deu um pulo assustado e sua cara ficou visivelmente roxa quando me viu – O que esse moleque está fazendo aqui? – Ele berrou, a Sra. Granger se apressou em se aproximar.

- Roberto não grite assim, elas estão bem, estão dormindo – Ela o acalmou – Ron veio te fazer um pedido – Ela sorriu, ele me olhou desconfiado.

- E não poderia fazer isso em um horário descente? Acha que somos baderneiros como o senhor? – Ele me atacou.

- Roberto cale a boca e escute, pode dizer querido – A Sra. Grange me incentivou a falar.

- Sr. Granger eu gostaria de pedir a mão de sua filha – Disse em um engasgo, ele me olhou surpreso.

- E como pensa em fazer isso se ainda é casado rapaz? – Ele me cobrou.

- Amanhã tenho certeza que estarei divorciado – Disse com segurança.

- Preciso mais do que isso, como tem essa certeza? – Ele me analisava - Vamos rapaz! Se quer minha permissão precisa ser honesto comigo – Ele disse secamente e precisei contar todos os detalhes que Simas tinha me passado e narrei boa parte da minha história com Hermione – Ainda não estou convencido – Ele decretou quando me calei.

- Sr. Granger eu amo de verdade sua filha, quase me destruí quando a perdi – Disse com sinceridade – Hermione era a única mulher que me deixa extremamente frágil e forte ao mesmo tempo, nunca imaginei que outra conseguiria um efeito ainda maior que ela até que soube que Rose é minha filha, eu compreendo que queira proteger Hermione, se fosse Rose em seu lugar teria a mesma reação ou até pior, mas nos amamos. Sei que fiz muitas burradas e que quase arruinei nossas vidas, mas é com ela que quero passar o resto da minha existência, gostaria muito que o senhor aprovasse nossa relação porque é importante para Hermione – Suspirei.

- Se acha que sou um leão protegendo minha filha saiba que sou um urso para proteger Rose, ela precisa de um homem exemplar como pai, não quero que ela cresça achando que é normal um homem tratar uma mulher como o senhor já tratou minha filha! – Ele disse secamente – Não tenho mais controle de Hermione, ela se transformou quando você voltou para nossas vidas e sei que a culpa da nossa relação estar estremecida é toda sua rapaz – Ele torceu o nariz.

- Roberto, ela se importa que aprove, isso não significa nada? – A Sra. Granger tentava me ajudar – Apoie sua filha que tenho certeza que terá sua doçura de volta, não cabe mais a nós dois julgarmos se ele é a melhor opção pra ela, acho Ron um excelente rapaz, mas quem decide se ele é ou não o certo é nossa filha, afinal ela que será sua esposa e pense em Rose, ter os pais juntos seria ainda melhor para nossa neta e você sabe disso – Ela prosseguiu.

- Amélia ela tem a nós, posso ser a imagem paterna dela até Hermione encontrar um novo amor – Ele teimava. Ela suspirou e foi até a cômoda e pegou uma foto em que Hermione abraçava o pai sorridente – Lembra desse dia? Não queria que ela fosse a excursão naquele museu por ser a mais nova da turma, ela ficou furiosa com você e brigaram por semanas até que cedeu e lembra quando ela voltou? Se lembra desse momento em que tirei a foto enquanto estavam distraídos? – Ele confirmou pensativo – Ela ficou anos falando o quanto foi incrível aquela excursão e sempre te agradeceu por assinar a permissão, ela nem lembra mais o quanto brigaram antes e isso porque ela te ama, essas brigas entre vocês dois vai passar assim que deixar que nossa menina trilhe seu caminho Roberto, ela já é uma mulher! – A Sra. Granger insistia.

- Tudo bem, mas se a magoar novamente rapaz! – Ele me ameaçou.

- Prometo ao senhor que não a magoarei nunca mais – Falei com convicção – O senhor não vai se arrepender eu juro e muito obrigado pelo apoio Sra. Granger – Agradeci com sinceridade.

- Não por isso querido e já tem o anel? – Ela me perguntou animada.

- Foi tudo muito rápido, soube da defesa para a segunda durante o casamento de meu irmão e não quero usar o mesmo anel do último pedido, acho que precisamos começar do zero para dar certo – Falei apreensivo, estava nervoso com a aprovação deles.

- Espero que não tenha tomado à decisão em um impulso – O Sr. Granger reclamou rabugento.

- Roberto por deus! – A Sra. Granger o repreendeu.

- Não senhor, eu tenho certeza disso desde que tinha 15 anos, só fui burro mesmo – Respondi constrangido.

- Em algo sobre sua inteligência concordamos – Ele disse sério.

- Já chega, fique calado. Então do que precisa querido? – Ela me perguntou e expliquei minha ideia.

- Tudo bem estarei lá, ela não vai desconfiar porque sempre saio cedo para o trabalho, seu pai vai me esperar na estrada mesmo né? Arthur é um excelente homem, não consigo entrar sozinho rapaz – O Sr. Granger perguntou e confirmei – E se esse filho for seu? – ele me encurralou.

- Se for ele cuidará Roberto e Rose terá um irmão que será tratado como um neto nessa casa! – Ela o olhou séria.

- Está certa a criança não tem culpa da irresponsabilidade dos pais – Ele me observou severamente- Só não quero que minha filha ou Rose tenham menos dedicação por conta dessa outra família, elas já foram desamparadas demais por você – Ele disse sério.

- Nada faltará nada as duas senhor e se falhar juro que nunca mais chego perto de nenhuma delas – Prometi.

- Ótimo temos um acordo então – Ele me deu a mão e a apertou forte – Ficarei de olho rapaz, agora desfaça esse feitiço e me deixe dormir de novo, amanhã é domingo e quero descansar – Ele ordenou, a Sra. Granger revirou os olhos com o jeito do marido enquanto o coloquei para dormir novamente.

- Estou muito feliz que agora será parte de nossa família querido! – Ela me abraçou assim que saímos do quarto e agradeci – Vou te acompanhar até a porta. Me despedi da mãe de Hermione e aparatei na casa dos Potters, o dia já estava quase amanhecendo, fui para o quarto e me joguei na cama exausto. No dia seguinte acordei com um ótimo humor, tomei um banho rápido e desci apressado precisava encontrar um anel.

- Finalmente Tiago já estava perguntando do Dindo! – Gina disse quando me viu – Venha tomar café conosco – Ela indicou uma cadeira ao lado do meu afilhado.

- Logo Alvo e Rose completam 1 aninho, podíamos fazer uma grande festa na toca – Harry comentou.

- Mas só depois do meu casamento – Sorri, os dois me olharam surpresos e contei sobre Simas e minha conversa com os Grangers.

- Finalmente, meus parabéns! – Eles me abraçaram.

- E quero que sejam meus padrinhos! – Informei e ambos sorriram.

- Será uma honra! Estarei enorme e não ficarei tão bonita no vestido, mas estou honrada com o convite – Gina disse rindo.

- Vai ser logo Gina, você ainda nem tem barriga – Ri.

- Você fica linda de toda forma amor! – Harry a beijou.

- Eca! Potter por Merlin – Protestei.

- Eca! – Tiago me imitou.

- Logo vai gostar disso rapaz! – Pisquei pra ele e ele riu negando com a cabeça.

Estávamos terminando o café quando me lembrei do anel – Gina preciso de ajuda! – Falei desesperado - Eu não tenho um anel – Ela me olhou surpresa.

- Mas você gosta mesmo de fazer tudo ao contrário! – Ela riu – O filho antes do casamento, o pedido antes do anel... – Gina revirou os olhos.

- Não tem graça preciso que me ajude! Que tipo de madrinha é? – Perguntei irritado.

- Está bem! Tem sorte de me ter como madrinha seu ingrato – Ela torceu o nariz – Amor pode enviar uma coruja para a Cátia Bell? Ela se casou com um joalheiro maravilhoso! Tenho várias peças dele que Harry me deu de presente, os convide para almoçarem conosco e informe que Ron está noivo e que precisa de um anel! Ah diga também que a noiva tem um estilo clássico e sofisticado assim ele trás peças certas, ou vai trazer tudo moderno e romântico como eu gosto – Ela sorriu – Ah não ser que Ron queira me presentear como sua madrinha ou queria me dar um mimo amor! – Gina disse esperançosa.

- Tudo bem, você me ajudando merece! – Reclamei.

- Tudo que quiser querida, vou escrever agora mesmo – Harry saiu apressado enquanto ajudava Gina com os meninos.

No almoço recebemos o casal, Cátia comentava animada do trabalho com Gina, eram colegas de time junto com Angelina. Oswaldo o marido de Cátia era um rapaz simpático que tinha estudado na lufa lufa, foi amigo de Cedrico e lembrava dele na torcida no torneio. Depois de um amigável almoço partimos para a sala onde ele mostrou uma impressionante coleção de joias.

- Essas são do estilo da noiva! – Ele colocou uma maleta no chão – Venham, por favor! – ele adentrou a maleta e Gina nos empurrou para o seguirmos, a maleta era estendida com feitiço como o velho ford de papai e a bolsinha de contas de Mione, descemos uma luxuosa escadaria  e saímos em uma impressionante e espaçosa sala, ela era repleta de estantes com mostruários de lindas joias, todas a cara de Hermione – Pelo que descreveram, acho que o ideal seria uma dessas aqui! – Ele nos levou para uma prateleira onde haviam quatro anéis, todos eram lindos, mas um  em especial prendeu meus olhos – É o que dizem, anéis de noivado são como as varinhas, quando o casal se ama os olhos dele ficam fixo no anel que ela mesma escolheria! – ele pegou o anel percebendo meu olhar.

- É perfeito! – Aprovei.

- Que lindo! Ela vai amar! – Gina deu pulinhos e Cátia aprovou com um aceno.

- Preciso do seu contato, nunca se sabe quando vou precisar de uma joia de desculpas ou de presente! – Sorri animado – E ainda tenho uma princesinha, joias nunca são um erro para presentear mulheres! – Disse e ele aprovou me entregando seu cartão.

- Agora vamos para a minha maleta! – Gina puxava Harry como uma criança que pede ao pai doces e saímos da maleta, ele deu um toque na varinha e ela mudou completamente de estilo, antes era uma maleta preta e sofisticada e mudou para uma marrom clara muito moderna, Oswaldo repetiu o gesto e descemos uma escada mais estilosa que lembrava a decoração da casa dos Potters, lá as estantes eram um pouco diferentes, tinham formatos engraçados e me senti visitando uma revista de decoração que Gina adorava, as joias realmente pareciam feitas para minha irmã – Aceito esses brincos para o casamento Ron e amor olha esse colar e essa pulseira! – Quase cai para trás vendo o preço, Harry por outro lado parecia alheio ao valor e ele ainda pagaria praticamente o triplo, mas entendia ele sempre foi muito generoso com dinheiro e já era rico antes mesmo dele saber.

- Você vai falir assim! – Cochichei a Harry logo após as visitas partirem e estarmos mais pobres.

- Ainda tenho muito não se preocupe e o sorriso dela não tem preço! – Harry indicou Gina que provava as joias na frente do espelho – Vai entender quando entregar a Hermione essa e outras joias! – Ele a abraçou.

- Amor acho que eu vi um bracelete lindo, só que não queria abusar! – Gina fez um biquinho.

- Aquele de rubi? Vai combinar com seu cabelo, sei que foi feito para a minha rainha! – ele a beijou – Vou escrever para Oswaldo e o busco depois do trabalho amanhã, vou pedir para colocar os brincos do conjunto também! – ele mimava Gina.

- Os brincos também? Ah amor! – Ela o abraçou.

- Você merece como presente por me dar mais uma felicidade – Ele acariciou a barriga dela, Gina o tinha nas mãos e sabia que Hermione e Rose também me tinham.


Notas Finais


Corrigido hehe!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...